domingo, 27 de fevereiro de 2011

Pequeno comentário


A falha de Carlito é visível.Priorizou companheiros em vez de técnicos competentes.Desprezou lideranças do próprio PT,como o ex-deputado Francisco de Assis entre outros.O PMDB e o PP que deveriam ser coadjuvantes na administração estão tendo muito mais visibilidade que o próprio partido do prefeito.O PMDB não tem medo de arriscar,aproveitou sua fatia na Prefeitura e está trabalhando.O PP a mesma coisa.Sem esquecer e muito bem citado pelo José Antonio Baço,a fraca assessoria de imprensa do prefeito.

Texto de José Antonio Baço repercute

Jordi Castan e Paulo Curvello citaram o texto escrito pelo jornalista José Antonio Baço que foi publicado no jornal A Notícia desse domingo.A seguir o texto na integra para quem ainda não leu.

* CARLITO, O PREFEITO-NOLFET

Lula era o presidente-teflon. A grande imprensa estava sempre a jogar lama no seu nome, mas nada colava. E agora temos Carlito, o prefeito-nolfet. É o contrário, porque nele tudo cola. Aliás, se tem uma coisa que deu para perceber na minha passagem por Joinville é que o prefeito é culpado de tudo.

Bater no homem virou uma espécie de desporto local, que faz o gosto das pessoas mais simples e também as que têm maior poder de intervenção. Há coisas do arco da velha. Ouvi de uma empregada doméstica expressões que continham o mais profundo desrespeito. Exemplo:

Esse aí é um jaguara.

Quando as pessoas do povo sentem liberdade para dizer algo assim, é a morte do artista. E na dita imprensa vi aselhices que, mesmo beirando a insanidade, parecem colar. Exemplo? Eis a tese: Carlito é culpado pelos estropiados no trânsito. Duvida? Então siga o raciocínio. Ele aumentou a tarifa do ônibus. As pessoas passam andar de carro ou moto. Há mais tráfego nas ruas. Aumentam os acidentes. Há mais mortos e feridos. E pronto: a culpa é do Carlito. Viu? É pura lógica. E alguém fez esse exercício.

Aliás, fico a imaginar o que pensa aquele servente de pedreiro lá no Jariva:

– O ônibus está caro e eu não tenho grana. Ah... então vou comprar uma moto ou um carro.

QUEM NÃO COMUNICA... – O fato é que Carlito sofreu desgaste naquilo que deveria ser o seu maior capital: a imagem. É certo que falta muito tempo para as eleições e tudo pode acontecer. Mas o capital político do prefeito se esvaiu e hoje as pessoas discutem apenas quem será o seu sucessor. Ninguém acredita na sua reeleição. Aliás, ouvi mesmo um questionamento: será que vale a pena ele sair candidato?

Ok… não podemos dizer que umas semanas em Joinville e muitas conversas informais sirvam como pesquisa de opinião. Mas são um indicativo das tendências e é bom levar em conta. Aliás, fico a perguntar se essas coisas não chegam aos ouvidos do prefeito. Ou será que os bajuladores adocicam as notícias que chegam ao gabinete na Herman August Lepper?

E há um fato muito interessante. As pessoas que conhecem o prefeito pessoalmente são unânimes: ele é sério, quer acertar e está efetivamente interessado em fazer um bom trabalho. Então, qual a razão para ter esse gap entre a realidade e a percepção?

Vou parafrasear. Há um ditado que diz o seguinte: “À mulher de César não basta ser honesta, é preciso parecer honesta”. E, no caso do prefeito, não basta ser comprometido, tem de parecer comprometido. Nos dias de hoje, governar é mais que fazer obras. É comunicar. Aliás, o próprio prefeito reconheceu, há alguns meses, que a comunicação era o seu problema. Mas ainda não encontrou uma solução.

ARTILHARIA PESADA – Em uma cidade onde a disputa política movimenta muitas forças sequiosas de poder, há quem não se importe de usar artilharia pesada. É preciso estar atento. Carlito e os seus assessores deveriam saber disso. E estavam avisados para o fato de que era essencial blindar a imagem do prefeito, criar mecanismos para evitar que ele se tornasse um alvo direto. Mas isso não foi feito. E o estrago para a sua imagem talvez seja irrecuperável até as eleições. A não ser que tenham uma improvável carta nas mangas.

Qual é o problema? Ora, qualquer bom gestor sabe que deve se cercar de pessoas mais competentes que ele. É bom estar cercado por pessoas de confiança, mas a competência é essencial. No entanto, os gabinetes da prefeitura parecem estar cheios de gente sem imaginação, sem capacidade de resolver problemas e talento para antecipar soluções criativas. E o pior: algumas dessas pessoas parecem distraídas pelo gostinho do poder.

É como diz o velho deitado: “Nada é mais arrasador que uma oportunidade perdida”.

Fonte:Jornal A Notícia(27/02/2011)

Literatura brasileira perde um mestre: Moacyr Scliar morre aos 73 anos


Ser um escritor não é necessariamente gostar de escrever — alguns nem gostam, dado o quanto sofrem na construção de um texto.

Com Moacyr Scliar, morto à 1h deste domingo por falência múltipla de órgãos devido às consequências de um acidente vascular cerebral (AVC), acontecia o contrário. Poucos escritores terão gostado tanto de escrever — e terão demonstrado tanta facilidade em fazer isso.

Aos 73 anos, o porto-alegrense Moacyr Jaime Scliar havia construído uma obra sólida, com mais de um livro publicado para cada ano de vida, em uma ampla gama de gêneros: contos, romances, literatura infanto-juvenil, ensaios. Além disso, era colunista frequente de uma dezena de publicações, de jornais diários como Zero Hora e Folha de S. Paulo a revistas técnicas. Escrevia em qualquer lugar a qualquer hora, auxiliado pela tecnologia – jamais viajava sem seu laptop. Tal dedicação à palavra e ao ofício que exercia com evidente prazer transformaram Scliar em um dos autores mais respeitados do Brasil.

Scliar morreu no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, onde estava internado desde 11 de janeiro. O escritor havia sido admitido no hospital para a retirada de pólipos (formações benignas) no intestino. A cirurgia, simples, havia transcorrido sem complicações. Scliar já se recuperava quando sofreu um AVC – obstrução de uma artéria que irriga o cérebro – de extrema gravidade.

Scliar nasceu em 1937, no bairro judaico do Bom Fim, em Porto Alegre, filho de José e Sara Scliar – a mãe, professora primária, seria a grande responsável pela paixão do escritor pelas letras: foi ela quem o alfabetizou. Formado médico sanitarista pela UFRGS, ingressou na profissão em 1962. Casado com Judith, professora, e pai do fotógrafo Roberto, Scliar havia também passado pela experiência de professor visitante em universidades estrangeiras e tinha obras traduzidas em uma dezena de idiomas, entre elas o russo e o hebraico. O trabalho como médico de saúde pública seria crucial na vida e na obra de Scliar – seu primeiro livro, publicado em 1962, foi uma coletânea de contos inspirados pela prática médica, Histórias de Médico em Formação, volume que mais tarde Scliar excluiria de sua bibliografia oficial por considerá-lo a obra prematura de um autor que ainda não estava pronto.

Nos seus livros seguintes, Scliar jamais se permitiria outra publicação prematura. Do mesmo modo como escrevia com velocidade e prazer, Scliar também revisava obsessivamente o próprio texto, a ponto de às vezes reescrever uma obra do zero por ter encontrado um ponto de vista narrativo mais adequado.

— Se o escritor não tiver prazer escrevendo, o leitor também não terá — comentou em uma entrevista concedida quando completou 70 anos, em 2007.

Fonte:Jornal Zero Hora(27/02/2011)

Inaugurado o Circuito de Cicloturismo do Piraí

Olá pessoal!

Mesmo diante dos fatos aterradores do atropelamento dos ciclistas em Porto Alegre, aproveito para divulgar como foi a pedalada de inauguração do Circuito do Piraí,em Joinville. Vejam o meu modesto filme no link abaixo. Não fizemos o circuito completo, mas dá para ter uma boa idéia de como ele é. Espero vê-los por aqui!

Abraços!
Jairo Cruz

http://www.youtube.com/watch?v=xQ_UZpxOX78

Colaboração:Marcello Dalla Vechia

O Feudalismo Atual apóia essa iniciativa.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Só para iniciados,por Jordi Castan

Na antiguidade os Smurfs eram bons, não gostavam de multar, mas o velho Gargamel lhes deu uma poção e se converteram nesta gente triste, amargada. Se escondem embaixo das árvores, para multar as suas presas. A sua existência hoje se reduz a multar, perderam a alegria de viver. Não ecoam mais na floresta as risadas alegres dos Smurfs. Na verdade já não tem mais floresta, cortaram as árvores da Rua XV.

É o seguinte


Esse lance de usar droga é muito pessoal.Agora o que não dá para aceitar é o usuário de droga que fica por aí achando que é uma "grandes coisa" ficar se drogando.O "cidadão" enche o saco em casa,na rua,na escola...atrapalha a vó,o cachorro,o vizinho e a lei ainda protege esse xaropão,esse chato.Quer se drogar,se droga.Mas fica na tua seu xaropão e pare de atrapalhar a vida dos outros.Mala!!!

Não vi nada


Na última quinta-feira a tarde tinha um "pequeno" congestionamento na rua Blumenau...entre a rua Lages e a Nove de Março...Não vi nenhum agente da Conurb no local.

Georges Le Maitre,por Milton Wendel

Certa vez os jornalistas da British Broadcasting Corporation, tendo recebido um "jabá" da Igreja Anglicana, tentaram ridicularizar as idéias de um astrofísico católico formado em Cambridge, com trânsito no Instituto Tecnológico de Massachusetts, que poderia ter-se aposentado como coronel do exército Belga por ter sido herói na segunda guerra mundial. O padrezinho Georges Le Maitre, porém, não engolia iscas medíocres. Recolheu-se ao ambiente da UNIVERSIDADE CATÓLICA DE LAUVANE, na Bélgica de lingua francesa, e passou a dar aulas sobre Teoria da Relatividade, vestindo sempre uma batina. Discutia com Niels Bohr e Albert Eintein. Leu as publicações de Edwin Hubble. Acabou sendo considerado o PAI DO BIG BANG. Não foi cientista, pela concepção de Darwin, e nem religioso pela concepção dos papas. Só pensou. Só deduziu.


Dava aulas vestindo a batina e, antes de morrer, disse que "há duas maneiras de se buscar a verdade e eu escolhi as duas".


Não merece uma reverência?

A maconha é o assunto(2)

Falar a repeito sobre mais uma de muitas drogas "a maconha" é um caso a parte, já fumei cigarro, cigarro feito com oregano, cigarro feito com café, cigarro feito com chimarrão, más isso veio e graças a Deus ficou por poucos dias e se foi. Hoje não fumo nada e por incrivel que pareça não experimentei maconha e essa de influencia tem muito haver sim, porém é vc que decide se quer ou não e é isso aí.

Alex Tiomini

A maconha é o assunto

Milton,

Bem que na adolescência tentei tragar cigarro comum, me engasguei feio, para nunca mais...

Tenho corpo como templo do espírito, e todo individuo tem livre arbítrio de fazer com o seu templo o que bem entender... Até burradas...

Abraços...

Bia Jubiart

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Mudanças no Programa Minha Casa Minha Vida

Uma mudança nas regras do programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal vem dando dor de cabeça em muita gente que sonha com a casa própria, e também para quem constrói as unidades ou vende o material de construção. Desde o início do mês a Caixa Econômica Federal passou a exigir que todos os projetos do programa sejam feitos em ruas calçadas e saneadas. Antes a exigência só era feita para projetos que tinham financiamento direto do banco para a produção. Agora, a obrigação é geral.

Pequenas construtoras que erguiam casas com recursos próprios e contavam com o financiamento da CEF para seus clientes terão que obedecer o mesmo critério, resultado: muitas empresas terão que devolver a entrada paga pelos mutuários, parar as obras pela metade ou então amargar prejuízo de não ter para quem vender os imóveis. Também são prejudicados os cidadãos de baixa renda que moram nas periferias das cidades, sem pavimentação ou saneamento, e que agoram não poderão mais obter financiamento a baixo custo. Ou seja, um grande problema está criado.


A convite da Secretaria de Habitação de Joinville e Associação dos Comerciantes de Material de Construção de Joinville (Acomac), o deputado federal Mauro Mariani estará na sede da entidade em Joinville SC) na próxima segunda-feira (28/2) às 14 horas para discutir e ouvir os apelos para verificar a melhor solução em Brasília. O programa Minha Casa Minha Vida foi o carro chefe que impulsionou a construção civil no país, gerando emprego, renda e possibilitando a milhões o acesso à casa própria. Mariani já está integrado a uma frente de deputados que buscam modificar a medida para evitar o fim do sonho de milhares de famílias em Santa Catarina e milhões por todo o Brasil.

Assessoria de Comunicação - Deputado Federal Mauro Mariani (PMDB/SC)

8859.2204

Fixo 47 3447.1570

salvadorneto9@hotmail.com


Sobre maconha

Honestamente não tenho nada contra a maconha e nem contra quem a use. Já fui universitário e já fiz fogueiras na praia. Vou contar uma verdade, a lata que eu pesquei estava meio mofada. Não tenho nada contra. Nunca tive.
Mas não consigo deixar de constatar uma realidade. Os maconhólatras têm a firme convicção de que a maconha lhes faz bem. E se você disser a um deles que esta sensação de "bem" é um efeito ilusório da droga, ele vai responder que o louco é você. Não vou entrar no detalhe de discutir o direito que qualquer um tem de se iludir. Só quero apontar uma curiosa situação em que aquele que identifica a ilusão é chamado de louco. Que loucura, não?

Milton Wendel

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Rotatória da Benjamin Constant com Marquês de Olinda

Um dos pontos mais perigosos do complicado trânsito de Joinville.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

É triste...


...Ver a situação em que chegou a administração pública de Joinville.Tudo parado e nenhuma novidade.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A história da bandeira do Alasca

O estado norte americano do Alaska adotou a sua bandeira para o uso oficial em 1959. O campo azul representa o céu, o mar, montanhas e lagos, bem como flores silvestres do Alasca. Estampada na bandeira estão oito estrelas douradas: sete da constelação da Ursa Maior, ou a "Big Dipper". A oitava é a Estrela do Norte, representando o estado mais ao norte. A Bandeira do Alasca foi projetada em 1926 por um adolescente de 13 anos nativo americano, Bennie Benson, da aldeia de Chignik. Bennie recebeu uma bolsa de mil dólares e um relógio para o seu "desogn" vencedor do concurso.

Na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Flag_of_Alaska.svg

Colaboração:Milton Wendel

Comunicado do Salvador Neto

Olá colegas de todos os meios de comunicação, boa tarde!

Comunico que a partir desta data começo a realizar trabalho de assessoria em comunicação - com ênfase em assessoria de imprensa – para a Associaçao de Pais e Amigos dos Excepcionais de Joinville (APAE) de forma voluntária. Recebi convite no final do ano passado por parte da atual diretoria comandada pela professora Heloisa Walter de Oliveira, quando conheci de perto a Instituiçao e todos os serviços que oferece a seus usuários, e que precisa de muito apoio para continuar o seu trabalho em favor da inclusão social de pessoas com deficiência intelectual e múltipla, e suas famílias.

A partir de hoje então, caso os colegas necessitem de algo sobre o assunto, a entidade, entrevistas sobre os temas de saúde e educação relacionados à APAE de Joinville, é só fazer contato. Nos próximos dias já temos novidades.

Conto, mais uma vez, com o apoio dos colegas,

Atenciosamente,

Salvador Neto - Jornalista (MTb/SC 2535 JP)

www.salvadorneto.com.br

Celular: 47 8859.2204

MSN: salvadorneto9@hotmail.com

Twitter: @Salvador_Neto

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Jec um time coadjuvante

Mais uma vez ficou evidente a fragilidade do Jec.Desse jeito não tem técnico e nem santo que possa ajudar o clube a sair dessa crise.A derrota em Florianópolis já era esperada.Mais um campeonato onde o Jec será apenas um mero coadjuvante para tristeza de sua grande torcida.

Bairros pobres e bairros(nem tão) ricos

Quanto tempo os moradores de bairros como o América,Atiradores,Iririú,Boa Vista,Bom Retiro ficaram sem a pavimentação de suas principais vias???

Praticamente os moradores dos bairros próximos ao centro conviveram até os anos 80 sem pavimentação e não se sentiram discriminados por isso.Ou seja,esses moradores dos bairros ditos privilegiados da cidade passaram mais de 130 anos com pó e lama e não morreram e nem choraram pelos cantos.

Esses moradores ditos privilegiados e que colonizaram Joinville e fizeram dela a locomotiva catarinense são colocados em segundo plano como se não precisassem do Poder Público.E são os que pagam o I.P.T.U mais caro.

Os bairros mais distantes e que por sua vez possuem uma população mais carente merecem receber a atenção da Prefeitura.

Mas a Prefeitura não pode esquecer desses moradores tradicionais e que possuem problemas semelhantes(ou até mais graves) ao dos moradores dos bairros mais novos.



Demandas

Assistindo um jornal no horário do almoço percebi que a maioria das reportagens que passam são sobre ruas sem pavimentação,valetas abertas,muita poeira,muito buraco e lama.São bairros distantes do centro da cidade.Seus moradores protestam e se sentem discriminados em relação ao Poder Público e sempre citam os bairros privilegiados de Joinville.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Notícia dos 100 anos de Joinville


Juliano,
Veja a notícia que saiu no sítio da UDESC.
Acho que vale um comentário e a colocação no Feudalismo Atual.

http://www.joinville.udesc.br/portal/noticias/index.php?id=3752


Pois é, a UDESC mesmo estando em Joinville
desde 1965 é tratada como
alienígena pela nossa elite. Mas pelo que entendi foi uma das poucas
(única?) instituição joinvilense a apoiar o documentário.

Roberto S. U. Rosso Jr.
Joinville - SC - Brazil
Membro IEEE / Membro SBC

A novela dos R$40 milhões do BNDES


Agora sai...

R$ 40 MILHÕES MAIS PRÓXIMOS

O empréstimo de R$ 40 milhões para obras viárias em Joinville deverá ser avaliado no dia 1º de março, dia de reunião da diretoria do BNDES. Se vai para a reunião, é porque toda a burocracia teria sido vencida. Se for aprovado, o que deve acontecer, é remetido para a Secretaria do Tesouro Nacional, onde é dada a última liberação. O dinheiro, a ser tomado pelo governo do Estado, será usado na construção do binário do Vila Nova, continuação da Almirante Jaceguay, entre outras obras. A informação sobre a proximidade da assinatura foi passada ontem pela manhã ao prefeito Carlito Merss.

Além dos R$ 40 milhões do BNDES, o pacote prevê R$ 16 milhões da Prefeitura e mais R$ 10 milhões do governo estadual. Teve coisa do pacote já feita, como a ligação da Estrada Anaburgo com a BR-101 e a rotatória da Univille/Udesc. O pedido de empréstimo ao BNDES se arrasta desde 2003, ano em que a Câmara de Vereadores deu autorização para a Prefeitura pegar o dinheiro.

Fonte:Jefferson Saavedra,Jornal A Notícia(19/02/2011)

Pequeno comentário

Tomara que esse dinheiro venha logo para Joinville.Acredito que o valor deveria ser bem maior.A imprensa e as entidades representativas da cidade devem se mobilizar para que a liberação dessa grana venha logo para a Prefeitura.



Da coluna do Jefferson Saavedra

A exuberância da vegetação no Parque Morro do Finder, no Iririú, em Joinville. É um espaço ainda sem grande público na cidade.

Fonte:Jornal A Notícia(19/02/2011)


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Religiões,por Milton Wendel

Juliano,bom dia!

Ao ler a mensagem do teólogo Osmari Fritz, "Diálogo de religiões", resolvi fazer uma pesquisa sobre este assunto e veja o que encontrei:

“Não percam tempo com os hereges; podem ser condenados sem ser ouvidos. E, enquanto queimam na estaca, os fiéis devem destruir a raíz da herva daninha e lavar as suas mãos no sangue dos bispos e do papa, que é o demónio disfarçado” (Martinho Lutero)

“Pelo seu pecado, os hereges merecem não apenas ser separados da Igreja, pela excomunhão, mas também do mundo, pela morte” (São Tomás de Aquino)

“O cristão glorifica-se na morte de um pagão, porque por ela Cristo ele mesmo é glorificado” (São Bernardo de Clairvaux)

“O bom cristão deve permanecer alerta contra os matemáticos e todos aqueles que fazem profecias vazias. Existe o perigo de que os matemáticos tenham feito uma aliança com o demónio para obscurecer o espírito e confinar o homem às amarras do Inferno” (Santo Agostinho de Hipona, Pai da Igreja)

“Já se propôs que todas as religiões deveriam ser livres e o seu culto publicamente exercido. Nós católicos rejeitamos esta ideia como contrária ao canone da lei católica romana” (Papa Pio VII, 1808)

“No templo de Salomão, andamos com sangue até o joelho e mesmo até os estribos dos cavalos, pelo justo e maravilhoso julgamento de Deus” (Clérigo Raimundus de Agiles, comemorando o massacre dos habitantes de Jerusalém pela Primeira Cruzada em 1099)

“As pessoas deram ouvidos a um astrólogo novato (Copérnico) que lutou para provar que a terra é que gira, não os céus ou o firmamento, o sol e a lua…Este louco quer contrariar toda a ciência da astronomia. Mas as Sagradas Escrituras dizem-nos (Josué 10:13) que Josué ordenou que o sol parasse e não a terra” (Martinho Lutero num dos seus “Table Talks”, 1539)

Fonte: http://naturalmente.wordpress.com/2008/11/29/tiros-no-pe-breve-seleccao-de-pias-inanidades/

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Fatalidade

A morte de uma trabalhadora dentro do banco aqui no centro de Joinville.

Banco do Brasil Fechado

Congratulações ao diretor do Procon de Florianópolis , extensiva ao promotor de justiça, que numa ação conjunta , fecharam o Banco do Brasil.

Isso mesmo. O Banco do Brasil, aquele da propaganda " o Banco que é do Brasil". A agência Nereu Ramos já tinha sido multada 81 vezes num único dia.

O Procon da Capital fechou a agência devido ao não cumprimento da lei 699/2002, que prevê que o atendimento seja feito em 20 minutos.

No caso de reabertura da agência sem determinação judicial, o banco poderá pagar multa de R$ 200 mil. Com a ação civil pública, o Ministério Público espera que o Banco do Brasil passe a cumprir a norma.

Tomara que essa moda pegue.

Paulo Curvello

Balneário Camboriú

curvell@terra.com.br

O que levou...

...O Jec a perder de goleada para o Metropolitano??? A culpa com certeza é do gramado da Arena...pois o Jec é um time mais "técnico".Mas,como que o Metropolitano conseguiu fazer 4 gols nesse gramado tão ruim???

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Diálogo de Religiões,por Osmari Fritz*

Com diferentes nomes, todas as religiões proclamam, celebram e buscam a salvação da pessoa humana. A partir dessa procura comum as religiões deveriam aprender a relativizar o que é relativo e absolutizar o que é absoluto. “Deus é maior que nosso coração” (I João 3: 20), deveria ser a premissa de todo diálogo inter-religioso. Deus não se esgota numa só revelação. Tem muito nomes, e sempre é tão misteriosamente inacessível como próximo “mais íntimo que nossa própria intimidade, (S. Agostinho).

Essa atitude de diálogo em profundidade exige generosidade e renúncia, conversão de pessoas e de estruturas, doação do Amor e utopia da Esperança. Às vezes, é preciso tirar os sapatos e calçar os chinelos, ou simplesmente se descalçar, para entrar numa mesquita ou num círculo ritual. Todas as fés, todas as religiões, todas as utopias devem-se pôr à disposição da vida humana e da criação inteira. Este é o grande desafio universal. Somente assim podemos nos reconhecer e sermos reconhecidos como filhos e filhas de Deus como irmão e irmãs em Humanidade.

Não haverá paz no mundo se as religiões não aceitarem o pluralismo religioso. Diálogo de religiões é a palavra de ordem. O modelo que hoje surge é do pluralismo religioso, propõe que nenhuma religião está no centro, como o sol, mas que o único sol é Deus, ao redor do qual giram todas as religiões, como irmãs. Cada religião seria um “mapa do território”, não o território mesmo. Umas mais, outras menos, mas quase todas as religiões se sentem desafiadas, destronadas, ameaçadas pelo pluralismo religioso. Os sistemas religiosos, seus “establishments” têm demasiado interesse de que tudo funciona como sempre; não podem aceitar uma mudança. Antes de dialogar com os outros, temos que dialogar conosco mesmos.

*Osmari Fritz é teólogo, psicólogo e vereador em Joinville.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O Poder Público por Jordi Castan

O Poder Público só consegue propor grandes obras pública$ inviáveis. Com isto iludem o eleitor e podem continuar ganhando eleições. As enchentes ainda vão eleger muito vereador, os mesmos que aprovaram as mudanças de zoneamento para ocupar áreas alagáveis, hoje correm para consolar as vítimas das enchentes que a ocupação provocou.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

VLT é a solução para o transporte coletivo de Joinville

Clique na imagem para assistir o vídeo.

Mais enchente em Joinville


Enchentes em Joinville??? Normal,pela história fica evidente.O que não é normal é a falta de políticas públicas para combatê-las.A foto é de uma enchente na Avenida Getúlio Vargas na década de 1970.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Deus é Fiel !!!

Sempre há muitos desafios, surpresas, tristezas e alegrias...A vida é feita assim... (Romanos 12.12). As vezes nos deparamos com situações que nos afligem, nos fazem sentir e até mesmo chorar... Mas saiba por certo que, a cada momento da vida, cada lágrima caída, cada sorriso dado, está tudo anotado no diário de Deus... (Salmo 56.8). E pode ter certeza que nem um segundo Ele esqueceu de anotar, anotou suas lutas, seus choros (Salmo 6.8),mas com um detalhe, Ele não esqueceu de anotar o dia de sua vitória! (Prov. 21.31). Então eu vim aqui para te dizer:Não desista de teus projetos e sonhos porque antes mesmo deles serem projetados por você, já foi projetado e anotado por DEUS!"

Tenham uma excelente semana!!!
Beijos, Fátima.

Rede Social Cristã

Progressistas verdes??? Um texto de Milton Wendel*

Li na coluna de Luiz Veríssimo, no jornal Noticias do Dia de 10 de fevereiro, que já estaria tudo acertado para uma coligação entre PP e PV para a eleição de prefeito do ano que vem. O candidato seria o deputado Kennedy Nunes e o vice seria um advogado que é filiado a outro partido, mas que se filiaria ao PV para cumprir a formalidade.

Não vou comentar o fato de que a filiação do dito cujo ao PV seria apenas "pró forma", mesmo porque isso é comum na política eleitoral brasileira e talvez seja uma das causas do lastimável estado de coisas que vemos por aí.

O que não consigo ignorar é a incompatibilidade entre os programas dos progressistas e dos verdes.

Os progressistas são otimistas. Eles querem viadutos, elevados e ruas mais largas onde caibam mais carros e onde se possa queimar mais petróleo. Eles acreditam que com mais e melhores ambulâncias haverá um melhor atendimento às vítimas do trânsito e, assim, eles sonham em ir levando o processo adiante "quebrando alguns ovos necessários para se ter o omelete". Muitos eleitores gostam desse modo de fazer discurso.

Já os verdes são realistas. Eles querem mudanças do conceito de progresso. Querem calçadas mais largas, mais áreas de convívio social. Eles pensam que se o transporte urbano for feito com veículos mais eficientes, o meio ambiente e a sociedade terão um verdadeiro progresso. Os verdes acham que deve ser feito um maciço investimento em educação, cultura, tecnologia e ciência, para gerar empregos de melhor nível do que os gerados pela economia do parachoque e da multa de trânsito. Há menos pessoas admiradoras do idealismo verde do que admiradoras do eloquente discurso popular progressista.

Mas isso não significa que o Partido Verde deva passar a aplaudir o eloquente e popular discurso progressita. Muito menos apoiá-lo.

O Partido Progressista pode entrar em qualquer escritório administrativo de qualquer empreendimento e pedir apoio eleitoral oferecendo em troca trabalho palamentar, sem medo de cair em contradição programática. Já o Partido Verde tem, por preceito programático, buscar apoios e oferecer retribuição apenas de empreendimentos que contemplem a dramática necessidade que nossa sociedade tem de recuperação ambiental, preservação ecológica e evolução cultural. Convenhamos que não é uma "pequena" diferença que possa ser dirimida com um abraço no palanque eleitoral. Quem pensar que pode, não gosta de política.

Fica esquisito imaginar um progressista e um verde irem conversar sobre apoio eleitoral com, por exemplo, o presidente de uma fábrica altamente poluente. Se todos sairem satisfeitos da conversa vai ser porque, das duas uma, ou alguém enganou os outros, ou todos se enganaram a si próprios.

*Milton Wendel é um dos fundadores do PV de Joinville

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Sindicato realiza reunião com trabalhadores sobre processos da Busscar

A diretoria do Sindicato dos Mecânicos convoca a todos os interessados e envolvidos nos processos judiciais contra a Busscar Ônibus a comparecer na próxima sexta-feira (11 de fevereiro) às 16 horas na sede central do sindicato localizada na rua Luiz Niemeyer, 184 – centro de Joinville – para saber o atual estágio de todos os processos judiciais em andamento. A decisão e a data da grande reunião foram tomadas na reunião da diretoria do Sindicato realizada na última sexta-feira (4), quando temas como assembleia geral da campanha salarial, Busscar, e outros temas relativos ao andamento da política sindical, foram analisados e debatidos.


Segundo o presidente João Bruggmann, essa reunião será exclusivamente para atualizar o atual andamento dos processos jurídicos já movidos contra a Busscar e seus acionistas, deixando a todos informados de tudo o que já foi feito para proteger os direitos dos trabalhadores da Busscar, que não paga salários há 10 meses, mais décimo terceiro de 2010 e parte do décimo de 2009. “Espero que todos os que realmente se interessam pelo caso Busscar compareçam para saber todo o esforço que temos feito para garantir os direitos. Não pagamos salários, não comandamos a empresa e tampouco o judiciário, mas cobramos de todas as formas possíveis e objetivas o cumprimento das obrigações de cada um. Lá os trabalhadores da Busscar saberão o que a empresa fez, pagando R$ 240 mil para recorrer do processo, enquanto milhares não veem a cor do dinheiro do seu salário há 10 meses”, enfatiza Bruggmann.

Agenda:

O quê – Caso Busscar, reunião entre Sindicato e trabalhadores da empresa

Para – Atualizar situação da crise, processos judiciais e novos procedimentos

Quando – 11 de fevereiro, sexta-feira

Hora – 16 horas

Onde – Sede Central do Sindicato dos Mecânicos de Joinville e Região, rua Luiz Niemeyer, 184 – Centro de Joinville (SC)

Participação – Diretoria do Sindicato, Departamento Jurídico e trabalhadores demitidos e ainda vinculados à Busscar

Assessoria de Comunicação – Sindicato dos Mecânicos de Joinville e Região

Sítio www.sindmecanicos.org.br

Salvador Neto - Jornalista (MTb/SC 2535 JP)

Celular 47 8859.2204

Fixo 47 3027.1183

MSN: salvadorneto9@hotmail.com

Twitter: @Salvador_Neto

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Enchentes em Joinville

Ninguém está garantido

Que campeonato! Oito das dez equipes que disputam a divisão principal do Campeonato Catarinense de Futebol de 2011 estão disputando as quatro vagas de finalistas, isso a três rodadas do fim do primeiro turno. E os dois últimos colocados, Avaí e Concórdia, têm tudo para complicar a vida de todo mundo.

O Avaí fez laboratório, fez oficina, nas primeiras rodadas e acabou vivendo coisa inédita: principal força do futebol catarinense, atualmente, passou quatro rodadas com zero pontos. Alguém acredita que o Avaí vai terminar o turno na lanterna? Eu duvido. E quem é que vai sobrar? O Concórdia pagou meio caro por dois segundos tempos desastrosos, na estréia contra o Criciuma e em casa contra o JEC. Tomou onze gols em noventa minutos de vacilo. No resto do tempo, mostrou que é time com condições de ficar na divisão principal. Mas quem vai ser a vítima, caso o Concórdia engrene?

São duas vagas para o rebaixamento e só uma para campeão. Dá para apontar quem está garantido?


Milton Wendel

AO GRANDE HOMEM,PAI E AMIGO


Luiz Cecatti sempre foi defensor da vida. "Era uma pessoa cuidadosa com os idosos e com doentes. Cuidar deles era prioridade para o meu pai. Para ele, a pessoa deveria ser protegida e amada sempre", conta a filha Maira Cecatti. Nascido na comunidade Santa Luzia, em Jaraguá do Sul, Luiz veio morar ainda jovem em Joinville. Mudou-se em busca de uma oportunidade de trabalho. Aposentou-se como metalúrgico pela Tupy.

E foi no bairro onde a empresa fica, o Boa Vista, que ele começou o trabalho com a comunidade. Há 13 anos, era voluntário na Associação Beneficente Renascer, que cuida de mães gestantes carentes e abandonadas em Joinville, e também era ministro na Igreja Imaculada Conceição e conselheiro da Ajos. "Ele foi o primeiro ministro a distribuir comunhão para os doentes nas casas do bairro", lembra a filha, orgulhosa.

Foi em Joinville que ele conheceu a mulher, Traude, com quem estava casado havia 38 anos e teve três filhos. Em outubro, Luiz teve um derrame. Ficou três meses internado em estado vegetativo. "Durante este tempo, recebemos muito apoio de amigos e familiares. Essas pessoas foram muito importantes nesta caminhada", lembra a filha. Luiz faleceu domingo à noite, aos 64 anos, no Hospital São José. Foi sepultado segunda, no Cemitério Municipal.

UM GRANDE AMIGO,POR PAULO CURVELLO


Como estão meus amigos, a notícia que lhes repasso não é muito boa,

Faleceu no sábado,o radialista James Moura , conhecidíssimo em Balneário Camboriú e região.

O filho dele é meu estagiário na Ciretran daqui, comungo da amizade da família e conheci em vida.

Era assíduo ouvinte de seu programa.

Esse fará falta....

Nos mais saudades de Joinville


Paulo Curvello

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Teoria e realidade em Joinville

Bem,Joinville é maior em tudo.Maior em que afinal!!! Temos a maior população do estado??? Sim,temos.Mas o que isso trás de vantagem para nosso povo???Nada,absolutamente nada.Possuímos o maior colégio eleitoral???Sim.Mas qual o benefício disso para Joinville.Nada.O orgulho,o bairrismo,o amor do joinvilense por sua cidade é visível.Pena que esse amor não seja correspondido por quem de fato tem o poder.

Esqueceram do ILS??? De novo!!!


ILS ou Instrument Landing System é um sistema de aproximação por instrumentos, que dá uma orientação precisa ao avião que esteja pousando em determinada pista.

Ele consiste em dois sistemas distintos, um deles mostra a orientação lateral do avião em relação a pista, e o outro mostra o ângulo de descida, ou orientação vertical.

Sistema baseado na transmissão de sinais de rádio que são recebidos, processados e apresentados nos instrumentos de bordo do avião.A aproximação ILS (Instrument Landing System) é também chamada de “Aproximação de Precisão” (Precision Approach), por contar com as informações do Localizador em VHS (Very High Frequency) e do Glide Slope em UHF (Ultra High Frequency), fornecendo informações para o alinhamento com o eixo da pista e com a trajetória correta de planeio para o pouso.

Fonte:Wikipédia

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

523 anos

Vai demorar pelo menos uns 523 anos para o Jec conseguir derrotar o Avaí.Ontem o Avaí estava uma baba e mesmo assim o Jec perdeu para o clube da ilha.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A geopolítica norte-americana


Iraque:país do Oriente Médio,muçulmano,grande produtor de petróleo,foi invadido pelos norte-americanos para livrar os iraquianos da ditadura sanguinária de Saddan Hussein.

Egito:país africano e asiático,mais ligado politicamente ao Oriente Médio,muçulmano,também é produtor de petróleo,aliado dos E.U.A na região,seu presidente por mais de 30 anos é o ditador Hosni Mubarak.Pelo que se vê não será invadido pelos E.U.A.

O Jec tem obrigação de derrotar o Avaí...


...Só falta o Jec perder mais uma vez em Florianópolis.O Jec tem é que chegar lá e se impor.E depois não adianta vir com desculpas.Só falta o Jec ressuscitar o Avaí,ninguém merece.