sábado, 22 de maio de 2010

O Jec é o assunto novamente

Publico na íntegra o texto do colunista Maceió do jornal A Notícia...Novamente o assunto é o Jec...

VIA-CRÚCIS DO JOINVILLE

Ainda que ponha em risco velha amizade com uma das figuras mais nobres do esporte joinvilense, o presidente Márcio Vogelsanger, e constranja também Nereu Martinelli, que exerce com toda transparência a difícil missão de administrar o futebol do clube, preciso abordar o assunto sem meias-palavras: o balanço do JEC neste primeiro semestre de 2010 é positivo por um lado e extremamente preocupante por outro.

Positivo porque derrubaram o mito da impotência, disputando uma final do Estadual depois de oito anos. Pensam que é fácil ficar um degrau acima do Figueirense, que, durante toda a década, disputou sete edições do Brasileirão e recém-começou sua segunda participação na Série B? Pensam que é fácil fazer futebol nos dias de hoje, competir, com dinheiro a conta-gotas, dentro de uma instituição tão fragilizada pelos milhões e milhões de euros do capital estrangeiro e pelas taxas absurdas que se cobra aqui para se inscrever um atleta?

O JEC foi o JEC quando tinha a paternidade do empresário que fundou o clube. Hoje vive das mensalidades, de patrocínios de alguns colaboradores, dos sócios e dos níqueis da algibeira popular. Aí acontece o quê? A cada mês, faltam R$ 100 mil ou R$ 110 mil para fechar a folha e Márcio e a família Martinelli a dar cabeçadas na parede para cobrir o resto.

Fonte:Jornal A Notícia(23/05/2010)

Nenhum comentário: