segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Bem-vindo a Joinville, Uber - Escrito por Jordi Castan

Finalmente uma boa notícia, o Uber chegou a Joinville. Um serviço melhor, mais econômico e mais confortável que o do táxi. Um serviço que alia modernidade e preço e, principalmente, ou por isso tudo é melhor para o passageiro. Ah... o passageiro! Sim, esse passageiro que por décadas tem sido ignorado e o continuaria sendo, não fosse a chegada do Uber. Claro que Prefeitura não aprova o serviço e declarou ainda que os serviços de transporte privado de passageiros estão sujeitos a penalidades. A fiscalização é feita pela Unidade de Transporte, da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra).

Pagar R$ 50,00 do aeroporto ao centro é um abuso. Não ter táxi disponível no ponto é outro. E fazer corrida quando o motorista quer e para onde quer é outro. Poderíamos acrescentar muitos mais. Mas a verdade é que o serviço de táxi em Joinville é vitima do seu próprio veneno. A situação atual é o resultado da falta de uma política de transporte por parte do poder público unido a relação incestuosa com o coletivo dos taxistas, que até hoje só estiveram interessados em defender seus próprios interesses e nunca se posicionaram como prestadores de um serviço público.

Nem faz tanto tempo assim que os táxis não tinham nem padronização de cor. Carros com quatro portas, para maior comodidade do passageiro são recentes e só foi possível conseguir que aceitassem adotar veículos mais confortáveis depois de duras e difíceis negociações com o seu sindicato.

A nossa sociedade é hoje o resultado de uma soma de coletivos que, mancomunados com o poder público, exploram o cidadão. Aproveitam-se da fragilidade da sociedade e da falta de escrúpulos dos políticos que a deveriam representar e defender para seguir se locupletando. A lista não é pequena e envolve de despachantes a taxistas, passando por concessionarias de serviços públicos, a ordem é uma só: tomar de assalto o bolso do cidadão/contribuinte.

O Uber é uma gota num oceano. Não resolverá o preço abusivo do transporte coletivo, nem o do táxi em Joinville. Apenas permitirá que o cidadão tenha alternativa. Contribuirá para melhorar o trânsito porque será possível deixar o carro em casa mais vezes. Haverá alternativas aos ônibus lotados, sem que a alternativa seja ser extorquido pelo preço de uma corrida de taxi quase tão cara como a passagem aérea que nos levou de São Paulo a Joinville. O poder público, como sempre, vai olhar para o outro lado e fingir que nada sabe, que nada viu. Esquecendo que é dele a responsabilidade de defender os interesses dos cidadãos. 

SANTOS DUMONT - Outro acidente gravíssimo na avenida Santos Dumont. A obra continua pessimamente sinalizada, oferecendo risco a todos os que ali transitam. O poder público se omite e o numero de mortos e feridos só aumenta. Uma vergonha. Para as famílias que vivem a tragédia a única alternativa é chorar e orar. Ante o olhar impávido dos responsáveis que seguem sem fazer nada.

Nenhum comentário: