.

Colabore com o Feudalismo Atual escrevendo para o e-mail: juliano.bueno1971@gmail.com ou ligue para 99164-7827

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

MAIS DE 200 MIL ACESSOS...

Isso mesmo o Feudalismo Atual já foi acessado mais de 200 mil vezes...isso é gratificante. Esperamos contar com a audiência dos amigos também em 2014.

Juliano Carvalho Bueno

ÁRVORES SÃO TRATADAS COMO CRIMINOSAS EM JOINVILLE


É justamente no verão que percebemos que as árvores nos fazem falta. Não é por acaso que a avenida Hermann August Lepper é transformada em rua do lazer nos domingos pela manhã por possuir as "temidas" Figueiras. O relacionamento da prefeitura de Joinville e da população com as árvores deve ser repensado em nossa cidade. Nada melhor que o ar condicionado natural.

O MAL EXEMPLO DE SANTA CATARINA

Os gastos com pagamento de pessoal são um fardo cada vez mais pesado para a maioria dos governos estaduais. Nos últimos três anos, nada menos que 22 das 27 unidades da Federação ampliaram a parcela da receita comprometida com salários de servidores ativos e aposentados. Em termos práticos, isso se traduz em menos investimentos e contas mais engessadas.
Não se pode culpar o desempenho da arrecadação pela situação. Na média, a receita estadual cresceu 16% acima da inflação entre 2010 e 2013. Apenas três governadores tiveram perda de recursos. Em 19 Estados, o crescimento real da receita no período foi superior a 10%. O problema está mesmo localizado na ponta das despesas. Os gastos com pessoal nas 27 unidades da Federação cresceram 36% em termos reais desde 2010. No governo federal, o aumento foi de apenas 3%.
O governo de Tocantins, por exemplo, recebe hoje 15% a mais em impostos e transferências do que há três anos - o que não o impediu de bater no teto de gastos estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (49% da receita corrente líquida) e entrar no clube que, até 2010, era integrado apenas por Paraíba e Rio Grande do Norte.
Outros seis governos ainda não chegaram ao teto, mas estão perigosamente próximos dele - tanto que já ultrapassaram o chamado "limite prudencial" estabelecido na lei (46,55% da receita corrente líquida, no caso do Poder Executivo). São eles Paraná, Sergipe, Acre, Santa Catarina, Pará e Alagoas. Apenas o Executivo alagoano estava na lista há três anos.

 As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Colaborou: Curt Heise - Blumenau

domingo, 29 de dezembro de 2013

ROUBO DE MERCADORIAS

Moradores do bairro Jardim Sofia estranharam uma grande movimentação de pessoas na última sexta-feira a noite (27/12/13). Um caminhão furgão estacionou numa rua sem saída e vários carros pararam formando fila. As pessoas tiravam mercadorias e logo saiam em disparada. Moradores desconfiados do que ocorria chamaram a Polícia. Hoje o comentário no bairro era que o caminhão foi roubado em Pirabeiraba.

TRECHOS EM DESTAQUE SOBRE A ARGENTINA (22/12/2013)

Como muitos lojistas da região, o argentino tirou suas armas de casa para se proteger de seus próprios vizinhos, que se aproveitaram da ausência das autoridades - causada por uma greve de policiais por melhores salários - para levar o que podiam durante as quase 24 horas em que durou o quebra-quebra.

"Optei por proteger minha casa, minha mulher e meus filhos (dois meninos, de 14 e 12 anos, e duas meninas, de 9 e 6). Eles sabem quem eu sou. Se eu chegasse à loja armado, matariam a minha família. Como não havia polícia, eu me contive. Via passar clientes e vizinhos com as minhas mercadorias. Conheço todos. Estávamos 100% desprotegidos."

 Os agentes, voluntários civis que atuam nos municípios vizinhos, foram apedrejados, e deixaram o local. Somente quando os bombeiros da capital, "que têm poder de polícia", chegaram, o combate às chamas começou.

Segundo o comerciante, os vizinhos saqueadores "agora abaixam a cabeça" quando o encontram na rua. 

"Minha mulher ainda está sob cuidados médicos, com crise de pânico, mas vamos seguir adiante."

Muitos (dos saqueadores) me cumprimentaram no dia seguinte. Diziam ‘que absurdo o que aconteceu’."

Essa matéria foi indicação de Curt Heise de Blumenau    

Argentinos se armam após onda de saques

"Eu me armei. Tenho muitas armas - escopetas, espingardas, pistolas e revólveres", afirmou o comerciante de Córdoba Rubén López, de 50 anos, ao jornal O Estado de S.Paulo, em meio aos escombros completamente queimados da loja que por 22 anos garantiu seu sustento, na Avenida Tenente-General Donato Álvarez, em Arguellos, no norte da capital cordobesa.
Os saques na via - uma das mais prejudicadas da cidade - começaram pouco depois das 23 horas do dia 3, de acordo com o relato de vários comerciantes da região que tiveram suas mercadorias roubadas durante a onda de ataques que atingiu quase 2 mil estabelecimentos comerciais de 17 das 24 províncias argentinas, além de centenas de residências, e deixou ao menos 16 mortos em todo o país.
Em meio à tensão da semana passada, durante a qual os grupos de saqueadores ameaçaram reeditar as cenas de terror do começo do mês, a loja de materiais de construção e ferramentas elétricas de López continuava a cheirar queimado. Ela foi incendiada pelos assaltantes depois de toda a mercadoria ter sido roubada.
Como muitos lojistas da região, o argentino tirou suas armas de casa para se proteger de seus próprios vizinhos, que se aproveitaram da ausência das autoridades - causada por uma greve de policiais por melhores salários - para levar o que podiam durante as quase 24 horas em que durou o quebra-quebra.
López relatou que, antes de invadirem sua loja, viu os saques "em todos os estabelecimentos" próximos ao seu, perto da esquina com a Rua Piedra Labrada, por cerca de três horas. O comerciante, que mora a 100 metros da sua loja, disse que testemunhou os saqueadores carregando o que podiam, como podiam, das lojas da região, até que foi avisado pela central de alarmes antirroubo que monitorava a seu estabelecimento que o local também tinha sido invadido.
"Optei por proteger minha casa, minha mulher e meus filhos (dois meninos, de 14 e 12 anos, e duas meninas, de 9 e 6). Eles sabem quem eu sou. Se eu chegasse à loja armado, matariam a minha família. Como não havia polícia, eu me contive. Via passar clientes e vizinhos com as minhas mercadorias. Conheço todos. Estávamos 100% desprotegidos."
O comerciante disse que, meia hora depois, um amigo foi à casa dele avisar que sua loja estava em chamas. "Deixei parte das minhas armas com a minha mulher e vim para cá com algumas pistolas. O fogo já havia tomado conta de quase todo o estabelecimento. Quis apagar o incêndio, mas tinham roubado os oito extintores que havia. Sufoquei-me com a fumaça e tive de sair. Daí chamei os bombeiros", disse. Segundo López, porém, quando o socorro chegou, os agentes, voluntários civis que atuam nos municípios vizinhos, foram apedrejados, e deixaram o local. Somente quando os bombeiros da capital, "que têm poder de polícia", chegaram, o combate às chamas começou. "Minha loja ardeu por três dias. Tinha muito material inflamável. Vieram 16 carros de bombeiros."
"Agora as pessoas comuns estão preparadas", disse, contando que "todos" os donos de pequenos estabelecimentos na região se armaram. "Não permitiremos que isso ocorra de novo", disse. Segundo o comerciante, os vizinhos saqueadores "agora abaixam a cabeça" quando o encontram na rua. "Continuo armado. Carrego sempre uma pistola."
López afirmou que não demitiu seus cinco funcionários, que na quarta-feira o ajudavam a limpar os destroços, ao lado de seus dois filhos e cinco amigos. Parte da loja desabou.
"Vou ressurgir", garantiu, estimando que levará seis meses para reformar seu estabelecimento. "Minha mulher ainda está sob cuidados médicos, com crise de pânico, mas vamos seguir adiante."
A comerciante Jésica Radlec, de 27 anos, dona de uma pequena loja de guloseimas, na mesma avenida, disse que, após os saques, passou a manter uma espingarda calibre 22 "e outras armas" em seu estabelecimento, que teve os vidros quebrados, mas não chegou a ser invadido - pois ela e o marido foram avisados, por volta da 1 hora do dia 4, que a avenida estava tomada pela turba - e ambos tiveram tempo de proteger o local ao lado de parentes que se prontificaram a ajudá-los.
"Decidimos vir diretamente. Tinha muito movimento. Já haviam entrado numa loja de roupas e em outra de peças de motos. Viemos com paus e pedaços de ferro. Não sei onde conseguimos armas, mas tínhamos. O dono de uma loja atirava para o alto. Em apenas uma hora já havia umas 700 pessoas aqui. Muitos estavam de moto. Depois (os saqueadores) vieram com caminhonetes. Entraram em uma loja de brinquedos, levaram tudo e puseram fogo. Fui com meu marido tentar apagar. Invadiram a Ribeiro (loja de eletrodomésticos que tem unidades espalhadas por quase toda a Argentina). Vi um rapaz com uma geladeira nas costas - não sei como ele aguentou, devia ser a adrenalina", resumiu Jésica.
A comerciante afirmou ter visto um saqueador levando a máquina de fazer café de uma padaria e pessoas saindo com sacos cheios de remédios de uma farmácia.
"Eles (os criminosos) estavam bastante lúcidos. Pareciam formigas, indo de um lugar ao outro, derrubando tudo como se fosse pedras de dominó. Os seguranças do supermercado (Cordiez) disparavam balas de borracha. Pusemos nossos carros em cima da calçada para nos proteger. Todos aqui ficaram literalmente entrincheirados. Isso virou uma terra de ninguém."
"Agora, a maioria dos comerciantes está ficando nas lojas a noite toda. Quase todos passaram a fechar na hora da sesta. Muitos (dos saqueadores) me cumprimentaram no dia seguinte. Diziam ‘que absurdo o que aconteceu’."
O comerciante Gustavo, de 43 anos, que preferiu não dar o sobrenome e pediu à reportagem que não dissesse que tipo de mercadorias vende, para não ser identificado, afirmou que, ao ser avisado dos saques, por volta das 23h30, correu para seu estabelecimento empunhando sua pistola 9 milímetros e chegou ao local atirando.
"Disparei mais de 15 vezes contra os filhos da p... Apontei para a cara de um deles, mas minha arma travou. Tinha umas 40 pessoas aqui. Remontei a pistola e comecei a atirar para cima. Só assim eles saíram daqui. Já tinham levado a metade das minhas mercadorias", disse, afirmando que agora passou a manter "várias armas" atrás do balcão.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

sábado, 28 de dezembro de 2013

A TRANQUILIDADE DE CAMPO ALEGRE...


NICOLAU MAQUIAVEL TINHA RAZÃO!!!

"Como é perigoso libertar um povo que prefere a escravidão!"

Nicolau Maquiavel

ATÉ QUANDO !!!


Até quando os poucos partidos de oposição, os poucos políticos honestos, a imprensa séria do estado, os estudantes, sindicatos...vão tolerar essas 36 SDRs que não servem pra nada ???

FESTINHA AMERICANA



A educação para o governo do estado é tratada igual festinha americana organizada por malandro. O malandro quer fazer a festa ( o governo anuncia que haverá investimentos na educação) mas são os convidados ( professores, alunos e pais) que tem que levar a comida e a bebida( no caso, é o esforço individual do professor e dos alunos e o apoio da comunidade que mantém a escola funcionando). No final, ainda quem leva os elogios de ter organizado a festa é o malandro. Por favor, mais trabalho e menos propaganda governo do estado. Que tal visitar as escolas interditadas de Joinville ???

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A CAIXA PRETA DO TRANSPORTE COLETIVO


A imprensa, formadores de opinião e políticos estão ligados nos últimos dias de 2013 e início de 2014. Vamos prestar muita atenção na questão do transporte coletivo de Joinville e na movimentação da prefeitura. É uma batata quente. Mas graças ao youtube temos como rever as promessas de campanha.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

A BONITA CAMPO ALEGRE


FERIADÃO COM MUITAS MORTES

Férias desse jeito??? Situação complicada. A bebida continua sendo a grande vilã das mortes nas estradas.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

DÊ O SEU PALPITE, POR JEFFERSON NASCIMENTO*


Em 2000 ,quando dei meus primeiros arrazoados na Faculdade de Comunicação Social muitos questionamentos suscitavam em meus pensamentos. O pano de fundo dos meus estudos consistia em elaborar uma alquimia, onde os ingredientes principais eram; 1 colher de sopa de sentido, duas de semântica, 3 xícaras de léxico, 10 ampolas de ética e outras 30 de isenção. Misturar tudo, reservar por 1 hora e depois bebericar em doses homeopáticas ao longo do dia.


A eficácia desta solução esta na produção de aminoácidos que lhe aceleram o raciocínio, apuram os reflexos, ampliam seu campo de visão e lhe instigam à incessante busca daquilo que esta fora do "olhar do sociedade".

Há muitas artimanhas que insistem em "driblar" os preceitos, a essência da prática jornalística, o que resulta na perpetuação de impunidade e, consequentemente, na ampliação do fosso da desigualdade social em suas matizes. Faço esta reflexão após assistir o telejornal intitulado, "Jornal do Meio Dia", exibido em Joinville.

Na condição de consumidor da informação, questiono a incongruente e vergonhosa relação de sua editoria, com o poder Legislativo. Evidentemente que é histórica essa correlação do poder público e político com as redações privadas. É um tema profundo, antropológico.
Em tempos de austeridade na condução das coisas públicas, de manifestações sociais cobrando mudanças, é inconcebível que as mídias deste país ainda compactuem desse tipo de expediente.

E pros ranhetas de plantão não insinuarem que sou oposição, revelo que meu local de voto é em Joinville, onde possuo domicílio fora de Florianópolis.Votei em Udo Dohler, sim!Não por afinidade pessoal ou ideológica, e sim, por entender que naquele momento, ele seria o mais capaz pra realinhar coisas que estavam capengando e, dar um "gás" nos projetos de obras estruturantes no âmbito da mobilidade urbana e viária.

Voltando ao assunto desta interferência pública no discurso editorial da RIC TV RECORD, onde vemos diariamente dois vereadores da base aliada do atual prefeito, apresentando matérias e emitindo subjetividades, me questiono; Afinal, o que tem por de trás dessa maleta??.
 
*Jefferson Nascimento é um joinvilense preocupado com sua cidade

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

PENSANDO DIFERENTE DA MAIORIA


Caminhar junto a MAIORIA, na MAIORIA das vezes não significa que essa MAIORIA esteja com a razão. Vários fatores podem estar envolvidos : como insegurança, falta de conhecimento, medo de perder, medo de pensar diferente, medo de se expor ao ridículo ( a pessoa contrariada para se defender tenta difamar seu oponente) entre outros fatores. Mas aproveite o momento e viva essa fase de reflexão. Essa época entre o natal e o ano novo é interessante para rever
nossos pensamentos e o rumo da nossa vida. Cultive sua autoafirmação.

FELIZ NATAL AOS AMIGOS E LEITORES

Eu estou pensando em você hoje porque é Natal, e eu lhe desejo felicidade.
E amanhã, porque será o dia seguinte ao Natal,
Eu ainda lhe desejarei felicidade.
Eu posso não ser capaz de lhe falar sobre isto diariamente,
Porque eu posso estar ausente, ou nós podemos estar muito ocupados.
Mas isso não faz diferença
- Meus pensamentos e meus desejos estarão com você da mesma forma.
Qualquer alegria ou sucesso que você tenha, me fará feliz. Me iluminará por todo ano.
Eu desejo à você o Espírito do Natal.


Juliano Carvalho Bueno responsável pelo Feudalismo Atual

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

QUEREM APOSTAR ???

Querem apostar que tem político de Joinville que defende esse governo aí ? E não são poucos.

A VERGONHA CONTINUA, POR MARCO TEBALDI*

Estou em Joinville neste 23/12/13 esperando o convite do Governo do Estado e do secretário Cobalchini para inaugurar a obra de conclusão do binário do Vila Nova – marcado para estar concluído, conforme a foto da placa, neste 23/12/2013 – pelo visto tenho que esperar sentado pois, conforme as fotos, a única ação do Governo do Estado será de trocar a placa. É assim que Joinville vem sendo tratada pelo governador e seu secretário, conversa fiada e propaganda, propaganda... Até quando o joinvilense vai ter que esperar para que as promessas do governo do estado sejam cumpridas? Estou de plantão.

*Marco Tebaldi  é deputado federal pelo PSDB de Joinville

domingo, 22 de dezembro de 2013

RELEMBRANDO


AS DUAS PONTES

No plano diretor de Joinville, que é de 1973 já constava a duplicação da Avenida Santos Dumont. Passados 40 anos ( isso mesmo,40 anos)... o cenário continua o mesmo. Nesse intervalo de 40 anos duas pontes gigantescas foram construídas em Florianópolis com o suor do povo trabalhador de Joinville. Com a palavra nossas autoridades.

KOMBI ADAPTADA PARA ANDAR NAS RUAS DE JOINVILLE

Esse é o modelo ideal para trafegar nas ruas de Joinville.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

2013: O TRIUNFO DA IMPUNIDADE

Ao contrário do que muitos pensam, vou na contramão dos otimistas. Hoje tenho certeza que o Brasil é o país da impunidade. Pior, uma impunidade consentida pela sociedade brasileira. Quando vemos funcionários públicos não se contentarem com o salário que recebem e sendo assim ainda subornarem empresários. -continua -

FELIZ NATAL!!!


quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

FUTURA ABERTURA DO CANAL DO LINGUADO

COMPLICADA   E SEM APOIO POLÍTICO

MUITO ESTRANHO

Com todo respeito ao Poder Legislativo de Joinville, mas erraram mais uma vez e o tempo provará isso. A Prefeitura irá assumir um serviço que é obrigação do governo do estado. Os deputados e vereadores deveriam exigir do governador a segurança para o joinvilense. Aliás, Joinville é a maior cidade do estado e merece aumentar o número de policiais civis e militares.O que será gasto com a guarda municipal poderia ser gastos em outros serviços como saúde, educação e pavimentação de ruas. Não sei o que está por trás dessa articulação forçada. Mas para quem reclama da falta de dinheiro, da dificuldade em aumentar o salário do servidor, assumir uma nova despesa fixa, é muito estranho.

BEM EXPLICADINHO

Quando uma autoridade constituída não toma as devidas providências contra algo que está ocorrendo de forma errada, comete o crime de prevaricação, ou seja: não cumpre com suas obrigações, sabe o que tem que ser feito mas não faz, e por má fé ou interesse próprio deixa de tomar as devidas providências.

Saúde: Verrugas podem indicar baixa imunidade

Causadas por vírus, lesões aparecem principalmente em crianças e jovens.

Se você acha que verrugas na ponta do dedo surgem quando se aponta para estrelas e que, para fazê-las “sumir”, é preciso arrumar um fio de crina de cavalo para amarrar bem apertado na bolinha, procure seu dermatologista. Apesar de feias e incômodas, as protuberâncias podem ser facilmente removidas na maior parte dos casos. “A verruga é uma lesão benigna, resultado de uma infecção virótica que acomete cerca de 10% da população, em sua maioria crianças e jovens”, explica Robertha Nakamura, médica da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.

A lesão pode apresentar-se sob várias formas – existem verrugas vulgares (tipo mais comum, geralmente ásperas), planas, filiformes, plantares e genitais. Segundo a dermatologista, os tipos que precisam de cuidados médicos com maior urgência são as duas últimas. “As plantares atingem a sola dos pés e causam muita dor, dando a impressão de pedra no sapato. Já os condilomas, que atacam as regiões genitais, podem indicar, dependendo do tipo de vírus do HPV, uma possibilidade de câncer do colo do útero”, alerta.

A imunidade de quem tem verrugas pode estar debilitada. “O aparecimento das lesões está condicionado ao sistema imunológico da pessoa. Em pacientes com vírus da Aids, por exemplo, a verrucose, que é a aglomeração de muitas verrugas numa mesma região, é mais comum”, diz Robertha. Por esse motivo, segundo a médica, o tratamento de remoção das verrugas é acompanhado de medicamentos, como suplementos de vitamina C e antiparasitários.

As técnicas para acabar com as verrugas são variadas: “ácidos aplicados diretamente no local lesionado, eletrocauterização, criocirurgia (congelamento das células da verruga) e lasers, estes mais caros, são os procedimentos habituais”, cita Robertha. A escolha depende das características de cada paciente e da lesão.

Molusco contagioso, embora também seja infecção por vírus, é diferente de verruga. Apesar disso, ambos podem passar de uma parte do corpo para outra ou de pessoa para pessoa – depende do bom funcionamento imunológico. “Por isso, não é aconselhável ficar passando a mão nas lesões”, avisa. E, se por um lado verrugas nos dedos se devam mais ao toque em outras lesões que à contagem de estrelas, por outro as simpatias são bem vindas. “Algumas literaturas médicas afirmam que esses rituais podem melhorar a imunidade do paciente pela crença”, afirma ela. Funcionando ou não, o conselho também é dado no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Fonte: www.unimedrio.com.br

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

QUE FEIO!!!

Não queria ser torcedor do Atlético Mineiro nesse momento.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FELIZ NATAL DO VEREADOR PRETTI


FELIZ NATAL DO VEREADOR MAURÍCIO PEIXER


FELIZ NATAL!!!


Também aos funcionários da Engepasa que fazem o possível para manter Joinville sempre limpinha!!!

FELIZ NATAL!!!


Gostaria de fazer uma pequena homenagem aos motoristas de ônibus, da Transtusa e da Gidion. Não está fácil dirigir, fazer troco e ainda ter que cumprir o horário do trajeto.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

NO BRASIL É ASSIM...


No Brasil é assim: Aluno com mal rendimento não reprova e o Fluminense não é rebaixado. A impunidade impera. Aliás, todo mundo já esqueceu do mensalão.

domingo, 15 de dezembro de 2013

É NATAL

...Sim, é Natal!!!

PASTOR JORGE MUNDIENDIL COMENTA SOBRE ANGOLA

ENVERGONHADO...O NOME DE ANGOLA, SENDO JOGADO NA LAMA!!!

Lamento e doí o meu coração ver o nome do país dos meus antepassados, dos meus filhos,e do futuro sendo jogado na lama por causa de um homem chamado Kangamba.
Não o conheço, e nem quero julgá-lo, porque não sou destes que julga as pessoas sem conhecê-las e muito menos ouvi-la. Só Deus tem o poder de julgar. Recentemente a TV Bandeirantes denunciou um suposto esquema que envolvia membros do MPLA e do Governo Angolano, este mesmo partido, embora não militando, mas me considero fazer parte. A Rede Bandeirantes é uma emissora de TV, de porte mediano, mas a rede Globo, é uma emissora que tem poder para matar, soltar ou prender, é uma emissora mesmo mentindo, a maioria acredita. Está passando uma reportagem sobre o tráfico de mulheres prostitutas brasileiras em Angola, no programa mais visto no horário nobre - o FANTÁSTICO.Está doendo o meu coração, porque sou angolano. A repercusão virá e que Deus tenha misericórdia da minha terra mãe. Não conheço o Kangamba e certamente os seus advogados falarão por ele, mas uma reportagem veiculada no Fantástico, é extremamente danoso e catastrófico. Que as coisas tristes não denigram a imagem do meu povo de Cabinda.

MUITO BACANA

Parabéns a Igreja da Paz no centro de Joinville. Sua decoração natalina está linda.

INFORMAÇÃO DE PRIMEIRA MÃO

Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão ( Série A ) poderá ter 32 clubes em 2014. Joinville Esporte Clube estará dentro.

sábado, 14 de dezembro de 2013

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

O TRÂNSITO FLUI...

...Normalmente em Joinville...

MORALIZAÇÃO JÁ!!!

Pela moralização do futebol brasileiro, Fluminense e Vasco da Gama devem disputar a Série B em 2014.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

FLUMINENSE PODERÁ CONTINUAR NA SÉRIE A

Fluminense será beneficiado por erro da Portuguesa. Aí é pra chorar!!!

RESPINGOS DA VIOLÊNCIA NA ARENA JOINVILLE

O triste acontecimento de violência que ocorreu na Arena Joinville merece um aprofundamento da discussão. Uma coisa, é você emitir sua própria opinião, que na maioria das vezes é o senso comum. Outra coisa, é você ler, ouvir o posicionamento dos diversos especialistas. Por incrível que pareça, até as pessoas que deveriam saber o que está na lei, não conseguem interpretá-la corretamente. Se as próprias autoridades que devem proteger a sociedade não entendem a lei corretamente e ficam jogando uma para outra a responsabilidade ou a própria culpabilidade de um erro, imaginem o se o povão irá ter consciência de seus direitos e deveres ? Pensemos nisso!!!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

VIOLÊNCIA DA ARENA JOINVILLE MOBILIZA VEREADOR

Os episódios lamentáveis ocorridos na tarde do último domingo nas arquibancadas da Arena Joinville, onde parte das torcidas de Atlético Paranaense e Vasco da Gama se enfrentaram numa ‘batalha campal’, não podem ficar impunes e muito menos cair no esquecimento.

A cidade de Joinville, que cedeu seu belo estádio para a partida de futebol, está sendo colocada no meio de um fogo cruzado entre autoridades, empresas de segurança e clubes de futebol empurram via imprensa a culpa para o outro.

O morador desta bela, ordeira e trabalhadora cidade merece uma explicação, merece saber quem foi ou quem foram os responsáveis pelas barbáries do último domingo.

Neste sentido, a Câmara de Vereadores, através de um requerimento do Vereador Maurício Peixer que estava com a família na Arena Joinville e presenciou todo o ocorrido, está convidando as partes envolvidas para darem as devidas explicações ao povo joinvilense no Plenário da Câmara.

Foram convidados para virem prestar esclarecimentos sobre os fato ocorridos:

- Dr. Francisco de Paula Neto (Promotor de Justiça);
- Adilson Moreira (Tenente Coronel da Polícia Militar);
- Mário Celso Petralia (Presidente do Atlético/PR);
- Luiz Fernando Medeiros (Gerente de Operações da Empresa de Segurança Mazari);
- Fernando Krelling (Presidente da FELEJ).

Os convidados serão ouvidos na Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores nesta quarta-feira (11) a partir das 17 horas.

A comunidade é convidada a acompanhar a sessão.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

CULPADOS

A cidade de Joinville não oferece segurança policial segundo a Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

NOSSAS AUTORIDADES TEM QUE SER...

...Mais responsáveis. Depois da porta arrombada, não adianta colocar tranca de ferro.

Convite Coletiva de Não Artistas apresenta: A cidade que me pertence

Convite!!!

Documentário retrata os artistas que fazem a cidade
Produção é resultado de interferência urbana. Estreia será dia 12

Joinville- Estreia dia 12 de dezembro, em duas sessões, às 19h e 20h, na Estação da Memória, em Joinville, o vídeo documentário “A cidade que me pertence”, resultado de interferência urbana realiza na cidade no primeiro semestre deste ano. A produção é resultado do projeto de pesquisa e intervenção urbana “Coletiva de não artistas”, que questiona conceitos como “o que é arte?”, “a quem pertence a cid ade?”, “o que é trabalho informal?”.

Foram convidados para a experiência urbana, realizada  na Praça da Bandeira, região central de Joinville, dez trabalhadores informais, como um vendedor de loteria, um gari e uma vendedora de imãs de geladeira. A cada um foi entregue uma tela de 80X60 cm, pincéis, tintas e um cavalete. Cada participante pintou a cidade do jeito que a vê, sente ou como a cidade o trata.  Todo o processo foi registrado em um vídeo experimental que retratou a abordagem, processo de criação das obras e entrevistas com os personagens protagonistas dessa experiência. “A experiência urbana de trabalhar elementos a r tísticos com gente que não é, nunca pensou ou foi artista, foi uma experiência também para a equipe, e um desafio empírico. Em distintas horas do dia, os trabalhadores retrataram a cidade em suas incongruências, labirintos, trejeitos, alegrias, tristezas, belezas e outros olhares”, explica a diretora do projeto, Giane Maria de Souza.

O resultado é um mosaico de olhares e falas que levam o espectador a questionar suas próprias concepções acerca da cidade onde vive, seja Joinville ou qualquer outro município de um país plural como o Brasil. Além do vídeo documentário, a sessão de estreia contará também com uma exposição das obras pintadas pelos participantes.

O projeto foi financiado de forma colaborativa, por meio de do site
www.catarse.me, que funciona como uma “vaquinha on-line”, na qual os internautas, anônimos ou não, doam dinheiro para viabilizar produções artísticas e culturais.
O quê: Estreia do documentário “A cidade que me pertence”
Onde: Estação da Memória. (Rua Leite Ribeiro, S/N, Joinville)
Quando: 12 de dezembro
Horário: 19h (primeira sessão) e 20h (segunda sessão)
Quanto: Entrada franca.

Ficha técnica:
Duração: 15 minutos
Direção: Giane Maria de Souza
Roteiro: João Francisco de Borba
Edição: Mariana Dutra Patrício
Direção de imagens: Edson dos Santos
Som: Dalmo Borges Koentopp
Narração: Wagner José Mezoni
Música: Chiquinho Alencar
Arte: José Isaias Venera

Mais informações: Giane Maria de Souza (47) 8412-9313
 .

CONVITE AO POVO DE JOINVILLE

A história de fundação do CDHMGB foi iniciativa de um grupo de defensores de uma sociedade livre. Passados 35 anos o Centro dos Direitos Humanos, através do Grupo de Educação convida para a atividade de Memória e Verdade.
Entendemos que a cidade de Joinville/SC foi construída por contradições sociais, econômicas e culturais. A história é utilizada para reforçar a cultura contra os direitos humanos.
A elite local escreve o passado, o presente e o futuro de acordo com os seus interesses de classe. Um exemplo é o tema da Ditadura civil-militar (1964-85), onde a elite criou uma narrativa de passado como se nada dos tempos sombrios atingissem Joinville, como se classe patronal não tivesse envolvimento no apoio, na articulação e recebido os lucros com o fim das liberdades individuais, coletivas, direitos políticos do povo.
Na mesma medida, faz crer grande parte da opinião pública que não ocorreu resistência popular no campo político, sindical, comunitário e estudantil ao golpe civil-militar na cidade.
O passado de repressão e exploração tem sua continuidade histórica: A forte repressão estatal às manifestações populares que explodiram nas ruas das cidades brasileiras, a violência policial cotidiana aos pobres, a relação entre os governos e a iniciativa privada na destruição da educação e da saúde são exemplos de permanências do regime autoritário.

Por todos esses motivos, o Centro dos Direitos Humanos Maria da Graça Bráz envia o presente convite para mulheres e homens de diferentes idades, comprometidas nas lutas populares por uma cidade dedicada aos direitos humanos. Na ocasião, o CDH apresentará o projeto “Ditadura Nunca mais. Direitos Humanos sempre: os 50 anos do golpe civil-militar em Joinville/SC”. O convite é estendido para as entidades de classes, movimentos sociais, organizações políticas e população interessada a atuar no projeto.

No dia 10/12/2013 às 19horas, na sede do Centro dos Direitos Humanos Maria da Graça Bráz: Rua Dr. Plácido Olímpio de Oliveira, nº 660, Bucarein. Contato: cdh@terra.com.br irmakniess@terra.com.br telefone (47) 3025-3447.

domingo, 8 de dezembro de 2013

DERROTA

Hoje vi que pior que perder, é não saber perder. O futebol não precisa disso.

TRAGÉDIA DA ARENA X TRAGÉDIA DE SANTA MARIA

O incêndio de Santa Maria alguém aí ainda se lembra ? Então, ocorreu na boate Kiss, que é uma casa particular. Mas os representantes do poder público foram responsabilizados: Corpo de Bombeiros, Prefeitura, Vigilância Sanitária.

DE QUEM É A CULPA DA VIOLÊNCIA DA ARENA JOINVILLE

Com todo respeito as opiniões que estão sendo postadas, mas considero que o Ministério Público não poderia proibir a Polícia Militar de proporcionar segurança aos torcedores. Tudo bem que o mando de campo era do Atlético Paranaense, mas o Estado deve garantir a segurança da população. Se fosse assim, a Polícia não poderia entrar em domicílios para prender suspeitos ou criminosos.

CANAL DO LINGUADO

E a abertura do canal do Linguado ? Que até os marcianos, duendes e gnomos sabem que prejudica a natureza da região e nos mantemos passivos sem fazer absolutamente nada contra aquela aberração do homem.

sábado, 7 de dezembro de 2013

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

PORTO ALEGRE E SUA ARBORIZAÇÃO


NÃO APOIAMOS

Claro que nenhum joinvilense é contra a criação da guarda municipal. A população deseja e precisa de mais segurança. O que não se entende é como que uma prefeitura que alega não ter dinheiro para isso e aquilo queira assumir um serviço que é obrigação do governo do estado. O correto é exigir do estado a segurança para Joinville e não ficar assumindo novas despesas.

JUSTIÇA

O judiciário é formado pela criançada que fez vestibular pra Direito pensando em ficar rica. Calculem a degeneração que resulta. Querer ficar rico às custas de defender direitos. Não existe nada mais corrompido em termos de antropologia. É o ponto mais baixo a que o Homo sapiens pode descer.

Milton Wendel

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

AÍ TEM...

Aí...tem!!!

JÁ ERA ESPERADO

Jec começa a perder patrocinadores,ok!!! Mas tinha gente da imprensa que dizia que "era um bom negócio" o clube continuar na Série B. Pergunta agora para o pessoal do Figueirense se eles querem voltar para a Série B. Até estou vendo, a culpa agora será da torcida jequeana.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

domingo, 1 de dezembro de 2013

FATO


CONVITE


Pastor Jorge Mundiendil convida:
Bom dia e boa tarde.

Hoje na Ibnfd,teremos culto as 19:30m,com a presença do Pr.Gilberto Cândido(Giba), sua Esposa Tânia da Igreja Quadrangular e a banda que o acompanhará. Local:Rua Dona Francisca,1550, esquina com a Rua Castro Alves.Bairro Saguaçu.Você é o meu convidado.Até lá.