sábado, 31 de outubro de 2009

Cultura do mal entre os jovens

A polícia não pode conter o impeto dos jovens...A lei os protege...Os pais não se deram conta ou não querem aceitar a triste mudança no comportamento dos filhos.A escola luta para que a instrução e o esclarecimento entrem na cabeça dos alunos.Mas entre o conhecimento e o consumismo,a juventude prefere o último.Junta-se a tudo isso uma pobre cultura difundida entre os adolescentes...Músicas,filmes,novelinhas de final da tarde,tudo para o empobrecimento do nível cultural desse importante grupo social...O nível de cultura da juventude decaiu muito no Brasil...Uma juventude pobre culturalmente é mais grossa,mais brega,mais cafona...O jovem brasileiro(incluindo o de classe média e alta) só visa o consumo imediato...Alguns destes jovens conseguem através do trabalho atingir seus objetivos materiais...Outros através da ajuda dos pais...Para muitos a única saída é a droga...Se arriscam a vender para conseguir certo prestígio social...O jovem está mais violento.Engana-se aquele que pensa que é apenas o jovem da periferia que é violento...A classe média também está indo para o beleleu...Precisamos de medidas rápidas para conter a cultura do mal entre os jovens.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Agradecimento

Quero agradecer ao governo do estado,pois nos últimos sete anos foram construídos quatro elevados em Joinville melhorando o complicado trânsito da cidade...Sem esquecer da conclusão da Arena Joinville que agora está realmente linda...Outra grande obra foi a duplicação da Avenida Santos Dumont e o binário do Vila Nova que melhoraram o trânsito da zona norte e oeste da cidade...Ía esquecendo do Complexo Ulisses Guimarães que mudou para melhor o atendimento hospitalar em Joinville...Opa!!! E o teatro municipal???Sem comentários...Agora o Festival de Dança tem uma grande casa...Mas porque essas obras foram realizadas??? É simples: Antes do nosso governador administrar Santa Catarina...ele foi prefeito por três vezes de Joinville...Só um conhecedor profundo dos problemas de Joinville poderia se empenhar tanto na realização dessas obras tão importantes para o joinvilense...Obrigado governador por essas obras tão importantes para todos nós.

Para quem ainda acredita na tríplice aliança ano que vem...

...Uma frase de Martinho Lutero:

"Nada se esquece mais lentamente que uma ofensa e nada mais rápido que um favor."

Novembro será o mês das greves em Santa Catarina???

Protestos de policiais em Florianópolis,Blumenau e Rio do Sul...Servidores da saúde prometendo greve para a próxima semana...O descontentamento do magistério estadual...Será que vem greve geral por aí??? O governo se mostra sem saída...A prática está totalmente distante da teoria...O governo de Santa Catarina fecha 2009 com um grande desgaste junto ao funcionalismo público.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

A VOCÊS QUE TEM FILHOS OU IRMÃOS ADOLESCENTES LEIAM E REFLITAM;NENHUM DE NÓS; ESTÁ LIVRE DESSE CÂNCER DA SOCIEDADE...LAMENTAVELMENTE.

TRAFICANTE - Fala aê merrrmão...
FILHO - Me arruma um pó de cinqüenta...
TRAFICANTE - Segura aê...
FILHO - Valeu...
TRAFICANTE - O pó tá acabando... mas amanhã a gente vai invadir o morro ali do lado... Vamú tomá as boca e ficá cus bagulho...
FILHO - Já é... Demorô... invade mermo... domina geral... Se entrar na frente mete bala de 'AK'...
TRAFICANTE - Valeu, 'preibóy'... É nois...



No outro dia...


MÃE - Bom dia meu filho... que cara é essa...??
FILHO - Nada...
MÃE - Você está bem?
FILHO - Tô bem, pô!! Que saco.... me deixa em paz...merda.


A essa altura, o filho ainda drogado se tranca no quarto. A mãe preocupada bate da porta...


MÃE - Meu filho... estou indo pro trabalho... deixei seu café pronto, um beijo, fique com Deus.
FILHO - Não enche... vai logo...


A mãe pega o carro e se dirige ao trabalho, quando de repente em uma rua qualquer...



TRAFICANTE - Paraê Tia... perdeu... perdeu...
TRAFICANTE - Sai... Sai... Sai...(em desespero a pobre mulher tenta fugir e arranca com o carro - uma rajada de tiros acontece...)



Em casa o telefone toca...


FILHO - Alô!
POLICIAL - Quem fala?
FILHO - Quer fala com quem?
POLICIAL - Aqui é o Tenente Alberto, eu poderia falar com algum parente da Sra Rita?
FILHO - Po...polícia?? (o filho desliga o telefone sem ouvir o policial)



Minutos depois ele sai de casa pra comprar mais pó. Logo a frente tem uma visão terrível...


FILHO - Mãeeeeeeeeeeee !!! Não!!! Não!!!
FILHO - Como isso pode acontecer???
POLICIAL - Sinto muito, traficantes tentaram roubar o carro de sua mãe pra invadir um morro... eles a mataram...
FILHO - Mãee! Nãão....


ANTES DE 'CURTIR' UMA ONDA NOVA,
ANTES DE DAR UM TEQUINHO INOCENTE,
ANTES DE FUMAR UM BAGULINHO NATURAL,
ANTES DE DAR DINHEIRO AO TRÁFICO PARA QUE ELES COMPREM UM ARSENAL E MATEM ALGUÉM QUE VOCÊ REALMENTE GOSTA, PARE E FAÇA ALGO QUE VOCÊ NÃO FAZ HÁ MUITO TEMPO...
PENSE!!!

ISSO TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO É CULPA DE QUEM USA DROGAS E ENCHEM O BOLSO DESSES TRAFICANTES DE DINHEIRO.

VAMOS PASSAR PRA FRENTE ESSE PROTESTO!!!

Quem compra drogas patrocina a violência!
A divulgação é de acordo com a consciência de cada um...
Eu fiz a minha parte...



“Quem é mentiroso é também ladrão. É ladrão da verdade"

Com todo respeito ao nobre Wilson França

Perder para o Avaí B não pode ser considerado normal.O Jec vem perdendo para os reservas do Avaí há alguns anos.

Violência em escola de Araquari

Aquilo que aconteceu na escola de Araquari é gravíssimo...Imagine o que anda acontecendo por aí...Repito:Estão fazendo carinho em bandido...Essa é a hora da mudança...Agora não é hora de fazer média pensando na próxima eleição...Chega de beneficiar o criminoso.

As autoridades,a imprensa e a família precisam se ligar

Nossas autoridades,a própria imprensa(a imprensa séria,não a sensacionalista) e a família precisam se ligar...As coisas estão acontecendo,a violência,a criminalidade estão nas ruas,nas escolas...e tem gente não querendo enxergar a realidade...A coisa está feia...e tem gente fazendo "carinho" em bandido.

Todo fim de governo é assim

Tem político que adora disputar eleições.O negócio dele é a competição.Depois que ganha a eleição em vez de administrar para a população,que nada,já pensa no próximo pleito...E um bando de puxa-sacos ainda acham que isso é fazer política...Por isso que o povo não acredita em mais nada.

Aluguel muito caro

Lojistas de um grande centro comercial de Joinville estão reclamando do alto preço do aluguel das lojas.Agora o preço do estacionamento também irá subir...Empresário está a procura de um bom ponto no centro da cidade.

Sargento Amauri Soares declarou

Que se arrependeu de ter apoiado o governador Luiz Henrique(PMDB) na eleição do segundo turno em 2006.

Governador se nega

O servidor público da saúde está pronto para entrar em greve...Simplesmente o governo do estado se nega a receber os trabalhadores para uma negociação.

Policiais...ainda da coluna do Moacir Pereira

Não é diferente o cenário na área da segurança pública, mas por outros motivos. Ali, ficam cada vez mais distantes os esforços de pacificação dos conflitos entre policiais civis e militares. Incidentes recentes registrados em Imbituba e Joinville e casos antigos do livro de ocorrências graves no Vale do Itajaí colocam as duas corporações em um quadro preocupante.

Coronéis da reserva da Polícia Militar, por exemplo, estão no limite do esgotamento e da paciência, o que também ocorre com os da ativa. O bruto pode chegar a R$ 15 mil, mas recebem apenas R$ 5 mil ou R$ 6 mil, pelos descontos e bloqueio. Cobram promessas do governador de atendimento de seus pleitos. Estão com salários bloqueados há anos. Alguns benefícios concedidos por Luiz Henrique oneraram ainda mais. Houve real elevação da remuneração total, mas o líquido recebido caiu, pela incidência maior de tributos. Querem paridade salarial com os delegados de polícia. Historicamente, sempre ficaram atrás.

Os delegados, por seu turno, também declaram-se com os prazos esgotados. Fizeram uma greve com a devolução dos presos do Presídio Central e advertem que o procedimento poderá se repetir. É pressão para que o governo cumpra a prometida liberação do teto, para cancelar o bloqueio e autorizar a reposição. A aspiração deixou de ser só dos delegados e envolve toda a estrutura da Polícia Civil. Se o governo der aumento real para a Polícia Civil, são consideradas imprevisíveis as reações na área militar.

A Polícia Militar quer melhor tratamento. Atua com 13 mil homens, contra 3,5 mil integrantes da Polícia Civil. Como o comando da Secretaria de Segurança está entregue aos policiais civis, os militares estão quase sempre correndo atrás do prejuízo.

Fonte:Diário Catarinense(28/10/2009)

A dupla ameaça,da coluna do jornalista Moacir Pereira

  • Duas questões políticas envolvendo os setores mais sensíveis da administração estadual abstraída a mudança na Celesc estão tirando o sono das autoridades e devem monopolizar as atenções do governador Luiz Henrique nos próximos dias. A primeira, a prometida liberação do teto salarial para cancelar o bloqueio dos vencimentos dos oficiais da Polícia Militar e dos delegados de polícia, fundamentais na estrutura da segurança pública, especialmente às vésperas da Operação Veraneio. A segunda, a nova ameaça de greve geral dos servidores da saúde.

    As duas reuniões realizadas na Casa d’Agronômica trataram, ontem, exatamente das reivindicações destes dois segmentos. Eles representam a principal ameaça ao funcionamento do governo . O Sindicato da Saúde já tem aprovado indicativo de greve para terça-feira, dia 3 de novembro. Confirmou a decisão em reunião do comando, depois de contatos com parlamentares governistas na Assembleia Legislativa, sem que surgisse algum sinal de acordo.

    O movimento parte para ações mais contundentes do que em outros anos. Além da rede hospitalar pública apresentar graves deficiências, com as emergências lotadas e quartos e apartamentos sem qualquer espaço até para casos de urgência, os grevistas estão com disposição de radicalizar. De acordo com informes levados ao Centro Administrativo, eles cogitam de fechar a entrada do Cepon – Centro de Pesquisas Oncológicas, que faz tratamento de câncer de pacientes da Capital e de várias regiões do interior. Há planos, também, para impedir atendimento nas maternidades, o que, do ponto de vista político, poderia vir a criar situações explosivas, com ampla divulgação pela mídia.

  • Fonte:Jornal Diário Catarinense(28/10/2009)

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Frase de Martinho Lutero

Até aos quarenta anos o homem permanece louco; quando então começa a reconhecer a sua loucura, a vida já passou.


Três rádios transmitindo o jogo

As emissoras de rádio de Joinville estão dando total apoio ao Jec...e o time não consegue derrotar o time reserva do Avaí??? Sem comentários.

Avaí está sobrando

Se o time principal do Jec não consegue derrotar o time reserva do Avaí...imagine o que será no campeonato catarinense de 2010??? O Avaí está sobrando.

Jec incompetente perde para o time reserva do Avaí

Quarta feira de futebol na Ressacada.Avaí com um time reserva consegue derrotar o time que é considerado o mais forte da Copinha,ou seja,o Jec.Vergonhosa derrota.Isso não é um bom sinal.

Carros e reforma

Aluguel de carros e agora a reforma na Câmara...Sem comentários.

Sandro Silva está desorientado

O presidente da Câmara de Vereadores de Joinville,Sandro Silva está desorientado...Essa é impressão que passa...O que será que anda acontecendo??? Ainda dá tempo de melhorar...A cada dia que passa o legislativo de Joinville sofre mais desgastes.

Repórter na TV Cidade canal 20

Para quem não sabe ou talvez já tenha esquecido...Patrício Destro trabalhou como repórter na TV Cidade...Na época, o canal 20 pertencia a Sérgio Silva.

Veja que interessante

Eu tinha escrito aqui no FEUDALISMO ATUAL que a trajetória política do vereador Patrício Destro(DEM) era semelhante a de Sérgio Silva.Veja que interessante.Talvez por uma questão de reconhecimento,Patrício Destro tenha convidado o ex-vereador e ex-deputado estadual do PMDB para participar de seu programa no canal 11.

Ainda sobre o xerife

Diz ele aos detentos:
- Nossos soldados estão no Iraque onde a temperatura atinge 120° F (50° C), vivem em tendas iguais a vocês, e ainda tem de usar fardamento, botinas, carregar todo o equipamento de soldado e, além de tudo, não cometeram crime algum como vocês, portanto calem a boca e parem de reclamar.

Se houvessem mais prisões como essa, talvez o número de criminosos e reincidentes diminuísse consideravelmente.

Criminosos têm de ser punidos pelos crimes que cometeram e não serem tratados a pão-de-ló, tendo do bom e melhor, até serem soltos pra voltar a cometer os mesmos crimes e voltar para a vida na prisão, cheia de regalias e reivindicações.

Muitos cidadãos honestos, cumpridores da lei, e pagadores de impostos não têm, por vezes, as mesmas regalias que esses bandidos têm na prisão.

(*) Artigo extraído e traduzido de um documentário da televisão Americana...
Os fatos acima são verídicos e a prisão-acampamento está em Maricopa - Arizona.

Olha o trabalho desse xerife norte-americano



Joe Arpaio é o xerife do Condado de Maricopa no Arizona já a bastante tempo e continua sendo re-eleito a cada nova eleição.

Ele criou a 'cadeia-acampamento', que são várias tendas de lona, cercadas por arame farpado e vigiado por guardas como numa prisão normal.

Baixou os custos da refeição para 40 centavos de dólar que os detentos, inclusive, têm de pagar.

Proibiu fumar, não permite a circulação de revistas pornográficas dentro da prisão e nem permite que os detentos pratiquem halterofilismo.

Começou a montar equipes de detentos que, acorrentados uns aos outros, (chain gangs), são levados à cidade para prestarem serviços para a comunidade e trabalhar nos projetos do condado.

Para não ser processado por discriminação racial, começou a montar equipes de detentas também, nos mesmos moldes das equipes de detentos.


Cortou a TV a cabo dos detentos, mas quando soube que TV a cabo nas prisões era uma determinação judicial, religou, mas só entra o canal do Tempo e da Disney.

Quando perguntado porque o canal do tempo, respondeu que era para os detentos saberem que temperatura vão enfrentar durante o dia quando estiverem prestando serviço na comunidade, trabalhando nas estradas, construções, etc.

Em 1994, cortou o café, alegando que além do baixo valor nutritivo, estava protegendo os próprios detentos e os guardas que já haviam sido atacados com café quente por outros detentos, sem falar na economia aos cofres públicos de quase US$ 100,000.00/ano.

Quando os detentos reclamaram, ele respondeu:
- Isto aqui não é hotel 5 estrelas e se vocês não gostam, comportem-se como homens e não voltem mais.

Distribuiu uma série de vídeos religiosos aos prisioneiros e não permite quaisquer outros tipos de vídeo na prisão.

Perguntado se não teria alguns vídeos com o programa do partido democrata para distribuir aos detentos, respondeu que nem se tivesse, pois provavelmente essa era a causa da maioria dos presos ali estarem.

Com a temperatura batendo recordes a cada semana, uma agência de notícias publicou:

Com a temperatura atingindo 116º F (47º C), em Phoenix no Arizona, mais de 2000 detentos na prisão acampamento de Maricopa tiveram permissão de tirar o uniforme da prisão e ficar só de shorts, (cor-de-rosa), que os detentos recebem do governo.


O Brasil precisa de um destes...


ESSE É O CARA

Joe Arpaio é o xerife do Condado de Maricopa no Arizona já a bastante tempo e continua sendo re-eleito a cada nova eleição.

O SISTEMA ACAFE E AS UNIVERSIDADES COMUNITÁRIAS

DATA: 29/10/2009

1ª MESA:

PERÍODO MANHÃ:

09:00 – 12:00

- CONCEPÇÃO E REGULAMENTAÇÃO DA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA:

> Odilon Polli – Reitor da UNOCHAPECÓ;

> Adélcio Machado dos Santos – Presidente do Conselho Estadual de Educação;e

> João Pedro Schmidt – Pró-Reitor de Planejamento da Universidade de Santa Cruz do Sul.

2ª MESA:

PERÍODO TARDE:

14:00 – 17:00

- POLÍTICAS PUBLICAS UNIVERSITÁRIAS:

  • Maria do Rosário:Presidente da Comissão de Educação da Câmara Federal;
  • Paulo Ivo koentop: Presidente do Sistema ACAFE;
  • Representante do Ministério da Justiça;
  • Representante do Ministério da Educação;
  • Pedro Uczai: Presidente da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa; e
  • Paulo Bauer: Secretário de Estado de Educação.

- Cada conferencista deverá produzir texto para subsidiar o debate e sistematização de propostas para este debate.

Convidados:

- Todas as IES do Sistema ACAFE;

- DCE’s do Sistema ACAFE;

- Associação Catarinense dos Professores;

- Sindicato ou Associação dos Professores do Sistema ACAFE;

- UCE: União Catarinense dos Estudantes;

Problematizações:

- Financiamento do Sistema ACAFE;

- 170 – 171: Conquista do Sistema ACAFE. Percentual: os dirigentes e reitores têm responsabilidade ética, moral e política com os percentuais dos artigos 170 e 171;

- Gestão das universidades Comunitárias; qual forma de gestão queremos?

- Qual a relação com as Universidades Particulares? Qual a relação com as Escolas Técnicas Federais, com a UDESC, com a expansão da UFSC e com a nova Universidade federal - UFFS?

- O Sistema ACAFE tem futuro? Qual é o futuro do Sistema ACAFE?

- Construção de um Novo Marco Regulatório pra as instituições Comunitárias, novo Marco jurídico para reconstruir a relação com o governo do estado e com o Governo Federal.

- Qual é o futuro das instituições Comunitárias?

Colaboração:Alexandre Alves

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Os 40 milhões para Joinville do BNDS


Ela está trazendo...Empenho total...Ela está vindo pela estrada velha trazendo os 40 milhões de reais.

Sobre o Jec


Os sócios fiéis que não abandonaram o clube no período de hibernação deveriam ter descontos de 30% na compra de qualquer produto do clube.

Na Copinha o ingresso deveria ser de R$10,00 para atrair o jequeano que está desacreditado e que tem menor poder aquisitivo.

Incentivar o jequeano a se associar ao clube sempre...Mas a ocasião correta seria após a conquista da Copinha e durante o Campeonato Catarinense de 2010.

Para MPF morte de policial que estava na viatura atingida por trem, poderia ter sido evitada

No início de outubro, dia 5, a Justiça Federal condenou a América Latina Logística do Brasil (ALL), a União e o Município de Joinville, a promoverem a adequada sinalização das passagens de nível da linha férrea existentes no território do município, implementando as medidas de segurança necessárias, no prazo de 180 dias, sob pena de multa diária de R$ 1 mil para cada réu e por dia de descumprimento.

A decisão tem como base ação proposta pelo Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF/SC), em 2002. Segundo o MPF, a poluição sonora provocada pelas buzinas dos trens e a falta de segurança em virtude da deficiência na sinalização são responsáveis por diversos acidentes com vítimas. Ainda naquele ano, liminar da JF determinou, entre outros itens, que o Município de Joinville deveria implantar semáforos com fotossensor, a serem custeados proporcionalmente pelo Município, pela ALL e pela União, no prazo de 90 dias.

Naquela época, a ALL alegou que a colocação de cancelas eletrônicas não minimizaria o problema dos acidentes e que, de qualquer forma, a sinalização seria competência do município de Joinville. Por outro lado, o município afirmou que, pelos termos do contrato de concessão, a ALL também é responsável pela realização de obras a fim de minimizar tanto os efeitos da poluição sonora quanto os problemas com a segurança.

Conforme laudo pericial anexado na ação, ficou constatado que a via férrea cruza Joinville numa extensão de 20,40 quilômetros, cortando 32 vias rodoviárias da cidade. Em relação à sinalização dessas 32 passagens de níveis, o laudo apontou que algumas delas não possuem quase nenhuma indicação aos motoristas e pedestres. Assegurou, também, que a grande maioria das passagens não observa os elementos mínimos exigidos pelas normas estabelecidas pela Rede Ferroviária Federal, sendo que nenhuma delas dispõe da completa sinalização, nos termos da legislação.

Com a recente sentença, os réus deverão realizar no prazo estabelecido as medidas mitigadoras, como por exemplo, a instalação de indutores de redução de velocidade tipo tachão com olho de gato em todas as passagens de níveis e faixas contínuas que as antecedem; a construção de passeios e a colocação de cancelas eletrônicas junto às passagens de níveis para garantir a segurança de pedestres e de motoristas, respectivamente. Na decisão, consta ainda cópias de documentos do convênio celebrado entre o DNIT, Município de Joinville, Município de Araquari, Município de Guaramirim e ALL América Latina Logística Malha Sul, com intuito de proceder a um novo contorno da linha férrea na região.

Agora, a discussão que se arrasta por mais de sete anos parece estar no fim. Infelizmente, no dia 4 de outubro, houve uma rebelião no Presídio de Joinville. Durante o motim, um policial morreu a caminho do presídio. A viatura em que o PM estava foi atingida por um trem. Para o MPF, a morte do servidor público poderia ter sido evitada.

Fonte:www.scnoticia.com.br(27/10/2009)

Foi inveja mesmo(A Suíça é mooooito bonita!!!)


Estão dizendo por aí...que a viagem do prefeito Carlito Merss(PT) não ocorreu apenas por causa de um determinado funcionário de um escalão inferior??? Balela!!! A viagem só não foi aprovada por que o Executivo não convidou ninguém do Legislativo...apenas isso.Foi pura inveja dos vereadores da oposição.

Wittenberg,a cidade das 95 teses de Lutero


Wittenberg é uma das cidades mais visitadas da Alemanha.

492 anos de Reforma Luterana


Dia 31 de outubro,os luteranos comemoram 492 anos de um dos acontecimentos mais importantes da História mundial...Ou seja,a Reforma Luterana.

Quem foi Martinho Lutero???

Nascido em Eisleben, Alemanha, a 10 de novembro de 1483, Lutero era filho de camponeses católicos alemães. Como era comum na época, foi alvo de uma disciplina rígida. O menino Lutero aprendeu, entre outras coisas, a orar aos santos, realizar boas obras e reverenciar o papa e a igreja.

Cedo, aos 5 anos, Lutero começou a estudar latim em uma escola local. Já aos 12 anos, foi aluno de uma escola de uma irmandade religiosa em Magdeburgo. Em 1505 recebeu grau de Mestre em Artes da Universidade de Erfurt, e em 1505 e começou a estudar Direito.

Pouco tempo após iniciar seus estudos de Direito, Lutero resolveu tornar-se monge e entrou no Mosteiro Agostiniano de Erfurt. A sua ordenação foi em 1507. Em seguida, deixou o Mosteiro para ensinar filosofia moral na Universidade de Wittenberg.

Continuando seus estudos, Lutero obteve o título de Doutor em Teologia. De 1513 a 1518, ensinou Teologia Bíblica na Universidade de Wittenberg. Nessa época, começou a tornar-se bastante conhecido. Após certa idade, Lutero começou a ser afligido por uma angústia que pode ser sintetizada em uma pergunta: se o coração da pessoa é governado pelo pecado, como pode esperar salvação diante de Deus? Por causa do que havia aprendido, procurou resposta - e paz - através de boas obras, incluindo jejuns e autoflagelação. Contudo, seu sentimento de incapacidade para sentir paz diante de Deus continuou, levando-o às portas do desespero.

A aflição de Lutero somente encontrou resposta no dia em que encontrou na Bíblia a certeza de que não há como alguém merecer o favor de Deus por causa de alguma coisa que faz; que a única forma de alguém obter o favor Deus é através da fé em Jesus Cristo; que é através da fé em Jesus que os pecados são perdoados por Deus. Este entendimento, conhecido como a doutrina da justificação pela fé, tornou-se um dos pilares do pensamento religioso de Lutero.

A Igreja Romana da época costumava dizer que algumas pessoas possuíam mais méritos do que tinham necessidade para serem salvas. Por isso, o "mérito extra" dessas pessoas poderia ser transferido - especialmente através de pagamento - para pessoas cuja salvação era duvidosa. Lutero protestou contra esta prática, chamada de indulgência. Em 31 de outubro de 1517, Lutero afixou uma série de críticas - que se tornaram conhecidas como 95 Teses - na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. As Teses eram um protesto contra o abuso da autoridade do Papa, especialmente no sentido de desafiar o Papa a esvaziar de graça o purgatório, já que diz controlá-lo. Lutero também negou o ensino do "mérito extra" que estava por trás das indulgências. Segundo Lutero, o verdadeiro tesouro da Igreja é o Evangelho - a proclamação do amor de Deus. A Igreja Romana ordenou que Lutero se apresentasse em Roma para responder às acusações de heresia. Sabendo do caso, o Príncipe da Saxônia, Frederico o Sábio, interveio e insistiu que a audiência de Lutero fosse realizada em solo alemão. Como resultado, uma Dieta Imperial foi realizada na cidade de Augsburgo, em 1518. Lutero se recusou a mudar de opinião. Temendo ser preso, fugiu de Augsburgo. As idéias de Lutero logo encontraram adeptos em todas as regiões da Alemanha, e mesmo fora dela. A resposta do Papa à situação foi uma bula (ordem papal), ameaçando Lutero de excomunhão, caso não se retratasse. Em protesto, ele queimou publicamente a Bula e foi excomungado em janeiro de 1521. Em junho de 1525, Lutero casou-se com Catarina de Bora, uma ex-freira. Os dois tiveram seis filhos e abrigaram onze órfãos. Lutero publicou cerca de 400 obras durante a sua vida, incluindo comentários bíblicos, catecismos, sermões e tratados. Também escreveu hinos para a Igreja. Parte de suas obras estão publicadas em diversas línguas modernas.

Lutero faleceu de derrame cerebral em 1546, aos 63 anos de idade, em sua cidade Natal, Eisleben. Seu corpo foi sepultado na Igreja do Castelo de Wittenberg, onde, cerca de 30 anos antes, havia afixado suas 95 Teses.


Fonte: site da IELB

Frase de Martinho Lutero

Quem não for belo aos vinte anos, forte aos trinta, esperto aos quarenta e rico aos cinquenta, não pode esperar ser tudo isso depois.

Um texto do Jô Soares

O material escolar mais barato que existe na praça é o professor!

É jovem, não tem experiência.
É velho, está superado.
Não tem automóvel, é um pobre coitado.
Tem automóvel, chora de "barriga cheia'.
Fala em voz alta, vive gritando.
Fala em tom normal, ninguém escuta.
Não falta à universidade, é um 'caxias'.
Precisa faltar, é um 'turista'.
Conversa com os outros professores, está 'malhando' os alunos.
Não conversa, é um desligado.
Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Não brinca com a turma, é um chato.
Chama a atenção, é um grosso.
Não chama a atenção, não sabe se impor.
A prova é longa, não dá tempo.
A prova é curta, tira as chances do aluno.
Escreve muito, não explica.
Explica muito, o caderno não tem nada.
Fala corretamente, ninguém entende.
Fala a 'língua' do aluno, não tem vocabulário.
Exige, é rude.
Elogia, é debochado.
O aluno é reprovado, é perseguição.
O aluno é aprovado, deu 'mole'.

É, o professor está sempre errado, mas, se você conseguiu ler até aqui, agradeça a ele.


segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Patrício Destro no canal 11


Muito bom o novo programa do Patrício Destro na TV Brasil Esperança...Quem ganha é a população com mais uma opção na TV aberta de Joinville.

Quero agradecer ao Conde

Quero agradecer ao nobre Conde de Choele-Choel pelos elogios e o apoio ao FEUDALISMO ATUAL...Realmente é uma honra...Ok!!!

Esse trilho pode ser a salvação...


Do turismo e do transporte coletivo em Joinville...A estrada está aí...Só falta aproveitá-la.

Votar em quem para deputado estadual!!! Hein!!!

Essa galera que está aí??? É complicado.Olha que vai ter muito voto nulo...Acredito sinceramente numa renovação.

Com certeza...

Diminuiria o tempo nos semáforos e o trânsito fluiria com muito mais rapidez.

Agora a viabilidade

Claro que isso aqui é o senso comum...Mas não custa nada o IPPUJ dar uma olhadinha.

Do Iririú para o centro da cidade

A via de ligação seria a Avenida Hermann August Lepper...sentido bairro/ centro.

Algumas idéias (loucas)


A Procópio Gomes e a Beira Rio,as duas pistas teriam o mesmo sentido...Ou seja,do sul para o norte...Desde o início com a rua Florianópolis até a Igreja Santo Antonio.

Algumas idéias (continuação)

A Getúlio Vargas e a São Paulo teriam o mesmo sentido...Do centro da cidade em direção a zona sul.

Algumas idéias (Depois me chamem de louco,Ok!!!)


Transformar a rua Blumenau e João Colin em sentido único,do norte para o centro...Todo trânsito da zona norte da cidade cairia nestas duas vias.

Sou realista

O que cresceu em Joinville foram os empreendimentos privados...Shoping,grandes lojas de departamento,supermercados,bares,restaurantes,escolas...Agora, a infraestrutura que é de responsabilidade do poder público não acompanhou esse crescimento.Só como exemplo:Praticamente todo o trânsito do centro foi alterado na época da inauguração do Shoping Müller...e hoje continua do mesmo jeito.Não foram construídas vias alternativas...As principais artérias da cidade continuam sendo a João Colin e Blumenau(norte) e Getúlio Vargas e São Paulo(sul).

Joinville estava parada a muito tempo

Só que a propaganda oficial era tão forte,era tão batida que o povo achava que a cidade estava indo bem...Agora até a imprensa percebe o atraso da cidade nos últimos anos.

Sérgio Ramirez nota 10

Nota 10 para o técnico Sérgio Ramirez...100% de aproveitamento na Copinha...Mas tem gente da imprensa aqui da cidade que anda incomodada...Deixa o homem trabalhar...Prefiro o Jec jogando feio mas ganhando do que o contrário.

Eu escrevi...

...Realmente ninguém da imprensa de Joinville comentou sobre os 231 dias do governador viajando para o exterior...Isso pelo jeito é normal.

domingo, 25 de outubro de 2009

Comentário postado ao colunista Paulo Alceu(24/10/2009)

Semana que vem começa a semana do servidor estadual. Não temos nada a comemorar nesta semana. São 10 ( DEZ ) anos sem reajuste no vale alimentação e cinco anos sem nenhum tipo de reajuste salarial. O GOVERNO não se digna nem no dia do SERVIDOR anunciar um projeto salarial para o futuro. Dinheiro tem, só não tem interesse político de fazer acontecer. Ele acha que na véspera da eleição dar alguma migalha de aumento vai fazer algum efeito.O governo foi eleito na última eleição por promessas frustadas na polícia e educação, mas agora não vai ter mais esses apoios.Falando de aumento, quero relembrar a matéria que foi divulgada no DC do dia 11.10, sobre o VALE ALIMENTAÇÃO que a Senhora VANUZA VAGNER GERENTE DA SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO disse que o valor de R$ 6,00/dia está suficiente. Os servidores estão passando por momentos difíceis. ATÉ 2010 SRA VANUZA E SENHOR LUIZ HENRIQUE.

João Caetano Dias/São José

Sobre o Muro de Berlim

Todo o assunto relacionado ao Muro de Berlim foi retirado do Jornal Diário Catarinense de Florianópolis do dia 25 de outubro de 2009.

Os números do Muro de Berlim

> O Muro de Berlim durou mais de 28 anos e se estendia por 155 quilômetros
> Muito maior era a fronteira interalemã, isto é, entre a República Federal da Alemanha (RFA) e a República Democrática Alemã (RDA), de regime comunista: 1,4 mil quilômetros
> Somente na região metropolitana de Berlim, o Muro tinha mais de 43 quilômetros de comprimento. Ele interrompia oito linhas de trens urbanos, quatro de metrô e 193 ruas e avenidas.
> A fronteira de Berlim, cujas instalações incluíam o Muro, era controlada 24 horas por dia. Soldados armados, em mais de 300 torres de observação, vigiavam constantemente para evitar fugas para Berlim Ocidental. A área da fronteira tinha 100 metros de largura, com diversos tipos de obstáculos
> Houve 5.075 fugas bem-sucedidas. Os estratagemas usados foram os mais diversos: túneis através da cidade, veículos pequenos que passassem debaixo das traves, caminhões pesados para arrebentar os obstáculos, barcos, ultraleves, balões e aviões improvisados
> O Muro de Berlim, propriamente dito, tinha mais de 100 quilômetros e até 4,20m de altura em alguns trechos. Uma segunda fortificação foi construída posteriormente. Ao seu redor foi demarcada uma faixa de segurança, também conhecida como faixa da morte, que chegava a ter cem metros de largura. Ali se encontravam cerca de 300 torres de vigilância, 20 bunkers (instalações antiaéreas subterrâneas), 260 canis e inúmeros postes com holofotes para evitar fugas noturnas
> Com a construção do Muro, o código penal da República Democrática da Alemanha ficou mais severo. No primeiro semestre de 1961, foi aberto inquérito contra 4.400 pessoas que tentaram cruzar a fronteira. Seis meses depois, 18.300 foram condenadas por tentativa de fuga e passaram anos nas prisões
> Ao menos 136 pessoas foram mortas no Muro de Berlim entre 1961 e 1989, segundo o primeiro estudo detalhado sobre as vítimas, divulgado em agosto deste ano. Os dados são do Centro de Pesquisa Histórica de Potsdam. Já a Procuradoria Geral da República tem registro, mais elevado, de 270 casos de morte no mesmo período

Cronologia do muro

8 de maio de 1945
> Termina a Segunda Guerra Mundial. A Alemanha é dividida em quatro zonas, administradas pela Inglaterra, França, Estados Unidos e União Soviética
24 de junho de 1948
> Soviéticos impedem acessos
terrestres a toda Berlim
26 de junho de 1948
> EUA criam a ponte aérea de
abastecimento de Berlim Ocidental
23 de maio de 1949
> Fundação da República Federal da Alemanha (RFA), abrangendo as zonas de ocupação inglesa,
francesa e norte-americana
7 de outubro de 1949
> A zona soviética vira República Democrática Alemã (RDA)
13 de agosto de 1961
> Polícia e Forças Armadas da Alemanha comunista fecham a fronteira com Berlim Ocidental. Esboça-se o muro
24 de agosto de 1961
> Primeira vítima fatal: Günther Litfin, de 24 anos, é assassinado a tiros por guardas de fronteira alemães orientais
26 de março de 1970
> Aliados iniciam conversações sobre o status de Berlim. Começa
a política de reaproximação
1974
> Alemanha Oriental instala arame farpado, adiante do Muro
19 de janeiro de 1989
> Chefe de Estado e de partido Erich Honecker garante que o Muro
ainda vai durar 50 ou 100 anos
5 de fevereiro de 1989
> Última vítima fatal do Muro:
Chris Gueffroy, de 20 anos
5 de maio de 1989
> Hungria começa a remover a cerca na fronteira com a Áustria, provocando uma fuga em massa dos alemães
orientais para a Alemanha Ocidental
4 de novembro de 1989
> Um milhão de manifestantes na Praça Alexanderplatz, em Berlim
Oriental, protestam por reformas
8 de novembro de 1989
> Desde o dia 4, haviam entrado na Alemanha Ocidental mais de 45 mil
fugitivos alemães orientais
9 de novembro de 1989
> Alemães orientais se dirigem em massa aos postos de controle em Berlim e forçam a abertura de fato da fronteira

Alemães querem a volta do Muro de Berlin

Pesquisa publicada no mês passado pela revista Stern indicou que um em cada sete alemães quer a volta do Muro de Berlim. Acreditam que a Alemanha estava melhor dividida entre socialistas e capitalistas. A pesquisa, feita pelo Instituto Forsa, aponta que 15% dos entrevistados gostariam que o país fosse dividido novamente.

Fonte:Diário Catarinense(25/10/2009)

O erro da burocracia que matou o socialismo

Tudo começou com um equívoco. No dia 9 de novembro de 1989, o novo secretário do Comitê de Informação Central da Alemanha Oriental, Günter Schabowski, anunciou à imprensa as novas regras para viagens ao exterior. Depois de anos de controle absoluto, os cidadãos do país poderiam viajar com visto, mas sem necessidade de qualquer condição prévia.

O secretário foi instruído a divulgar a boa nova mas sabia poucos detalhes da resolução. Não sabia que aquilo só deveria ser divulgado no outro dia. Nenhuma orientação havia sido transmitida, sequer para policiais e funcionários do governo. Um jornalista italiano perguntou quando a medida entraria em vigor.

– Que eu saiba, ela entra em vigor... Agora, de imediato – disse um atordoado Schabowski.

Imediatamente, milhões de orientais se dirigiram às fronteiras. Sem ter como conter tamanha massa de cidadãos, não houve outra saída a não ser abrir portões e passagens entre as duas Alemanhas.

Pesquisa publicada no mês passado pela revista Stern indicou que um em cada sete alemães quer a volta do Muro de Berlim. Acreditam que a Alemanha estava melhor dividida entre socialistas e capitalistas. A pesquisa, feita pelo Instituto Forsa, aponta que 15% dos entrevistados gostariam que o país fosse dividido novamente.

As maiores queixas, é claro, são dos ocidentais com as taxas utilizadas para pagar a chamada reconstrução – a reforma pela qual todo o antigo lado oriental ainda passa. Chamado de pacto da solidariedade, o imposto é descontado em folha de pagamento. A reunificação custa cerca de US$ 100 bilhões (R$ 175 bilhões) por ano para a república alemã.

O cientista político Thomas Strelow, que dirige o Centro de Formação Política de Helmstedt, diz que ainda há muito trabalho a ser feito para a reunificação.

– O desemprego nos novos estados (o antigo Leste) é ainda um grande problema. Mas houve investimentos, recebemos subvenções, melhorou um pouco – analisa.

Fonte:Diário Catarinense(25/10/2009)

Desvio de foco

A imprensa,alguns jornais e comentaristas falam e falam dos problemas de Brasília.Criticam o presidente,os deputados e senadores e tal...E o nosso quintal??? E os desmandos aqui na terra barriga verde??? Quero ver a isenção da informação aqui em Santa Catarina.Será que essa matéria que foi publicada no Diário Catarinense de hoje...foi a primeira contra o governo...ou será a última??? Hein!!!

NOTA 10 PARA O DIÁRIO CATARINENSE

Ufa!!! Demorou para alguém publicar esse deboche...essa empresa de turismo que é financiada com o seu dinheiro,com o meu dinheiro,com o nosso dinheiro...E ainda tem coragem de vir pedir o voto aqui em Joinville??? Será que estou ficando louco??? Quero ver alguém aqui da imprensa de Joinville comentar alguma coisa...Dúvido...dúvido!!! São capazes de falar que essas viagens foram benéficas para Santa Catarina...231 dias viajando...Eita!!! Infelizmente só daqui a alguns anos...essa vergonha administrativa será publicada em livros...Pobre povo catarinense...E o joinvilense é o maior culpado.

VERGONHA...DEBOCHE...DESPERDÍCIO DO NOSSO DINHEIRO...

Desde 2003, o governador catarinense percorreu 24 países...Éééégua.

Desde 2003, quando assumiu o mandato de governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB) fez 30 viagens internacionais, percorrendo 24 países.

Consideradas uma das marcas desta administração, ao lado da descentralização, as missões internacionais da era Luiz Henrique foram encerradas neste final de semana, com a última grande viagem antes de o governador passar o bastão para o vice Leonel Pavan (PSDB) em 2010.

O Diário Catarinense fez um balanço das viagens, acordos e promessas ao longo dos últimos sete anos.

Fonte:Diário Catarinense(25/10/2009)

sábado, 24 de outubro de 2009

A choradeira será grande

Com certeza...Vai faltar lenço na cidade.

2011...2011...2011...2011...

O presidente do Brasil será do PSDB...
A governadora será do PP ou do PT...
Os novos senadores serão do PMDB e do PP...e Joinville contará apenas com dois deputados estaduais e apenas um federal...Querem apostar???

Querem empurrar Paulo Bauer para o senado

É isso aí...Aos poucos estão empurrando o secretário da educação Paulo Bauer para concorrer ao Senado.Daí o ex-prefeito Tebaldi corre livre para deputado federal...Só resta saber se o secretário irá aceitar.

Quem é mais forte,o governador ou o PMDB???

Com certeza é o governador Luiz Henrique da Silveira...Não tem pra ninguém o candidato do PMDB é Raimundo Colombo.

E Santa Catarina???

Aqui a mulherada não ganhará a eleição só se não quiser...Essas "pesquisinhas" de porta de boteco não dá para acreditar não...Ou vocês acham que a senadora do PT está tão longe assim do candidato do DEM ??? Mesmo Ideli Salvatti não ganhando a eleição ela poderá contribuir com a vitória de Angela Amin.

José Serra é um bom candidato...

Sim é!!! O problema é o PSDB...Rsrsrsrsr

O sonho cultural da classe média brasileira

Paris??? Não!!! Veneza??? Não!!! Buenos Aires??? Não!!! Moscou??? Não!!! É a Disneylândia mesmo...Querem pedir autógrafo para o Tio Patinhas e para o Mickey.

Que classe média???

Qual a vida cultural dessa classe média??? Esperar pelo lançamento de mais um filminho norte-americano??? Leitura pelo jeito só de livro de auto ajuda...Esses com certeza votarão no PSDB...Eita!!!

A internet é a arma da classe média...Que classe média???

Os formadores de opinião sabem que a televisão não interferirá na mudança de voto...Por isso a opção é fazer piadinhas ridicularizando o Lula...Pelo jeito presidente bom era o FHC...Aliás quantas universidades federais foram criadas pelo "sociólogo"???

Fenômeno diferente

Mas nas últimas eleições ficou evidente que a influência da televisão não altera a intenção de voto do eleitor...Assim como o povo não confia nos políticos também não confia mais na "telinha".

Mídia nacional quer PSDB governando o Brasil

Está ficando escancarado o posicionamento da mídia nacional em favor do PSDB...Fazer o que né!!!

O individualismo tem ainda futuro?, por Leonardo Boff*

Há, hoje, nos EUA, uma crise mais profunda do que aquela econômico-financeira. É a crise do estilo de sociedade que foi montada desde sua constituição pelos “pais fundadores”. Ela é profundamente individualista, derivação direta do tipo de capitalismo que aí foi implantado. A exaltação do individualismo ganhou a forma de um credo num monumento diante do majestoso Rockfeller Center, em Nova York, no qual se pode ler o ato de fé de John D. Rockfeller Jr.: “Eu creio no supremo valor do indivíduo e no seu direito à vida, à liberdade e à persecução da felicidade”.

Em finas análises no seu clássico livro “A democracia na América”(1835), o magistrado francês Charles de Tocqueville (1805-1859) apontou o individualismo como a marca registrada da nova sociedade nascente.

Ele sempre foi triunfante, mas teve que aceitar limites devido à conquista dos direitos sociais dos trabalhadores e especialmente com surgimento do socialismo que contrapunha outro credo, o dos valores sociais. Mas com a derrocada do socialismo estatal, o individualismo voltou a ganhar livre curso sob o presidente Reagan a ponto de se impor em todo o mundo na forma do neoliberalismo político.

Contra Barack Obama, que tenta um projeto com claras conotações sociais como a saúde para todos os estadounidenses e as medidas coletivas para limitar a emissão de gases de efeito estufa, o individualismo volta a ser reproposto com furor. Acusam-no de socialista e de comunista e até, num Facebook da internet, não se exclui seu eventual assassinato caso venha a cortar os planos individuais de saúde. E note-se que seu plano de saúde nem é tão radical assim, pois, tributário ainda do individualismo tradicional, exclui dele todos os milhões de imigrantes.

A palavra “nós” é uma das mais desprestigiadas da sociedade norte-americana. Denuncia-o o respeitado colunista do “New York Times”, Thomas L. Friedman, num artigo recente: “Nossos líderes, até o presidente, não conseguem pronunciar a palavra ‘nós’ sem vontade de rir. Não há mais ‘nós’ na política norte-americana numa época em que ‘nós’ temos enormes problemas – a recessão, o sistema de saúde, as mudanças climáticas e guerras no Iraque e no Afeganistão – com que ‘nós’ só podemos lidar se a palavra ‘nós’ tiver uma conotação coletiva”(“JB” 01/10/09).

Ocorre que por falta de um contrato social mundial, os EUA comparecem como a potência dominante que, praticamente, decide os destinos da humanidade. Seu arraigado individualismo projetado para o mundo se mostra absolutamente inadequado para mostrar um rumo para o “nós” humano. Esse individualismo não tem mais futuro.

Mais e mais se faz urgente uma governança global que substitua o unilateralismo mocêntrico. Ou deslocamos o eixo do “eu” (a minha economia, a minha força militar, o meu futuro) para o “nós” (o nosso sistema de produção, a nossa política e o nosso futuro comum) ou, então, dificilmente evitaremos uma tragédia, não só individual mas coletiva. Independentemente de sermos socialistas ou não, o social e o planetário devem orientar o destino comum da humanidade.

Mas por que o individualismo é tão arraigado? Porque ele está fundado num dado real do processo evolucionário e antropogênico, mas assumido de forma reducionista. Os cosmólogos nos asseguram que há duas tendências em todos os seres, especialmente nos vivos: a de autoafirmação (eu) e a de integração num todo maior (nós). Pela autoafirmação, cada ser defende sua existência, caso contrário, desaparece. Por outro lado, nunca está só, está sempre enredado numa teia de relações que o integra e lhe facilita a sobrevivência.

As duas tendências coexistem e, juntas, constroem cada ser e sustentam a biodiversidade. Excluindo uma delas, surgem patologias. O “eu” sem o “nós” leva ao individualismo e ao capitalismo como sua expressão econômica. O “nós” sem o “eu” desemboca no socialismo estatal e no coletivismo econômico. O equilíbrio entre o “eu” e o “nós” se encontra na democracia participativa que articula ambos os polos. Ela acolhe o indivíduo (eu) e o vê sempre inserido na sociedade maior (nós) como cidadão.

Hoje, precisamos de uma hiperdemocracia que valorize cada ser e cada pessoa e garanta a sustentabilidade do coletivo que é a geosociedade nascente.

lboff@leonardoboff.com

*Teólogo, professor e membro da Comissão da Carta da Terra

Fonte:Jornal A Notícia(24/10/2009)


Passarela da Moda em Maringá


Joinville precisa pelo menos umas 15 dessas aí.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Texto adaptado

O texto anterior é uma adaptação de Hans Christian Andersen e foi retirado do blog "A casa de Rubem Alves"...Eu fiz algumas modificações em relação ao texto original e a versão de Rubem Alves...Ok!!!

A estória do rei

“Havia um "rei" muito tolo que adorava roupas bonitas. Os tolos, geralmente, gostam de roupas bonitas. Pois esse "rei" enviava emissários por todo o país com a missão de comprar roupas diferentes. Era o melhor cliente de algumas lojas. Os seus guarda-roupas estavam entulhados com ternos, sapatos, gravatas de todas as cores e estilos. Eram tantas as suas roupas que ele estava muito triste porque seus emissários já não encontravam novidades.
Dois espertalhões ouviram falar do gosto do "rei" pelas roupas e viram nisso uma oportunidade de se enriquecerem às custas da vaidade da Majestade. A vaidade torna bobas as pessoas: elas passam a acreditar nos elogios dos bajuladores... Foi isso que aconteceu com um corvo vaidoso que estava pousado no galho de uma árvore com um queijo na boca: por acreditar nos elogios da raposa ficou sem queijo...
Pois os dois espertalhões-raposa foram até o palácio da Ilha da Magia e anunciaram-se na portaria, apresentando o seu cartão de visitas: “Raimundo Pompeu e Leonel Coelho, especialistas em tecidos mágicos.”
O rei já havia ouvido falar de tecidos de todos os tipos mas nunca ouvira falar de tecidos mágicos. Ficou curioso. Ordenou que os dois fossem trazidos à sua presença. Diante do rei fizeram uma profunda barretada, tirando seus chapéus.
“Falem-me sobre o tecido mágico”, ordenou o rei.
Um dos espertalhões, o mais loquaz, se pôs a falar.
“Majestade, diferente de todos os tecidos comuns, o tecido que nós tecemos é mágico porque somente as pessoas inteligentes podem vê-lo. Vestindo um terno feito com esse tecido Vossa Majestade será cercado apenas por pessoas inteligentes, pois somente elas o verão...”
O rei ficou encantado e imediatamente contratou os dois espertalhões, oferecendo-lhes um amplo aposento onde poderiam montar os seus teares e e tecer o tecido que só os inteligentes poderiam ver..
Passados alguns dias o rei mandou chamar o secretário de educação e ordenou-lhe que fosse examinar o tecido. O secretário dirigiu-se ao aposento onde os tecelões estavam trabalhando.
“Veja, excelência, a beleza do tecido”, disseram eles com a mãos estendidas. O secretário da educação não viu coisa alguma e entrou em pânico. “Meu Deus, eu não vejo o tecido, logo sou burro...” Resolveu, então, fazer de contas que era inteligente e começou a elogiar o tecido como sendo o mais belo que havia visto.
“Majestade”, relatou o secretário da educação ao rei, “o tecido é incomparável, maravilhoso. De fato os tecelões são verdadeiras magos!” O rei ficou muito feliz.
Passados mais dois dias ele convocou o secretário da segurança e ordenou-lhe que examinasse o tecido. Aconteceu a mesma coisa. Ele não viu coisa alguma. “ Meu Deus”, ele disse, “ não sou inteligente. O secretário da educação viu e eu não estou vendo...” Resolveu adotar a mesma tática do secretário da educação e fez de conta que estava vendo. O rei ficou muito feliz com o seu relatório. E assim aconteceu com todos os outros secretários. Até que o rei resolveu pessoalmente ver o tecido maravilhoso. Mas, como os secretários, ele não viu coisa alguma porque nada havia para ser visto. Aí ele pensou: “Os secretários conseguiram ver. São inteligentes. Mas eu não vejo nada! Sou burro. Não posso deixar que eles saibam da minha burrice porque pode ser que tal conhecimento venha a desestabilizar o meu governo...” O rei, então, entregou-se a elogios entusiasmados ao tecido que não havia.
O cerimonial do palácio determinou então que deveria haver uma grande festa para que todos vissem o rei em suas novas roupas. E todos ficaram sabendo que somente os inteligentes as veriam. A mídia, televisão e jornais, convidaram todos os cidadãos inteligentes a que comparecessem à solenidade.
Num certo dia, a cidade enfeitada, bandeiras por todos os lados, bandas de música, as ruas cheias, tocaram os clarins e ouviu-se uma voz pelos alto-falantes:
“Cidadãos da nossa terra! Dentro de poucos instantes a sua inteligência será colocada à prova. O rei vai desfilar usando a roupa que só os inteligentes podem ver.”
Canhões dispararam uma salva de seis tiros. Ruflaram os tambores. Abriram-se os portões do palácio e o rei marchou vestido com a sua roupa nova.
Foi aquele oh! de espanto. Todos ficaram maravilhados. Como era linda a roupa do rei! Todos eram inteligentes.
No alto de uma árvore estava encarapitado um menino a quem não haviam explicado as propriedades mágicas da roupa do rei. Ele olhou, não viu roupa nenhuma, viu o rei peladão exibindo sua enorme barriga, suas nádegas murchas e vergonhas dependuradas. Ficou horrorizado e não se conteve. Deu um grito que a multidão inteira ouviu:
“O rei está peladão!”
Foi aquele espanto. Um silêncio profundo. E uma gargalhada mais ruidosa que a salva de artilharia. Todos gritavam enquanto riam: “ O rei está peladão, o rei está peladão...”
O rei tratou de tapar as vergonhas com as mãos e voltou correndo para dentro do palácio.
Quanto aos espertalhões, já estavam longe e haviam transferido os milhões que haviam ganho...”
Não foi bem assim que Hans Christian Andersen contou a estória. Agora vou contar a mesma estória com um fim diferente. Ela é em tudo igual à versão de Andersen, até o momento do grito do menino.
“O rei está peladão!
Foi aquele espanto. Um silêncio profundo. Seguido pelo grito enfurecido da multidão.
“Menino louco! Menino burro! Não vê a roupa nova do rei! Está querendo desestabilizar o governo! É um subversivo!”
Com estas palavras agarraram o menino, colocaram-no numa camisa de força e o internaram num manicômio.
Moral da estória: Em terra de cego quem tem um olho não é rei. É doido.

AJUDE A REDE FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER DE JOINVILLE

Matéria interessante

O jornalista Valmir Salaro, repórter da TV Globo, afirmou que depois do caso Escola Base, em que donos de uma escola infantil foram presos sem provas, desconfia até de si mesmo. “Fui o primeiro a cobrir o caso Escola Base, eu acreditei no caso e assumi meu erro, assim como outro veículos, mas desde esse caso, desconfio até de mim mesmo”, declarou em debate no Seminário “A Polícia e a Mídia”, realizado nesta quinta-feira (22/10), pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).

Salaro disse ainda que foi muito criticado pela entrevista que fez com o casal Nardoni, no caso de Isabella, assunto que foi pauta da mídia por meses. “Fui muito criticado por não pressionar o casal em entrevista, mas não cabe ao jornalista condenar”, afirmou.

O jornalista discorda do uso do termo repórter investigativo. “Não concordo que o jornalista de polícia seja classificado como repórter investigativo, porque quase sempre nós usamos uma fonte oficial, uma informação oficial da polícia, de um delegado”, explicou.

Para Salaro, o repórter de polícia enfrenta desafios diários. “Existe muita arrogância no jornalismo e o profissional que cobre essa área sofre muitos preconceitos dentro da redação”.
O repórter lembrou do caso de Suzane von Richthofen. “Se o mesmo acontecesse na periferia, ninguém cobriria, mas como é uma moça rica e que fala duas línguas, todo mundo cobre”, criticou.

O jornalista também fez outra crítica à imprensa, por haver poucos representantes da mídia no evento, que contou com a maioria de policiais. “Vejo poucos colegas jornalistas aqui, e esse assunto é fundamental para nós, precisamos fazer uma reflexão”, concluiu.

Fonte:Rogério Giessel(23/10/2009)


CAMPANHA DE ANISTIA AOS PRAÇAS DA PM/BM DE SC

Solicitamos a todos que fortaleçam a Campanha Anistia aos Praças Catarinenses no âmbito do Parlamento Catarinense, em apoio ao projeto do deputado estadual Sargento Amauri Soares, o qual concede anistia aos policiais e bombeiros militares que participaram de atos reivindicando seus direitos, assim como concede anistia àqueles que estão sendo punidos por conta de expressarem suas opiniões.

Divulgamos a seguir uma proposta de texto, mas cada pessoa pode escrever seu próprio depoimento, e os e-mails dos deputados estaduais da ALESC.

SEGUE O TEXTO SUGESTÃO E ABAIXO O E-MAIL DOS DEPUTADOS ESTADUAIS.


Excelentíssimo Senhor (a) Deputado (a) Estadual,
Os praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina pedem seu importante apoio para aprovar o Projeto de Lei nº 400.2/2009, que concede anistia aos militares estaduais em razão de participação em movimentos reivindicatórios ou de manifestações de pensamento.

Desde dezembro de 2008, os praças catarinenses estão sendo vítimas de perseguição política por parte dos Comandos por participar de manifestação justa, ordeira e democrática para fazer cumprir a famosa Lei 254/2003, ou seja, em defesa de melhores salários e condições de trabalho.

Milhares estão sendo punidos com penas de até prisão e detenção, sujando suas fichas funcionais de comportamento. Atualmente, cerca de 50 servidores, com excelente histórico de serviços prestados, estão sendo julgados em Conselho de Disciplina, que pode levar à expulsão, e oito policiais militares já foram expulsos da Corporação, prejudicando a segurança pública da sociedade catarinense. Além do mais, está instalado um clima de terror e perseguição nos quartéis, causando desconforto, estresse e desmotivação.

A anistia é um passo importante para levar a paz aos valorosos policiais e bombeiros militares, que estão apenas buscando justiça salarial, contribuir para a melhoria da qualidade no trabalho dos agentes da segurança, e por um fim ao clima de inquisição.

adadeluca@alesc.sc.gov.br
anapaulalima@alesc.sc.gov.br
antonioaguiar@alesc.sc.gov.br
carloschiodini@alesc.sc.gov.br
cesarjunior@alesc.sc.gov.br
ciriovandresen@alesc.sc.gov.br
dagomarcarneiro@alesc.sc.gov.br
darcidematos@alesc.sc.gov.br
edisonandrino@alesc.sc.gov.br
elizeumattos@alesc.sc.gov.br
merisio@alesc.sc.gov.br
genesio@alesc.sc.gov.br
gtomelin@alesc.sc.gov.br
ismael@alesc.sc.gov.br
jailson@alesc.sc.gov.br
jean@alesc.sc.gov.br
joares@alesc.sc.gov.br
josenatal@alesc.sc.gov.br
kennedynunes@alesc.sc.gov.br
licio@alesc.sc.gov.br
mota@alesc.sc.gov.br
marcosvieira@alesc.sc.gov.br
moacir@alesc.sc.gov.br
parisotto@alesc.sc.gov.br
nilson@alesc.sc.gov.br
padrepedro@alesc.sc.gov.br
pedrouczai@alesc.sc.gov.br
professor.grando@alesc.sc.gov.br
odetedejesus@alesc.sc.gov.br
renatohinnig@alesc.sc.gov.br
reno@alesc.sc.gov.br
rogerio@alesc.sc.gov.br
titon@alesc.sc.gov.br
sargentosoares@alesc.sc.gov.br
serafimvenzon@alesc.sc.gov.br
silviodreveck@alesc.sc.gov.br
comin@alesc.sc.gov.br
vanio@alesc.sc.gov.br

Sd Elisandro LOTIN de Souza

Vice Pres. da APRASC (Associação de Praças de SC)

Fone: (48) 8824-3293 - Fpólis - SC

Visite nossos sites www.aprasc.org.br / www.sargentosoares.com.br



quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O vendedor de bananas quer saber:

Quem que vendeu a Rodoviária para o Ipreville??? Quem??? Quem será que inviabilizou a reforma da sucateada Rodoviária de Joinville??? Quem...quem será.

Não precisa mais pagar dívidas para o governo do estado

É isso aí!!! Se você é honesto e quer fazer as coisas certinhas aqui em Santa Catarina você não tem vez.O negócio é deixar a dívida ficar ativa e esperar o governo perdoá-la...É mole!!! Que incentivo aos bons pagadores né governo do estado??? Ei,deve ser só mais uma das grandes obras da "descentralização"...Éééégua!!!

Coitadinhos dos vereadores de Joinville

Hummm!!! Prefeito Carlito??? Ei prefeito!!! Os vereadores querem conhecer a Suíça,é mole??? O sr. pode até viajar para a Europa...mas tem que convidar os vereadores!!! Muito interessante!!! Isso é uma barbaridade.

A opinião da Jornalista Miriam Pedrotti

Juliano,

É com muito pesar que sou obrigada a concordar contigo quando falas da minha categoria, agora vilipendiada de vez pela medida do STF de misturar os diplomados com os matreiros, num mesmo balaio de gatos!!! Joinville não sabe como fazer pra se livrar dessas pragas que infestam as rádios, as tevês, os jornais e agora, também a Internet com suas sórdidas opiniões interesseiras. Por Deus, que vergonha! Que vergonha!!!

Abraços fraternos.

Miriam Pedrotti
Jornalista diplomada

DESSE MATO NÃO SAI COELHO,POR ROBERTO CORREA

O Joinvillense tem que apanhar bastante, levar uma surra de chicote, até aprender um dia. Existe aquele ditado "desse mato não sai coelho". Pois bem, desses políticos que aí estão, não sai nada para Joinville.
Joinville é a maior cidade do estado e a maior quantidade de eleitores, e mesmo assim, ela nunca foi respeitada pelos políticos que governam ou governaram o estado. No tempo das eleições eles aparecem com o chapéu na mão, pedindo votos. Depois de eleito retornam para a "ilha da fantasia" para atender os intereses de lá.
O Joinvillense tem que aprender a saber o poder que tem nas urnas e exigir um tratamente a sua altura.
Enquanto esse dia não chegar, seremos sempre um "BURRO DE CARGA". Vamos sempre trabalhar e pagar impostos para ver os outros crescerem.
Soluçao para resolver isso: ELEIÇÃO 2010.
Vamos colocar alguém comprometido com Joinville. Esses antigos politicos que já tiveram a sua vez, vamos descartar. Não dêem nova chance a esses políticos espertos e matreiros. São políticos RAPOSAS que adoram comer coelhos. Por isso que " DESSE MATO NÃO SAI COELHO".

O jornalismo ético em Joinville,por Roberto Correa

Não devemos generalizar e colocar tudo no mesmo saco, mas a verdade é que a cidade de Joinville carece de jornalistas, radialistas e comentaristas políticos ÉTICOS. A grande maioria é corrompida. Pertencem e protegem grupos políticos e alguns recebem até mensalinho para fazer o seu trabalho. Foi o que o Ministério Público recentemente identificou. Pasmem ! Esse mensalinho vem dos nossos impostos.
Isso é mais um entrave que impede e dificulta o desenvolvimento e o crescimento da nossa cidade.
As empresas que patrocinam os programas desses pseudo-profissionais da comunicação prestam um desserviço para o joinvillense. Essas empresas deveriam de se informar melhor sobre esses profissionais mercenários da comunicação.

Deu na voz do Brasil

Deu na voz do Brasil, o deputado Edinho Bez do PMDB catarinense parabenizou o governador do estado pelo projeto e também pela execução da obra já a partir de 2010 do metrô de superficie em Florianópolis. No outro dia deu o seguinte : O deputado José Carlos Vieira do DEM ou PR de Santa Catarina pediu para que RFFA ( rede ferroviária federal) coloque urgentemente cancelas nas passagens do trem do perimetro urbano de Joinville. Minha conclusão: Para Joinville não vem nem o mínimo do mínimo, já para a capital não é preciso nem pedir. A cada dia que passa fico com mais nojo desse tipo de política.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Deslumbrados apenas pelo poder

Rodoviária sucateada,aeroporto quase sem utilidade,as artérias da cidade congestionadas...Ninguém pensou,ninguém planejou uma Joinville para o futuro...Mas para que pensar em mudança??? O importante é eu beber,comer e viajar...se a cidade está parada no tempo que se dane...Hipócritas...Desejo sinceramente que o povo honesto e trabalhador de Joinville acorde de fato e diga NÃO a esses parasitas.

Imprensa de Joinville compactuou com a mentira oficial

Essa é a mais pura realidade...Jornalistas,radialistas e colunistas estavam deslumbrados com o tratamento dado pela Prefeitura após 1997...Como criticar quem nos trata bem??? Banho de luz era o que mais acontecia...Eventos e mais eventos para comemorar o nada...Enquanto muitos bebiam,comiam e viajavam com o dinheiro do contribuinte...a cidade parou no tempo...Isso é só uma pequena amostra do que já estou escrevendo sobre a política de Joinville entre os anos de 1997 e 2008.

Sente...a organização

Preservação dos prédios antigos,árvores,grama,flores,rio limpo e o mais importante...o povo na rua...É a França.

O sucesso do ciclismo na França:Tour de France



terça-feira, 20 de outubro de 2009


Figueirense perde em Goiás...O clube da capital perdeu de 2 a 1 para o Vila nova.

Esse homem merece respeito


Se existe alguém que quer o bem de Joinville e quer ver as coisas acontecerem na cidade, essa pessoa é o sr. Alsione Gomes de Oliveira.Siga em frente seu Alsione.Não esquente com a galera...Ok!!!

Vou escrever um livro

Sobre a política de Joinville entre os anos de 1996 até 2008...A imprensa,a propaganda,a paralização da administração pública da cidade através dos jornais do período.

A banalização da violência(Clique na imagem para visualizar melhor)


Olha como a menina observa o corpo...Olha a expressão do jovem rindo do morto...É a banalização da violência no Brasil...A foto é do Jornal A Notícia(20/10/2009)

Eu como presidente do Brasil...

...Assumo o compromisso de: Alterar o Código Penal...Também sou a favor da pena capital para crimes hediondos...Pronto...O candidato que defender isso,é presidente do Brasil.

Por que o PT vai perder as eleições em 2010

O PT não priorizou o combate a violência.Ou seja,mais investimento na segurança pública,mudança no Código Penal(reduzir a maioridade penal) e agilidade no Judiciário.Com certeza,os partidos de oposição irão explorar essa falha do governo Lula.Uma coisa é pensar o mundo ideal,outra coisa é viver no mundo real...O Brasil não aguenta mais tanta violência e tanta impunidade.

Solange Baumer comenta sobre o SOM ALTO

Morei no Ulisses Guimarães de 2002 a 2004.Tinha um vizinho,5 casas depois da minha,que colocava o som dele na janela,virado pra rua e erguia pro bairro todo ouvir.Músicas dos anos 80 é legal curtir,mas todo fim de semana,das 8:00 às 18:00 sem parar,e naquele volume?Mas ninguém fazia nada.Hoje moro beeeemmm longe,noutro bairro.Mas pessoas assim deveríam viver em fazendas,onde um vizinho fica bem longe do outro.