quarta-feira, 31 de julho de 2013

JEC NÃO QUER SUBIR

Jec não quer subir. Se o Jec não quer subir é necessário perder pontos. E é o que o Jec está fazendo.Por sinal muito bem.

terça-feira, 30 de julho de 2013

BEM LEMBRADO

O que mais me chamou a atenção na divulgação dos dados de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Joinville é o otimismo da imprensa com os números.

A educação, por exemplo, temos um quadro gritante, em especial nos jovens que deveriam cursar o ensino médio.

Quase 25% dos jovens entre 15 a 17 anos está fora do ano escolar que deveria. Ao todo, 14,12% cursam ainda estão no ensino fundamental e 10,52% frequentam o ensino médio em atraso.

E o mais espantoso: 16% dos jovens nessa faixa etária NÃO FRQUENTAM A ESCOLA em Joinville.

Em outras palavras, mais de 40% dos jovens entre 15 e 17 anos em Joinville não vai à escola ou está fora do ano escolar adequado.

E o governador Raimundo Colombo segue fechando cada vez mais escolas, ou as abandonando a ponto de serem inutilizáveis. Sem falar nas extensões que atendiam bairros periféricos e também foram fechadas no final do ano passado.

Lembrem-se disso!
Leonel Camasão - Presidente do PSOL de Joinville

O MAL DO CAPITALISMO

O mal do Capitalismo é o domínio das "máquinas".

domingo, 28 de julho de 2013

O EXEMPLO AQUI PERTINHO

Estive na acolhedora Pomerode ontem a tarde. Gosto de observar tudo. Mas um detalhe me chamou atenção: A conservação das ruas pavimentadas com paralelepipido. Sinceramente invejei, pois aqui em Joinville tem buraco onde menos você espera. Claro que não dá para comparar o trânsito de lá com o daqui. Mas organização,manutenção e respeito ao cidadão devem partir primeiro de nossas autoridades...para daí sim se ter moral para cobrar da população.

sábado, 27 de julho de 2013

BOA MATÉRIA SOBRE O INVERNO

Muita bacana a matéria do Jornal A Notícia sobre o inverno no planalto norte de Santa Catarina. Campo Alegre, São Bento do Sul, Rio Negrinho, Mafra, Canoinhas e até Joinville em sua parte alta poderão se beneficiar com o turismo nos meses frios.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

PROFESSORES

A má remuneração dos professores e o desprezo da sociedade em relação a nossa profissão não impede que ainda sejamos uma categoria detentora de conhecimento para ser aplicada na transformação da sociedade.
Possuímos o conhecimento e não apenas a informação efêmera e descartável divulgada todos os dias pela mídia.
Justamente por possuirmos conhecimento e difundí-los todos os dias dentro da sala de aula temos por uma questão ética a defesa da verdade (ou das verdades).
Nossa má remuneração também não impede que possamos lutar por melhores condições de trabalho e que consigamos tornar a sociedade mais justa.
Mas justamente por trabalharmos educando nossas crianças e adolescentes tenhamos também a responsabilidade de zelar pela coisa pública e seu bom funcionamento.
Se a casa do vizinho está sendo assaltada e você não visualiza a ação do bandido, não significa que esse acontecimento deixou de ser um crime. O crime continuará sendo um crime mesmo sem você ter visto o delito.
Vejo que muitos professores reclamam da baixa remuneração, das péssimas condições de trabalho e não fazem uma leitura real do por que desta situação.
Vejo professores abominarem a política, reduzindo-a a esfera dos partidos e de políticos com mandatos. São capazes até de chamar alunos engajados em movimentos sociais de agitadores, isso em pleno 2013.
Você ouve absurdos como por exemplo: - Odeio política, isso não me leva a nada. Não ganho nada me envolvendo com isso – não são declarações de um servo medieval, mas de professores!
Mas é esse mesmo professor que todo final de mês quando olha seu contracheque fica desanimado.
Será que realmente a política não serve para nada?
A escola que é o grande laboratório para se discutir os problemas da sociedade é sufocada pelos próprios docentes que confundem política com politicagem.
Será que o sindicato e o governo não fazem política? Será que lutar por nossos direitos não é digno ou necessário?
Será que nos contentaremos apenas com tablets e lutaremos todos os anos para mantermos o mínimo de aulas para garantir o pagamento do aluguel? Livros novos nem pensar.
Será que poderemos comer o que sobrou da merenda dos alunos ( sim,aquela mesma merenda que sobra e depois é jogada no lixo) sem receber uma bronca?
Será que continuaremos olhando apenas a árvore sem perceber a grandeza da floresta?
Quero dizer para todos que o sistema é cruel, que o sistema joga um contra o outro – professores contra professores – alunos contra professores – professores contra direção e por aí.
Quando ocorre da categoria dividir-se os comandantes do sistema ficam felizes.
Onde está o problema ? Respondo com facilidade a todos.O problema está nos desvios de recursos e na politicagem.
Como poderemos resolver esses problemas?
Resposta: com a verdade, sendo profissionais éticos, defendendo a constituição do Brasil, o estatuto do magistério catarinense e até mesmo a LDB e incentivando nossos alunos a que leiam e defendam uma escola pública com qualidade.
Muitos professores não conhecem leis e nem sequer o estatuto do servidor.
Mas a lei existe para ser respeitada e é no espaço escolar que isso deve ser defendido e difundido pela categoria.
É justamente a ignorância que gera a corrupção e que impede você de ter um salário justo e da sociedade ter uma escola pública descente.
Por isso temos que lutar. Temos que sair da zona de conforto. Temos que enfrentar o problema.
Pense que você é um professor, e como educador tem responsabilidade perante a sociedade (principalmente em relação ao aluno).
Por isso como dizia um certo cineasta inglês: “Professores ergam os olhos! Ergam os olhos”.

domingo, 21 de julho de 2013

ESTRANHO

Jec em 4º lugar e a torcida reclamando...Avaí na 17ª colocação, quem está melhor?

COMPETÊNCIA OU SORTE

A pior que coisa que pode existir é quando você deixa de acreditar na sua capacidade. O Jec não pode cair nessa. Mesmo perdendo pontos continua entre os quatro melhores da série B. Isso é competência ou sorte?

sábado, 20 de julho de 2013

COMPLICADO...

Entre a beleza e a saúde, prefiro a última.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

TREM É A SOLUÇÃO PARA JOINVILLE

Joinville em breve poderá perder a malha ferroviária que corta a cidade. Tudo isso por falta de investimentos em segurança e planejamento no modal ferroviário. Enquanto que o mundo já percebeu que o transporte rodoviário individual tornou-se inviável, Joinville destruirá o que pode ser a solução a médio prazo do transporte coletivo através do trem de passageiros. É uma pena que nossos políticos, empresários e a população em geral não percebam isso. Não podemos jogar a criança junto com a água suja. O transporte ferroviário é a solução para o transporte coletivo e para a diminuição dos congestionamentos em nossa cidade. Não precisa indenizar ninguém, só proporcionar mais segurança ao que já existe. Construção de elevados na Getúlio Vargas e São Paulo. Construção de terminal integrando ônibus e trem. Tudo isso é possível. Mas precisamos visão de futuro e vontade política. Senão, continuaremos chorando os problemas do passado.

terça-feira, 16 de julho de 2013

FEUDALISMO ATUAL CONTRA O ABORTO

"Nós somos a militância católica conservadora. Nós não queremos o sangue dos inocentes em nossas mãos. Não queremos que esta Terra de Santa Cruz seja manchada para sempre com o sangue dos bebês abortados. Não se negocia com a cultura da morte. Não se negocia o aborto. Por isso somos pelo VETO TOTAL do PCL 03/2013. Nós queremos que a presidente Dilma vete todo o projeto. Exigimos que ela cumpra a sua palavra dada na campanha eleitoral de 2010. VETO TOTAL, nada menos que isso.
Por isso, todos devem continuar a mandar e-mails e telefonar para o governo e para os bispos. Não podemos descansar. Não podemos desistir. Devemos insistir até que a Dilma VETE TOTALMENTE o PLC 03/2013. Não podemos deixar também de REZAR, JEJUAR e de FAZER PENITÊNCIAS, pois “a nossa luta, de fato, não é contra homens de carne e osso, mas contra os principados e as autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra os espíritos do mal, que habitam as regiões celestes.” (cf. Ef 6, 12)
Retirado do Facebook

Crônica sobre coronelismo leva jornalista à condenação

Vice-presidente do TJ do Sergipe processou jornalista que escreveu crônica ficcional
Reprodução/Arquivo Web
O jornalista José Cristian Góes foi condenado após desembargador Edson Ulisses (detalhe) se dizer ofendido com a expressão "jagunço das leis" em uma crônica ficcional
DO PORTAL DA IMPRENSA
O jornalista sergipano José Cristian Góes foi condenado a sete meses e 16 dias de prisão por ter escrito uma crônica ficcional sobre o coronelismo.

Segundo o Sindicato dos Jornalistas do Sergipe, apesar de o texto ser em primeira pessoa e não ter indicação de locais, datas e não citar ninguém, o desembargador Edson Ulisses, cunhado do governador Marcelo Déda (PT), se sentiu ofendido e pediu a prisão do jornalista.

Edson Ulisses, que é também vice-presidente do Tribunal de Justiça, alegou que se sentiu pessoalmente ofendido pela expressão “jagunço das leis” e pediu a prisão do jornalista por injúria.

Apesar de todo o processo ter sido presidido pela juíza Brígida Declerc, do Juizado Especial Criminal em Aracaju, a sentença foi assinada no último dia 04 de julho pelo juiz substituto Luiz Eduardo Araújo Portela.

“Esta é uma decisão em primeira instância. Vamos ingressar com os recursos. Em razão de ser uma sentença absurda, não acreditamos que ela prospere, mas se for o caso vamos até o STF em razão da decisão ferir gravemente à Constituição Federal, e quem sabe, podemos ir até ao CNJ e as Cortes internacionais de Direitos Humanos”, disse Antônio Rodrigo, advogado de Cristian Góes.

Os sete meses e 16 dias de detenção foram convertidos pelo juiz Eduardo Portela a prestação de serviço em alguma entidade assistencial.

A crônica literária “Eu, o coronel em mim” é um texto em estilo de confissão de um coronel imaginário dos tempos de escravidão que se vê chocado com o momento democrático. Não há citação de nomes, locais, datas ou cargos públicos.


Fonte: www.midiajur.com.br (08/07/2013)

PROBLEMAS REPRESADOS

Preocupa a lentidão do Poder Público de Joinville em não acompanhar e resolver os problemas represados da cidade. Se a administração pública atual, na teoria defende o modelo "enxuto" privado, na real a contrapartida é bem diferente.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

A CULPA É DE FLORIANÓPOLIS

O povo de Joinville continua sendo administrado como se seu povo fosse um bando de alienados. Um olhar clínico percebe que sua elite insiste em manter a cidade como uma aldeia medieval. Depois colocam a culpa em Florianópolis. Abaixo a foto da avenida Santos Dumont com a rua Tenente Antonio João no bairro
Bom Retiro, próxima ao Restaurante Tillmann.

Foto: Osni Tillmann

quarta-feira, 10 de julho de 2013

UMA PERGUNTA

Uma pergunta: Incluído no valor da passagem de ônibus existe uma percentagem que é destinada a pavimentação, isso ainda vigora em Joinville ?

sábado, 6 de julho de 2013

HOMENAGEM

Antes tarde do que nunca. Mas gostaria de homenagear dois profissionais da educação aqui de Joinville que tive a satisfação de trabalhar em 2007 na E.E.B. Arnaldo Moreira Douat. Essas duas personalidades merecem o reconhecimento dos colegas e dos estudantes pela sua honestidade e profissionalismo. São eles, os professores Fernando Albuquerque Medeiros da Escola Conselheiro Mafra e a "profa" Kika Almeida da Escola Germano Timm. Tá dado o recado.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

O MAL DAS COLIGAÇÕES

Sem recursos o gestor público não pode fazer muita coisa. Mas pior que a falta de recursos, são as brigas dentro da coligação. Repito: As coligações destruíram a administração pública. O gestor pode fazer uma baita de uma administração, mas se não tiver o apoio de algum cacique dança. Coligação partidária só serve para ganhar eleição. Ou se faz a reforma política com seriedade, ou a administração pública em Joinville, no estado e no Brasil levará o país a falência.

terça-feira, 2 de julho de 2013

NAS ESQUINAS DE JOINVILLE

Apesar de toda sua grandeza, Joinville consegue manter características de uma cidade pequena. Esse é o um dos charmes de nossa cidade.