segunda-feira, 22 de julho de 2013

PROFESSORES

A má remuneração dos professores e o desprezo da sociedade em relação a nossa profissão não impede que ainda sejamos uma categoria detentora de conhecimento para ser aplicada na transformação da sociedade.
Possuímos o conhecimento e não apenas a informação efêmera e descartável divulgada todos os dias pela mídia.
Justamente por possuirmos conhecimento e difundí-los todos os dias dentro da sala de aula temos por uma questão ética a defesa da verdade (ou das verdades).
Nossa má remuneração também não impede que possamos lutar por melhores condições de trabalho e que consigamos tornar a sociedade mais justa.
Mas justamente por trabalharmos educando nossas crianças e adolescentes tenhamos também a responsabilidade de zelar pela coisa pública e seu bom funcionamento.
Se a casa do vizinho está sendo assaltada e você não visualiza a ação do bandido, não significa que esse acontecimento deixou de ser um crime. O crime continuará sendo um crime mesmo sem você ter visto o delito.
Vejo que muitos professores reclamam da baixa remuneração, das péssimas condições de trabalho e não fazem uma leitura real do por que desta situação.
Vejo professores abominarem a política, reduzindo-a a esfera dos partidos e de políticos com mandatos. São capazes até de chamar alunos engajados em movimentos sociais de agitadores, isso em pleno 2013.
Você ouve absurdos como por exemplo: - Odeio política, isso não me leva a nada. Não ganho nada me envolvendo com isso – não são declarações de um servo medieval, mas de professores!
Mas é esse mesmo professor que todo final de mês quando olha seu contracheque fica desanimado.
Será que realmente a política não serve para nada?
A escola que é o grande laboratório para se discutir os problemas da sociedade é sufocada pelos próprios docentes que confundem política com politicagem.
Será que o sindicato e o governo não fazem política? Será que lutar por nossos direitos não é digno ou necessário?
Será que nos contentaremos apenas com tablets e lutaremos todos os anos para mantermos o mínimo de aulas para garantir o pagamento do aluguel? Livros novos nem pensar.
Será que poderemos comer o que sobrou da merenda dos alunos ( sim,aquela mesma merenda que sobra e depois é jogada no lixo) sem receber uma bronca?
Será que continuaremos olhando apenas a árvore sem perceber a grandeza da floresta?
Quero dizer para todos que o sistema é cruel, que o sistema joga um contra o outro – professores contra professores – alunos contra professores – professores contra direção e por aí.
Quando ocorre da categoria dividir-se os comandantes do sistema ficam felizes.
Onde está o problema ? Respondo com facilidade a todos.O problema está nos desvios de recursos e na politicagem.
Como poderemos resolver esses problemas?
Resposta: com a verdade, sendo profissionais éticos, defendendo a constituição do Brasil, o estatuto do magistério catarinense e até mesmo a LDB e incentivando nossos alunos a que leiam e defendam uma escola pública com qualidade.
Muitos professores não conhecem leis e nem sequer o estatuto do servidor.
Mas a lei existe para ser respeitada e é no espaço escolar que isso deve ser defendido e difundido pela categoria.
É justamente a ignorância que gera a corrupção e que impede você de ter um salário justo e da sociedade ter uma escola pública descente.
Por isso temos que lutar. Temos que sair da zona de conforto. Temos que enfrentar o problema.
Pense que você é um professor, e como educador tem responsabilidade perante a sociedade (principalmente em relação ao aluno).
Por isso como dizia um certo cineasta inglês: “Professores ergam os olhos! Ergam os olhos”.

Nenhum comentário: