.

Colabore com o Feudalismo Atual escrevendo para o e-mail: juliano.bueno1971@gmail.com

quarta-feira, 31 de março de 2010

31 de março,uma data com história

Em 31 de março de 1964 ocorreu o Golpe Militar aqui no Brasil...Muitas pessoas apoiaram o golpe,outras foram perseguidas.O interessante é que tanto José Serra(PSDB) como Dilma Rousseff(PT) lançaram suas candidaturas hoje(coincidência né,os dois foram perseguidos pelo regime militar)...Bem ou mal,os brasileiros tem o direito de escolherem seu presidente através do voto.Triste,é ver gente por aí que não dá valor a essa conquista.

O Smurf Ranzinza odeia...


...Ele odeia o BBB...
...Ele odeia congestionamento
...Ele odeia falta de médico
...Ele odeia puxa-saco
...Ele odeia ônibus lotado
...Ele odeia promoções da empresa telefônica
...Ele odeia propaganda de cartão de crédito
...Ele odeia cidade suja...rsrsrsrs

Mais uma obra de Thomas Kinkade

terça-feira, 30 de março de 2010

Com todo respeito...

...Mas quando assessores de imprensa são mais valorizados e mais bem pagos do que policiais,professores,médicos e enfermeiros...a coisa não pode ir bem no serviço público.

Cadê o respeito???

O programa CQC da Rede Bandeirantes passou dos limites...Uma coisa é a crítica aos nossos governantes...Outra,é a total falta de respeito as nossas autoridades...A repórter desse programa,a Mônica Lozzi,passou dos limites ao entrevistar o governador de São Paulo,José Serra(PSDB)...debochando da maior autoridade paulista...Tudo tem um limite...Vamos se tocar Rede Bandeirantes.

Brasil será 5º maior mercado consumidor em 2030, diz estudo

Célia Froufe, da Agência Estado

SÃO PAULO - O Brasil passará de oitavo maior mercado consumidor do mundo em 2007 para a quinta colocação em 2030, de acordo com um estudo divulgado hoje pela Ernest & Young e a área de projetos da Fundação Getúlio Vargas (FGV Projetos). Nesse período, levando-se em conta a paridade do poder de compra estabelecida no ano passado, com o dólar flutuando entre R$ 1,80 e R$ 2, o poder do mercado doméstico avançará de US$ 1,067 trilhão para US$ 2,507 trilhões."O PIB brasileiro apresentará um crescimento, sem exageros, de 150% no período, passando a ser de US$ 2,4 trilhões em 2030 no lugar de US$ 963 bilhões registrados no ano passado", comparou o professor da FGV, Fernando Garcia, levando em conta um crescimento médio da atividade do País de 4% ao ano. Esta alteração fará com que o Brasil saia da 10ª posição e volte para a 8ª posição entre as maiores economias mundiais.Neste cálculo, a FGV avaliou ainda que o PIB per capita brasileiro deve dobrar de 2007 para 2030. O PIB per capita foi de US$ 5,092 mil no ano passado e deve chegar a US$ 10,269 mil daqui a 22 anos. Num cenário mais otimista considerado pelas intuições, o crescimento econômico do País será de 4,6% ao ano no período, o que levaria a um PIB per capita de US$ 11,638 mil.A primeira colocação no ranking elaborado pelas instituições cabe aos Estados Unidos nos dois anos em análise. Em 2007, o mercado consumidor era equivalente a US$ 9,125 trilhões e deverá atingir a marca de US$ 15,586 trilhões. "Apesar de vermos hoje em dia países com taxas de expansão superiores, é preciso lembrar que a taxa de crescimento dos Estados Unidos é sobre uma base muito mais forte", considerou Garcia.A China também se manterá na segunda posição em 2030 (US$ 12,756 trilhões) como já estava no ano passado (US$ 3,862 trilhões) e a Índia, na terceira posição, com um mercado de US$ 5,265 trilhões em 2030 ante US$ 2,530 trilhões em 2007. Consolidado na quarta colocação até 2030 está o Japão, cujo o poder do mercado de consumo deve subir de US$ 2,358 trilhões para US$ 2,818 trilhões.Desta forma, o Brasil tomará, em 2030, o lugar da Alemanha (cujo poder de compra deverá avançar apenas de US$ 1,490 trilhão para US$ 1,813 trilhão) e ultrapassará a Grã-Bretanha (que deve aumentar de US$ 1,365 trilhão para US$ 1,924 trilhão) e a França (de US$ 1,098 trilhão para US$ 1,528 trilhão).Mesmo em termos das maiores economias do mundo, levando-se em consideração apenas a expectativa para o PIB em dólares sem ajuste da paridade de compra, os Estados Unidos deverão encabeçar o ranking de 2030, de acordo com estudo da FGV e da Ernest & Young. Na ocasião, o PIB do país deverá ser de US$ 23,896 trilhões, seguido pelo da China (US$ 11,994 trilhões), do Japão (US$ 5,663 trilhões), Alemanha (US$ 3,628 trilhões), Grã-Bretanha (US$ 3,416 trilhões), França (US$ 3,209 trilhões), Itália (US$ 2,531 trilhões) e Brasil, na oitava posição, com PIB de US$ 2,398 trilhões.Estas projeções reveladas pelo estudo levam em conta a expectativa de um crescimento médio da economia brasileira de 4% ao ano até 2030, considerado como cenário básico. Caso o cenário alternativo, de expansão do PIB de 4,6% ao ano, seja o verificado até lá, a soma das riquezas do Brasil, de acordo com o professor da FGV, devem "encostar" na do Japão, mas sem fôlego para ultrapassá-la.

Produtividade

De acordo com o estudo, o aumento da produtividade, que foi da ordem de 0,1% em média de 1990 a 2007, deverá atingir 0,9% de 2007 a 2030, considerando-se o cenário de referência, ou 1,1% no mesmo período tendo como base um quadro de avanços. O investimento em relação ao PIB, que ficou em média em 19% de 1990 até o ano passado, deverá subir para 22,7% no cenário de referência, ou para 24% no quadro com avanços de 2007 a 2030.Desta forma, a expansão do mercado consumidor, que foi de 2,5% ao ano em média de 1990 até o ano passado, deverá atingir taxa de 3,8% no cenário básico, ou 4% no mais otimista.As projeções são consideradas bastante positivas por Garcia. Ele ponderou, no entanto, que os números devem apresentar um crescimento condizente com a expansão da atividade do País. "Se avançarmos rápido demais, a demanda cresce, mas os preços sobem e o Banco Central terá de elevar os juros, o que pode segurar o crescimento nos próximos anos", advertiu.

Fonte:Jornal Estado de São Paulo(19/08/2009)

Colaboração:Roberto Rosso

Clique na imagem e assista...ok!!!

Frase do dia

Nem tudo é política, mas a política se interessa por tudo.

Nicolau Maquiavel, filósofo italiano e autor de ensaio político “O Príncipe”.

Fonte:Blog do Prisco,Jornal A Notícia(30/03/2010)

Deputados defendem o fim do fator previdenciário

Deputados que participaram da sessão solene comemorativa do Dia Nacional do Aposentado (24 de janeiro), realizada nesta segunda-feira pela Câmara, defenderam a votação do Projeto de Lei 3299/08, que extingue o fator previdenciárioO fator previdenciário atinge apenas as aposentadorias do regime do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ao qual são vinculados trabalhadores do setor privado e servidores públicos regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Hoje, a aposentadoria por tempo de contribuição pode ser requerida após 35 anos de contribuição para homens, ou 30 para mulheres. O valor da aposentadoria resulta do cálculo das médias dos maiores salários de contribuição a partir de julho de 1994 – entram no cálculo apenas os 8 maiores em cada 10 salários de contribuição. O valor da média obtida por essa conta deve ser multiplicado, então, pelo fator previdenciário — calculado com base na alíquota de contribuição, na idade do trabalhador, no tempo de contribuição e na expectativa de vida. A expressão salário de contribuição não é um equivalente perfeito de salário, porque os segurados com um salário maior que o teto da Previdência terão um salário de contribuição limitado a esse último valor., e de outras propostas que beneficiam aposentados.

Entre as propostas citadas estão a que visa a recuperação das perdas nos vencimentos de aposentados (PL 4434/08); a que vincula o aumento das aposentadorias ao do reajuste do salário mínimo (PL 1/07); e a que extingue a cobrança de contribuição previdenciária sobre proventos de servidores públicos inativos (PEC 555/06).

O presidente da Câmara, Michel Temer, não participou da sessão, mas encaminhou uma mensagem na qual reitera seu compromisso com os aposentados, dentro das possibilidades conjunturais, “buscando formas de atender suas reivindicações com criatividade, responsabilidade e persistência”.

Empréstimos
O deputado Cleber Verde (PRB-MA) afirmou que a Câmara tem uma dívida muito grande com os aposentados e cobrou a votação de projetos que beneficiam a categoria. Segundo o parlamentar, o fator previdenciário reduz as aposentadorias em 30 a 40%, o que obriga os aposentados a recorrer a empréstimos – que hoje somariam R$ 22 bilhões.

Na avaliação do deputado, o argumento de que a Previdência Social está quebrada não justifica o baixo valor das aposentadorias, uma vez que o governo sempre socorre empresas em dificuldade. “Em vez de recuperar empresas, uma forma justa de distribuir renda é fazer chegar às mãos dos aposentados aquilo que é seu por direito. Portanto, garantir uma política justa de correção de 100% do crescimento do PIB é o mínimo que se pode fazer”, argumentou.

O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), integrante da Frente Parlamentar de Entidades Civis e Militares em Defesa da Previdência Pública, fez um apelo ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que atenda as reivindicações dos aposentados.

Ele disse ainda que, dos 27 milhões de beneficiários da Previdência, apenas 15 milhões são aposentados e pensionistas. Os outros recebem benefícios sociais, que, segundo ele, deveriam ser custeados pelo Tesouro. Por isso, afirmou, faltam recursos para pagar uma aposentadoria e uma pensão digna.

Apoio
Na avaliação do deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), iniciar uma reforma na Previdência seria a melhor forma de homenagear os aposentados. “A aposentadoria é cada vez mais um período de reciclagem e reaprendizagem. E um sistema previdenciário eficaz é estratégico para os países preocupados com o valor do conhecimento”, afirmou.

Chico Lopes (PCdoB-CE) afirmou que a isenção de impostos concedida a diversos setores “sai do suor do trabalhador” e que o governo deveria canalizar os recursos para pagar direitos aos aposentados que contribuíram para a Previdência. O deputado Humberto Souto (PPS-MG) também defendeu a votação dos projetos sobre aposentadorias.

Da Câmara dos Deputados

Fonte:www.sindmecanicos.org.br

Escrevi esse texto ao radialista Osman Lincoln

Bom dia Osman!!! Estava ouvindo seu programa e quero dizer que discordo totalmente das colocações do vereador Odir Nunes em relação ao aeroporto de Joinville...Se existem os recursos federais para a ampliação do aeroporto não podemos desperdiçar...E o sr. Odir Nunes é vereador de Joinville(com todo respeito ao povo de Araquari).Mas Joinville é carente de obras federais,quando aparecem(dinheiro ou obras),querem devolver??? Vamos parar de politicagem...Quem perde é a cidade,é o povo de Joinville...O aeroporto é viável sim senhor...Mas ficou abandonado(por algum tempo).Agora que querem viabilizá-lo,alguns querem atrapalhar??? E um político aqui de Joinville??? Construam 10,20 aeroportos internacionais em Araquari...Mas não atrapalhem o melhoramento do (nosso)aeroporto de Joinville...Ok!!!

Crônica de Luiz Fernando Verissimo sobre o BBB

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados..

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.
E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada
a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.

Colaboração:Nelson Mauricio,Curitiba

Dr. Abdala Abi Faraj esteve no programa também

O presidente do PP aqui de Joinville,o Dr. Abdala Abi Faraj também foi entrevistado no programa Contra Ponto e explicou que 98% do partido quis participar da administração municipal..."Foi uma decisão democrática da sigla" concluiu o Dr.Abdala.

Alsione Gomes Filho em boa entrevista

Quem esteve na TV Brasil Esperança foi o secretário de habitação Alsione Gomes Filho...Alsione expôs com muita propriedade tudo que está sendo realizado por sua secretaria em Joinville...O vereador Juarez Pereira(PPS) também esteve no mesmo programa comandado pelo apresentador Cromácio...Quem não assistiu,perdeu um bom programa...Houve momentos que Juares Pereira e o próprio Cromácio ficaram sem ação perante as respostas rápidas e inteligentes do secretário Alsione.

Mas...

...Mas se for necessário,disse que o PDT de Joinville desembarca após as eleições de outubro..."Agora seria muito cômodo criticar a prefeitura"declarou o presidente do PDT...Críticas agora siginificam oportunismo político...Rodrigo falou que sabe das dificuldades da administração pública,pois já esteve lá...Mesmo assim cobrou mais empenho do prefeito Carlito Merss.

Rodrigo Bornholdt foi coerente

O ex-vice-prefeito de Joinville em entrevista ao programa Contra Ponto da TV Brasil Esperança foi muito coerente na defesa e nas críticas a atual administração municipal.

Boa notícia para Joinville

Ampliação da pista

Saiu ontem o edital para contratação de empresas que fará estudo para a ampliação da pista do Aeroporto de Joinville. “Infraestruturas complementares” também estão no pacote apresentado pela Infraero. É uma batalha que anda mais um pouquinho.

Fonte:Jefferson Saavedra,Jornal A Notícia(30/03/2010)

segunda-feira, 29 de março de 2010

Você agrada todo mundo???

Um açougueiro estava em sua loja e ficou surpreso quando um cachorro entrou.

Ele espantou o cachorro, mas logo o cãozinho voltou. Novamente ele

tentou espantá-lo, foi quando viu que o animal trazia um bilhete na boca.


Ele pegou o bilhete e leu:
- 'Pode me mandar 12 salsichas e uma perna de carneiro, por favor.
Assinado:...'

Ele olhou e viu que dentro da boca do cachorro havia uma nota de 50 Reais.

Então ele pegou o dinheiro, separou as salsichas e a perna de carneiro,
colocou numa embalagem plástica, junto com o troco, e pôs na boca do cachorro.

O açougueiro ficou impressionado e como já era mesmo hora de fechar o açougue, ele decidiu seguir o animal.

O cachorro desceu a rua, quando chegou ao cruzamento deixou a bolsa no chão,
pulou e apertou o botão para fechar o sinal.
Esperou pacientemente com o saco na boca até que o sinal fechasse e ele pudesse atravessar a rua.

O açougueiro e o cão foram caminhando pela rua, até que o cão parou em uma casa e pôs as compras na calçada.

Então, voltou um pouco, correu e se atirou contra a porta. Tornou a fazer isso.
Ninguém respondeu na casa.

Então, o cachorro circundou a casa, pulou um muro baixo, foi até a janela e

começou a bater com a cabeça no vidro várias vezes.
Depois disso, caminhou de volta para a porta, e foi quando alguém abriu a
porta e começou a bater no cachorro.

O açougueiro correu até esta pessoa e o impediu, dizendo:

Por Deus do céu, o que você está fazendo? O seu cão é um gênio!'

A pessoa respondeu:
- 'Um gênio? Esta já é a segunda vez esta semana que este estúpido ESQUECE a chave!!!'


Moral da História:

'Você pode continuar excedendo às expectativas, mas para os olhos de alguns, você estará sempre abaixo do esperado'

Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se:


Amadores construíram a Arca de Noé, e profissionais o Titanic.

Abs.

Marcelo Teixeira
Colaboração:Silvana Saldanha,Florianópolis

Para pensar

"A desgraça que se abateu sobre a família de Cadu, não escolhe porta para bater. Neste caso o preço da felicidade é a eterna vigilância".

Paulo Curvello

Crack nem pensar !!! Um texto de Paulo Curvello

Com mais uma edição da campanha crack nem pensar, o grupo RBS presta mais um grande serviço a comunidade.
O efeito do crack é devastador , assim como a maconha. Já ficou constatado no exame toxicológico efetuado no jovem Carlos Eduardo Sandfeld Nunes, de 24 anos, assassino confesso do cartunista Glauco Villas Boas e do seu filho Raoni, que ele se encontrava sob o efeito do consumo de maconha no momento do crime.
Ressalte-se que Cadu, apelido do homicida, fumava cannabis desde os 15 anos, não estudava nem trabalhava atualmente, passou a traficar a droga há três meses e apresentava surtos psicóticos (alucinações e delírios).

Episódios como este, que envolvem uso de drogas e crimes bárbaros têm se tornado corriqueiros. Há meses atrás, no Rio, sob o efeito do crack, um jovem músico estrangulou e matou a namorada no bairro do Flamengo, no interior de um apartamento.

Os estudos mostram agora, que o caso de Cadu pode ser uma comprovação real desse estudos - que a maconha, considerada até então droga leve - os progressistas a chamam de droga recreacional , pode não ser tão inofensiva assim.

Não resta dúvida que o covarde crime - a participação de um cúmplice ainda não está bem explicada - que envolveu a morte do famoso cartunista Glauco e de seu filho Raoni, coloca em xeque a permanente pretensão de ativistas, intelectuais, ONGs e conhecidas ex-autoridades, de descriminalização e/ou legalização da maconha no Brasil.

À sociedade e ao governo fica bem claro que o melhor caminho continua sendo a prevenção.
Aos pais o alerta sobre as possíveis mudanças comportamentais de seu filhos, entre elas: agressividade, abandono do estudo e do trabalho, desmotivação para o esporte, apatia, depressão, troca da noite pelo dia, hematomas nos braços, olhos constantemente avermelhados, lábios ressecados, gasto excessivo de dinheiro, delírios, sumiço de bens móveis em casa e outras alterações comportamentais.

A desgraça que se abateu sobre a família de Cadu, não escolhe porta para bater. Neste caso o preço da felicidade é a eterna vigilância.
Paulo Curvello
Balneário Camboriú
Servidor Público Estadual
curvell@terra.com.br

domingo, 28 de março de 2010

Na terra da dança...o Jec bailou sobre o Avaí...Eita!!!

Um belo texto(flash back) É grandinho,mas muito bom


Política, economia e credibilidade,por Sandra Cavalcanti*

Nós, seres humanos racionais, vivemos de acreditar! Crédito é a palavra-chave de todas as nossas formas de convivência. Todo o processo de educação da criatura humana se desenvolve no terreno da credibilidade. Mesmo quando ainda não adquirimos a capacidade de raciocinar, nós somos movidos pela capacidade de acreditar.

A criança acredita naquele rosto lindo que se debruça sobre ela a cada instante, desde que ela chega ao mundo, trazendo-lhe conforto, segurança, carinho, alimento e, de forma quase imperceptível, muitas informações. Vai crescendo e vai acreditando... Depois acredita na professora, acredita nos livros, acredita nas histórias que lhe vão sendo contadas. Na verdade, todos nós passamos a vida acreditando.

O pior que pode acontecer ao ser humano é a perda da capacidade de acreditar no outro ou a incapacidade de ser objeto da credibilidade desse outro.

O crédito está associado, indissoluvelmente, ao exercício da veracidade. O que mata o crédito é a falsidade, a mentira, a ganância, a esperteza . Sempre que, nas suas mais diferentes atividades, a criatura humana se afasta deste comportamento, as conseqüências são impiedosas.

Faz tempo que aqui, no Brasil, a atividade política se vem distanciando dos valores éticos. Faz tempo que, para legisladores e executivos públicos, o que importa é chegar ao poder, sem nenhuma vinculação com fundamentos morais. Ninguém precisa acreditar na palavra de ninguém. Nem o candidato nem o eleitor. Se as palavras vierem bem formuladas, espertas, manipuladas, cheias de slogans persuasivos, carregadas de promessas coloridas e até perfumadas, elas conseguem ludibriar os incautos e alcançam seus objetivos.

Estamos quase chegando ao fim de tediosa e longa temporada de campanha municipal, que obedece ao figurino perverso do voto proporcional, imposto ao eleitorado brasileiro. Além dos conchavos, dos arranjos, das alianças espúrias e sem sentido, tivemos de suportar os programas de rádio e de TV, definidos como propaganda eleitoral (supostamente) gratuita.

Foi um doloroso espetáculo de malandragem, ausência total de senso de ridículo, completa ignorância sobre os limites e as atribuições legais da administração municipal, acrescidos de amplo desconhecimento dos seus verdadeiros problemas. Prefiro não fazer comentários sobre o exotismo e a palhaçada dos nomes e apelidos dos concorrentes, alguns deles verdadeiramente dignos de platéias de circo.

Houve honrosas exceções. Alguns candidatos evidenciaram, de forma clara, que suas declarações sobre o respeito e a dedicação ao bem comum não eram simples palavrório. Eles revelaram grande valor e atuação muito digna na vida pública. Por isso mesmo, foram premiados com excelentes resultados, tanto para prefeituras quanto para Câmaras Municipais.

Mas no geral, infelizmente e quase o tempo todo, as programações mostraram que, para os candidatos ao exercício de mandatos, a credibilidade importava muito pouco! Ela foi lançada às favas. A maioria só estava em busca de popularidade!

Esse é o grande drama de nossa vida política. A busca de popularidade! A confusão perigosa entre popularidade e credibilidade.

O líder político que busca ter crédito real junto ao povo, que se baseia na capacidade de falar a verdade, esse tipo de líder foi substituído pelos que são capazes de oferecer avassaladoras promessas, tentadoras e irrealizáveis.

Lamentavelmente, porém, o êxito deles decorre de uma dura realidade. As promessas que fazem encontram eco e terreno fértil nos sentimentos de ganância e esperteza de boa parte do eleitorado.

Todo mundo sabe que ninguém cai em conto-do-vigário por inocência... Todos nós conhecemos muitos desses episódios. A esperteza do malandro só dá certo porque conta com a ganância do otário...

Temos um exemplo dramático no terremoto bancário que está abalando a economia americana, a mais poderosa do mundo. A explicação é dramática: deram-se mal os gananciosos de ambos os lados. Vendedores e clientes.

Este catastrófico episódio nos convida, desde já, a uma reflexão sobre o que está acontecendo nestes dias, pelo mundo afora. E, também, a uma tomada de posição firme, para fazer frente às dificuldades que, certamente, chegarão até nós.

Só espíritos acanhados e muito despreparados podem supor que nós vamos passar por esta tormenta sem sofrimentos e sustos. Os tempos serão difíceis.

Os prefeitos que acabam de se eleger, e os que ainda vão disputar o segundo turno, devem se preparar, com competência e decisão, para governar seus municípios com veracidade, com correção, sem mentiras e sem falsas promessas.

A mentira tem perna curta. Mente na segunda-feira e derrapa na quarta. A promessa falsa acarreta prejuízos. Promete na terça e paga o pato na quinta. A ganância gera a miséria. Ganha muito dinheiro na quarta e na sexta está falido.

O crédito, tanto em política quanto em economia, exige o exercício da verdade. Popularidade é uma coisa. Credibilidade é outra. O falso líder é como biruta de aeroporto. Dá uma informação aqui, outra ali. Muda de opinião ao sabor dos ventos. Não merece crédito.

Infelizmente, o sistema eleitoral adotado por nós favorece o aparecimento desses farsantes, sem objetivos programáticos, em sua maioria, e especializados em ocupar máquinas administrativas. Não são líderes de verdade. São chefes populistas. Não buscam crédito. Querem popularidade...

Enquanto, pois, aqui, no Brasil, a popularidade continuar sendo muito mais importante do que a credibilidade, teremos de agüentar as incompetências, as travessuras financeiras, as iniciativas alopradas, os shows dos chefes altamente populares e a docilidade das manadas!

Alguma luz no fim do túnel? Não sei. Tenho medo.

É capaz de ser um trem na contramão...

*Sandra Cavalcanti, professora, jornalista, foi deputada federal constituinte, secretária de Serviços Sociais no governo Carlos Lacerda, fundou e presidiu o BNH no governo Castelo Branco

Chutou o balde...O sonho acabou

O tempo é o senhor da verdade...Não existe mais apoio da mídia e convites para viagens ou coquetéis...Tudo ía muito bem,mas no final,"chutou o balde" e acabou sendo abandonado pelos seus...É,o sonho acabou.

Uma das muitas obras de Thomas Kinkade

Leiam atentamente o texto abaixo.

1- MUITO IMPORTANTE - AVISO AOS SEGURADOS.
Todas às vezes que os senhores se envolverem em acidente de trânsito, cujo terceiro seja um motoqueiro,façam o BO (boletim de ocorrência) independente de serem culpados ou não.
Têm ocorrido fatos em que o motoqueiro é o culpado e tenta fazer um acordo no local, diz que está bem e não quer socorro médico.
Só que, depois, ele vai a um distrito policial, registra o BO e alega que o veículo fugiu do local sem prestar socorro, cobrando, na justiça, dias parados, conserto da moto
, despesas de Farmácia e etc ..
Na maioria dos casos, as testemunhas do motoqueiro são outros motoqueiros.
Isto é um fato, pois está ocorrendo com muita freqüência. Portanto, não caia na conversa do motoqueiro,que diz não ter acontecido nada.
Em um dos casos recentes a pessoa envolvida foi até a delegacia registrar BO, e eis que, quando chega à delegacia, lá estavam os tais amigos do motoqueiro tentando registrar BO de ausência de socorro.

REPASSE A SEUS AMIGOS E FAMILIARES, OLHO VIVO!

Colaboração:Silvana Saldanha,Florianópolis

sábado, 27 de março de 2010

Nota 10 para Luis Carlos Prates e Gerson Basso

O povo está clamando,setores da imprensa também estão se manifestando,como o apresentador e formador de opinião Luis Carlos Prates...O advogado Gerson Basso também é a favor de uma mudança no ECA...Só com a mobilização da sociedade para revertermos essa triste situação de violência e impunidade em nosso país.

Boas propostas de Gerson Basso

Algumas propostas interessantes...

*Temos que voltar a discutir a prisão perpétua e a pena de morte, urgentemente.

*Temos, também, que reformular o ECA, para o qual o Brasil não está preparado ainda.

Obs:Concordo plenamente com advogado Gerson Basso

Cinco nomes fortes para governador(a)

Com certeza...PMDB,PT,PP,PSDB e DEM com candidatos fortíssimos para outubro.

Surpreendente esses últimos dias...

...Sinceramente a política em Santa Catarina nos últimos dias mudou da água para o vinho...O governador Leonel Pavan,querendo mostrar o jeito tucano de governar Santa Catarina...e agora a candidatura de Eduardo Pinho Moreira ao governo do estado pelo PMDB...Ou seja,duas candidaturas que conquistaram espaço e que crescerão ainda mais com a proximidade da eleição.

Deu zebra nas prévias do PMDB

O ex-governador e presidente licenciado do PMDB, Eduardo Pinho Moreira, venceu a prévia do PMDB na Capital. O resultado oficial foi anunciado quando faltavam 3 minutos para as 18h.

Eduardo Pinho Moreira obteve 58,7% dos votos válidos, 99 votos a mais do que Dário Berger, prefeito de Florianópolis. Após a divulgação do resultado, houve novas manifestações sobre a unidade do partido. Dário prometeu apoiar Eduardo Pinho Moreira. O resultado foi visto como surpreendente, pois Dário fez campanha nos últimos 12 dias.

Durante a contagem dos votos, o prefeito de Balneário Camboriú, Edson Piriquito, que tem problemas cardíacos, passou mal. E foi atendido, de forma rápida, pelo cardiologista Pinho Moreira. Piriquito passa bem e voltou para abraçar Moreira. Ao todo, 573 votos dos 595 previstos foram computados, 96,4% de comparecimento ao que foi a maior consulta do PMDB catarinense.

Fonte:Blog do Azevedo,Jornal Diário Catarinense(27/03/2010)

Cavalo encilhado não passa duas vezes???


Errado.No caso de Joinville,o "cavalo" passou duas vezes por aqui sim sr...e não aproveitamos.

Situação complicada para Joinville

A cidade de Joinville precisa aumentar sua representatividade política em nível estadual e nacional.O problema é que nossos representantes na maioria das vezes falam que trarão recursos para a cidade,mas quando conquistam o poder esquecem de nossas demandas.Pensam apenas na manutenção de seu cargo político...e para isso se possível impedem até mesmo a vinda de recursos para a cidade.Aí fica aquele papo:Não recebemos recursos por causa que o deputado tal,é de tal partido.O outro é do PXX...e não vai com a cara do representante do PYY.Quem perde é a cidade.Quando percebemos,já se passaram 10 anos...Estamos fracos de novas lideranças...independente das agremiações.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Motoristas abandonados ao léo

São exatamente 22:10.Trabalhadores e estudantes voltando para suas casas...A avenida Santos Dumont pára.Nenhuma orientação para os condutores de todos os tipos de veículos,é uma verdadeira roleta russa.Cada um por si e Deus por todos.Loucuras e mais loucuras no complicado trânsito daquela via.Olha!!! Se parar para pensar...ocorrem poucos acidentes ali(ainda).

Bangu!!! Grande campanha no Carioca 2010

Belo texto leia sem pressa,vale a pela...Ok!!!

A Tolerância


Giordano Bruno - o pensador italiano que foi queimado vivo na Idade Média por ter defendido a idéia da infinitude do Universo e de sua transformação contínua - é um exemplo eloquente do obscurantismo e da intolerância daquela época quando todos deveriam prestar aceitação cega às “verdades” estabelecidas.Algum tempo depois, Galileo Galilei (1564 - 1642) teve de abjurar para não ter o trágico fim do compatriota. Ele defendia a idéia, absurda para a época, de que a Terra não era o centro do Universo. Embora tendo escapado à morte, teve de conviver com uma prisão domiciliar até o final de seus dias. Spinoza, como Sócrates, foi condenado pelo poder político local por opõr-se às idéias dos dirigentes, por não cultuar as suas personalidades e nem as divindades do Estado, por afirmar que a verdadeira salvação consistiria no conhecimento que é oposto ao fenomênico e sobrenatural que forjam as bases do ateísmo. Para ele, não poderia haver um Deus ou um conhecimento propriedade de algum agrupamento, porque Deus e o conhecimento não são contingentes e nem privilégio de ninguém, por serem imanentes. Estas páginas trágicas de nossa história servem para uma reflexão sobre a intolerância humana e suas conseqüências no nosso dia-a-dia, pois ela continua tão presente como naqueles negros dias medievais. Dentre os defeitos do ser humano, a intolerância é o que mais dificulta a convivência. E esta dificuldade é um grande obstáculo para a evolução do homem que necessitará do concurso de seu semelhante na jornada de aperfeiçoamento que deverá empreender durante a sua vida; se não sabe conviver, terá a sua evolução limitada. A intolerância implica falta de respeito às idéias alheias, inflexibilidade, dureza de juízo.

É difícil aceitar as idéias de outras pessoas quando não coincidem com as nossas; isto porque fomos educados nesta rigidez comportamental que nos impede compreender que podem existir idéias que difiram das nossas e os que as defendam não são nossos inimigos.A intolerância leva o ser humano a não admitir oposição. O intolerante vê no opositor um inimigo sem aperceber-se que a oposição pode ser construtiva, pois nos faz pensar, refletir sobre nossos pontos de vista e concluir, algumas vezes, que podemos estar errados. Os ditadores não admitem oposição. O opositor deve ser afastado, eliminado; só assim o ditador sente-se confortável.Os que impõem, os impostores, estão aí, como naqueles negros dias medievais; nos governos, empresas e instituições diversas; nas mentes dos seres humanos, pensamentos retrógrados que as encarceram numa rigidez milenar e que têm afastado o ser humano de si mesmo e de seus semelhantes. Surpreender esta realidade em si mesmo, na própria mente, e trabalhar para eliminar este pensamento é o único caminho capaz de livrar-se deste obscurantismo medieval.Educar as crianças no sentido da flexibilidade psicológica, desde que as idéias antagônicas não firam os princípios básicos da harmônica convivência humana, significa incutir no educando a tolerância que lhe permitirá respeitar o seu semelhante e ser respeitado.A tolerância tem sua aplicabilidade dentro de limites bem definidos. Sua ausência implica falta de sentimentos, solidariedade e compreensão; o excesso, em ingenuidade. Ela não pode significar fraqueza nem passividade. Tolerar é compreender, aceitar opiniões divergentes, pois cada uma é fruto de um juízo pessoal.

A intolerância é própria do despotismo – a ditadura pela força – e do totalitarismo – a ditadura pela ideologia -, estes sim intoleráveis.A verdade não se impõe. Ela se mostra como um resultado para quem dela se aproximou pelo esforço, estudo, observação e uma grande esperança aninhada no coração.Cada pequeno conhecimento é um fragmento de verdade que unido a outros vai dando o sentido da realidade. A tolerância é conhecimento, virtude, pensamento, escudo protetor, chave mágica para a inteligência que pode ser conquistada através do esforço diário por compreender e aceitar opiniões divergentes que podem se conciliar.

Nagib Anderáos Neto
neto.nagib@gmail.com

Sobre o caso Gabrielli

Não se sabe quem são os culpados pela morte da menina Gabrielli até o momento...tudo voltou a estaca zero.Mas com certeza existem os responsáveis.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Olá Outono!!! Tudo Bem???


Seja bem vindo!!!

Homenagens a Luiz Henrique

Prefeitos de todos os municípios da região Norte e de todos os partidos, a começar pelo petista Carlito Merss, participaram da homenagem prestada agora há pouco ao ex-governador Luiz Henrique, iniciativa da Secretaria Regional de Joinville.

Luiz Henrique confirmou que estará neste sábado, às 11h30min, em Florianópolis, para falar nas prévias do PMDB, previstas para a Assembeia Legislativa.

Fonte:Blog do Moacir Pereira(25/03/2010)

Protesto cancelado

O deputado Amauri Soares(PDT) e a Aprasc tinham programado um protesto dos praças da Polícia Militar do Estado no ato de entrega da carta-renúncia pelo governdor Luiz Henrique. Quando souberam que ele falaria no ato de posse de Leonel Pavan, desistiram da manifestação.

Mas o presidente da Associação e o parlamentar fizeram declarações contra Luiz Henrique. Disseram que “a familia militar está feliz com sua saída. No último mandato só prejudicou a segurança pública catarinense”.

Fonte:Blog do Moacir Pereira(25/03/2010)

Indenização pela frente...

Processos contra o Estado e contra a imprensa vindo por aí...Vão preparando o "cofrinho"...Também pudera,acabaram com a reputação do pedreiro.

Dr. Quirino foi ridicularizado por setores da imprensa

Quem deve estar contente também com a inocência de Oscar do Rosário,é o conhecido médico legista de Joinville,o Dr. Nelson Quirino que na época deu sua opinião sobre o crime e foi ridicularizado por parte da imprensa da cidade.

Méritos para a Gazeta de Joinville

Parabéns ao Jornal Gazeta de Joinville.O semanário foi até o fim defendendo o pedreiro Oscar do Rosário...Parabéns também ao jornalista Rogério Giessel que entrou de cabeça nessa pauta trazendo sempre novos argumentos sobre o famoso crime da Igreja.

O julgamento e o circo,por Paulo Curvello

O julgamento da Isabella Nardoni, como não podia deixar de ser, nesse nosso Brasil varonil,virou um circo.

Tem de tudo, popular faltando ao trabalho e atrapalhando a entrada do fórum, pastor dando ataque, piriguetes aos montes, jornalista emitindo opinião sem o mínimo preparo para tal, e por aí vai. Virou um circo.

Gente querendo agredir o advogado de defesa, esquecendo que aquele, é o papel dele.

Outros “estudantes” de direito , deixando de jogar sinuca e colar na faculdade para ficar por dias e noites na frente do fórum.

Os programas de TV então, nem se fala. A Band chegou ao cúmulo de dentro do programa “de gosto duvidoso” da Silvia Popovick, a criar um tribunal com populares fazendo papel de juiz , promotor e jurados.

Tudo isso claro, apresentado pelo “doublé” de dramaturgo e ex-repórter esportivo Marcelo Resende.

O que tem de palpiteiro, curioso, fofoqueiro á uma grandeza. Como diz o irreverente Zé Simão da folha: “é o País da piada pronta”.

Paulo Curvello

curvell@terra.com.br

Brasil: automenosprezo e racismo,por Luís Carlos Lopes*

Ao contrário de vários povos, o brasileiro tem a mania de se automenosprezar, de se achar menor e de assumir culpas de fatos e problemas que não são seus. Se há corrupção, é que todos seriam corruptos. Facilmente, deslizes pequenos cometidos pelos pobres são comparados aos atos deliberados agentes de Estado e de ladrões engravatados (empresários) que enriquecem com o dinheiro público. Segundo este vício terrível, os brasileiros seriam menores por terem origem nos negros africanos, nos índios das Américas e nos portugueses, vindos para cá para roubar. O caráter nacional da população desse país teria nascido torto e sem solução. Por compensação, os habitantes do Brasil teriam uma natureza geográfica exuberante e, Deus, de fato, seria nascido aqui.

Estas afirmações não são tão difíceis de serem compreendidas. Observe-se que nelas há uma tentativa de ocultar o que é possível ver a olho nu. A autofagia brasílica tem origem colonial, foi refundada no Império e reafirmada na República. Nela, se misturam o olhar do colonizador e criador dos fundamentos culturais dominantes do país com o dos colonizados que se miraram no espelho dos que vieram para cá e se apossaram deste pedaço das Américas. Nesta visão, tudo de bom era o que vinha de fora, aqui era o lugar para acumular riquezas de modo fácil e usar dos lucros para comprar as mercadorias do além-mar.

Os racismos antinegros e anti-ameríndios têm a idade do início da colonização, logo, cinco séculos. A inferiorização das maiorias foi estendida aos seus descendentes, gerando um sentimento de menoridade e incapacidade até mesmo nas elites mestiças. Este modo de ver o mundo deixou raízes profundas e se escamoteou em vários modos de dizer que os brasileiros eram um povo de segunda classe. Jamais isto foi inteiramente superado, persistindo de algum modo até o século XXI. O modo de falar isto já não é o mesmo do passado. Mas, o racismo continua presente em fontes insuspeitas, por exemplo, nas emissões da tv aberta. Nelas, os índios praticamente não existem e os negros, apesar de serem a maioria dos habitantes do Brasil, têm apenas uma cota informal, conseguida com bastante dificuldade e muito recentemente.

O pano de fundo de tudo isto foi os quatro séculos de escravidão dos afrodescendentes que embutiram os esquecidos dois séculos de cativeiro dos nativos. Mesmo com a escravidão em crise na segunda metade do XIX, quem eram os que não eram escravos? Os imigrantes europeus que aportaram no Brasil, aqui encontraram condições de vida bem próximas as da escravidão. Como nos EUA coloniais, usou-se, com eles, o sistema de servidão por contrato. Neste, os que vinham estavam sempre devendo aos fazendeiros e as empresas que os traziam. Os escravos alforriados na mesma época, deviam quase sempre obrigações aos seus ex-senhores. Não eram mais escravos de direito, mas continuavam próximos à situação de escravos de fato. A abolição legal da escravidão (1888) representou uma importante mudança. Entretanto, os estoques de populações originárias do passado escravista continuaram a ser discriminados, até mesmo pelos imigrantes brancos que vieram substituí-los, progressivamente, desde o governo do Pedro II.

O racismo brasileiro fundamentou, e ainda fundamenta, o automenosprezo de segmentos da população, que imaginam o país como inferior e sem solução. As elites adoram e disseminam este sentimento, que é fortemente conservador e útil aos propósitos dos mais ricos e poderosos. Felizmente, desde há muito, há quem não concorde com nada disto e lute para dizer o óbvio. O Brasil é um país como outro qualquer. Do ponto de vista moral, não é menor e nem maior. Seu povo tem qualidades e defeitos, como qualquer outro. O que existe aqui pode ser modificado para melhor ou para pior, dependendo de quem estiver no poder e do comportamento dos governados.

Oficialmente, o país não é mais racista. Desde a era Vargas, o Estado foi abandonando pouco a pouco uma postura discriminadora. Trocou o racismo escancarado do Império e da República Velha pelo mito questionável e problemático da democracia racial. O fazer político precisava de se organizar, isto é, os governantes necessitavam inventar um povo de governados. Precisava se dirigir diretamente à maioria da população, tal como Vargas o fazia: “Trabalhadores do Brasil...”. A mestiçagem foi considerada um bálsamo, sem que o velho racismo desaparecesse por completo. Afastado de uma militância estatal ostensiva, ele se refugiou nas estruturas sociais, dando um jeito de se manter. Memoráveis lutas antiracistas fizeram o combate a esta ideologia, nos últimos cinqüenta anos. Entretanto, apesar de cada vez mais acuado, denunciado e criminalizado, o racismo continua presente no cotidiano brasileiro.

Ninguém mais tem a coragem de dizer publicamente que os negros, os índios e os mestiços são povos inferiores. Mas, eles continuam tendo níveis de segregação facilmente constatáveis nos dados que indicam que eles são os que: são mais pobres; mais estão presentes nos presídios; são os maiores números de desempregados; enfrentam piores condições de vida; têm suas histórias sonegadas no ensino de qualquer nível; menos aparecem nas grandes mídias.

Há exceções importantes. No futebol, a negritude e a mestiçagem brasileiras são celebradas como gênios da raça. No carnaval, como diz o poeta, “napoleões retintos”, desfilam para os brancos do Brasil e do mundo, encantando as audiências e escondendo uma dura realidade. Nos últimos anos, foram possíveis o aparecimento e desenvolvimento de classes médias negras, ávidas para consumir e se diferenciar. O que continua como dantes é a ignorância sobre as histórias dos povos de origem africana que aqui aportaram e, ainda mais forte, o silêncio sobre a história das populações indígenas encontradas pelos portugueses no século XVI. Os jovens sabem bastante sobre as últimas novidades de consumo midiático e tecnológico. Nada, ou quase nada, conseguem alcançar sobre suas origens. Mesmo que na Internet exista bastante informação sobre estas coisas. O problema é que elas são raramente acessadas e são rarefeitas e pulverizadas no universo comunicacional caótico do tempo presente.

(*) Luís Carlos Lopes é professor e autor do livro "Tv, poder e substância: a espiral da intriga", dentre outros

Brasil: automenosprezo e racismo

O racismo brasileiro fundamentou, e ainda fundamenta, o automenosprezo de segmentos da população, que imaginam o país como inferior e sem solução. As elites adoram e disseminam este sentimento, que é fortemente conservador e útil aos propósitos dos mais ricos e poderosos.

Luís Carlos Lopes*

Especialização em Filosofia e Valores Humanos

Faculdade Vicentina
Especialização em Filosofia e Valores Humanos
Inscrições abertas

Público Alvo
Profissionais liberais

Educadores;

Pessoas interessadas no aprofundamento de questões ético-filosóficas.

Objetivo

O Curso busca aprofundar o debate sobre temas relacionados às questões cotidianas das empresas e do sistema educacional a partir do embasamento teórico interdisciplinar; criar um elo entre a reflexão filosófica, o ambiente educativo e o mundo multifacetado da convivência humana;

Corpo Docente

Dra. Angela

Dr. André Marmilicz

Dr. Bortolo Valle

Dr. Domenico Costella

Dr. Luiz Balsan

Ms. Aluísio Von Zuben

Ms. Cloves de Amissis Amorim

Ms. Eli Carlos Dal’Pupo

Ms. João Baptista Penna de Carvalho Neto

Ms. Sandro Castro

Ms. Silvestre Grzibowski

Esp. Avanir Mastey

* O corpo docente será preenchido com outros mestres e doutores

Disciplinas e carga horária

* Alteridade (15h)
* A ética da civilização tecnológica (15h)
* Bioética (15h)
* Complexidade (15h)
* Deontologia (15h)
* Didática do Ensino Superior I e II (30h)
* Economia e valores humanos (15h)
* Educação na sociedade multicultural (15h)
* Espiritualidade e gestão (15h)
* Ética e liberdade (15h)
* Filosofia da Educação (15h)
* Introdução à Filosofia (15h)
* Liderança e Relações Interpessoais (15h)
* Logoterapia e auto-transcendência (15h)
* Metodologia Científica (15h)
* Meio ambiente e valores humanos (15h)
* O desenvolvimento moral (15h)
* Paradigmas éticos (15h)
* Psicologia social (15h)
* Seminário (15h)
* Valores humanos na filosofia antiga (15h)
* Valores humanos na filosofia cristã (15h)
* Valores humanos e racionalismo (15h)

Local das aulas: Faculdade Vicentina (Av. Jaime Reis, 531 - São Francisco - Curitiba - PR)
Periodicidade: Mensalmente – sexta à noite e sábado o dia todo
Vagas: 35

Documentos necessários para Inscrição
- Fotocópia autenticada do Diploma de Graduação

- Fotocópia autenticada do Histórico da Graduação

- Fotocópia do RG

- Fotocópia do CPF

- Fotocópia do comprovante de residência

- Foto 3x4 recente

O curso atende integralmente ao disposto na Resolução CNE/CES nº01 de 08 de junho de 2007

Início do curso: Agosto de 2010 (Sujeito a formação de turma)

Maiores informações:
(41)3222-7716 (08h – 12h) ou (41)9205-2372 (com Fábio)

www.faculdadevicentina.com.br / fabio@favic.com.br

quarta-feira, 24 de março de 2010

Alemão em Blumenau,aonde???

O texto abaixo é muito bom. Foi escrito por Urda Klueger , de Blumenau em 2003.

Principalmente quando ela diz com muita propriedade:

“Alemão em Blumenau? é tudo filho, neto, bisneto, trineto de alemão, e por aí vai.”

Aliás o exemplo serve para todas as cidades ditas alemãs de SC.

Alemão dormindo a “siesta”?

Dizem que Santa Catarina tá cheia de alemão. Aqui no Vale do Itajaí, onde moro, dizem que tem mais alemão que formiga. Discordo: se tiver uma centena, tem muito. O restante é tudo filho, neto, bisneto, trineto de alemão, e por aí vai. Tudo brasileiro legítimo, como dizia o nosso humorista no passado.
Daí penso no meu amiguinho Hermann Reimer, de Pomerode, apesar de ser algo assim como a sexta ou sétima geração de brasileiro, aos 23 anos ainda se acredita alemão e acha que se for para a Alemanha vai ser aceito, lá, como um igual. Canso de avisá-lo: no dia em que for visitar a Alemanha, prepare-se para ser recebido como terceiro-mundista. Daí que estes nossos alemães, digamos, “falsificados” (por favor, não fiquem brabos – eu tinha que arranjar um adjetivo!) têm toda uma filosofia de vida baseada no culto ao trabalho, e eu volto ao meu amiguinho Hermann Reimer: em monografia de especialização na universidade Regional de Blumenau, além de defender o culto ao trabalho, contou como seu avô, seu bisavô, enfim, sua família sempre lhe disse da importância de manter-se o tempo todo ocupado, da importância de transformar-se tempo em dinheiro, da coisa vergonhosa que era o ócio.
Daí eu pergunto: diante do exposto, e do que a gente vê no dia-a-dia, alguém de vocês é capaz de imaginar um “alemão” a deitar-se após o almoço e a dormir até as cinco da tarde? Vamos imaginar esse alguém com toda a força da juventude e da saúde. Conseguem imaginar, no dia-a-dia, os nossos “alemães”, em todos os dias do ano, a dormir prolongada siesta, essa grande invenção dos povos mediterrânicos? (desconfio que os mediterrânicos já a copiaram dos árabes, que por ali andaram e ficaram na Península Ibérica por volta de oito séculos).
Bem, acabo de voltar de duas semanas maravilhosas no nosso vizinho tão desprezado, o Paraguai, e lá vi coisas que nem num ano conseguirei contar para vocês. Uma delas foi ver “alemão” dormindo a tarde inteira, todos os dias.
Vamos começar esquecendo que existe uma Ciudad Del Este, onde sacoleiros e outros curiosos fazem compras e contrabando, e onde se fica com uma impressão de sujeira e de coisas ruins sobre nosso vizinho país. Depois que a gente ultrapassa a cidade fronteiriça, vamos ter um Paraguai lindo, verde, com milhares de coisas interessantíssimas para conhecer, desde a cidade de Assunción até as cidades menonitas no Chaco. Agora complicou, não foi? Pois é, o Chaco é uma região ao norte do Paraguai, extremamente verde, apesar das escassas chuvas, e onde há como que todo um “estado” menonita. Menonita é uma religião que vem desde lá de 1520, se não me engano, e que foi fundada na Suíça logo depois que Lutero fez a Reforma Protestante. Assim como os luteranos tiveram o apoio dos príncipes alemães e acabaram ficando muito poderosos, os menonitas nunca tiveram grande apoio e foram perseguidos pelo mundo afora durante quatro séculos. O primeiro país que disse: “Venham para cá, temos terra, faremos leis especiais para vocês!” foi o Paraguai. E em 1930 eles vieram das mais diversas partes do mundo (já estavam até na China, de tão perseguidos), e criaram três “colônias” no Chaco paraguaio. Vamos dizer que cada “colônia” dessas tenha mais ou menos o tamanho do Vale do Itajaí, e que cada uma possui uma cidade que é uma sede administrativa. Fiquei em Filadélfia, mas há também as cidades de Loma Plata e Neuland, e lá tudo é alemão: desde a língua, as comidas, as construções, a organização, tudo. Daí a gente bate na grande diferença: a siesta. Donde já se viu alemão dormir la siesta? E ainda mais uma siesta de quatro a cinco horas? Siesta não é coisa de espanhóis e seus descendentes? “Alemão” de Santa Catarina teria coragem de dormir a tarde inteira sem ser chamado de malandro?
Pois é, gente, alemão menonita do Paraguai (os velhos já morreram quase todos, na verdade os alemães de lá são tão falsificados quanto os daqui, tudo paraguaio) dorme la siesta todas as tardes, nas horas de maior calor. Sem o menor constrangimento. Sem medo de ser chamado de malandro. Queria ver os “alemães” de Santa Catarina terem coragem para tanto!

Paulo Curvello

Balneário Camboriú
curvell@terra.com.br

Informação não é tudo...

Em pesquisa, adolescentes admitem pegar carona com motoristas que ingeriram bebidas alcoólicas


Estudo foi promovido pelo Denatran

Um estudo inédito promovido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) revelou quais são as atitudes dos adolescentes das grandes cidades brasileiras quando o assunto é trânsito. Indagados sobre com quem voltam para casa após uma "balada", 55% deles admitiu que pegam carona com motoristas que ingeriram bebidas alcóolicas.
A pesquisa ouviu 868 jovens de 15 a 17 anos, de seis capitais: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília e Recife. A partir deste trabalho foi possível perceber três importantes aspectos que podem servir para os órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito fundamentarem suas ações junto ao público jovem.
Lei Seca

Quando o tema é álcool e direção, os dados revelam um quadro preocupante: mesmo que 84,9% dos jovens afirmem conhecer a Lei Seca e 88,5% defendam a proibição de beber antes de dirigir, 55% deles revelou que retorna para casa de carona no carro do amigo que ingeriu bebida alcoólica.

Mais uma vez meninos e meninas têm comportamentos diferentes. Entre as meninas mais da metade (50,7%) afirmou voltar da balada com um amigo que não bebeu. Já entre os meninos a vulnerabilidade é ainda mais acentuada, 61,2% deles admitiu ser carona de veículo conduzido por um amigo que bebeu antes de dirigir.

Cinto de segurança

Dos jovens pesquisados 65,5% é carona de um veículo conduzido por seus amigos ou pais. Mas a pesquisa concluiu que essa condição não está associada a uma atitude de segurança efetiva. Apenas dois em cada dez jovens (21,6%) afirmaram utilizar sempre o cinto de segurança na condição de passageiros no banco traseiro.

Enquanto caronas de amigos 35% dos jovens afirmou que nunca usa o cinto de segurança no banco traseiro. A companhia dos pais também não está associada à maior segurança. Apesar da presença e autoridade do pai ou da mãe conduzindo o jovem para a “balada” e no retorno para casa, 28,9% revelou que nunca usa o cinto de segurança e outros 44% o utiliza eventualmente.

Fonte:zerohora.com(24/03/2010)

Eu escrevi...Ramirez não tinha culpa

A imprensa esportiva de Joinville conseguiu derrubar o Sérgio Ramirez...Agora está feliz...Só faltam dizer que estão com saudade do uruguaio...Tenham pelo menos a humildade de reconhecer que Ramirez foi campeão do primeiro turno com essa mesma equipe.

Esse aqui gosta do ECA...

A próxima vítima pode ser...

...Você mesmo!!! Vão tirando a responsabilidade da juventude...Pensam que é brincadeira é??? Depois não reclamem que não tem mais lugar no ônibus para você sentar e que você apanhou dentro de sua casa,na rua ou na escola,por esses "anjinhos".

Digo mais uma coisa...

...O candidato em 2010 que defender a diminuição da idade penal...leva fácil,fácil essa eleição...A não ser...que ele queira o voto dos "anjinhos"né!!! Gugu dadá!!! Gugu dadá!!!

Estado brasileiro erra com o ECA

Um dos maiores erros do Estado brasileiro é insistir com o Estatuto da Criança e do Adolescente...o famoso ECA.Falam e falam do ECA,como se fosse uma "grandes coisa"...Está mais do que provado...que a delinquência juvenil aumentou com a efetivação do ECA...O maior abuso,o maior deboche...é que "uma criança inocente" pode votar com 16 aninhos...Mas,esse "anjinho" se matar,se assaltar,enfim se cometer qualquer ato criminoso não vai para a cadeia...Isso é um abuso...Não gostou do que eu escrevi??? Então leve esses "anjinhos indefesos" para a Disneylândia...Vai lá!!! Leva ele.

Presidente do PC do B de Novo Hamburgo morre em acidente

O PC do B do Rio Grande do Sul vive momento de consternação por causa da perda do seu dirigente estadual e presidente do partido em Novo Hamburgo, Fábio Juliano Wasem, 35 anos, vítima de trágico acidente ocorrido nesta terça, 23.

Ele era representante comercial e viajava sozinho num Honda Civic quando, por volta das 18h, bateu em um caminhão no quilômetro 84 da BR-470, em Rodeio, no Vale do Itajaí, a 170 quilômetros de Florianópolis. O motorista do caminhão, um semirreboque com placas de Blumenau, teve ferimentos leves e foi encaminhado ao hospital em Indaial. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não soube apontar as causas do acidente.

Fonte:www.pcdob.org.br(24/03/2010)

Partido Verde de Joinville com seis candidaturas para 2010

Os prés-candidatos são esses:Aurélio Mayorca,Rogério Novaes e Sérgio Luis Mira para a Assembléia Legislativa...Para a Câmara Federal são esses aqui: Douglas Gonçalves,Evanguelos Cabral e Maria Amancio...Pelo visto, é o partido que lançará mais candidatos por Joinville.

Prudência médica!!! por Paulo Curvello

Esclarecedor o artigo “Prudência médica” publicado em A Notícia 24/03.
Nele, o avô Célio Flores , relata que um médico diagnosticou que sua filha teria uma menina, quando mais tarde descobriu, se tratar de um menino.
Erros e descaso médico, são muito mais comuns do que se imagina e infinitamente maior do que é divulgado.
Nesse caso, segundo o pai da gestante, a filha entendeu e já providenciou nome, mobília e brinquedos de acordo com o sexo.
Mas o fato, poderia ter causando um trauma maior. Inclusive chegando as raias da rejeição da mãe a criança, podendo desencadear o crime de infanticídio.
A mãe após o parto pode ficar sob a influência do estado puerperal, que por vezes dura até alguns dias.
Mas como diz o avô com muita propriedade " o importante é que venha com saúde independente do sexo".
Médicos. Mais cuidado com suas análises e diagnósticos.

Paulo Curvello
Balneário Camboriú
curvell@terra.com.br

terça-feira, 23 de março de 2010

Leonel Pavan terá a caneta na mão


Faltam poucas horas para o PSDB comandar Santa Catarina...Leonel Pavan será o primeiro governador tucano a ter de fato e de direito a caneta na mão aqui no estado.A expectativa é grande em toda Santa Catarina.

Voltolini X Infraero


O secretário de Integração e Desenvolvimento Econômico de Joinville, Eni Voltolini, recebeu na tarde da última sexta-feira (dia 19/03) o assessor especial da presidência da Infraero, Paulo Sérgio Ramos Pinto.

Fonte:Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville

Custe o que custar!!!

Efusivos parabéns ao pessoal do “CQC” da Band. Ontem 22/03 foi exibida matéria histórica.

Finalmente, aconteceu a exibição da matéria sobre o televisor que foi doado à secretaria de educação de Barueri, mas estava na casa de uma funcionária.

Segundo, porque foi publicado um documento que mostra a decisão do Desembargador Marrey Uint, da Terceira Câmara de Direito Público, do Tribunal de Justiça de São Paulo, em favor do CQC e que “em palavras claras e diretas, nos dão algum alento de poder viver, quem sabe num presente próximo, num país mais digno, justo e com livre expressão de pensamento”, em palavras do próprio Tas.

A rapaziada ainda foi entrevistar o prefeito que inúmeras vezes debochou da reportagem inclusive chamando todos os integrantes do programa de “babacas”. Só faltou dizer que “prende e arrebenta” assim como disse num passado recente um presidente militar que preferia o cheiro de cavalos ao do povo.

Parabéns pela reportagem , desprezo total pela censura imposta. E quanto ao prefeito?

Esse, infelizmente, é apenas mais um.

Paulo Curvello

Balneário Camboriú

curvell@terra.com.br

Univille convida...Clique na imagem para visualizar melhor

Uma idéia...

Peguem esses presidiários a mandem capinar os cemitérios, ruas e calçadas de Joinville que estão uma coisa horroróóóósa!!!

Prefeitura e Penitenciária discutem novas parcerias

O prefeito de Joinville, Carlito Merss, recebeu na tarde desta segunda-feira (22) o diretor da Penitenciária Industrial de Joinville, Richard Harrison Chagas dos Santos,para discutir a ampliação de parcerias nas áreas de educação e geração de renda aos apenados. O objetivo é incluí-los na comunidade, diminuindo ainda mais a reincidência, que hoje é de 12% na Penitenciária, enquanto no Brasil este índice chega a 83%.

Richard Harrison levou ao prefeito Carlito Merss a ideia de apenados em regime semi-aberto trabalharem na fabricação de lajotas tipo paver para serem usadas na confecção de calçadas.Pela proposta, a Prefeitura entraria com o pagamento dos apenados, material e a criação de demanda, e a Penitenciária, com a mão-de-obra e capacitação. O diretor da Penitenciária citou a criação de uma cooperativa para viabilizar o processo. O local para a fabricação de paver também foi discutido, mas o ideal é que seja próximo da nova ala para apenados em regime semi-aberto que será inaugurada em abril e terá 186 vagas.

Também foi discutida a ampliação da parceria entre a Penitenciária e a Prefeitura na área educacional. Dos 132 apenados que estudam, 102 fazem o ensino fundamental por meio da Educação de Jovens e Adultos da Secretaria de Educação de Joinville. Mas a direção da Penitenciária quer ampliar o número de alunos para 200, o mesmo número de apenados que trabalha na Penitenciária para 13 empresas de Joinville, com os benefícios da remissão de pena e remuneração.

A Fundação Cultural de Joinville também é parceira da Penitenciária ao dar cursos de música e artes. São 20 alunos em cada um dos cursos. Um quadro pintado pelo apenado Fabiano Gonzato foi entregue como presente ao prefeito Carlito Merss na tarde desta segunda-feira. Na dedicatória, Gonzato diz que descobriu o talento para a pintura em função do curso oferecido dentro da Penitenciária e que ele já mudou a sua vida.

Atividades para as mulheres apenadas também foram discutidas durante a reunião. A diretora-executiva da Secretaria de Assistência Social, Cássia Nunes, sugeriu parceria com a Gerência de Fomento à Geração de Renda da secretaria para cursos de costura dentro da Penitenciária. Outra ideia foi oferecer cursos de jardinagem por meio do programa Bela Flor, da Promotur. Hoje, dos 366 apenados da Penitenciária Industrial, 126 são mulheres.

Para o prefeito Carlito Merss, todas as possibilidades de novas parcerias discutidas na reunião são válidas e interessantes. "Vamos ampliar a parceria na área de educação e no que mais for possível. Não podemos fazer o que não é da nossa competência como município, mas estamos abertos às parcerias para diminuir a reincidência e dar opção de emprego a essas pessoas", disse.

Acompanharam o encontro o gerente de Execução Penal da Penitenciária, Fábio Augusto da Silveira, e a gerente de Saúde, Ensino e Promoção Social da Instituição, Jaqueline Fachini.

Fonte:Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville(22/03/2010)

segunda-feira, 22 de março de 2010

Clique na imagem para ver e ouvir

Mudança da capital já

O dinheiro do povo catarinense não pode ser usado apenas para o desenvolvimento de Florianópolis...É preciso urgentemente tirar a sede do governo da Ilha de Santa Catarina...O custo para mantêr a capital em Florianópolis aumentará a cada ano...Chega de quarta ponte,túnel ou estacionamento no sub-solo...Só com o dinheiro que foi gasto na ponte Pedro Ivo Campos poderia ser construído um novo centro administrativo em outra cidade catarinense.

472 vítimas??? Ninguém deu bola para essa manchete???

Somando afogamentos, assassinatos e acidentes de trânsito, foram registradas 472 mortes no Estado, na temporada 2009-2010 – quase cinco por dia. Os crimes lideram a lista, com o registro de 227 assassinatos. Perto vem o trânsito, conhecido e antigo problema catarinense, com 208 casos. Os afogamentos deixaram 37 vítimas.

O delegado geral da Polícia Civil, Maurício Eskudlark, afirma que o verão não influencia no número de homicídios. Ressalta que durante toda a temporada houve um assassinato envolvendo turista, ocorrido na Praia Brava, em Itajaí. Ele explica que as vítimas são as mesmas do restante do ano, ou seja, pessoas envolvidas com tráfico de drogas. Declara ainda que Santa Catarina tem os melhores índices do país, mas que é possível baixar.

Segunda principal causa de mortes no verão, o trânsito apresenta uma estabilidade na comparação com as duas temporadas anteriores (veja quadro acima). O chefe da Central de Operações da Polícia Militar Rodoviária (PMrv), major Marcelo Pontes, considera os números estáveis. Ele revela que 90% dos acidentes com vítimas são resultado de falhas humanas. Diz ainda que a maioria dos casos ocorridos no verão são registrados nas rodovias estaduais que passam pelo Litoral e na estrada que liga Tubarão a Lages.

O chefe de Informações da Polícia Rodoviária Federal, Carlos Wolff, atribui a variação nas rodovias federais ao aumento da frota, que todo ano cresce cerca de 5%. A esperança de que na próxima temporada caia o número de vítimas se concentra nas obras de duplicação da BR-101. Wolff projeta que a estrada estará quase concluída e com melhores condições de tráfego.

No longo prazo, Wolff defende maior rigor na aplicação do Código de Trânsito Brasileiro. Lembra que está prevista a perda da carteira de motorista para quem completar 20 pontos. Na prática, diz ele, não acontece. O chefe da PRF acredita que a entrada em vigor deste item impactaria positivamente na redução de mortes.

Afogamentos ocorrem em área sem postos de guarda-vidas

Quanto aos afogamentos, houve um avanço na comparação com a temporada 2007/2008 e redução na relação com o último verão. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Álvaro Maus, avalia que não há uma tendência definida. Ele declarou que a maioria das vítimas está em pontos sem postos de salva-vidas, o que indica necessidade de mais investimentos.

felipe.pereira@diario.com.br

Fonte:Jornal Diário Catarinense(22/03/2010)


Empregado que perdeu três dedos em acidente ganha indenização

“Basta!!! Vamos mudar este quadro!” Assim se expressou a juíza Maria de Lourdes Leiria, titular da 3ª Vara do Trabalho de Blumenau, na sentença em que reconheceu o direito de um trabalhador receber indenização por danos estéticos e morais. A “palavra de ordem” foi dada após a citação de números preocupantes de mortes provocadas em acidentes de trabalho.

Entenda o caso
O autor, encarregado de usinagem em uma fábrica de móveis e artefatos de madeira, ajuizou ação trabalhista pedindo indenização por ter perdido três dedos da mão direita. O acidente, que teria ocorrido durante a limpeza de uma das máquinas, provocou lesão com dano irreversível. A empresa alegou a culpa do empregado, que teria descumprido a orientação de fazer a limpeza com a máquina desligada. Afirmou que existiam todos os dispositivos de segurança.

Para a juíza que proferiu a sentença, o risco do empreendimento é do empregador. “A empresa não pode preocupar-se apenas com o lucro e esquecer do ser humano que lhe presta trabalho. Deve investir em segurança, saúde e capacitação, fiscalizando e exigindo dos empregados o cumprimento das normas de segurança não observadas por eles”, observa a juíza.

Segundo a magistrada, “o direito à saúde e segurança no local de trabalho, mais do que um direito trabalhista, é um direito humano fundamental que o empregador tem o dever de respeitar e fazer cumprir”. No caso, a juíza concluiu que as condições em que o acidente de trabalho ocorreu foram influenciadas também pela imprudência e negligência do empregado, o que caracteriza a chamada “culpa recíproca”.

Por conta desse reconhecimento, o autor deve receber a metade do valor deferido – R$ 160 mil – para as duas indenizações. A condenação ficou em R$ 40 mil para o dano moral e R$ 40 mil para o estético.

Do TRT/SC

Fonte:www.sindmecanicos.org.br

Aparelho foi criado pra deixar o motorista “mais fresco”

De hoje até quinta-feira a Embraco, de Joinville, expõe no pátio do posto Santa Rosa, em Itajaí, um novo sistema usado pra esfriar as cabines de caminhões. Diferente dos refrigerados convencionais, o Aerotruck, como é chamada a engenhoca, não usa filtros de palha e nem o poluente gás CFC, que detona a camada de ozônio.

Além disso, afirma a fabricante, um compressor de ar exclusivo usa a bateria do caminhão de forma inteligente. O esfriador pode ser usado com o caminhão desligado, e um sensor corta a energia do aparelho quando perceber que a bateria está meia-boca.

Edu Machado, gestor de Desenvolvimento de Negócios da Embraco, diz que o produto foi criado pra ser usado principalmente quando o motorista estiver descansando em viagem.

O equipamento é operado por um controle remoto e o caminhoneiro pode até direcionar o ar para determinadas partes da cabine e puxar um ronco mais fresquinho.

A exposição acontece das 10h às 18h. O posto Santa Rosa fica nas margens da BR-101, perto do trevo de Itajaí que leva a Blumenau.

Fonte: Diarinho do Litoral

Paulo Curvello

Balneário Camboriú

88 anos do PC do B


Dia 25 de março o PC do B estará completando 88 anos...É a sigla partidária mais antiga do país...A foto é de João Amazonas,um dos líderes do partido nesses 88 anos de história.

Outra do twitter do Gerson Basso

"Fazer política exige uma boa dose de inteligência".

Gerson Basso escreveu:

Gerson Basso,um dos maiores líderes do Partido Verde de Santa Catarina declarou através de seu twitter...

"Estou muito preocupado com o futuro do PV. O partido não tem estrutura para bancar uma candidatura majoritária, com apenas quatro vereadores em SC".

"Sou absolutamente contra a chapa própria para o governo nas próximas eleições, por absoluta falta de estrutura partidária do PV em SC".

Fonte: twitter do Gerson Basso

Ziraldo e a educação ambiental


É o cartunista Ziraldo sempre orientando as crianças através de seus desenhos...22 de março,dia mundial da água

O que fazer???,por Ricardo Freitas

A ideia do Atlético/IB era não perder o jogo. Para isso, começou jogando bem atrás tentando explorar os contra-ataques. Já o Joinville enfrentou o mesmo problema que enfrenta em todas as partidas na Arena. Times fechadinhos e o Tricolor, como sempre, tem de ter paciência, determinação e disciplina para chegar ao gol. Mais: uma expulsão mudou todo o paradigma do jogo. Num erro da defesa, que estava em linha, o zagueiro Samuel foi expulso. Logo após, numa bola parada, o Atlético fez o seu gol. O JEC, com um a menos, tinha dificuldades e o treinador Mauro Ovelha esperou o intervalo para mudar a equipe.

No segundo tempo, o JEC conseguiu, com um jogador a menos, equilibrar a partida em alguns momentos. Graças à ótima atuação de Rafael Tesser, que além de ter jogado muito, teve muita sorte por receber dois cartões amarelos no mesmo jogo e não ser expulso. Em seguida, o Tricolor teve mais um expulso, o zagueiro Renato Santos. Mesmo com um a menos, o JEC cresceu muito na partida. O time mostrou personalidade e parecia ter mais jogadores em campo que o Atlético de Ibirama em muitos momentos da etapa final. Aliás, o gol do Joinville foi uma prova de determinação dos jogadores. O empate ficou com o sabor ruim. O JEC merecia ter vencido a partida.

O momento é de pensar na decisão do título. O que fazer? Agora, a equipe precisa ter um momento de muita tranquilidade. Com a resposta, dirigentes, jogadores e comissão técnica. Inclusive o atacante Lima. Ele estará se reapresentando para treinar hoje? Tomara, porque ele é um jogador muito importante. A troca de treinador deu resultado? Independente disso, está provado que a equipe caiu com a mudança, mas precisamos seguir em frente.

Fonte:Jornal A Notícia(22/03/2010)

domingo, 21 de março de 2010

Ele não era o culpado

Com certeza o Sérgio Ramirez não era o culpado pelo mal futebol do Jec...Nada melhor que o tempo para se fazer justiça.

sábado, 20 de março de 2010

Cidade abandonada


Ok!!! Ok!!! Já sabemos que novas avenidas e elevados não sairão tão cedo...Que os problemas na saúde só se resolverão a longo prazo...Mas,mas,mas...isso não é motivo para a cidade estar tão suja e abandonada...Joinville está muito suja...Pelo menos a limpeza da cidade...Por favor né!!!

Rogoff defende intervenção "amiga" no câmbio do país

No mundo pós-crise, Brasil e demais emergentes estão condenados a assistir a suas moedas se valorizarem indefinidamente, minando a competitividade das exportações. Para o economista Kenneth Rogoff, da Universidade Harvard, esses países terão de tomar medidas para segurar a taxa de câmbio. Segundo o economista, o problema é como fazer isso de forma "amiga" do mercado, sem levar à fuga de capitais, causando um estrago maior.
"Não tenho visto medidas inteligentes", disse. Ex-economista-chefe do FMI, Rogoff lança no Brasil "Desta Vez é Diferente: Oito Séculos de Delírios Financeiros" (Elsevier), um dos livros mais ácidos sobre a crise, que tem uma única mensagem: "Nós já estivemos aqui antes".
Leia entrevista.


FOLHA - O senhor afirma que um grande fluxo de capital pode dar a falsa impressão de que o governo promoveu um forte crescimento. Esse é o caso do Brasil, que deve crescer 6% em 2010?
KENNETH ROGOFF -
Não estava me referindo especificamente ao Brasil. Mas um país que tenha forte entrada de capital por cinco anos parecerá que tem uma situação melhor do que tem. Muito desse crescimento que o Brasil terá se deve à base de comparação, com a saída da recessão. O Brasil tem muito para ganhar em produtividade e reformas microeconômicas.

FOLHA - O Brasil e outros emergentes terão de tomar medidas para evitar a alta de suas moedas por conta desse capital?
ROGOFF -
É sempre importante ficar de olho nas entradas de capital. Os países nessa situação podem adotar medidas "amigas" do mercado para evitar uma entrada excessiva de recursos, que pode ser inconveniente. Para evitar que o real suba, talvez o governo tenha de adotar medidas nesse sentido.

FOLHA - Algum país conseguiu adotar medidas inteligentes nesse sentido? Qual a sua avaliação sobre o imposto aos investidores estrangeiros no Brasil?
ROGOFF -
A Índia e alguns países da Ásia estão prestando muita atenção nesse assunto; o Brasil também. E o Brasil tem mais condições de fazer isso porque tem um mercado financeiro muito mais fluído, o que é bastante saudável. Não tenho visto tantas medidas inteligentes dos países emergentes para evitar que suas moedas tenham excesso de volatilidade. O problema é como fazer.

FOLHA - O esquecimento faz parte da natureza dos mercados?
ROGOFF -
Não só dos mercados. As pessoas realmente se esquecem. Além de esquecer, negam que algumas coisas tenham acontecido! As crises financeiras acontecem com uma grande regularidade. A Grécia, que todos olham agora, passou quase toda a sua história em default (calote). O Brasil é um dos países que mais estiveram em moratória. O país esteve em default em um a cada quatro anos. Na Grécia, foi um a cada dois anos. Quantas pessoas sabem que a Grécia tem um histórico pior do que o Brasil? Quase ninguém.

FOLHA - Daqui a quanto tempo a crise atual será esquecida?
ROGOFF -
Diria que demora uns 15 anos; é o tempo em que uma criança se torna adolescente e acha que está em um mundo diferente. Imagino que hoje algumas pessoas no Brasil não saibam como era a inflação...

FOLHA - Qual país será a próxima Grécia?
ROGOFF -
Há vários países vulneráveis na Europa: Hungria, Espanha, Irlanda, Portugal. Não acredito que a Europa terá tanto sucesso em resolver esses problemas.

FOLHA - E fora da Europa?
ROGOFF -
Há um número grande de emergentes com uma situação bastante boa. Brasil e América Latina estão melhores do que a Europa.

FOLHA - Por que poucos países nunca entraram em default?
ROGOFF -
Parte da razão é que esses países precisavam mais da comunidade financeira. Mas é uma amostra tão pequena que é difícil saber.

Fonte:Folha de São Paulo(16/03/2010)

Kennedy Nunes,valorize sua história

Não quero acreditar que o deputado estadual Kennedy Nunes(PP) possa usar pessoas inexperientes como laranjas.Kennedy Nunes é uma liderança em seu partido e em Joinville...e está apelando.Fico admirado com o nobre deputado que sendo cristão aja de uma forma tão sorrateira.A crítica ao governo Carlito por parte de Kennedy é compreensível...Mas usar intermediários para isso??? Kennedy Nunes,valorize sua história!!!

Evanguelos do PV envia outro texto

É meus amigos, o PV de Joinville mudou de cor , agora é laranja , laranja do Kennedy Nunes,mas não por muito tempo.
Prezados companheiros é com muita satisfação que o PV Orgânico de Joinville repassa esta notícia.Nossa querida companheira Maria Amancio, mais conhecida como Maria Só Panfletos esteve em reunião com a senadora Marina Silva em Brasília,para tratar do caos que se formou em torno do Partido Verde de Joinville,que ATUALMENTE ESTA SENDO VISTO COMO O PARTIDO DO KENNEDY NUNES DO PP,POR CONTA DO EPISÓDIO RIDÍCULO DO ATUAL PRESIDENTE DOUGLAS GONÇALVES QUE EXPÔS O NOSSO PARTIDO A ESTA SITUAÇÃO DIFAMATÓRIA AO ENTRAR COM UMA AÇÃO JUDICIAL CONTRA O PREFEITO DE JOINVILLE,O SR. CARLITO MERSS.DEIXANDO BEM CLARO PARA TODOS QUE O MESMO FOI O LARANJA DO KENNEDY NUNES, NUMA AÇÃO QUE NEM O PRÓPRIO PARTIDO DELE ,O PP , O APOIOU. MAS O PV ORGÂNICO SE LEVANTA COM FORÇA TOTAL E BREVEMENTE ESTAREMOS ENVIANDO NOVAS NOTÍCIAS.

*Evanguelos do PV (Grupo dos Orgânicos)

A outra resposta...

...A resposta do Curvello para a segunda pergunta...

Pode se candidatar sem problema algum. Aliás , se comparar a ficha do "assaltante" com a de muita gente na política, a do assaltante será infinitamente mais branda que seus pares .

Curvello respondeu o seguinte...

...Em relação as duas perguntas que fiz...a seguir o texto do Curvello...

Meu amigo
Segundo o Código Penal , que é a "Bíblia" da Polícia e da Justiça, tudo vai depender das circunstâncias:
Exemplo:
- Se esse assaltante estava com a intenção de cometer o crime e ao ser preso estava desarmado , isso não é nada. Intenção não é crime.
- Se esse mesmo assaltante estava armado ao ser preso , responderá por porte ilegal de arma;
- Já se ele for pego dentro do estabelecimento com arma , mas ainda não cometeu o crime "assalto" . Responderá por crime tentado, violação de domicílio e porte ilegal de arma;
Ou seja, tudo depende de como ele agiu e de que forma.
Caso esse assaltante esteja em numero de quatro pessoas, também poderá responder por formação de quadrilha.
Cada caso é um caso.