segunda-feira, 29 de abril de 2013

JOINVILLE,A VILA DO SENSO COMUM, POR CHARLES HENRIQUE VOOS*

Um texto muito interessante

Durante muitos anos eu fechei meus olhos para algumas situações que aconteciam em Joinville. Talvez pelo meu bairrismo, ou por falta de uma noção de totalidade, não admitia que Joinville era uma vila com tamanho de cidade média. Hoje percebo o quanto estive errado, pois, ao analisar a dinâmica social de nossa cidade, identifico que o senso comum domina, e o poder de crítica é extremamente combatido.

Tudo começa quando encontramos um sistema público de ensino deficitário, em todos os níveis. Por mais que tenhamos uma grande taxa de alfabetização, somos reféns de escolas interditadas e um plano pedagógico que ceifa a construção crítica de nossos jovens, submetendo-os apenas aos "desafios" de um tal mercado de trabalho. Os poucos que escapam desta lógica que forma, ao invés de construir conhecimento, esbarram na etapa seguinte: a desvalorização.

Como o mercado de trabalho (principalmente em Joinville, reduto ideal da lógica industrial) não valoriza a crítica, muitos saem de Joinville em busca de novos ares. Nosso amigo Zé Baço sempre nos alertou sobre isso aqui neste espaço. Os que por aqui permanecem não encontram uma Universidade (pública ou privada) que seja receptiva a este tipo de pessoas. A cidade é um harém do senso comum, reprodutora de todas as principais regras deste poder simbólico (resultante de vários interesses, principalmente econômicos) que domina, segrega e aliena. O cinza característico do cenário urbano industrializado é a mesma cor da produção intelectual.

O processo é cíclico e preocupante. A participação popular, de natureza essencialmente crítica, é anulada pela opressão ou pelo preconceito construído e propagado nos espaços acríticos da cidade. Desta forma, a cidade sempre será palco para alguns e espaço de plateia para quase todos. As coisas erradas acontecem diante de nossos olhos e a vila se resigna: segregação, preconceito, violência, mídia parcial, omissão do poder público, egoísmos, falta de alteridade e coletividade, acomodação... são algumas características do típico joinvilense.

É muito mais fácil criticar quem faz a crítica sem produzir um debate de ideias. O joinvilense (sem querer generalizar) é fanático pela crítica à conduta pessoal, e não pelas concepções de mundo do criticado. É só ver os comentários recentes em vários posts aqui do Chuva Ácida. O joinvilense adora ver e ser visto. Vive de aparências, de fetiches, de fábulas urbanas. É um bolha! (Me rendo, Felipe!) Não participa. É um dominado e gosta desta condição. Acredita em tudo o que vê na TV ou ouve no rádio. Vai na onda dos outros. Lota os shoppings nos fins de semana porque tem preguiça de cobrar do poder público grandes parques ou qualidade dos passeios urbanos (calçadas e demais vias). Troca de carro todo ano por status. Critica o transporte coletivo sem utilizá-lo. Faz faculdade para ter um diploma e não para adquirir conhecimento. Faz enormes festas de formatura e casamentos por pura aparência. Considera desenvolvimento urbano a mesma coisa que crescimento econômico. Tem medo do diferente e de quem pensa diferente de si.

Existem momentos em que tenho vergonha de ser joinvilense e dos passos desta cidade. Não sou adepto do "ame-a ou deixe-a", mas sim do "faça de tudo para mudar aquilo que não te agrada". É por isso que luto para não sair daqui em busca de outras oportunidades.

*Retirado do blog Chuva Ácida

domingo, 28 de abril de 2013

O PECADO DA OMISSÃO, POR MARCIO MOTTA*

O PECADO DA OMISSÃO

Tiago: 4. 17
Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado. 
 O PECADO DA OMISSÃO
Este versículo nos confronta e desconstrói  uma crença de que somente quando cometemos algum erro é que estamos em pecado, já que ele nos diz, de uma forma muito clara,  que o fato de deixar de fazer o que é correto também é.
Isto nos leva a uma reflexão a respeito daquilo que fazemos e deixamos de fazer, pois a partir do instante que chegamos a essa conclusão, muitas das coisas que não estamos fazendo e a respeito das quais achávamos  estar tomando a atitude correta, está nos levando  a ser tão pecadores quanto as pessoas que cometem seu erros.
É evidente que estamos falando de omissão, que nada mais é do que nos silenciar diante de determinadas coisas, ficarmos mudos diante de fatos onde deveríamos nos posicionar, deixar de lado aquilo que não poderia ser deixado.
O interessante é que quando nos omitimos em uma determinada situação e deixamos de lado alguma coisa que deveria ser denunciada, não parece tão grave quanto o fato praticarmos algum ato que esteja em descordo com os padrões. O que precisamos entender, e ficar bem claro, é que os dois estão errados e carregam o mesmo peso diante de Deus, o fato de ficarmos em nosso canto, não querendo se envolver, fingindo-se de morto é uma falta tão grave quanto cometer um erro, por isso um é chamado de pecado de comissão e o outro de pecado de omissão.
Sendo assim, se podemos fazer o bem e não fazemos estamos sendo tão pecadores quantos aqueles que fazem o mal e o problema maior é que jamais conseguiremos esconder isso de Deus, ou seja, Ele sabe muito bem tudo aquilo que podemos e não podemos, já que  é Ele que nos capacita e nos dá todas as condições de continuar.
Isso colocado nós devemos ter em mente que se podemos fazer o bem, façamos, se precisamos nos aproximar de alguém de quem estamos longe, aproximemos, se precisamos perdoar a alguém, perdoemos, isto é, não podemos ficar ignorando aquilo que precisamos fazer e cometendo o pecado da omissão. 

* Retirado do sítio www.palavrafiel.com.br

A REALIDADE

A omissão de hoje , fará de você a própria vítima amanhã - Isso é fato.

IMAGINE SE NÃO EXISTISSE ...

Advogado e sindicato. Todo mundo critica, mas na hora do aperto são os primeiros a serem lembrados.

TILÁPIAS NO RIO CACHOEIRA

Fui hoje pela manhã na rua do lazer e parei na "pinguela" em frente o Centreventos. Eu e outras pessoas observavamos as tilápias brincando nas águas. Logo logo estaremos nadando ali. Te cuida Enseada e Barra do Sul.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

SÓ IMPROVISO E FALTA DE SEGURANÇA

Defendo do uso da bicicleta por ser um meio de transporte ecologicamente correto - por uma questão de saúde e economia também. Mas não posso concordar que simplesmente encham a cidade de ciclo-faixas em ruas tradicionais  atrapalhando ainda mais o complicado trânsito de Joinville. Pergunto: Ciclo-faixa na rua Otto Boehm ??? Na rua Barriga Verde no bairro Bom Retiro ??? O que fizeram na rua São Paulo entre as ruas Guarujá e Monsenhor Gercino ??? Isso ali é para proporcionar segurança ao ciclista ??? Não!!! Não!!! Falta planejamento. A rua São Paulo não comporta ciclo-faixa e corredor exclusivo para o transporte coletivo . A rua Barriga Verde é muito estreita e não comporta uma ciclo-faixa. Na rua Otto Pfuetzenreuter ocorrem acidentes praticamente todos os dias - Chega de improviso - Devolvam a ciclovia para a avenida Santos Dumont - construa outra na avenida Procópio Gomes. Mas não esqueçam de planejar.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

VEREADOR ODIR NUNES DETONANDO

Hoje assisti na TV Câmara o discurso do vereador Odir Nunes (PSD) . Nota 1000 ...falou tudo e muito mais. Assino em baixo tudo que ele falou ali. Destaque também aos vereadores Adilson Mariano (PT) e Dorval Pretti (PPS) que deram destaque ao problema das escolas.

No Brasil, 40% da população carcerária é de presos provisórios

Por Nathalia Ziemkiewicz - Revista Isto É


Morri um pouco ao conhecer a história de Heberson Oliveira. Ainda que sentisse a respiração dele por telefone, não tenho certeza de que estava vivo.
Heberson viveu 3 anos no inferno, preso injustamente em Manaus até que uma defensora pública conseguiu inocentá-lo. Ganhou a liberdade, mas nunca mais seria um homem livre. Atrás das grades, ele assistiu rebeliões, entrou em depressão, foi abusado sexualmente e contraiu a AIDS.
Sou jornalista e fiquei sabendo da história de Heberson durante uma reportagem* sobre detenções arbitrárias. Sem antecedentes criminais, Heberson ficou quase três anos na cadeia aguardando julgamento. Agora, sete anos após sua absolvição, está desempregado devido ao preconceito.
Heberson precisa de ajuda. Por isso iniciei este abaixo-assinado. Ele precisa de uma indenização da Justiça e de amparo oficial do Governo do Estado (que chefia a polícia que o prendeu injustamente sem investigação). 
Clique aqui para assinar meu abaixo-assinado e ajudar a salvar a vida deste homem que perdeu tudo por causa de um erro da justiça.
Uma reportagem não é suficiente para ajudá-lo. Por isso vim pedir que se junte a mim neste abaixo-assinado para mostrar ao Heberson que você se importa. Perca um minuto da sua vida: assine e compartilhe esta campanha. Você pode me ajudar a devolver a vida a alguém.
Compartilhe com amigos, por favor.
Obrigada!
Nathalia Ziemkiewicz
*Leia aqui a reportagem que escrevi contando a história do Heberson

quarta-feira, 24 de abril de 2013

A FOTO DE GERMANO RORATO DIZ TUDO

Publico no Feudalismo Atual o protesto realizado por estudantes que são contra a reenturmação de salas de aula nas escola estaduais em Jaraguá do Sul. O crédito da imagem é do fotógrafo Germano Rorato do Jornal A Notícia. Uma imagem que tem um significado muito forte.* Clique na imagem para ampliá-la*

ISSO É ESTRATÉGIA POLÍTICA ??? OU O FIM DA DEMOCRACIA NO BRASIL ???

Defender uma chapa que seja composta por  candidatos do PMDB - PSD - PSDB - PP e PT ? A democracia corre sério risco no Brasil . Aliás, que democracia ???

terça-feira, 23 de abril de 2013

PALAVRAS DE WITTICH FREITAG!!!

Palavras de Wittich Freitag!!!

(...) Quando assumi em janeiro(...) encontrei a Prefeitura com pagamentos atrasados em três,quatro até cinco meses com fornecedores. Ninguém mais queria vender para a Prefeitura,não havia crédito para comprar um pão(...) O fato é que a Prefeitura comprava mal,pagava caro e pagava mal. Eu estava com as mãos amarradas e percebia que dificilmente poderia realizar,nos próximos meses,as obras com as quais me comprometera(...)***

***Palavras do prefeito Wittich Freitag ao assumir a prefeitura de Joinville em 1983.

Fonte: Eu, Wittich Freitag, livro da historiadora Raquel S.Thiago,páginas 172 e 173.

PROFESSORES URGENTE, UM TEXTO DE SANDRA GUEDES*

Sou solidária a todos(as) professores(as) de nosso país que procuram melhores condições de trabalho e salário, que buscam a dignidade de trabalhar em segurança e ter uma perspectiva de futuro!
É preciso fazer alguma coisa URGENTE antes que o vazio de professores que já está evidente em grande parte das escolas brasileiras se acentue ainda mais! As licenciaturas se esvaziam e fecham as portas a cada dia e isso se reflete nas escolas que não tem professores em diferentes disciplinas. Quem quer ser professor com as condições de trabalho e de salário existentes?
Está mais do que na hora de mudar e não é aumentando os dias letivos, sobrecarregando os professores e alunos de trabalho que o ensino vai melhorar. O quadro que está se posto levará anos para ser modificado. Não se formam professores do dia para a noite!

* A dra. Sandra Guedes é professora  no Curso de História da Univille - Joinville

domingo, 21 de abril de 2013

APENAS UM CELULAR

Eu acho que estou ficando louco. Como que tem gente que pode defender um indivíduo que rouba um celular (que já é uma atitude anormal se apoderar de um objeto que não lhe pertence independente do seu valor) e além de tudo assassina sua vítima ??? Pára né!!!

HELP!!!

Além de Joinville não ter investimentos em sua estrutura viária e demais equipamentos públicos, o poder público não tem capacidade de gerir e corrigir os já existentes. É uma barbaridade!!! Pior que parar no congestimento, é perceber o abandono da via: buracos, valas abertas , remendo no asfalto , vias sem sinalização ou mal sinalizadas.

sábado, 20 de abril de 2013

POVO E POVA DE JOINVILLE !!! OLHEM OS INVESTIMENTOS EM CRICIÚMA

Governo autoriza terceira etapa do anel viário de Criciúma e repassa recursos para hospitais


Florianópolis (19/4/2013)
O governador Raimundo Colombo e o vice Eduardo Pinho Moreira fizeram um roteiro de visitas e de autorizações de obras na região Sul de Santa Catarina, nesta sexta-feira, 19. Em Criciúma, o Governo do Estado está investindo R$ 29 milhões, em recursos do Pacto por Santa Catarina, para os trabalhos da terceira etapa do anel de contorno viário da cidade. Além da obra de infraestrutura, foram repassados mais R$ 12 milhões para a administração do Hospital São José. Deste valor, R$ 3 milhões serão destinados ao Hospital Materno Infantil Santa Catarina, que é municipal, mas administrado pelo São José. No mesmo ato, realizado na prefeitura municipal de Criciúma, o Governo do Estado repassou R$ 350 mil para o município vizinho de Içara. “São obras fundamentais para o desenvolvimento da região e qualidade de vida dos moradores”, disse o governador.

O anel de contorno viário de Criciúma vai desviar o trânsito pesado que, hoje, passa pelo centro da cidade. A terceira etapa contempla obras de drenagem, terraplenagem, pavimentação asfáltica, sinalização, obras complementares e de artes especiais. O trecho com pouco mais de 6 quilômetros vai ligar a SC-446 (do trevo do Mampituba) até a SC-445 (no trevo que liga Criciúma e Siderópolis), passando pelos bairros São Simão, Naspolini e Mina do Mato. Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, as obras de mais esta etapa do anel viário começam imediatamente. “A nossa meta é antecipar os cronogramas. Quanto mais rápida for a conclusão da obra, melhor para a população”, afirmou.

Ainda em Criciúma, Colombo e Pinho Moreira assinaram convênios que vão destinar recursos para a Saúde. Aproximadamente R$ 9 milhões serão investidos em obras no Hospital São José. Estão previstas a construção de oito novas salas cirúrgicas, 20 leitos de UTI, 35 de internação e a reforma do centro cirúrgico. O Hospital Materno Infantil Santa Catarina vai receber R$ 3 milhões para custeio e manutenção de serviços.

O outro convênio na área da Saúde vai contemplar o município de Içara. O Estado repassou R$ 350 mil. Os recursos serão aplicados na conclusão de duas unidades de saúde, uma no bairro Demboski e outra no Jardim Silvana. A outra parcela do dinheiro será para o Hospital São Donato. “A Saúde é uma demanda forte da sociedade em todo o Estado e nós estamos investindo de forma muito firme, inclusive na gestão. Eu tenho certeza que os serviços oferecidos aos catarinenses vão melhorar muito”, disse o governador.

Antes de encerrar o roteiro pelo Sul do Estado, o governador Raimundo Colombo visitou o município de Nova Veneza, onde entregou a ordem de serviço para a revitalização do trecho entre a SC-446, em Nova Veneza, até a SC-443, no distrito de Mãe Luzia. O trecho de 11,6 quilômetros vai receber recursos de R$ 1,5 milhão, do Pacto por Santa Catarina. “Essas obras de Infraestrutura não significam apenas melhorar o asfalto, ou pavimentar uma estrada. Nós estamos tomando todo o cuidado pra fazer as intervenções necessárias, como eliminar curvas e pontos críticos, para garantir a segurança das pessoas.

Fonte: www.sc.gov.br (19/04/2013)

quinta-feira, 18 de abril de 2013

PMDB E O PODER

Uma coisa é o senso comum , outra coisa é a opinião de formadores de opinião - políticos e empresários. Quem não votou em Udo para prefeito de Joinville,foi bombardeado após sua grande vitória. Repito: Nada contra o sr. Udo, pessoa bem intencionada, homem respeitado e grande joinvilense. Mas quem se aprofunda na política de Joinville sabe perfeitamente que Udo ficaria refém dos acordos políticos e principalmente do PMDB. Eu digo que o grande vencedor das últimas eleições não foi Udo Döhler e nem quem votou em Udo pensando no melhor para Joinville . O grande vencedor foi o PMDB que se apoderou novamente da prefeitura mais rica de Santa Catarina.

terça-feira, 16 de abril de 2013

MUITO INTERESSANTE - POR JORDI CASTAN

" Os candidatos com imagem associada à corrupção - ou cuja ficha está precisando de muita água, escova, sabão e sol para ficar limpa - nem chegaram ao segundo turno. O que não quer dizer que o candidato vencedor seja o melhor candidato para Joinville. Foi o melhor candidato entre os que disputaram a eleição".

OBRAS EM JOINVILLE

Olha a agilidade!!!

segunda-feira, 15 de abril de 2013

ERREI

Quando o Jec derrotou o Criciúma por 4 a 3 no 1º turno, tinha certeza que o clube iria ser campeão catarinense. Errei.

sábado, 13 de abril de 2013

CALMA COIOTE !!! O SONHO NÃO ACABOU


Não!!! Em 2016 tem outra eleição em Joinville.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

EM RELAÇÃO A CISER - NINGUÉM FALA NADA ???

Acompanhei pela imprensa o fechamento da tradicional empresa joinvilense de parafusos - Ciser. Não vi a ACIJ -  nem vereadores - nem nossos representantes em Florianópolis e Brasília  manifestarem-se em defesa da permanência da Ciser em Joinville. É mais uma empresa que deixará nossa cidade. Por que essa passividade toda ??? E os empregos e impostos que o município irá deixar de ter e arrecadar ??? Vi o representante da empresa declarar que a Ciser respeitava as normas ambientais. A Busscar pediu falência e agora a Ciser irá para Araquari. Respeitar a natureza é bom. Mas uma cidade não funciona sem trabalho e dinheiro.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

SÁBIO COMO A SERPENTE , POR ARNALDO LELES*

Tenta alma,
acabar de chegar
quando os anjos
lhe abandonam,
pois anjos não
abandonam mas,
esperam que você faça
a sua parte.
Tenta alma, entender
que o tentador é
enviado por Deus,
na tentativa de salvar-lhe.
Tenta alma, saber
que salvação a granel
não existe.
Conhecer-se a si mesma
e meditar sobre o
sofrimento de toda criatura
estabanada que
pulula a superfície,
lhe trará o silêncio
que brota de dentro.
Só assim você pode ser sábia
como a serpente, que
não reclama da vida solitária
mas que, humildemente,
larga a casca da
velha vida insensata.
 
* Arnaldo Leles é poeta e responsável pelo blog "Poesia  de Arnaldo Leles"


O SISTEMA É MAL


quarta-feira, 10 de abril de 2013

ISSO É FATO

Muito buraco nas ruas de Joinville.

terça-feira, 9 de abril de 2013

A BARBÁRIE

Quando o que é correto começa a ser ridicularizado. Quando valores são invertidos ou manipulados para beneficiar determinado segmento da sociedade (que na maioria das vezes são minorias) a barbárie é inevitável. A velha geração está sendo engolida pela nova,pois não domina as redes sociais. Os gestores e os criadores das grandes redes de TV do Brasil já perceberam isso. Só quero ver quem fechará a conta dessa irresponsabilidade social (doença social) que está sendo defendida até mesmo pelo governo.

sábado, 6 de abril de 2013

CURITIBA AINDA É REFERÊNCIA EM MEDICINA PÚBLICA PARA JOINVILLE

A medicina privada de Joinville é referência para Santa Catarina e para o Brasil. Mas tem um bom preço... e quem pode pagar são poucos - a maioria são pacientes de outras cidades . Por esse motivo continuamos sendo vassalos dos hospitais públicos de Curitiba.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

A VELHA HISTÓRIA DA LIBERAÇÃO DE RECURSOS

Quero ver até onde a prefeitura irá levar essa novela dos recursos para "grandes obras" que nunca são realizadas aqui em Joinville. Visitar governador e falar com chefe de gabinete em Brasília e depois posar  para câmeras digitais está ficando banal. Mas pelo menos os pauteiros de jornais  tem material para um novo jornal. Mas até quando esse namoro com a imprensa irá durar ???

quinta-feira, 4 de abril de 2013

ESSE É O ETERNO 007 - SHOW!!!

Sir Sean Connery elegantíssimo em sua bike.

IGREJAS X ESCOLAS

Respeito todas as Igrejas. Mas uma coisa que eu acho injusta é a comunidade ajudar apenas as Igrejas. Enquanto isso, quando a escola pede apenas R$ 1,00 por mês como contribuição para a APP ( Associação de Pais e Professores) que é uma associação criada justamente para ajudar na melhoria da estrutura física e pedagógica para os estudantes, a comunidade não apoia, vai contra. Detalhe: Os filhos ficam de segunda-feira à sexta-feira no ambiente escolar e na Igreja vão apenas uma vez por semana. Claro que a escola é responsabilidade do Governo. Mas não contribuir com apenas R$ 1,00 ao mês para a escola do filho??? Isso é vergonhoso. O mesmo povo que reclama que o Governo é injusto com os altos impostos , é o mesmo que dá dinheiro aos montes para Igrejas pensando que irão garantir um lugar no céu.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

EM RELAÇÃO A JOINVILLE - UM TEXTO DE SERGIO DUPRAT

Prefiro um empresário local que um político de passagem aventureiro e oportunista;
O recado das urnas foi dado
Isto já é resultado do inconsciente coletivo que busca por a casa em ordem.
A retomada da cidadania dar-se-á por mobilização e participação
As duas ações demandam tempo,
e tempo é uma riqueza que a sociedade moderna não possui.
Perdemos o hábito desde a época da ditadura.
Com a omissão da sociedade os oportunistas se instalaram
 e no decorrer dos últimos trinta anos se fortaleceram e se estruturaram.

Quando os interesses da coletividade não se manifestam,
Os interesses individuais e oportunistas se estabelecem.

Cabe agora, à sociedade recuperar o tempo perdido.
Cabe agora, aos movimentos cidadãos retomar a participação e a fiscalização.
Qualquer .... repito: qualquer cargo representativo, precisa ser fiscalizado e cobrado;
 em todos os  segmentos: privado (empresarial, coletivo ou individual) ou público.
É desta forma que os interesses dos representados serão defendidos.

Porém, é importante que se tenha consciência de que não se trata de um embate.
Trata-se, isto sim, da arte do debate   ...falar, ouvir, refletir, concluir respeitar e aceitar.
Entendo que não cabe apontar vencidos ou vencedores.
A busca tem que ser pela melhoria do TODO

Uma vez ouvi a pérola:
todo mundo tem a sua razão. O que atrapalha é a razão dos outros”

A sociedade é composta por indivíduos, seus segmentos e interesses.
Neste universo incluem-se: os empresários, o capital empreendedor, o capital especulativo,
 o político “Dom Quixote”, o político amarrado, os conservadores minimalistas,
os visionários cosmopolitas, os ciclistas, os vendedores de automóveis,
a turma do chão da fábrica que já sentiu no bolso um corte de horas extras
 devido a uma crise européia,
os prestadores de confortos “supérfluos” (primeiros a serem cortados nas horas de aperto),
 os servidores, ... em suma: muita, muita diversidade.

Oxalá tivéssemos centenas de movimentos com a mobilização do Passe Livre (MPL),
defendendo os mais diversos objetivos e pontos de vista.
A oportunidade da apreciação das diferenças resulta em crescimento.
E é a constância desta mobilização que trará o resultado pretendido.
Exigir o equilíbrio perfeito ... justo e democrático, pode soar utópico agora.
Mas são os primeiros passos para atingi-lo
O resultado, muito provavelmente não será o ideal,
 mas será o que for conquistado com a participação dos que se dispuserem a
 participar, somar e debater.

Retirado do blog patakaparau.blogspot.com

CARLITO X UDO - A DIFERENÇA

Bem, o Carlito enfrentou a imprensa - foi criticado por todos - foi teimoso - foi ingênuo em acreditar no PMDB e tal. 

Em relação ao Udo - falar o que !!!

Quando não se pode nem falar mal...é que a coisa está pra lá de feia.