sábado, 22 de janeiro de 2011

Milton Wendel e o futebol catarinense

Um dia antes da terceira rodada da divisão principal do Campeonato Catarinense, ainda é cedo para fazer previsões sobre favoritos ou sobre quem pode ser rebaixado. Mas algumas coisas já ficaram claras.

O Avaí, que se prepara para a terceira participação consecutiva na elite do futebol brasileiro, afinal de contas não é tão poderoso assim quanto parecia: se não colocar em campo o time titular, corre o risco de ser rebaixado. Já a Chapecoense, que em 2010 foi rebaixada para a divisão especial mas acabou herdando a vaga abandonada pelo Atlético Herman Aichinger, já mostrou que neste ano não vai repetir o fiasco.

O Concórdia teve maturidade, superou o desastre da estréia, quando perdeu de 6 a 1 do Criciúma. Quem esperava que uma das vagas para o rebaixamento já estava garantida para o representante do Oeste, pode ir apertando as chuteiras porque não vai ser tão fácil. Dos dois times que já sofreram goleada, o Concórdia foi o que melhor reagiu. O JEC mergulhou numa crise, com o diretor de futebol hostilizando publicamente o técnico. Mostrou falta de maturidade. O que aconteceu no Scarpelli é coisa de futebol: um gol casual no início do jogo, uma expulsão discutível no início do segundo tempo, um adversário forte que soube aproveitar a noite azarada... coisa normal, no futebol.

A terceira rodada não vai mostrar quem será o campeão ou quais serão os rebaixados. Mas vai separar um pouco mais o joio do trigo, os competentes dos incompetentes. Espero que o JEC consiga se firmar entre os competentes.

Quatro times podem sair desta terceira rodada em posições desconfortáveis: Avaí, Imbituba, Marcílio Dias e o próprio JEC.

Um comentário:

Rafael disse...

Ele poderia ter evitado o comentario a respeito do Avaí, ano passafoi a mesma coisa, lembra do narrador, e no final, deu no que deu.