segunda-feira, 30 de abril de 2012

Rosenilde apoiando o texto do Curvello

Concordo "Que país é esse" temos que fazer igual aos anos rebeldes lutar contra essa falsa democracia. Chega de ficar a mercê desses políticos que só pensam em tirar proveito da situação e no seu próprio umbigo e de seus aliados.
Como a música de Geraldo Vandré:
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer


Rosenilde Baima

domingo, 29 de abril de 2012

Buracos e mais buracos

Levei o carro duas vezes ao borracheiro essa semana. Obras e mais obras sem a mínima sinalização. O trânsito um caos. Pior é a chuva junto. Quem paga o "prejú!!!"

sábado, 21 de abril de 2012

Candidatos biônicos

É triste perceber que chegando as eleições mais uma vez são criados em laboratórios os "candidatos biônicos". O último um sujeito honesto,foi conhecendo a cidade ao longo da campanha, mas foi queimado propositalmente por seu "anjo da guarda". Agora a situação se repete, com um nativo, pessoa correta e bem sucedida no meio empresarial, mas que apenas é uma peça do jogo, nada mais do que isso. Na realidade mais uma vez o eleitor joinvilense será manipulado por esse grupelho, que nunca pensou na cidade, mas apenas em sua projeção política.

Floripa bombando

Sempre existiu e ainda existe uma crítica ao sucesso de Florianópolis por nós aqui de Joinville. Agora a capital receberá nada mais nada menos que Paul Mccartney com o apoio do Grupo RBS e do próprio Governo. Se Florianópolis hoje desponta como uns dos principais pólos turisticos do Brasil é mérito do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, por "coincidência" três vezes prefeito de Joinville,cidade que não recebeu sequer um "elevadinho" em seu governo.

Que país é esse !!!

Excelente artigo “Bancada do Cachoeira, por Wilson Mira Junior” AN de 21/04. Ali está escrito com todas as letras o descalabro que se tornou essa república. As ramificações dos criminosos, estão com seus tentáculos, em todas as áreas.

Passeatas e marchas contra corrupção para eles, devem ser motivo de chacota.

O que nos falta, é vergonha na cara e um  povo indignado com tudo isso. Disposto a ir para “batalha” literalmente e destituir na marra, toda essa gente e tentar se criar algo novo.

Corrupção, terceirização e empreiteiras, são palavras que chegam a me dar asco.

Como dizia Renato Russo: “Que país é esse” !!!!

 

Paulo Curvello

Balneário Camboriu

curvell@terra.com.br 

sábado, 14 de abril de 2012

Para pensar

Já faz tanto tempo
Que eu deixei
De ser importante
Pra você
Já faz tanto tempo
Que eu não sou
O que na verdade
Eu nem cheguei a ser

E quando parti

Deixei ficar
Meus sonhos
Jogados
Pelo chão
Palavras perdidas
Pelo ar
Lembranças contidas
Nesta solidão

Eu já nem me lembro

Quanto tempo faz
Mas eu não me esqueço
Que te amei demais
Pois nem mesmo o tempo
Conseguiu fazer esquecer
Você
Não
Fomos tudo aquilo
Que se pode ser
Meu amor foi mais
Do que se pode crer
E nem mesmo o tempo
Conseguiu fazer esquecer
Você

Tentei ser feliz

Ao lado seu
Fiz tudo que pude
Mas não deu
E aqueles momentos
Que guardei
Me fazem lembrar
O muito que eu te amei

E hoje o silêncio

Que ficou
Eu sinto a tristeza
Que restou
Há sempre um vazio
Em minha vida
Quando relembro nossa
Despedida

Eu já nem me lembro

Quanto tempo faz
Mas eu não me esqueço
Que te amei demais
Pois nem mesmo o tempo
Conseguiu fazer esquecer
Você
Não
Fomos tudo aquilo
Que se pode ser
Meu amor foi mais
Do que se pode crer
E nem mesmo o tempo
Conseguiu fazer esquecer
Você

Kátia

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Esclarecimento

A Direção da E.E.B. Arnaldo Moreira Douat vem por meio deste esclarecer aos alunos, pais, imprensa e a quem tiver interesse que:

Em nenhum momento obteve da GERED ou qualquer outra repartição do Governo, a autonomia para abrir o ginásio de esportes. Como esta é uma obra sob o controle da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Joinville(SDR) a Direção Escolar sempre solicitou a Gered – que é parte integrante da SDR - que encaminhasse os ofícios desta unidade escolar solicitando informações sobre a abertura do ginásio a SDR.

Após a manifestação dos alunos no dia 04 de abril, a Sra. HELIETE STEINGRABER SILVA, atual Gerente de Educação, declarou no Jornal - Notícias Do Dia- de 05 de abril: “Se o diretor não foi pegar (a chave), isso é um problema de gestão da escola”, afirmou a gerente”.

Soa estranho que um procedimento com fases expressas na Lei, pudesse ser atropelado por ato tão simples como a mera abertura do ginásio, sem as formalidades legais e a conclusão das obras.

A reivindicação pela abertura do ginásio é feita desde 2011. Há várias solicitações da escola, tanto para a Gered como para a SDR, desde o ano passado.

Atendendo a justa reivindicação dos alunos e dos professores, a Direção também se manifesta, como sempre se manifestou, favorável à imediata conclusão das obras e entrega para o funcionamento deste Ginásio de Esportes.

Todavia, entende que há a necessidade de conclusão para o pleno funcionamento, até mesmo pela necessidade de SEGURANÇA dos usuários. Por exemplo, não estão prontos para uso, por falta de energia elétrica, os banheiros e a iluminação.

Tais itens necessitam para a implementação, de manifestação expressa da SDR junto à CELESC, para efetivar o fornecimento, além da obtenção do alvará de funcionamento exarado pela Prefeitura, inexistente, o laudo de vistoria das obras para verificação da adequação com o Memorial Descritivo, a manifestação da vigilância Sanitária, a retirada dos entulhos, pela Empreiteira responsável, enfim, várias atividades cuja responsabilidade é de terceiros e não da Gestão da Escola.

Tendo em vista a garantia de Direitos e responsabilidades e a prevenção e o conhecimento público, especialmente o dos alunos da Escola, foi autorizado o acesso ao setor do Ginásio para a constatação do estado em que se encontram os trabalhos. Não sendo liberado para uso.

9. A ausência de implemento da conclusão da obra, das atividades dos terceiros e da liberação para o uso pleno do Ginásio, chocam toda a Comunidade, pelo excesso de tempo decorrido e o abandono das atividades necessárias à conclusão da obra. Situação que foge ao controle e às atribuições da Direção Escolar, como é do conhecimento público.

10. Não há como responsabilizar a Gestão da Escola pela descontinuidade da execução da obra e pela ausência de atividades dos terceiros legalmente obrigados. Soa estranha e maledicente a atribuição de culpa pela inoperância alheia. O que a Direção da Escola poderia fazer, dentro da Lei, foi feito e refeito.

Por todo o exposto, agradecendo a oportunidade de esclarecer os fatos, reiteramos nossa disposição de atuar sempre em defesa dos melhores interesses da Educação. Sem mentiras e nem falcatruas, de qualquer espécie. Como sempre trabalhamos.

Joinville, 09 de abril de 2012

Juliano Carvalho Bueno

Diretor da Escola

domingo, 1 de abril de 2012

Não pode, não pode

Não pode numa via rápida ter uma faixa de pedestre. O trânsito de Joinville está um caos, estão faltando vias na cidade e as poucas que existem ainda são sobrecarregadas com faixa de pedestres e ciclo-faixas.

Claro né!!!

Lá em São Paulo tem passarela ou túnel para o pedestre atravessar a avenida.

Agora aqui em Joinville, o motorista é obrigado a parar porque o poder público pintou uma faixa de pedestre no meio da via mais movimentada da cidade.

São esses improvisos que fazem de Joinville apesar de sua grandeza ser considerada ainda uma cidade sem planejamento.

Pequena comparação

Será que na Avenida Paulista o motorista para sem mais sem menos no meio do caminho para o pedestre passar ???

Por que será que aqui em Joinville,na rua João Colin, o motorista tem que parar ???