quinta-feira, 7 de julho de 2011

Tristeza com a política

A ex-candidata à presidência Marina Silva, que conquistou o voto de quase 20 milhões de eleitores no pleito do ano passado, anunciou na tarde desta quinta-feira que saiu do Partido Verde. Junto da ex-senadora, diversos aliados seus anunciaram o desligamento conjunto. O grupo afirmou que irá formar um movimento suprapartidário em prol do causa verde e da cidadania.

Para Marina, não há mais como reformar o atual modelo de política brasileira, e sim reinventá-lo.

— Remendar é muito pouco para o tamanho do problema que estamos vivendo no Brasil. Como isso irá se materializar? O processo irá dizê-lo Neste momento, como todos, eu também estou pensando qual é a melhor forma de contribuir para o desenvolvimento do mundo — disse a ex-senadora.

A curto prazo, o movimento não deve se transformar em um partido político.

— Após as eleições de 2012, podemos reorganizar esse movimento — adiantou Marina.

No discurso, a ex-senadora ainda criticou o Partido Verde:

— O PV se transformou num partido que tem defendido honradamenta a causa ambiental, mas em muitos aspectos é igual a todos os outros partidos.

Marina citou o escândalo envolvendo o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento como exemplo de algo que não pode mais ser tolerado na sociedade.

— Não podemos negar a tristeza com a política. Os partidos continuam sendo importantes, mas não podemos fechar os olhos para seus desvios — lamentou a ex-senadora.

Durante o evento, o ex-presidente do diretório estadual do PV em São Paulo Maurício Brusadin afirmou que os partidos vivem hoje a decadência e não atendem mais às demandas da sociedade.

— E o PV não é diferente disso — comparou.

O ex-candidato ao Senado por São Paulo Ricardo Young completou o pensamento:

— Reconhecemos que o PV, assim como a maioria dos partidos, se divorciaram de vez da sociedade.

A ex-senadora destacou que pretende ajudar Dilma nas discussões no Congresso sobre o novo Código Florestal. Ela lembrou que a presidente assumiu compromisso na campanha de não aprovar nenhum texto que favoreça o desmatamento e, ao ser questionada se estaria otimista em relação ao veto do projeto, Marina desconversou.

— Não estou nem otimista nem pessimista. Estou persistente.

O ex-deputado Fernando Gabeira comunicou, em vídeo transmitido ao vivo por Skype, que não irá se desfiliar do PV, ao menos a curto prazo. Gabeira precisa de um partido caso decida concorrer à prefeitura do Rio de Janeiro em 2012. Ele saudou o movimento encabeçado por Marina.

— O movimento é muito importante porque aproxima a sociedade de novos temas e traz pessoas que querem participar da política mas não encontram uma maneira digna de fazê-lo. Em seu curso, pode ser que o movimento e o partido se reencontrem mais adiante.

ZERO HORA E AGÊNCIA ESTADO

Retirado do Jornal A Notícia

Nenhum comentário: