terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

E A VIDA SEGUE...

Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo.

Carnaval não é coisa de gente daqui *

*Por José António Baço

Não ter desfile de Carnaval é uma coisa. Mas é tosca a ideia de pôr a polícia na rua para impedir a reunião das pessoas. É uma atitude autoritária, provinciana e mal humorada. Mesmo sem saber de onde partiu a decisão, há um fato evidente: foi uma medida burra. E que volta a expor o retrato de uma cidade entregue a gente conservadora, pouco imaginativa e inimiga da felicidade. Em todas as esferas de poder.

Fiquemos por Joinville. A Hermann Lepper vive um vazio democrático. O povo – esse detalhe chato – parece não importar. E quando se envia uma frota da guarda municipal, numa desproporcional demonstração de força, fica claro que não há preocupação em disfarçar o autoritarismo. Mas isso já todos sabem. É só ver os comentários nas redes sociais (apesar do silêncio cúmplice de uma imprensa submissa).

Mas não é o que interessa discutir. Tendo o Carnaval como pano de fundo, o que se pretende é falar na falta de imaginação, na incapacidade de ver o óbvio e numa gestão que, tudo indica, só sabe fazer contas de merceeiro. A ideia é falar dois temas que têm sido sistematicamente relegados para último plano: o turismo e a cultura. Que, não por acaso, acabaram enfiados num mesmo saco desta administração (já escrevi sobre isto aqui).

Quando se fala em cultura, não há disfarces. O inconsciente social de Joinville ainda conserva uma matriz focada na ética protestante do século 19. Trabalhar. Poupar. Levar uma vida ascética. É um modelo de vida sem espaços para devaneios. Não é estranho, portanto, que o Carnaval seja olhado com desconfiança, como algo que só serve para outro tipo de pessoas. O famoso “não é gente daqui”.

Os inquilinos da Hermann Lepper não cumpriram a promessa de fazer um grande desfile de Carnaval e ainda assim recebem o apoio de boa parte dos joinvilenses. Eis a contrafação cultural. É fácil criminalizar o Carnaval, sob o argumento de que o país está em crise e há coisas mais importantes (como se fosse um grande investimento). É o discurso moralista repetido pelos conservadores que se reveem no estilão casca grossa do prefeito.

O problema é que essa gente não faz a mais pálida ideia do que é cultura. Seria dispensável repetir, mas como ninguém ouve, vamos insistir. O Carnaval é uma das maiores expressões da cultura brasileira. Tem história. Tem antropologia. Tem linguística. Tem política. Tem ação. Enfim, expressa da cultura de um povo (que não é feito só de gente de olhos azuis). Negar o Carnaval é negar a liberdade de expressão.

Há uma evidência do ponto de vista do turismo. Quem anda pela redes sociais viu muitos joinvilenses a viajar para outras cidades onde há Carnaval. Bem ou mal, essas cidades têm um produto. O produto atrai consumidores. E os consumidores trazem dinheiro. Em Joinville isso não acontece. Pior: não interessa. As autoridades veem a promoção do Carnaval como uma carga de trabalhos e como se fosse dinheiro jogado fora.

O problema é a incapacidade de ver aí uma oportunidade de negócios para o turismo. O que é necessário? Simples. Criar um produto. Depois olhar para o marketing mix desse produto e encontrar uma forma para fazer dele um gerador de receitas. Não é difícil. Mas a atual gestão parece sofrer de um déficit de imaginação. E de proatividade. Quem não gostaria que o Carnaval de Joinville fosse um produto de sucesso, capaz de gerar receitas?

Só os tolos, claro.
É a dança da chuva.

*Retirado do blog Chuva Ácida(28/02/2017)



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Interessante abrir o jornal A Notícia de hoje e perceber que o espaço que o diário deu a manifestação em favor do carnaval de Joinville ontem no Museu de Artes foi insignificante e não mostrou a realidade dos fatos.

VIOLÊNCIA E IMPUNIDADE NO BRASIL

Você quer transformar a segurança pública em uma responsabilidade dos professores? Eles é que vão educar com "respeito a vida" e impedir que os bandidos surjam? Se falta de educação criasse criminosos, as regiões mais pobres do país estariam cheia deles. A certeza da impunidade e da impossibilidade de defesa é que cria os bandidos e os torna cada vez mais cruéis.

Onyx Lorenzoni

domingo, 26 de fevereiro de 2017

UMA PERGUNTA

Se Joinville foi fundada em 1851, por que ela continua tão medieval ??? O feudalismo por aqui continua atual. Lotearam a cidade entre os senhores feudais.

Para mim essa é a foto do ano

Joinville uma cidade que fica no Brasil não pode ter Carnaval.
Os últimos acontecimentos em relação a proibição do Carnaval em Joinville demonstram o preconceito da atual administração municipal da maior cidade catarinense.
Clique sobre a imagem

Foto de Jordi Castan

JOINVILLE TEM CARNAVAL O ANO INTEIRO

A classe dominante da cidade ao longo do tempo conseguiu denegrir a imagem do Carnaval em Joinville. São discursos prontos. Os discursos substituem a realidade. Carnaval é festa de vagabundo, malandro...não é festa de gente séria. Gente séria em Joinville fecha avenida para ônibus passar de 20 em 20 minutos, gente séria em Joinville permite a pesca dos poucos peixes que restam no rio cachoeira. Gente séria aumenta a cosip e entrega a agência reguladora d'água para outra cidade tirando do controle popular. Joinville não precisa do carnaval para fugir dos problemas ou da realidade. O carnaval em Joinville na verdade não foi cancelado, ele é permanente o ano inteiro. Aqui é o carnaval da hipocrisia permitida com o aval do eleitor.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

JEC DESESPERADO

O Jec está disputando o campeonato catarinense por disputar. Alega que a "prioridade" é voltar para a série B. Será rebaixado no catarinense e caminha p'ra série D.
O Avaí está na série A e quer ser campeão catarinense.
Dizer que o campeonato estadual não tem importância é desprezar a própria história do clube. Se o Jec ainda tem uma história de glórias é devido a conquista dos 13 campeonatos regionais.
Entrar numa competição desmotivado já demonstra desorganização. Seria muito mais inteligente montar uma equipe sonhando em conquistar o campeonato estadual e automaticamente deixar o time preparado para a Série C. O Avaí, Figueirense , Chapecoense e Criciúma querem sempre conquistar o catarinense, são mais humildes que o Jec.

ACABOU A BAGUNÇA

Passei hoje pela manhã em frente ao complexo de segurança do Boa Vista. Tiraram as sucatas abandonadas e estavam roçando o capim (ex-grama). Há muito tempo via aquele descaso justamente em frente a casa de um conhecido político já falecido. Aquela bagunça, criadouro de mosquito da dengue, em 7 anos que esse político esteve governando Santa Catarina não o incomodou. Aproveito a oportunidade para parabenizar quem teve a iniciativa de organizar aquela bagunça. Não sei ainda quem é.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

COISAS DE JOINVILLE

Uma pista de avenida central onde os motoristas enfrentam congestionamento infernal a qualquer hora. Ao lado, pista da mesma dimensão para servir poucas linhas de ônibus e alguns ciclistas. Um absurdo que merece reportagem no Fantástico. O gênio que aprovou isso deveria receber o troféu framboesa de ouro na categoria engenharia de tráfego. 

Léo Saballa

PEQUENO COMENTÁRIO

A vitória de Udo Döhler foi uma conquista conjunta do PMDB e da classe empresarial da cidade. Mas com certeza foi um atraso irreparável para a política local e para o desenvolvimento de Joinville. O tempo já está provando.

DINHEIRO DIRETO PARA O ESTUDANTE

A educação no Brasil só vai melhorar quando o dinheiro ir diretamente para o estudante. Para isso acontecer cada estudante deveria receber uma bolsa de estudos. Não é a família que iria administrar, a responsabilidade caberia ao próprio aluno. Os critérios para o recebimento seriam a assiduidade e as boas notas. O dinheiro para a administração da escola também chegaria via estudante. Exemplo: Em uma escola com 500 alunos, cada aluno receberia R$ 550,00, desses, R$ 50,00 seriam entregues diretamente na escola. A escola garantiria R$ 25 mil por mês para melhorar sua estrutura física e poderia investir na parte pedagógica. Muito menos burocracia. Do jeito que as verbas são administradas atualmente, nunca o dinheiro chega na escola. O dinheiro fica pelo meio do caminho enriquecendo gente safada e vagabunda.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Jec vai conseguir a proeza de também ser rebaixado no catarinense. Muito triste.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

AGRADECIMENTO

Quero agradecer o trabalho da atual direção da E.E.B. Arnaldo Moreira Douat por ter instalado os condicionadores de ar nas salas de aula. Durante 3 anos os aparelhos estavam nas paredes mas não funcionavam. A nova direção que assumiu em 2016 , em menos de 2 meses com muito empenho ligou os aparelhos. Hoje os alunos e professores possuem um ambiente agradável para o ensino e aprendizagem. Parabéns as diretoras Doriane , Nilce e Ivete.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Nunca perdoe uma traição.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

MALUF DEFENDE LULA


PENSAMENTO DE CIDADE PEQUENA

Membros de uma grande associação de empresários de Joinville estiveram em Florianópolis e aceitaram passivamente que o governo do estado não construirá um elevado no trevo da Whirlpool devido ao alto custo da obra. Nem sequer pressionaram o governador.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Sou torcedor do Jec e já comemorei seus títulos, mas também sofri muito com seus fracassos. Mas continuarei sendo Jec. Agora não posso aceitar que candidatos ao legislativo, tenham usado o nome do clube e a sua apaixonada torcida para obter sucesso eleitoral. Se isso aconteceu, a torcida jequeana foi enganada. A Arena Joinville precisa ser melhorada e a instituição Joinville Esporte Clube precisa ser respeitada. Espero que a torcida do Jec não acredite mais em promessas eleitoreiras.

Itinga: Terra sem dono

O Itinga é um conhecido bairro no extremo sul de Joinville. Com a valorização dos imóveis mais próximos ao centro,foi normal as famílias de baixa renda procurarem o Itinga por possuir lotes mais baratos.Aos poucos a região foi crescendo e ultrapassou os limites de Joinville chegando ao município vizinho de Araquari.Na verdade,o Itinga é um bairro de joinvilenses que dependem do poder público de Araquari.O descaso com a população que vive no Itinga de Araquari é visível.Até uma simples reivindicação como o transporte coletivo, os moradores esperam há anos.Ruas sem pavimentação,valetas abertas,a rodovia estadual que corta o bairro(e que não será duplicada,pois ali é SC e não BR 280),assaltos e etc.A atitude mais correta é aquela região pertencer a Joinville.A prefeitura de Araquari não tem condições de investir na região.De fato o Itinga já é uma região 100% joinvilense.Agora só falta ser de direito.Ou então continuará sendo uma terra sem dono.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Perspectiva

Padrão de consumo atingido pelas famílias brasileiras entre 2008 e 2013, só voltará em 2025. A diferença é que até 2025 o consumo será mais responsável(poupança) e não artificial, ou seja, não será baseado no crédito fácil.
TEM QUE FICAR LIGADO

Desde o ano passado está rolando que uma grande empresa da cidade poderá transferir sua linha de produção para a China.
Eu sei que você votou no PMDB p'ra prefeito e p'ra vereador. Você não sabe o que é a cosip??? Saberá em 2018!!!

COMEMORE,VOCÊ VOTOU CERTO

Você que votou nulo, em branco ou no Darci de Matos no 2º turno da eleição para prefeito de Joinville comemore. Comemore, pois hoje você pode ter certeza que votou contra esse atual modelo de governo. Um modelo que paralisou o crescimento e a qualidade de vida de Joinville em beneficio de apenas um pequeno grupo ligado a um partido político e a uma entidade empresarial da cidade.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

A maioria do povo de Joinville apoia o PMDB sem saber.
Somos o exército de um homem só. Somos o elo perdido.

DISCERNIMENTO

Quando uma sociedade começa a considerar o que é errado como certo, é porque chegamos ao fim. Defender bandidos ao invés de policiais. Diminuir a média escolar para facilitar a vida do aluno. Criar ministério para defender um investigado da justiça. A coisa passou do ridículo.
65 mil uniformes poderiam ter sido fabricados em Joinville gerando emprego e renda aqui na cidade.
Então o uniforme da rede municipal de ensino de Joinville é confeccionado no Paraguai ??? Interessante o incentivo que a Prefeitura de Joinville proporciona a economia da cidade.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Enquanto que Rodrigo Coelho aproveita o bom momento e se destaca, outros vereadores atuam discretamente. São invisíveis e distantes do povo. Não aproveitam a importância e a visibilidade do legislativo joinvilense para desenvolverem um bom trabalho. Aliás, alguns nem sequer procuram os partidos nos quais são filiados. Atuam apenas defendendo o interesse de quem os apoiaram financeiramente na campanha e em seus projetos pessoais.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Rodrigo Coelho é a boa novidade

Ele pensou que novamente seria candidato a vice-prefeito. Mas uma mudança inesperada o forçou a sair candidato a vereador. O tempo mostrou que a mudança foi acertada. Hoje Rodrigo Coelho-PSB é considerado o vereador mais popular e atuante na Câmara de Joinville. Coelho é a novidade positiva na política local nesse início de ano.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

FOI APÓS AS 21:00 DE HOJE

Insegurança em Joinville 

Dois assaltos a mão armada agora há pouco.Um no ponto de ônibus em frente ao Garten Shopping(levaram bolsas,documentos e celulares de zeladoras) e outro na rua Tenente Antonio João (mais duas senhoras que haviam saído do trabalho foram roubadas).Que estado é este que não dá segurança aos mais simples, humildes e trabalhadores???

A CONVENIÊNCIA DOS INIMIGOS TEMPORÁRIOS

Uma das frases mais marcantes do romance; “Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado”, lema do partido, resume adequadamente a ação do Ministério da Verdade, em que os documentos históricos devem ser alterados de acordo com os desejos do Partido. As alterações dos registros históricos são necessárias porque o cenário mundial é marcado por uma constante guerra entre as três superpotências. Oceânia sempre está em guerra com a Lestásia ou a Eurásia e em paz com a outra; quando uma guerra termina, trocam-se os aliados e os inimigos, e outra guerra começa. Desse modo, todos os registros de que a recente potência aliada já foi inimiga e vice-versa são apagados e atualizados com os novos fatos.

*Parte da resenha do livro 1984 de George Orwell
“Quem controla o passado controla o futuro; quem controla o presente controla o passado”

George Orwell em "1984"

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

ULEICA - O LEITE DE JOINVILLE

Clique sobre a imagem...

Ontem, um sentimento
Hoje, o esquecimento

PEDIDO

Peço a Prefeitura de Joinville que encaminhe alguém para organizar o trânsito da rua Iririú com Piratuba. Não pode uma obra como aquela não ter ninguém orientando os motoristas. Caos total.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Informamos com pesar o falecimento do sr. Günther Schulz proprietário da Chácara Schulz.

domingo, 5 de fevereiro de 2017


Enquanto isso em Joinville


Aumentamos a cosip e cancelamos o carnaval 2017. Mas a cidade continua abandonada. Conseguimos dominá-la com o apoio do povo.

O problema das enchentes em Joinville

BAITA PROGRAMA

AGORA ENTENDO

Agora entendo porque a Prefeitura de Joinville não tem dinheiro para o carnaval...
para desapropriação dos terrenos na avenida Santos Dumont, p'ra saúde e etc e etc e etc...

 
RBS - ZERO HORA EDITORA JORNALISTICA S.A. Prefeitura Municipal de Joinville R$ 935.428,38 R$ 425.935,16 R$ 795.353,60
RBS - ZERO HORA EDITORA JORNALISTICA S.A. Fundo Municipal do Meio Ambiente - FMMA R$ 97.228,00 R$ 97.228,00 R$ 97.228,00
RBS ZERO HORA EDITORA JORNALÍSTICA S/A Câmara de Vereadores de Joinville R$ 44.845,80 R$ 44.845,80 R$ 44.845,80

sábado, 4 de fevereiro de 2017

BRAVO MOACIR PEREIRA

Clique sobre o texto para visualizar melhor...

Nos cantinhos de Joinville

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

NÃO QUERO DINHEIRO # SOU FELIZ




A recusa do ator argentino Ricardo Darin a Hollywood

Fazer protesto contra o Trump é fácil...

...Quero ver fazer protesto na China, Rússia, Irã, Coreia do Norte...Cuba...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor lembre-se: se escolher o mundo ficará sem o amor, mas se escolher o amor com ele você conquistará o mundo.

Albert Einstein
Protesting against Trump is easy ...

... I want to see protest in China, Russia, Iran, North Korea ... Cuba ...
Nosso sentimento de pesar em relação ao falecimento de dona Marisa Letícia Lula da Silva, ex-primeira dama do Brasil.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Os novos vereadores de Joinville
frustraram seus eleitores. Palavras e promessas ao vento. O atual legislativo é ainda mais submisso que o anterior. Marionetes na mão do prefeito.
15 vereadores de Joinville em janeiro de 2017 aprovaram o aumento da Cosip 

“A função do historiador é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer”

Peter Burke