.

Colabore com o Feudalismo Atual escrevendo para o e-mail: juliano.bueno1971@gmail.com

sábado, 7 de janeiro de 2012

O Brasil deve adotar a nova geração

O Senador Cristovam Buarque (PDT-DF) concedeu entrevista à Rádio Vaticano durante sua visita aos embaixadores do Brasil na Itália e na Santa Sé, na última quarta-feira, depois de participar da Audiência Geral de Bento XVI, na sala Paulo VI.

Sobre a viagem do Papa ao Brasil em 2013, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, Buarque destacou pontos que, segundo ele, deveriam ser levados em consideração durante o encontro.

“Eu gostaria de ouvir duas mensagens do Papa quando ele estiver no Brasil: uma é sobre a crise que vive a juventude contaminada pela droga. A segunda é de esperança aos jovens, eles estão sem esperança no mundo”, disse.

Ainda no contexto da juventude, que no tema da Mensagem Mundial da Paz de 2012 o Papa fala em educar os jovens do mundo para a paz, o senador acrescentou que esse conceito não deve ser somente o do “paz não-guerra”.

Questionado sobre a recente condição de sexta economia mundial conquistada pelo Brasil, Buarque diz que isso se trata de um mito. Segundo ele, são outros os fatores que realmente levam um país a ter mais qualidade de vida.

“Se amanhã houver uma desvalorização cambial – e terá que haver – porque o real está sobrevalorizado, nós vamos cair de posição. Se houver uma desvalorização de 30% no valor do real, nós vamos cair para a 14ª posição. Ou seja, é uma ficção. Não podemos medir bem-estar como sinônimo de produto. Nós estamos em sexto lugar no produto e em 84º no índice de desenvolvimento humano (IDH)”, ponderou o ex-governador do Distrito Federal.

Recentemente, o IBGE revelou que em 2010, eram mais de 1 milhão de crianças entre 10 e 14 anos que trabalhavam no Brasil. Buarque, que idealizou o programa bolsa-escola – mais tarde bolsa-família – disse que só há uma forma para combater o trabalho infantil: a educação.

“Não tem outra saída. Não queremos que as crianças deixem de trabalhar e fiquem em casa. Não basta tirá-las do trabalho, é preciso levá-las à escola e aí só existe um jeito: uma escola boa. E para que isso aconteça, é preciso federalizar a educação de base. Se o Brasil adotar essa nova geração, depois ela vai adotar o Brasil”, defendeu Cristovam Buarque.

O Senador Cristovam Buarque mantem a conta @sen_cristovam no twitter e também é possível escrever para cristovam@senador.gov.br

Fonte: Rádio Vaticano (04/01/2012)


Nenhum comentário: