domingo, 31 de julho de 2011

Resgate

Em 2008 enviei post para o colunista Toninho Neves e a atenciosa engenheira Andréia da SDR deu a seguinte resposta.Incrível que até hoje o IPPUJ ainda não resolveu o problema.

Informativo Toninho Neves
ENGENHEIRA DÁ RESPOSTA SOBRE SINALIZAÇÃO DA ROTATÓRIA DA UNIVILLE (24/04/2008)


DIREITO DE RESPOSTA



Com relação a nota publicada em sua coluna no dia 21 de abril, sob o título “Rotatória da Univille mal sinalizada”, de autoria de Juliano Carvalho Bueno, informamos que o projeto da rotatória foi elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Joinville (IPPUJ), da Prefeitura, e executado pelo Departamento Estadual de Infra-estrutura (Deinfra), do Governo do Estado.

Por isso, qualquer solicitação de alteração do projeto de sinalização, deve ser encaminhada para o IPPUJ, na Prefeitura de Joinville.


Engenheira Andréa C. Teixeira


sábado, 30 de julho de 2011

DESCENTRALIZAÇÃO

Sim: A descentralização de verbas para os municípios.

Não: Ao cabide de empregos e ao inchaço da máquina pública.



Apoio de fora


Empresários de Criciúma e Brusque estão apoiando o Jec.Que bom,porque se depender do empresariado de Joinville não sai nada...Eita!!!

AMIGO DAS RUAS COM ÁRVORES


Apesar de Joinville ter o privilégio de ter o morro do Boa Vista bem no centro da cidade,as ruas e avenidas não possuem árvores.O verão está chegando e quem vive aqui sabe como é o calor nos meses quentes.Por isso estou indo no embalo do Jordi Castan e também apoiando uma Joinville com mais árvores.

Pequeno comentário de Milton Wendel


Eu venho dizendo há tempo: O joinvilense não reflete sobre QUEM constrói e elege nossos políticos. Será que é normal uma cidade ser TÃO explorada e os líderes políticos ficarem assobiando com cara de anjinhos, como se estivesse tudo certo?

BRASILEIRO SOFRE,JOINVILENSE GEME

A vergonheira continua...Falam e falam do tal do pré-sal e o Brasil vai e importa mais petróleo.Incentivaram a compra de veículos flex e agora não tem etanol para o abastecimento da nova frota.O consumidor virá refém da gasolina.A questão dos combustíveis no Brasil é uma vergonha.Os governos devoradores só querem saber de aumentar a arrecadação para custear a máquina estatal.Para piorar a situação os cartéis dos postos de gasolina em Joinville.O brasileiro sofre,o joinvilense geme.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Tapa na cara


Vão passando os anos e nada de grandes obras em Joinville e não é por falta de representatividade.O que falta é vontade e realmente querer o melhor para a cidade.É muito tapa na cara do pobre joinvilense.

Vereadores da Ilha da Magia...

Florianópolis – sempre ela – mais uma vez vai na contramão da opinião pública.

Enquanto as cidades de Jaraguá do Sul , Itajaí e Joinville, rogam pela manutenção do número de vereadores, vários outros municípios, estão indiferentes , assim como a sociedade organizada aos projetos de aumento de vagas nas câmaras de vereadores.

Lá na Capital , o Legislativo, ainda no final do ano passado, aprovou decreto elevando as vagas das atuais 16 para 23, e ninguém protestou.

O repúdio contra o aumento é amplo, geral e irrestrito, mas na Capital... Ahhh a Capital .

E ainda tem legislador querendo fazer pesquisa de opinião.

Paulo Curvello

A eficácia da mídia


Religião e política são coisas que o homem inventou para se proteger de si mesmo. Até aí tudo bem. O problema é que sempre tem uma turma de outro bairro que teve a mesma idéia. É quando o "se proteger de si mesmo" passa a ser "proteger-se dos outros". E para proteger-se da turma do outro bairro, fazer a informação jogar em casa é fundamental.

Quando o planeta foi varrido pelas primeiras notícias desta bomba seguida de chacina ocorrida na Noruega, apareceu no meio da gritaria a suspeita de sempre: prováveis "células" muçulmanas. Na verdade, não era nada disso. Pelo contrário, o autor da barbaridade é ocidental, nórdico, cristão fundamentalista, islamófobo. Mas, para a grande maioria da massa, que não perde tempo lendo detalhe ou que simplesmente não gosta de consumir violência, ficou a impressão de que a coisa tinha o dedo dos "árabes".

Tem sido sempre assim, nas terras de Caim, com uma ajudinha do Bin.

A chamada "Guerra Fria" já era bem coisa do passado em julho de 2002. Mas os vícios ainda existiam. Na noite de 1 de julho daquele ano, dois aviões colidiram sobre a Alemanha, em espaço aéreo coordenado por uma empresa suiça. Um dos aviões era um Boeing cargueiro de bandeira norte-americana. O outro era um Tupolev de bandeira russa, cheio de crianças. A desinformação correu com pernas longas. O planeta acordou no dia 2 abalado com a notícia de que uns pilotos russos incompetentes não haviam obedecido as ordens dos controladores, cortando a frente de um inocente cargueiro americano e causando um acidente horrível. Era mentira. A informação só foi sendo editada aos poucos, em letras menores, em páginas cada vez mais internas. O erro fora do controle de tráfego aéreo. Os culpados foram condenados. Mas... muitos ficaram só com a notícia, aquela que mostrava russos cortando a frente de americanos e matando crianças inocentes.

De Oslo a Realengo, passando pelo espaço aéreo alemão, a notícia corre sempre empurrada por vento forte enquanto a informação desliza em briza fraca. Quando as reportagens já haviam esgotado o sangue ao vivo da escola massacrada de Realengo e foram bisbilhotar o cafofo onde o atirador havia morado seus últimos dias, surgiu logo a versão de que o infeliz era adepto do islamismo, fã do Bin Ladem. Só depois surgiu o perfil de um maluco encharcado de religião, profundo estudioso do cristianismo.

Para a minha diarista, Maria do Perpétuo Socorro, a coisa toda era muito clara. Disse ela: "Esse Wellington (o louco de Realengo) devia ter ido morar lá pros lados daqueles do Irã, que vivem se matando". Fruto da mídia, pura eficácia da mídia.

Milton Wendel

domingo, 24 de julho de 2011

Finlândia é nota dez em educação

Às 8 da manhã Marku Keijonen entra na escola. Ele tem 42 anos e é o diretor do colégio Porolahden Perus, em Helsinque. A primeira atividade do dia é ligar o computador. "Não é uma coisa superficial: ao abrir meu correio encontro as cartas dos pais de alunos, que tenho de responder." As famílias estão em contato permanente com o colégio, e é aos pais que o diretor tem de prestar contas de seu trabalho, em primeiro lugar.

Finlândia. Neste país de noites brancas e sombras eternas, conforme a estação (agora anoitece às 4 da tarde), as estatísticas sorriem. O Fórum Econômico Mundial diz que tem a economia mais competitiva do mundo; é o país da Europa dos 15 com maior difusão de periódicos por habitante (430 por mil); taxa de fecundidade notável, 1,7 filho por mulher (a média européia é 1,4). Mas talvez sejam os resultados escolares de seus estudantes o que causou mais alegrias nos últimos tempos. O relatório PISA 2003, que mede o rendimento educacional dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), publicado há algumas semanas, novamente situa a Finlândia como país exemplar: é o primeiro colocado em matemática, em compreensão da escrita e em cultura científica (junto com o Japão).

Os professores não sabem muito bem o motivo desses dados. Investem-se 5,8% do PIB em educação, mas outros países também o fazem; seu clima adverso deixa as crianças em casa, em contato com os livros, mas na Islândia ou na Dinamarca também não faz calor; suas classes têm os níveis de imigração mais baixos da OCDE. Mas todas essas coisas não explicam por si sós o êxito repetido. Os professores, e a própria ministra da Educação, Tuula Haatainen, o atribuem em grande medida à sólida formação dos docentes e a um quadro educacional muito claro. "Temos um sistema uniforme, obrigatório e gratuito que garante a eqüidade e o acesso para todos; o corpo docente é altamente qualificado e as mães, incorporadas ao sistema de trabalho, são as primeiras a motivar seus filhos a estudar", resume a ministra.

O sistema educacional finlandês é público e gratuito desde a infância até o doutorado na universidade. Além disso, é obrigatório dos 7 aos 16 anos. Nessa etapa todos estudam a mesma coisa e o governo pretende que o façam no mesmo edifício, ou o mais perto possível, para garantir um acompanhamento continuado do aluno.

O Estado define 75% de disciplinas comuns e o resto é organizado pelo colégio, com a participação ativa de estudantes e famílias. Há ampla liberdade para projetar o dia-a-dia escolar, portanto não é fácil falar do sistema de maneira geral. Mas há alguns aspectos comuns. A formação dos professores é um deles. Todos têm de ter cinco anos de formação, um terço da qual será de conteúdo pedagógico. "Não basta saber matemática", dizem. E a maioria, como lembra a ministra, tem um ano a mais de estudos, um mestrado.

Os professores acreditam que o salário poderia ser um pouco maior que os cerca de 2.300 euros (R$ 8.300) brutos por mês; mas estão contentes com as 13 longas semanas de férias por ano (os espanhóis têm mais de 16). A jornada semanal é de 37 horas, mas nem todas são de ensino em classe. Quando perguntados, não duvidam: são professores por vocação e estão motivados. Talvez porque têm valorização social e prestígio entre seus compatriotas. "Em geral contamos com a confiança dos pais, embora isso esteja decaindo", diz Tuula Tapaninen, orientadora do colégio Porolahden Perus.

Do outro lado de Helsinque, a diretora do colégio Alppila, Aulikki Kalalahti, indica outro dado que explica a motivação dos professores: "Eles têm liberdade para trabalhar com os alunos e vêem que conseguem êxito com eles".

Relação fluida

Os professores trabalham lado a lado com as famílias, com as quais mantêm uma relação fluida. Em janeiro o colégio Alpilla organiza jornadas de apresentação, das quais participam os pais, para conhecer seu método de trabalho. Se gostarem poderão optar livremente por matricular seus filhos ali. Os pais podem escolher a escola, mas costumam preferir a mais próxima. O Alpilla mantém com a escola primária que lhe corresponde pela proximidade uma estreita sintonia, que favorece o acompanhamento dos alunos até o final da etapa obrigatória.

Cinqüenta por cento dos alunos que se matriculam dos 13 aos 16 anos vêm dessa escola, mas a outra metade procede de qualquer parte de Helsinque. O colégio ganhou fama em comunicação e expressão. É um exemplo de um fenômeno recente na educação local: a especialização de alguns colégios em música, matemática, esportes... Quando um aluno se destaca em alguma dessas disciplinas, os pais tentam matriculá-los nesses colégios, embora alguns imponham um teste para avaliar as habilidades do aspirante. Se houver lugar, está dentro.

A oferta e a demanda se distribuem por enquanto razoavelmente entre todos os colégios de Helsinque, embora a prefeitura tenha eliminado (salvo exceções) os vales-transporte para as crianças que se transferem por vontade própria para escolas distantes de suas casas.

Quando as famílias vierem conhecer o Alpilla, a diretora lhes explicará que receberam um prêmio por cumprir fielmente o programa: os professores se propuseram a trabalhar em equipe, bem coordenados, e o conseguiram. O governo lhes deu um cheque de 28 mil euros. Foram à Hungria nas férias e fizeram uma boa ceia de Natal no ano passado.

Quando as coisas pioram, os profissionais do colégio dão apoio acadêmico e social aos alunos. O número de estudantes por classe beira os 20, mas se houver problemas acadêmicos são separados em grupos de dez e colocados em dia. E se for preciso repetir o ano? "Será nos primeiros anos do primário, o quanto antes", diz a diretora.

Esse é o principal desafio salientado pelos professores: poder levar todos os alunos adiante, venham de onde vierem. Por isso, quando localizam um problema põem em ação seus muitos mecanismos de prevenção.

Se a coisa se complica, o governo (local ou nacional) contribui novamente com dinheiro. O colégio está encravado num bairro com problemas sociais e recebe mais verbas que outros. "No ano passado tivemos um problema e a prefeitura deu Helsinque nos concedeu 18 mil euros prontamente." Com essa verba a diretora contratou um professor avulso que ajudou os atrasados a fazer as lições, entre outras coisas.

Na Finlândia os centros escolares têm boas instalações e equipamentos, mas também se percebe certa austeridade. Uma simples cartolina com papéis pregados serve à diretora do Alpilla para deixar claros os propósitos educativos do curso. E eles são cumpridos.

Os alunos também respondem. Fazem seus deveres, que não são poucos, e não se queixam. Mas não são adolescentes de comportamento angelical. São como todos, e entre eles começa a surgir o desânimo, como salienta o diretor do centro Porolahden Perus. O álcool é uma das grandes preocupações nesse país. E o desemprego já atinge 9%. Por enquanto cerca de 60% dos alunos cursa a universidade, e os demais se matriculam em formação profissional. É difícil encontrar alguém que fique sem um diploma.

Os finlandeses têm um sistema educacional livre que roda com fluidez, bons professores, famílias que participam e dinheiro para enfrentar as dificuldades. E uma vontade férrea de cumprir o dever. Oitenta e cinco por cento dos finlandeses são luteranos (pouco praticantes). Poderia o espírito de Lutero ("Sempre pecador, sempre justo e sempre penitente") incutir esse tipo de responsabilidade pessoal no caráter de professores e alunos? "É possível", diz com seriedade o diretor do instituto Porolahden Perus. "É a responsabilidade de que é preciso cumprir. Mas isso tem seu lado ruim: os professores às vezes exigem tanto de si mesmos que chegam a adoecer."

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Visite o site do El País: www.elpais.es

A EDUCAÇÃO NA ARGENTINA


A educação na Argentina é responsabilidade do governo nacional, das províncias e dos distritos federais, e das instituições privadas, apesar das recomendações básicas terem sido historicamente feitas pelo Ministério da Educação. A educação é gratuita e obrigatória por 9 anos (a Educação Primária Básica, e a Educação Secundária Básica), e tem sido expandida sendo quase universal, e a manutenção desta situação se mantém no centro dos debates políticos e culturais.

A história da educação passou por várias revoltas. Mas começou a ganhar peso a partir do governo do presidente Domingo Faustino Sarmiento (1868 - 1874). Sarmiento fomentou a imigração, trouxe educadores europeus e construiu escolas e bibliotecas em todo o país, dobrando o número de matrículas de alunos no final de seu mandato. O dia dos professores coincide com o dia em que Sarmiento morreu, dia 11 de setembro, para comemorar o trabalho realizado por este presidente.

Atualmente, a educação na Argentina é considerada como uma das mais avançadas e progressistas da América Latina, e firmemente reconhecida e destacada por diversos organismos internacionais, como a UNESCO e a UNICEF. O país conta com três ganhadores do Prêmio Nobel de ciências: Luis Federico Leloir, Bernardo Houssay e César Milstein.

*97% dos argentinos são alfabetizados

*35º país com o melhor índice de educação do mundo

Fonte:wikipedia e argentina.ar

sábado, 23 de julho de 2011

Viaduto da SC-401, no bairro Vargem Pequena, em Florianópolis, deve ficar pronto em setembro

As fundações do elevado já estão finalizadas

As fundações do viaduto para a passagem de carros e pedestres na SC-401 no Bairro Vargem Pequena, Norte da Ilha de SC, já estão terminadas. A promessa é de que o elevado esteja pronto até o final de setembro.

O viaduto vai evitar que os veículos que chegam do Centro cruzem com os que circulam pelo bairro.

O presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller, afirma que a duplicação da SC-401 exigiu a construção do viaduto:

— A partir do momento em que a pista é duplicada, cresce também o perigo para os moradores do bairro. Aquela é uma área urbanizada, com residências e até creche próximas.

O elevado fica praticamente no meio do trecho da primeira etapa de duplicação da rodovia, entre o trevo dos Ingleses e o de Jurerê.

O presidente do Deinfra afirma que os dois trechos que faltam ser duplicados na rodovia vão estar em condições de tráfego até meados de dezembro. Segundo Meller, o investimento total na duplicação dos trechos restantes, incluindo o viaduto, é de R$ 25 milhões.

A SC-401 é apontada como a rodovia estadual mais perigosa de Santa Catarina, liderando um ranking de 20 estradas elaborado pela Polícia Militar Rodoviária.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE

O que vou escrever...

...Se quando o governador era aqui de Joinville(ficou mais de 7 anos no governo) não aconteceu nada de obras na cidade...o que vier(se vier) agora de Florianópolis é lucro.

TELESPECTADOR ATENTO

Juliano,vi no teu blog que existe uma placa no inicio da Santos Dumont solicitando a construção de elevados na cidade, na terça-feira a noite, eu assisti a uma entrevista do governador Raimundo Colombo na tvcom no programa conversas cruzadas. Resumidamente vou tentar passar o assunto discutido. O governador falou que em Florianópolis já está aprovado ou em obras as seguintes ações: 4ª ponte com ligação a br101 com ciclovia, marina e tudo que é necessário, recuperação da ponte Hercilio Luz, custe o que custar, duplicação da SC401, duplicação da via expressa, contrução da transavaiana, construção do contorno rodoviário (trevo) assesso ao sul da ilha (80 milhões de reais), construção do novo aeroporto de Florianópolis, construção de uma marina em Canavieiras, hospital do cancêr entre outras coisas menores. Imagina quantos milhões de reais vão ser gastos na capital. O governador também citou o aeroporto de Jaguaruna, o de Chapecó enfim. Liguei para o programa e perguntei ao governador o que ou quais obras seriam feitas em Joinville, quando o apresentador lhe passou a minha pergunta o governador ficou sem graça e disse: amanhã estou indo a Joinville para a abertura do festival de dança, falei com a presidente Dilma para que ela libere os 40 milhões de reais para obras de mobilidade urbana, inuguramos três delegacia de policia civíl e desconversou do assunto. Penso que aquela placa vai ficar por muito tempo lá no começo da Santos Dumont.
Agora faço a seguinte pergunta: Em seis meses de governo é possivel conseguir tanto para Florianópolis?
Acho que não. Tudo isso já foi garantido no governo anterior do " Governador de Joinville LHS"
O povo de Joinville tem que deixar de acreditar em papai noel, o presente sempre vai para os outros.

Saudações
Zé Otávio

Algumas imagens da cidade mineira de Juiz de Fora



quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cômico

No ínicio da avenida Santos Dumont,tem uma placa solitária com a palavras mágicas:ELEVADO URGENTE.

Coisas da vida(Quem díria)

Em Blumenau,o ex-prefeito Décio Lima batalha pela federalização da Furb.

Enquanto isso,aqui em Joinville o prefeito Carlito está privatizando a Expoville.Quem díria!!!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Carros elevaram o nível de endividamento das famílias catarinenses

O percentual de famílias endividadas em Santa Catarina no mês de julho teve alta de 2% em relação a junho. De acordo com levantamento da Federação do Comércio de bens, serviços e turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC) e da Confederação Nacional do Comércio (CNC), este endividamento cresceu ancorado na expansão do financiamento de carros e casas. Foram entrevistados ao todo 500 consumidores em potencial com idade superior a 18 anos.

Segundo a pesquisa, 93% das famílias catarinenses apresentam alguma forma de dívida. Na comparação com o mesmo período de 2010, o percentual de famílias endividadas teve um grande crescimento passando de 62% para 93%.

A principal forma de endividamento continua sendo o cartão de crédito, responsável por 45,3% das dívidas. Entretanto, registrou-se um aumento considerável dos financiamentos de carros, que assumiram a segunda posição da lista do tipo de dívidas.

Aquisição de bens

Na avaliação da Fecomércio, esse crescimento do endividamento anual pode ser explicado pelo ritmo crescente na aquisição de bens duráveis pelos consumidores, como por exemplo, carros, eletrodomésticos e eletroeletrônicos.

Estes bens, por serem mais caros, demandam parcelamento o que compromete a renda familiar por um período mais longo. No entanto, o percentual de famílias que não terão condições de pagar permanece o mesmo de 2010 crescendo apenas 1% em relação a junho deste ano.


Fonte:www.economiasc.com.br(20/07/2011)

sábado, 16 de julho de 2011

Novo ônibus



A presidente do IPPUJ Roberta Noroschny Schiessl, e o diretor executivo, Vladimir Constante, conheceram o ônibus urbano articulado da NeoBus modelo Mega BRT -

Fonte:Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville

Só 19

O vereador Maurício Peixer(PSDB) ratificou em reunião com a comunidade que não tem medo de se pronunciar nos momentos mais importantes do município, inclusive assumindo para si a vontade popular na permanência de apenas 19 vereadores no legislativo joinvilense.

Fonte:Décio Góes(16/07/2011)

Projetos bizarros


Agora é a vez do vereador João Rinaldi (PT).
Ele quer que seja aplicado multa, a donos de imóveis onde forem encontrados a larva do mosquito da dengue.
É ou não é um "projeto" e tanto. Mas agora mudou. Será "apenas" para os reincidentes.
Seguindo nessa linha, não seria viável também, que se aplicasse outra multa caso a pessoa ficasse doente?
E se vier a óbito então, por causa da doença. Perde a casa.
Lastimável.

Paulo Curvello
curvell@terra.com.br

Receita para superar a gripe

Olá Juliano

Você deve saber que a gripe é uma virose como o sarampo e qualquer outra, portanto não existe medicação para combate-la, o que precisamos é melhor as defesas de nosso organismo.Você já deve conhecer a velha receita da vitamina C e cama, mas vou te dar algumas sugestões, caso não seja muito exigente para chás.
Você sabe da importância de ingerir muito liquido para fluidificar as secreções, junte a isso agua com limão, gengibre e a PODEROSA água de alho. Se não conhece vai aí a receita:

Pegue um dente de alho A NOITE, corte bem miúdo ou esmague com um desses socadores que usam para fazer caipirinha e acrescente uma xícara (café) de água fria.
Deixe pousar, pela manhã coe e tome em JEJUM. Faça isso durante uma semana e verá grandes resultados.
O gosto no primeiro dia é horrível, pois nosso organismo não está acostumado, por isso sempre sugiro que quando a pessoa for tomar já tenha algo para comer em seguida. É comum no primeiro dia sentir náuseas logo após tomar, mas isso vai muito do psicológico, faça um esforço que vale a pena.
Prefiro tomar uma terrível água de alho, que uma porção de medicamentos com efeitos colaterais.
Outra coisa, a água de alho não deixa aquele hálito horrível, isso acontece quando mastigamos o alho.
Tente, vale a pena, já tratei infecção intestinal dos meus filhos, que raramente tomaram antibióticos, com água de alho.
Detalhe, alho não baixa a pressão arterial nem causa gastrite, pelo contrário, cura úlcera.

Boa recuperação
Suzete aqui de Curitiba

Gripe em ação


Peguei uma gripe básica.Por esse motivo o blog não está sendo atualizado,ok!!!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

A gelada serra do Rio do Rastro


A bela imagem da Serra do Rio do Rastro
Colaboração:Werner Leber

domingo, 10 de julho de 2011

Professor fará parte do passado


Qual o problema da educação??? É simples de responder.A Igreja e a escola são instituições tradicionais.A primeira,consegue impor-se mantendo seus dogmas e tradições apesar de ser golpeada todos os dias pela mídia.A segunda,deixou de ser referência para a sociedade devido a pós-modernidade.Pós-modernidade que destruiu os pilares da educação.Políticos,psicólogos,jornalistas,empregadas domésticas,advogados,pedreiros, enfim todos,menos os professores, são consultados quando o assunto é educação.A influência da pós-modernidade dentro da educação,trouxe junto a acomodação.E a educação para ter sucesso precisa de esforço,não de facilidades.A escrita e a leitura que são as bases da educação,ficaram em segundo plano dentro da escola.O que vale agora é a inclusão,a socialização.A socialização claro que é necessária,mas é consequência,vem ao natural.A escola perdeu sua autonomia,está presa ao sistema.Infelizmente vivemos uma época que é indiferente a educação e a cultura(tudo é relativo).Quem serão as vítimas deste descaso??? Toda sociedade.Quem pode reverter essa situação??? A boa escola.Mas infelizmente,o sistema dominante não quer,apenas faz de conta.Por isso em pouco tempo,o professor será profissão do passado.Hoje o professor pede socorro.Amanhã serão os pais que pedirão.Aliás toda sociedade gritará por socorro em um futuro bem próximo.

Um pouquinho da vida de Afonso Arinos

Afonso Arinos de Melo Franco

Jurista, professor, ensaísta, historiador e político brasileiro nascido em Belo Horizonte, MG, conhecido como inimigo dos preconceitos e autor de uma lei contra a discriminação racial. Era neto de Cesário Alvim, figura destacada no império e na primeira república, e também sobrinho de Afonso Arinos, autor de Pelo sertão, e irmão de Virgílio Alvim de Melo Franco, expoente da juventude revolucionária (1930) e da redemocratização (1945). Iniciou os estudos em Belo Horizonte, mudando-se posteriormente para o Rio de Janeiro (1914) Matriculado no Colégio Pedro II, começou a revelar o gosto pela literatura e foi colaborador da revista estudantil Primavera.


Formou-se pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro (1927) e exerceu logo depois o cargo de promotor público na capital mineira. De volta ao Rio de Janeiro, publicou seus primeiros livros. Tornou-se professor da Universidade do Distrito Federal (1936), atual Universidade do Estado do Rio de Janeiro, no Instituto Rio Branco e na Universidade do Brasil, hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro. Suplente de deputado assumiu o mandato (1947) tornando-se conhecido por elaborar a lei (1951) que leva seu nome, para proibir a discriminação racial, aprovada em 3 de julho. Seguiram-se mais três mandatos consecutivos e tornou-se opositor ferrenho do governo (1943).


Quando Getúlio Vargas foi eleito presidente continuou na oposição chegando a sugerir (1954), no célebre discurso pronunciado em 9 de agosto, que o presidente renunciasse, porém o suicídio de Vargas, cometido 15 dias depois, chocou-o profundamente. Opositor do presidente Juscelino Kubitschek. elegeu-se senador pelo então Distrito Federal (1958), presidiu a Comissão de Relações Exteriores e, mais tarde, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Neste mesmo ano passou a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras.


Foi senador até dois anos após o golpe militar o qual apoiou, esteve afastado duas vezes do cargo para assumir o Ministério das Relações Exteriores, no governo Jânio Quadros e durante o regime parlamentarista. Foi redator da declaração de direitos humanos (1967) e um dos organizadores da Aliança Renovadora Nacional, a ARENA. Ao constatar o desvio do regime rumo à ditadura, rompeu com os golpistas para só retornar à cena política vinte anos depois. Nas duas décadas em que permaneceu afastado do Congresso (1967-1987), recusou-se a participar de qualquer eleição sob o regime militar e dedicou-se às letras.


Com a redemocratização, a convite de José Sarney, assumiu a presidência (1985) da Comissão Provisória de Estudos Constitucionais, hoje Comissão Afonso Arinos, que preparou o anteprojeto da futura Constituição (1988). Aos 81 anos, elegeu-se novamente senador (1986) pelo recém-fundado Partido da Frente Liberal, o PFL. Além dos trabalhos parlamentares, discursos e conferências, foi autor de vários livros de história, direito, política, memórias e críticas e morreu no Rio de Janeiro, RJ.


Escreveu cerca de sessenta títulos, entre eles Introdução à realidade brasileira (1933), Preparação ao nacionalismo (1934), Conceito de civilização brasileira (1936), O índio brasileiro e a revolução francesa: as origens brasileiras da teoria da bondade natural (1937),Um estadista da república (1955) e Rodrigues Alves, apogeu e declínio do presidencialismo (1973), além de títulos sobre direito constitucional e volumes de memórias.


Fonte:
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Um ano sem Nado Cabral

No próximo dia 16 de Julho, fará um ano da prematura morte do amigo Eronaldo Cabral.

Nado – como era conhecido – era um dos mais irreverentes publicitários de Joinville.

Foi professor de educação física, mas foi na propaganda que se destacou.

Em uma das propagandas, ele pedia para alguém anunciar nos seus outdoors e ajudá-lo a realizar o sonho de comprar uma Mercedes.

Também não poupava os políticos. Usou o espaço para pedir que o presidente Lula baixasse os impostos, com direito a braços cruzados e óculos escuros.

O Jornal A Notícia , um ano antes, havia lhe homenageado como o numero 12 da edição “Caras de Joinville”

A notícia de sua prematura morte pegou a todos de surpresa. A saudade fica, e eu, escrevo essas parcas linhas em homenagem ao amigo.

Paulo Curvello

Balneário Camboriú

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Boa de voto

Conquistar 20 milhões de votos sem tempo na TV ??? Marina Silva conseguiu essa façanha em 2010.

Tristeza com a política

A ex-candidata à presidência Marina Silva, que conquistou o voto de quase 20 milhões de eleitores no pleito do ano passado, anunciou na tarde desta quinta-feira que saiu do Partido Verde. Junto da ex-senadora, diversos aliados seus anunciaram o desligamento conjunto. O grupo afirmou que irá formar um movimento suprapartidário em prol do causa verde e da cidadania.

Para Marina, não há mais como reformar o atual modelo de política brasileira, e sim reinventá-lo.

— Remendar é muito pouco para o tamanho do problema que estamos vivendo no Brasil. Como isso irá se materializar? O processo irá dizê-lo Neste momento, como todos, eu também estou pensando qual é a melhor forma de contribuir para o desenvolvimento do mundo — disse a ex-senadora.

A curto prazo, o movimento não deve se transformar em um partido político.

— Após as eleições de 2012, podemos reorganizar esse movimento — adiantou Marina.

No discurso, a ex-senadora ainda criticou o Partido Verde:

— O PV se transformou num partido que tem defendido honradamenta a causa ambiental, mas em muitos aspectos é igual a todos os outros partidos.

Marina citou o escândalo envolvendo o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento como exemplo de algo que não pode mais ser tolerado na sociedade.

— Não podemos negar a tristeza com a política. Os partidos continuam sendo importantes, mas não podemos fechar os olhos para seus desvios — lamentou a ex-senadora.

Durante o evento, o ex-presidente do diretório estadual do PV em São Paulo Maurício Brusadin afirmou que os partidos vivem hoje a decadência e não atendem mais às demandas da sociedade.

— E o PV não é diferente disso — comparou.

O ex-candidato ao Senado por São Paulo Ricardo Young completou o pensamento:

— Reconhecemos que o PV, assim como a maioria dos partidos, se divorciaram de vez da sociedade.

A ex-senadora destacou que pretende ajudar Dilma nas discussões no Congresso sobre o novo Código Florestal. Ela lembrou que a presidente assumiu compromisso na campanha de não aprovar nenhum texto que favoreça o desmatamento e, ao ser questionada se estaria otimista em relação ao veto do projeto, Marina desconversou.

— Não estou nem otimista nem pessimista. Estou persistente.

O ex-deputado Fernando Gabeira comunicou, em vídeo transmitido ao vivo por Skype, que não irá se desfiliar do PV, ao menos a curto prazo. Gabeira precisa de um partido caso decida concorrer à prefeitura do Rio de Janeiro em 2012. Ele saudou o movimento encabeçado por Marina.

— O movimento é muito importante porque aproxima a sociedade de novos temas e traz pessoas que querem participar da política mas não encontram uma maneira digna de fazê-lo. Em seu curso, pode ser que o movimento e o partido se reencontrem mais adiante.

ZERO HORA E AGÊNCIA ESTADO

Retirado do Jornal A Notícia

Marina Silva pulou fora do PV

Marina Silva e aliados anunciam saída do Partido Verde

Grupo afirmou que irá formar um movimento suprapartidário em prol da causa verde e da cidadania


Fonte:Jornal Zero Hora de Porto Alegre(07/07/2011)

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Deputado Mauro Mariani em defesa dos setores coureiro-calçadista e moveleiro


Integrantes da Frente Parlamentar em defesa dos Setores Coureiro-Calçadista e Moveleiro do Congresso Nacional reuniram-se na tarde de terça-feira (5 de junho) para definir as prioridades do grupo em defesa das indústrias de calçados e móveis e do setor curtidor. A Frente objetiva reivindicar do Governo uma política industrial eficiente, que estimule o setor produtivo e contribua com o crescimento da economia. Participaram da reunião os deputados Mauro Mariani (PMDB/SC), Renato Molling (PP/RS) e Ronaldo Zulke (PT/RS).

Entre as bandeiras de trabalho estão o maior rigor em medidas de proteção ao calçado brasileiro, que enfrenta concorrência desleal diante dos produtos asiáticos, a possibilidade de financiamento mobiliário no Programa Minha Casa, Minha Vida e a redução de impostos para as indústrias moveleiras, e a diminuição do custo do couro com a redução do IPI para artefatos de couro. O deputado Mauro Mariani lembrou que além da concorrência desleal, com a grande quantidade de importação de outros países, principalmente os asiáticos, “as indústrias brasileiras sofrem com a alta e complexa carga tributária e a desvalorização do dólar”, e afirma ser “urgente políticas que estimulem as indústrias locais”.

Fonte:Salvador Neto



Caso Busscar: juiz pede vistas e julgamento é adiado

O longo caso da crise da Busscar, que foi condenada em primeira instância ao pagamento dos salários atrasados, hoje em 15 meses, mais décimo-terceiro de 2010 e 25% do décimo de 2009, vai se arrastar mais um pouco, infelizmente. O juiz Marcos Vinicius Vanshetta pediu vistas ao processo – quer estudar mais o caso – após a juíza relatora Maria Aparecida Caetano ter garantido o Sindicato como representante dos trabalhadores com força para indisponibilizar os bens do grupo econômico e acionistas, mas negar a multa pelo atraso e não pagamento de salários. Agora a espera pela sentença deve demorar mais 30 dias no mínimo, já que depende da análise e voto do juiz Marcos.

Fonte:Salvador Neto

BR 280 , 33 anos de espera


Seria cômico se não fosse trágico , ver as pessoas abismadas com o cancelamento do edital da BR 280.

Será que ainda existe alguém que acredite que essa obra sairá?

O trecho Sul da BR 101, já está a mais de uma década e ainda falta mais uma, para sua conclusão.

Ainda mais hilário é ver pessoas falando que a espera é de 20 anos. Cheguei em SFS em 1979 , oriundo do Rio de Janeiro.

Já naquela época, se via movimentação pela duplicação daquela via.

Pelas minhas contas de 1979 até hoje, lá se vão quase 33 anos e não 20 como corneteiam por aí.

Paulo Curvello

Balneário Camboriú

Décio Góes convida

Estamos no ar com um novo programa de informações pela rádio Nova Brasília FM.

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira das 7 às 8 horas da manhã.

O programa é apresentando por Décio Góes e por Terezinha Campos, pessoas muito conhecidas na cidade.

CONTEÚDO: O programa é uma revista de notícias nacionais, entrevistas com personalidades, música, mas o grande foco do programa são as notícias da região de abrangência da emissora.

ABRANGÊNCIA: O programa é voltado aos públicos das classes B, C e D, com um alcance que permite sua audiência nos bairros Itinga, Santa Catarina, Boehmerwald, Petrópolis, Itaum, Guanabara, Floresta, Nova Brasília, Bucarein, Anita Garibaldi,Centro, América,Costa e Silva, Glória,Atiradores, Vila Nova, Morro do Meio e São marcos, além de alcançar parte das cidades de Guaramirim e Schroeder, podendo também ser ouvida pela rede mundial de computadores através do endereço www.radionovabrasiliafm.com.br

Coloco à disposição a oportunidade de ser nosso apoiador.

PROGRAMA:

CONEXÃO 87

RÁDIO:

Nova Brasília FM 87,9

DIAS:

De segunda a sexta

HORÁRIO:

07:00 às 08:00 horas

COMERCIAL FALADO:

R$ 200,00 (mês)

COMERCIAL GRAVADO:

R$ 180,00 (mês)

PERÍODO:

6 MESES

VENCIMENTO:

Dia 05 de cada mês

INSERÇÕES:

30 segundos


A bela natureza de Joinville



Meu amigo Osni tirou belas fotos deste tucano...Agora sei quem acaba com o mamão de minha casa...Eita!!!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Portal Transparência???


O portal transparência “joinville.sc.gov.br” certamente é um avanço.

Apesar de a prefeitura tentar fazer crer, que é uma iniciativa própria. Não é.

O portal transparência, é uma determinação federal, ou seja, tem que fazer.

Na prática, para acompanhar esse portal e entendê-lo terá que ser técnico na área e olhe lá.

Jamais será transparente. Se fosse , começaria informando os nomes de quem detém, cargo comissionado , horário de trabalho e salário.

Podem notar que jamais isso será visto. Serão gráficos e mais gráficos. Mas mesmo assim, é uma ferramenta que servirá para fiscalização dos gastos públicos.


Na foto o autor do texto,o amigo Paulo Curvello

domingo, 3 de julho de 2011

QUEM É ELA???


Ela é a nova presidente da Tailândia.Seu nome: Yingluck Shinawatra.

A RESPONSABILIDADE DE TER UM BLOG


O blog é uma ferramenta democrática e importante,se usada de forma responsável.Por isso quando aqui no FEUDALISMO ATUAL não somos os autores dos textos,temos por obrigação de citar a fonte.Informação com fonte,não significa informação verdadeira.Apenas mostra a origem da notícia.

Marina Silva anunciará saída do PV na próxima quinta

Da Folha de São Paulo

Será na próxima quinta-feira (7), em São Paulo, o ato público que marcará a saída do PV da ex-presidenciável Marina Silva e de seus principais colaboradores na campanha de 2010.

Marina planejava anunciar sua desfiliação um dia antes, mas foi convencida a adiar o evento para descansar após viagem para a Alemanha.

Ela ficará sem partido nos próximos meses, mas já começou a articular a criação de uma nova sigla para concorrer novamente ao Planalto em 2014.

A Folha antecipou sua disposição de sair do PV em 19 de março, depois que o presidente do partido, José Luiz Penna, liderou manobra na Executiva Nacional para prorrogar o próprio mandato.

A ex-senadora passou três meses em conflito aberto com a cúpula da legenda. Decidiu sair ao constatar que não teria os votos necessários para afastar o dirigente.

O ato de desfiliação será realizado num salão de eventos na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Marina convocou aliados para uma votação simbólica, numa tentativa de dar caráter coletivo à decisão.

Também sairão do PV seu ex-vice Guilherme Leal, o coordenador da campanha de 2010, João Paulo Capobianco, e o ex-candidato ao Senado Ricardo Young.

Outros "marineiros", como o ex-deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) e o deputado Dr. Aluizio (PV-RJ), devem continuar no PV em "afastamento branco" para não ficar sem legenda nas eleições municipais de 2012.

Fonte:Folha de São Paulo(30/06/2011)

sábado, 2 de julho de 2011

Passagem de cometa aumenta preço do etanol em Joinville


Devido a passagem de um cometa por Joinville(detalhe:o cometa só passará aqui em Joinville)...o etanol aumentará de preço na cidade.