.

Colabore com o Feudalismo Atual escrevendo para o e-mail: juliano.bueno1971@gmail.com

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A arte de Miriam Pedrotti"Colheita de tulipas"


Olhe que linda tela...Quem pintou??? Minha grande amiga Miriam Pedrotti...É show de bola.

RESULTADO DA 1° CONSEG EM BRASÍLIA - DESMILITARIZAÇÃO APROVADA

A desmilitarização das instituições militares de segurança pública como forma de melhorar a prestação deste serviço para a sociedade foi aprovada em Brasília, na 1° CONSEG.

Dentre as 40 diretrizes, o tema desmilitarização esteve presente em quatro perfazendo um total de 1850 votos, o que significa que como dito por várias vezes pela Aprasc, tal demanda não é apenas dos militares estaduais de baixa graduação, mas sim da sociedade como um todo, que vê no sistema militarizado de segurança pública uma cópia das lógicas vigentes à época da ditadura militar.

Também foi aprovada na CONSEG, uma moção de repúdio ao Governo de SC e ao Comandante Geral da Polícia Militar pelas exclusões de Praças e pela criminalização do movimento das esposas e familiares de Policiais Militares, por terem participado e apoiado o movimento pelo cumprimento da lei salarial (lei 254/03) em Dezembro de 2008.

A referida moção teve apenas um voto contrário dentre os mais de três mil delegados de todo o Brasil, representado os mais diversos seguimentos, sejam militares, da sociedade civil e poder público, o que comprova que as atitudes do Governo de SC são arbitrárias, ditatoriais e estão em uma lógica diferente daquelas defendidas por todos. Utilizar-se de regulamentos arcaicos, obsoletos como forma de calar profissionais que buscavam o cumprimento de uma lei e de promessas não se coaduna com o que quer e o que prega a sociedade brasileira, assim como utilizar do cargo para humilhar e denegrir a imagem de pessoas que acreditaram e buscaram o cumprimento da palavra empenhada é uma forma vil e traiçoeira de vingança.

Outras questões importantes também forma aprovadas, como por exemplo um percentual fixado em lei para a segurança pública, a homologação do Conseg (conselho de segurança) com poder delibertivo, a regulamentação das Guardas municipais, a instituição de um piso nacional de salário para os profissionais da áres entre outras.

A CONSEG é um diferencial no tocante a segurança pública e tem o escopo de melhorar o sistema que já demonstrou que necessita urgente de reformas. Esperamos que, como ocorreu aqui em SC no tocante à promessas não cumpridas o mesmo não ocorra a nível federal e que o que foi democraticamente decidido seja de fato implementado.

Fonte: Sd Elisandro Lotin de Souza

A arte de Miriam Pedrotti"Colheita de tulipas"


Olhe que linda tela...Quem pintou??? Minha grande amiga Miriam Pedrotti...É show de bola.

domingo, 30 de agosto de 2009

Feudalismo Atual deu uma pista no dia 06 de agosto...abaixo o texto

Novidade no meio político de Joinville

Um passarinho me confidenciou,que um político famoso de Joinville estaria caminhando aos poucos para um partido que obteve uma votação expressiva para a prefeitura do Rio de Janeiro.Quem será esse político??? Qual será o partido???

Lançamento no Brasil e em Joinville

O objetivo do Partido Verde foi o de lançar o nome de Fabio Dalonso junto com o de Marina Silva justamente para mostrar que a política no Brasil e particularmente aqui em Joinville pode sim ter uma terceira via como uma nova forma de administrar fugindo dos vícios da política tradicional.

O pronunciamento de Marina Silva

"Não venho com a ilusão de um partido perfeito, mas de que homens e mulheres de bem podem aperfeiçoar as instituições"
Fonte:WWW.CLICRBS.COM.BR (30/08/2009)

Dalonso no Partido Verde


Na opinião dos "verdes" que participaram da reunião...Dalonso merece muito respeito pelos trabalhos realizados em Joinville quando foi vereador e presidente da Câmara de Vereadores.O Partido Verde só tem a ganhar com a presença de "Fabinho" e com certeza todo povo de Joinville.

Partido Verde faz convite a Fabio Dalonso

Membros do Partido Verde de Joinville estiveram reunidos na última sexta-feira e lançaram o nome de Fabio Dalonso para deputado estadual.Dalonso é um político jovem e também uma grande liderança na cidade.A entrada de Dalonso no Partido Verde só fortalecerá a sigla que não está apenas vislumbrando 2010 mas também vê em "Fabinho" um grande nome para o pleito de 2012 em Joinville.

sábado, 29 de agosto de 2009

Magia não ganha jogo. É preciso aterrissar

A humildade com que o Coritiba se postou diante do Avaí. O respeito do Coxa para com o rival catarinense. O espírito dos paranaenses em campo. São estes alguns dos fatores determinantes para esta vitória do time da casa, por 2 a 0, interrompendo o conto de fadas que vivia o Avaí.

Alguém, em algum momento, teria que descer da soberba, aceitar o Avaí como um time ajustado, forte e não como um mero sortudo que faz ótima campanha ninguém sabe como.

Este alguém foi o Coxa. E o mérito desta postura é não só do time, mas (principalmente) do técnico Nei Franco, de quem sou fã. Um baita profissional.
Fonte:Blog do Castiel,WWW.CLICRBS.COM.BR (29/08/2009)

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Leia um bom livro ou pedale um pouco

Fim de semana chegou??? Leia um bom livro ou visite os amigos e familiares...Ou então pegue sua bicicleta e saia por aí...Ok!!!

Prefeito Carlito Merss visita obras da Saúde


O prefeito Carlito Merss e o vice Ingo Butzke acompanharam na manhã dessa sexta-feira (28), o secretário da Saúde Tarcísio Crocomo em visita nas unidades de saúde. Foram visitados os postos da rede de atenção básica Boehmerwald I, Itinga (já reformados), e a Unidade de Saúde Willy Schossland, do bairro Costa e Silva, que também passa por reforma e será concluída em 20 dias.

Na unidade do Boehmerwald I, ocorreram reformas no telhado, nas paredes, conserto nos tubos de água, troca da tubulação externa e reconstrução da calçada - destruída pelas obras anteriores. No Itinga, foram consertadas as goteiras, rachaduras e reconstruída a rampa de acesso. Na unidade Willy Schosland, que ainda está em obra, foram necessárias readequações na estrutura física, como a construção de dois banheiros, troca da cobertura, ampliação da farmácia,colocação de piso cerâmico, troca de fiação elétrica e pintura interna e externa.

O prefeito ficou satisfeito com o que viu, mas, ao sair de cada uma das unidades visitadas, perguntava aos funcionários se estavam satisfeitos com as reformas e o que mais precisaria melhorar. No Posto do Boehmerwald I, Carlito recebeu homenagem de funcionárias. "É muito bom ver que não só os munícipes tem um local digno para atendimento, mas que também os servidores dessa unidade estão trabalhando num ambiente saudável". O secretário de Saúde, Tarcísio Crocomo, também falou sobre a nova fase da Secretaria. "Estas obras vêm ao encontro dos anseios da comunidade e dos nossos servidores",resumiu.
Fonte:
Secretaria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Joinville(28/08/09)

Estrada Anaburgo

O Vereador Maurício Peixer está questionando a Prefeitura através do
Pedido de Informação 438/2009, sobre o trecho de 50 metros de barro entre
o asfalto da Estrada Anaburgo e o trecho onde passará a Rodovia do Arroz
que também será asfaltado.
O Vereador quer saber quem será o pai da criança, quer dizer, se aquele
trecho receberá asfalto pela empresa que está construindo a rodovia ou
pela Prefeitura, e se existe previsão para o asfaltamento do trecho, pois
os moradores da Estrada Anaburgo sofrem para passar pelo local cada vez
que chove.
Fonte:Décio Góes(28/08/2009)

Companheiras

Ela é amiga de outra tartaruga que ficou bastante tempo no poder e ainda insiste em andar por aí.

Já cortaram as árvores do Aeroporto???


Se ainda não cortaram...ela com certeza tomará as providências...Olha que essa é turbinada!!!

Bate papo com Milton Wendel

Ontem no final da tarde conversei com o ambientalista Milton Wendel...Participaram do bate-papo também os amigos Fabrício e João Carlos...Milton contou pra nós como era o rio Cachoeira no seu tempo de infância e propôs uma solução viável de despoluição do nosso rio...Se o poder público tiver interesse é só procurá-lo.

Quer dizer que...

Em locais abertos é "mais perigoso" pegar gripe A do que em ambientes fechados??? Sinceramente,aí não entendo mais nada.

Sobre a gripe A, outro questionamento

E os estádios e ginásios de esportes,também serão cancelados os eventos???

Sobre a gripe A,um questionamento

Se o desfile foi cancelado pois existe o perigo do contágio da doença devido a aglomeração de pessoas que será ao ar livre...por que aos estudantes é permitido correrem o risco de permanecerem dentro da sala de aula por 4 horas seguidas???

Sobre a gripe A

O desfile de 7 de setembro foi cancelado.O objetivo é evitar aglomeração de pessoas e a transmissão do vírus da gripe A.
Fonte:Jonal A Notícia(28/08/2009)

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Por que 80% dos empregos gerados no Brasil são de até 2 salários mínimos? por Geraldo Serathiuk*

Ao ler informações do movimento sindical sobre a situação dos salários no Brasil, proponho uma reflexão. A elite brasileira impôs historicamente um projeto de desenvolvimento para o Brasil baseado na exportação de matéria-prima (açúcar, farelo, madeira, minério, carne in natura etc.), sem transformação e agregação de valor aos nossos produtos, o que nos colocou muito mal na divisão internacional do trabalho e ainda nos trouxe degradação ambiental, concentração da terra, migração para as grandes cidades e criminalidade.

Por isso para o povo brasileiro: "80% dos empregos gerados no Brasil são de no máximo 2 salários mínimos ou para os que não conseguem um emprego, o Estado como caixa de compensação e de estabilização do setor produtivo, que usa da mais alta rotatividade de mão de obra do mundo para pagar baixos salários, oferece uma bolsa compensatória ou assistencial, para manter este modelo de exclusão e concentração da riqueza, e caso não se aceite, polícia e presídios, para os que seguem outro caminho".

Para nos ajudar a explicar isto o economista Gustavo Santos do BNDES nos mostra que o Brasil tem um alto déficit de US$60 bilhões em metal-mecânica, química e eletrônica. "O Brasil não é um país industrializado, apenas detém algumas regiões desenvolvidas. E propõe o desenvolvimento de indústrias dos setores metal-mecânico, químico e eletrônico, a exemplo de outros países". O Brasil seria desenvolvido em uma geração, se a capacidade produtiva dessa industria aumentasse a ponto de gerar superávit em sua balança comercial, afirma Gustavo. Lembrando também que as exportações do setor eletrônico foram um passo imprescindível no desenvolvimento do Japão, Coréia do Sul, de Taiwan e da China.

E continuando, nos mostra que precisamos de uma política industrial orientada pelo Estado, com apoio dos bancos públicos, instituições de tecnologia e universidades, do contrário, os brasileiros continuarão a dar duro para receber baixos salários ou uma bolsa compensatória e assistencial.

E como nos ensinou Celso Furtado este modelo econômico serve apenas para sustentar o padrão de consumo da elite brasileira enquanto o trabalhador tem que se conformar com uma bolsa compensatória ou assistencial. Por isso revela que temos que estar empenhados nas lutas sociais a favor de mudanças. Como apoiar a luta pela reforma agrária e por mais recurso para a agricultura familiar. A luta pela mudança de padrão de consumo que agride ao meio ambiente. A luta por mais recurso para os ensinos infantil, básico, fundamental e médio. A luta por uma reforma tributária que de um basta à sangria dos minguados ganhos dos trabalhadores, enquanto as grandes fortunas e os grandes proprietários pouco pagam de tributos. A luta por uma política industrial com aplicação mais recurso para a ciência e tecnologia para sairmos da condição de exportador de produtos primários para industrializados, para agregar valor aos salários. A luta contra o modelo urbano que faz as cidades reféns dos especuladores urbanos, do lobby do transporte coletivo, dos especuladores imobiliários, do lixo etc. A luta para alterar a política de juros que sangra a economia e a população, subordinando o Banco Central aos trabalhadores e ao setor produtivo, para que a população cada vez mais tem acesso ao crédito. A luta pela reforma política e pela democratização dos meios de comunicação. Enfim lutar por mudanças para que o Estado brasileiro não seja apenas uma câmara de compensação e estabilização para manter os trabalhadores calmos e tranqüilos, ou se caso, precise, chamem a política e aumente as vagas nos presídios.

Os democratas e progressistas, que leram pelo menos um pouquinho da literatura clássica sobre a teoria de Estado colocada por Marx, Lênin, Poulantzas e Arthusser sabem que eles mostraram o Estado como aparelho de classe, impondo através da força e das suas correias de transmissão à ideologia do aceite, e que foi aprofundada por Claus Offe e James O’Connors, nos mostrando o Estado como uma câmara de compensação e de estabilização de um sistema produtivo injusto, concentrador e excludente, que recebe os impostos e repassa em políticas compensatórias e assistenciais para manter o exército de reserva calmo e sem revolta. Por isso não basta aos democratas e progressistas fazer apenas o papel de gerenciador da câmara de compensação e de estabilização, sendo somente de gestores de políticas compensatórias e assistenciais. É preciso sim lutar pela mudança do modelo econômico como nos ensinou Celso Furtado em seu livro "Em busca de novo modelo", para que os trabalhadores brasileiros não tenham como futuro apenas conseguir um emprego para ganhar no máximo até 2 salários mínimos.

* Advogado, especialista pelo IBEJ e com MBA em Marketing pela UFPR

Que moral eles tem para cobrar

Como que a oposição poderá cobrar alguma coisa depois desse fiasco que ocorreu na CPI???

Quem pagará a pizza???


Com certeza tem muita gente "aliviada" em Joinville...Agora precisamos saber onde que pagaram o rodízio de pizza.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Para pensar antes de dormir

A vaidade torna bobas as pessoas: elas passam a acreditar nos elogios dos bajuladores... Foi isso que aconteceu com um corvo vaidoso que estava pousado no galho de uma árvore com um queijo na boca: por acreditar nos elogios da raposa ficou sem queijo...
Autor:
Hans Christian Andersen

O cabide de emprego do LHS,por Abdala Abi Faraj*

O governador LHS , a pretexto de descentralizar a administração estadual criou uma estrutura estupenda de 36 secretárias de desenvolvimento regional e centenas de cargos em comissão, que dispensam o concurso público, e desta forma aumentou a despesa da máquina administrativa em milhões de reais.
O tempo mostrou que o verdadeiro objetivo do governador era acomodar os seus parceiros da tríplice aliança, garantir apoio a sua reeleição a governador e dar sustentáculo a sua candidatura a senador em 2010.
A estrutura administrativa anterior tinha 6 regiões metropolitanas, assim seis secretárias regionais seriam mais que suficientes para atender as reais necessidades do Estado. Mais do que isso tem sido um verdadeiro desperdício do dinheiro público visando unicamente a promoção pessoal do governador e manter um cabide de emprego de mais de 400 cargos em comissão para seus cabos eleitorais.
Pior é a sobreposição de poderes, pois já existem 22 secretárias do governo estadual na Capital que estariam fazendo o mesmo trabalho das regionais. Então para que servem tais regionais? Ou ainda, para que tanta secretaria regional?
Ao todo o Estado de Santa Catarina tem 58 secretárias estaduais, bate o Record nacional nessa modalidade. É um lamentável feito.
Enquanto isso, passados sete anos de governo LHS o Hospital Infantil até hoje não entrou em funcionamento por falta de verba, tudo que o governador fez foi mudar-lhe o nome, e deixou ao abandono um patrimônio público de milhões aplicados na obra.
O governador a ser eleito em 2010 vai precisar enxugar a máquina administrativa, ter a coragem de extinguir as centenas de cargos em comissão criados em vão por FHS e a maioria de tais secretarias regionais por ele inventadas.
Tudo isso aconteceu porque a maioria de nossos legisladores estaduais são da base do governo, aliás a Assembléia Legislativa nos últimos 07 anos esteve hibernado. O governador fez o que quis. A oposição quase não existiu. A imprensa, em geral, dependente das verbas de publicidade do governo, esteve e está conivente.
A nós cidadãos o que resta é tentar na próxima escolher melhor os nossos representantes, e não cair no canto da sereia novamente.
* Dr Abdala Abi Faraj é Juiz de Direito aposentado e Advogado.Também escreve para o Jornal Gazeta de Joinville.

Tânia Eberhardt responde a Maurício Peixer

Palavras da vereadora do PMDB: "Joinville perdeu a grande oportunidade de dizer não a impunidade na política local vereador Mauricio(...)Não temos o poder de mudar a política em Brasília,mas aqui em Joinville podemos mudar".A vereadora se referia a CPI da informática que inocentou o ex-prefeito Tebaldi(PSDB).

Engana só o bonequinho

Gastar 9 milhões de reais em um novo sistema de informática que não funciona e achar que isso é normal??? Como diz o manezinho Miguel Livramento:" Só enganam o bonequinho, né!!!"

Idéias??? Que tal mais essa!!!

Um político falou para se criar um grande lago no terreno da UFSC...Outro,propôs que a Universidade tenha um curso voltado para a pesca...Só falta agora construirem um porto no novo campus universitário...Eita!!!

Esse é o PSDB???

Não é o PSDB que quer porque quer tirar o Sarney da presidência do Senado??? Hummmm,o PSDB de Joinville é diferente então...Huuuuummmm!!!

O vendedor de bananas já falava...

Tem gente que armou a barraca...e ficou "quietinho" dentro dela,né!!!

O voto de Juarez Pereira (3)

Na hora de votar, Juarez alegou que era contra o relatório porque servidores foram citados sem ter sido ouvidos. Tânia reagiu à jogada ensaiada e disse que, se fosse por isso, ela tirava o nome dos servidores.
Fonte: Jornal A Notícia,Jefferson Saaverdra(26/08/2009)

O voto de Juarez Pereira (2)

Durante a sessão de ontem da CPI, Juarez ficou quietinho. Era uma estratégia para não antecipar os motivos pelos quais votaria contra.
Fonte:Jornal A Notícia,Jefferson Saavedra(26/08/2009)

O voto de Juarez Pereira

Da série como-as-coisas- realmente-acontecem. Era previsível desde segunda que Juarez Pereira (PPS) votaria contra o relatório da CPI das Contas, feito por Tânia Eberhardt (PMDB).
Fonte: Jornal A Notícia,Jefferson Saavedra(26/08/2009)

terça-feira, 25 de agosto de 2009

"Vamo tombá tudo!!! Vamo!!!"


VAMO TOMBÁ TUDO,VAMO...VAMO TOMBÁ TUDO...VAMO...É ISSO AÍ!!!TÁ TUDO DOMINADO.

Tombamento da Estrada de Ferro em Joinville

Um grupo de defensores do trem em Joinville irá fazer a proposta de tombamento da Estrada de Ferro em nossa cidade...Com certeza o Feudalismo Atual apoia essa idéia.

O bonde antigo é mais seguro

A vice-presidente da Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amast), Juçara Braga, explicou que há cerca de cinquenta dias tramita uma ação na Justiça Federal pedindo a retirada do sistema dos novos bondes, que não têm freio manual. Segundo ela, a associação vem denunciando o problema há meses.

"Na véspera do acidente, mandamos uma nota à imprensa denunciando um acidente que tinha acontecido na segunda-feira anterior e dizendo que era preciso tomar providências antes que um acidente pior acontecesse."

Para Juçara Braga, o governo do Estado precisa assumir oficialmente a responsabilidade sobre o acidente, que teria sido causado "porque a Secretaria de Transportes mudou a tecnologia dos bondes antigos".

Fonte: WWW.ESTADAO.COM.BR(24/08/2009)

Cariocas protestam contra mudança em bondes de Santa Teresa

Moradores de Santa Teresa, no centro do Rio de Janeiro, realizaram um ato público na manhã de domingo, 23, para reclamar do descaso do governo do Estado na gestão do sistema de bondes do bairro, tradicional ponto turístico da cidade. O protesto ocorreu uma semana depois do acidente entre um bonde, um táxi e um ônibus que matou a professora Andréa de Jesus Resende, 29 anos, e deixou nove pessoas feridas.

Esses vereadores votaram contra o relatório de Tânia

Os vereadores Alodir Cristo(DEM),Lauro Kalfels(PSDB) e Juarez Pereira(PPS) rejeitaram o relatório da vereadora Tânia Eberhardt(PMDB) que apontou o ex-prefeito Marco Tebaldi(PSDB) como o culpado pelos erros no sistema de informática da Prefeitura de Joinville em 2008.
Fonte: Gazeta de Joinville e WWW.TONINHONEVES.COM.BR (25/08/2009)

Esse aqui é mais barato

Esse modelo custa 4 mil reais...Com certeza será o veículo do futuro.

Para fugir do congestionamento


Esses patinetes são da Polícia Militar do Ceará...Custa 30 mil reais cada um

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Para FHC, eventual candidatura de Marina é positiva

O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, disse em entrevista a rádio CBN, na manhã de hoje, que acha positiva uma eventual candidatura da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva à Presidência no ano que vem. Marina anunciou hoje seu desligamento do PT, partido ao qual estava filiada há cerca de 30 anos, e disse que, a partir de agora, sente-se livre para conversar com outros partidos sobre a eventual possibilidade de candidatar-se em 2010.

— Agora me sinto mais livre para fazer essa transição ao PV — disse.

Fernando Henrique Cardoso afirmou que Marina é uma pessoa de caráter e que, embora seja difícil ela ter votação suficiente para ganhar as eleições, os temas abordados por ela, como ecologia e uma nova forma de desenvolvimento, vão contribuir de forma eficiente para o país.
Fonte:WWW.CLICRBS.COM.BR(19/08/2009)

CPI: Relatório de Tânia aponta improbidade administrativa

Após quatro meses de muita expectativa, na manhã desta segunda-feira (24), a relatora da CPI das Contas do Município, vereadora Tânia Eberhardt (PMDB), entregou o seu relatório final aos membros que compõe a Comissão. O documento aponta improbidade administrativa ocorrida no governo do ex-prefeito Marco Tebaldi.
Fonte: Blog Joinville como ela é,Rogério Giessel(24/08/2009)

domingo, 23 de agosto de 2009

Jec se movimentando...


O campeão moral de 2009...o "grande time" do Jec está aguardando o ínicio da Copinha...O Jec está se "movimentando" como podemos verificar pela imagem da câmera exclusiva.

Avaí...aquele "timinho"...Eita!!!

O "timinho" do Avaí que foi campeão catarinense em 2009 ganhou mais uma partida...só que agora do Flamengo.

Educação física??? Que nada

Deixa eles quietinhos comendo x-salada e na frente do computador...Eita!!!(Sem esquecer da maionese hellmans)

Nem quadra de esporte tem

Tem escola em Joinville que nem uma quadra decente para jogar futebol tem...Imagine uma estrutura para o contra-turno...Será que a "maionese" é caseira??? Ou é da "hellmans"???

Só quero ver

Esses caras ficam dentro dos escritórios sonhando com coisas impossíveis...viajando na maionese...Quero ver locais apropriados para os estudantes ficarem aprendendo alguma coisa.

Ainda sobre o tempo integral

Sanches defende que a proposta é "muito importante para o país", mas a discussão não pode se dar de maneira isolada. Deve incluir também os aspectos pedagógicos e o financiamento. "A absoluta maioria das escolas trabalha em dois ou até três turnos. A gente precisaria ampliar em 30% e 50% os espaços físicos porque não adianta fazer um arranjo de soluções improvisadas que coloquem as crianças em risco", explica Sanches.

Na avaliação do dirigente, a Conae (Conferência Nacional de Educação), que será realizada em 2010, será um importante espaço para discutir a ampliação do ensino integral. "Em outros países da Europa as pessoas não entendem como a gente trabalha com um mínimo de seis horas por dia. Se você olhar os países que têm o melhor desempenho no Pisa [Programa Internacional de Avaliação de Alunos], todos eles tem de 1.400 a 1.600 horas aula por ano", diz Sanches. No Brasil, segundo a LDB (Lei de Diretrizes e Bases), a exigência é cumprir 800 horas distribuídas em 200 dias letivos.

Além da questão do financiamento, Sanches acredita que é preciso discutir "profundamente" a função pedagógica da ampliação da carga horária. "Não podemos entender que é apenas a ocupação do tempo da criança", diz.

O presidente da entidade destaca que agora os municípios estão empenhados na ampliação do ensino obrigatório da atual faixa etária dos 7 aos 14 anos para a de 4 a 17 anos. Com a mudança, a pré-escola e o ensino médio serão universalizados. A PEC que trata desse assunto já foi aprovada em primeiro turno pela Câmara.

O MEC (Ministério da Educação) tem um programa para ajudar Estados e municípios a ampliar o turno das aulas. Pelo Mais Educação, cerca de 5 mil escolas recebem recursos adicionais para ajudar no custeio das atividades extraclasse. De acordo com o MEC, a meta para o próximo ano é atender 10 mil escolas nas 27 unidades da federação.

A Câmara criará uma comissão especial para analisar a PEC do ensino integral. Depois, a proposta será submetida ao plenário, onde precisa ser votada em dois turnos. "Eu acho a proposta muito boa, mas precisamos aprofundar o debate. No Brasil, muitas vezes a legislação não consegue contemplar a realidade e acaba sendo quase como uma utopia", afirma Sanches.

Fonte: Amanda Cieglinski da Agência Brasil(23/08/2009)

Proposta de ensino fundamental em tempo integral aumentaria custos em 70%, diz Undime

Uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que obriga as escolas brasileiras a oferecem jornada em tempo integral para os alunos do ensino fundamental da rede pública foi aprovada essa semana pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) da Câmara. Segundo os cálculos do presidente da Undime (União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação), Carlos Eduardo Sanches, se aprovada a proposta aumentaria em cerca de 70% os custos das rede de ensino (continua)

Mais uma que só papel aceita

Quero ver na prática.Sem esquecer que é a família se afastando cada vez mais das crianças...Leia o texto a seguir e vocês entenderão.

Chapecoense com moral segue adiante

A Chapecoense empatou com o Corinthians-PR em 0 a 0 no estádio Índio Condá, neste domingo, pela partida de volta da segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Como havia vencido a primeira partida por 3 a 0 no Paraná, o resultado colocou o time do Oeste catarinense na terceira fase da competição.

O adversário da Chapecoense será outro time paranaense, o Londrina, que mesmo perdendo por 1 a 0 para o São José-RS se classificou. A primeira partida acontecerá no domingo, dia 30 e a segunda no dia 6 de setembro. Nesta segunda, a CBF sorteia o mando de campo para as partidas de ida e volta.
Fonte:Jornal A Notícia(23/08/2009)

A angústia no pensamento de Kierkegaard

O filósofo vai buscar no pecado original as causas desse sentimento. O homem, depois de pecar, ganhou a liberdade, o direito de escolher. Mas toda escolha é uma vivência de angústia
Colaboração:Carlos Roger Sales da Ponte

KGB

Na União Soviética, a idéia marxista de "ditadura do proletariado" foi, durante muito tempo, sinônimo de terrorismo e controle político. A organização clandestina conhecida como KGB foi criada por Lênin em defesa da Revolução.

As superpotências espionam-se há anos através de organizações de informações. A KGB é o serviço secreto da União Soviética. É uma gigantesca organização envolvida em todas as áreas da sociedade soviética, com papel preponderante em assuntos estrangeiros. A KGB teve também importante papel na proliferação de armas que caracterizou as relações Ocidente-Leste Europeu até o final da década de 80.

Em outubro de 1917, os bolcheviques sobem ao poder na Rússia. Logo depois, Lênin cria no novo regime uma temida polícia secreta - a Cheka. Seu primeiro diretor, Féliks Dzerzhinsky, inicia uma fase de terror, com expurgos e execuções.

Com o apoio de Lênin, a Cheka reprime qualquer sinal de atividade contra-revolucionária. Dez mil oponentes políticos são mortos, e milhares de fazendeiros ricos são enviados para campos de trabalhos forçados.

O regime cria também uma imensa rede de informações do exterior.

No final da década de 30, Stalin encarrega a polícia secreta de fazer um expurgo em massa no partido, quando são mortas cerca de três milhões de pessoas. Até Trotsky, o criador do Exército Vermelho, que foi forçado a exilar-se no México, é assassinado por um membro da impiedosa organização, conhecida então como NKVD. Em 1938, Stalin entrega a NKVD para Lavrenti Beria, o chefe mais cruel que o serviço secreto soviético já conheceu. Beria comanda um exército secreto de quinhentos mil homens. Seus campos de concentração e prisões abrigam um milhão e duzentos mil prisioneiros. Aproveitando-se da morte de Stalin, Beria tenta controlar o partido. Seis meses depois, é preso e executado sem julgamento. Sua biografia é retirada da grande enciclopédia soviética e substituída por um artigo sobre o Estreito de Bering. Khruschev denuncia os crimes de Stalin, reestrutura a NKVD, já chamada KGB, e restringe seu poder. Mas, na verdade nada muda. Sob as ordens de Brejnev e Kossygin, a KGB readquire seu fantástico poder sobre a sociedade e o governo. Os dois chefes de Estado seguintes da União Soviética são oriundos da KGB : Yuri Andropov, que foi seu chefe supremo, e Mikhail Gorbachov, que foi durante anos diretor do departamento de desinformação. A partir do verão de 1989, o modelo comunista foi desafiado por todos os países da Europa Oriental. Gorbachov reduziu os poderes da KGB para democratizar o regime e tentar eliminar a cultura clandestina do medo.
Fonte:WWW.TVCULTURA.COM.BR

Guerra das Malvinas...Um pouco de história

Os britânicos não permitem que se tire nada do que sobrou do seu antigo império. As ilhas Malvinas, ou Falkland, foram tomadas dos alemães em 1914. E, em 1982, a Grã-Bretanha entra em guerra com a Argentina para manter essa colônia.

Em 2 de abril de 1982, o general Galtieri, chefe da junta militar que governa a Argentina, anuncia que seu país tomou posse das ilhas Malvinas. A vitoriosa invasão, ocorrida seis anos após o golpe de Estado, suscita o patriotismo dos argentinos e os ajuda a esquecer temporariamente seu ódio pela ditadura militar.

Essas ilhas localizam-se no extremo sul do Oceano Atlântico. Chamadas Falkland pelos britânicos e Malvinas pelos argentinos, são objeto de uma briga de duzentos anos entre Londres e Buenos Aires, que reivindicam sua jurisdição. A maioria dos habitantes da ilha fala inglês e é formada de súditos britânicos.

Londres reage de imediato à invasão argentina. A primeira-ministra Margareth Tatcher corta relações diplomáticas com a Argentina. Os Estados Unidos e as Nações Unidas tentam mediar a disputa. Mas, Tatcher mobiliza a Marinha Britânica, que parte para as ilhas a 10 mil quilômetros de distância de sua pátria.

Três semanas depois, a luta tem início. Os britânicos afundam o destróier argentino Belgrano com trezentos e cinqüenta marinheiros a bordo, mas seu navio de guerra Sheffield é atingido pelos mísseis franceses Exocet, lançados pelos aviões argentinos. A resistência argentina é surpreendente e os dois lados sofrem muitas perdas. A reconquista das ilhas prova-se mais difícil do que os britânicos previam.

O povo argentino não teme a chegada dos navios britânicos e dá sólido apoio aos seus soldados.

A frota britânica aproxima-se da costa das ilhas, mas é fortemente atingida pelos aviões caça argentinos.

Margareth Tatcher declara em depoimento: - "Eu não quero ver mais nenhuma vida perdida no Atlântico Sul, seja de britânicos ou argentinos, se isso pode ser evitado".

Em 14 de junho, os argentinos capitulam. O saldo de mortos é de setecentos e doze soldados argentinos e duzentos e cinqüenta e cinco soldados britânicos.

A vitória militar britânica dá a Margareth Tatcher uma enorme popularidade. Na Argentina, a perda da guerra comprova a fragilidade da junta militar, que pouco depois é derrubada. Os britânicos mantiveram as ilhas.
Fonte:WWW.TVCULTURA.COM.BR

A queda de Salvador Allende...Um pouco de história

O presidente do Chile, Salvador Allende, declarou logo após sua eleição: "A história nos ensinou que os grupos ultra-revolucionários não desistem do poder e lutam para conquistá-lo". Ao custo de sua própria vida, a história lhe provaria isso.

Em 1970, o Chile, aliado dos Estados Unidos, vê com ansiedade o líder marxista Salvador Allende subir ao poder. Em 1964 ele já concorrera às eleições, quase vencendo o candidato democrata cristão Eduardo Frei. Fidel Castro apóia Allende. Os objetivos básicos de Allende são a nacionalização das minas de cobre do Chile - Kenecott Copper e Anaconda, duas imensas multinacionais americanas - e a redistribuição da terra aos camponeses. Apesar dos milhões de dólares dados pela CIA aos opositores de Allende, ele é eleito em 4 de setembro de 1970. A CIA tenta evitar a posse do presidente. Os investimentos privados do Chile caem a zero e o desemprego aumenta.

Allende afirma seu direito de chefe de Estado eleito e, em 4 de novembro de 1970, a presidência é confirmada pelo Congresso. É o triunfo do partido de Unidade Popular. O governo de Allende declara-se socialista.

Ao descobrir que os trusts americanos levavam lucros excessivos para fora do país, Allende nacionaliza as minas de cobre. Logo surge o espectro da ala da direita e dos militares. A companhia americana Telefone e Telégrafo Internacional - ITT -, com mais de duzentos milhões de dólares investidos no Chile, organiza o estrangulamento econômico do país. Prova-se isso por este telegrama: "As linhas de crédito bancário não devem ser renovadas e nem os prazos dilatados. As companhias devem adotar um ritmo lento no envio de verbas, nas entregas e no embarque de peças sobressalentes. Devemos retirar toda ajuda técnica e não daremos assistência técnica no futuro."

4 de setembro de 1972. Allende denuncia em vão, nas Nações Unidas, as tentativas norte-americanas de desestabilização do Chile. A situação econômica logo torna-se catastrófica. O povo protesta em manifestações turbulentas. A organização da extrema direita "País e Liberdade" torna-se violenta. As mulheres protestam contra a penúria e falta de alimentos básicos. Os caminhoneiros organizam um boicote na estrada, bloqueando o tráfego com cinqüenta mil caminhões. A economia entra em colapso. Por todo lado vê-se o caos.

11 de setembro de 1973. Apoiada e possivelmente subornada pela CIA, a maioria do exército e da polícia subleva-se. O governo de Allende é derrubado. Cercados no palácio presidencial e bombardeados pela Força Aérea, Allende e alguns colaboradores leais resistem de armas na mão. São todos mortos em circunstâncias até hoje desconhecidas.

O exército chileno - liderado por Augusto Pinochet -, que naquele dia derrubara Allende, é pouco misericordioso com os revolucionários do Partido de Unidade Popular. A repressão militar é vingativa. Mais de cem mil pessoas são presas e torturadas; trinta mil são assassinadas. A ditadura sangrenta de Pinochet dura mais de 16 anos.
Fonte:WWW.TVCULTURA.COM.BR

Ele não é do PMDB e nem do PT...

No rolo compressor montado para salvar a pele de José Sarney, até o ex-senador Jorge Konder Bornhausen foi acionado. Ex-presidente do PFL, ele desembarcou em Brasília, na maior discrição, na tentativa de reverter pelo menos um dos três votos liberais no Conselho de Ética.

Bornhausen recomendou cautela aos senadores do DEM e muitos deles concordaram em adotar uma postura mais branda na crise do Senado. Só que na hora da votação, os três representantes votaram pela degola de Sarney.

Demóstenes Torres (GO) já tinha assumido posição pública pela investigação de José Sarney e Rosalba Ciarlini (RN) é conterrânea do líder José Agripino, que não deu margem à negociação.

A perspectiva girava em torno de Eliseu Resende (MG), amigo de Sarney de longa data, mas que acabou temendo os reflexos na opinião pública.

Nesta missão de bastidores, JKB não obteve sucesso!

Fonte:Blog do Prisco(23/08/2009)

sábado, 22 de agosto de 2009

Joinville possui grandes empresas

Döhler,Tigre,Docol,Salfer,Milium...Se cada empresa dessas contribuissem com dez mil reais ao ano já seria uma grande ajuda...Mas aqui em Joinville as coisas são tão complicadas.

Pouca vergonha

Onde estão os empresários de Joinville??? Custa ajudar o Jec com um belo patrocínio na camisa??? Pedir para a Krona de novo não dá,né!!! Até campeonato de peca a Krona patrocina.

Grande espetáculo em Floripa

Amanhã um jogo imperdível.Avaí e Flamengo.E pasmen,quem é o grande favorito??? Isso mesmo...É o Avaí...O que é o futebol...O grande Flamengo, amanhã será uma presa fácil para o Leão dos manezinhos.

Avaí hoje é a grande vitrine

O Avaí fez por merecer.É o único clube catarinense que conseguiu chegar a série A,conquistando dentro de campo esse direito...Custou para chegar a elite...Mas agora está colhendo os frutos de um belo planejamento.

Jogador quer vitrine

O clube é um detalhe.Nem pagar em dia é o suficiente. Jogador quer ser estrela,quer ser paparicado...O narcisismo no futebol já levou muitos clubes ao abismo.

Figueirense desanimado

Esse é o grande problema do rebaixamento...O desanimo...Os dirigentes e os torcedores querem que o clube volte a elite do futebol...Mas os jogadores não pensam a mesma coisa...Pegar um grupo de jogadores dedicados para atingir um objetivo é muito difícil no futebol de hoje.

Um morador declarou...

Não votei no Carlito,mas tenho que reconhecer o que ele está fazendo nesse rio entupido.Nunca vi um trabalho desses aqui no bairro.

Trabalhando no sábado

Passei hoje a tarde pelo Jardim Kelly.Percebi uma aglomeração de pessoas sobre a ponte do Rio do Braço e resolvi parar para ver o que estava acontecendo.Eram três máquinas desassoreando o rio e os moradores assistindo o trabalho...Pela quantidade de pessoas parecia um grande show...Mas não era...Era algo muito mais importante para os moradores,no caso a limpeza do rio.Isso até parece algo simples...Mas para os moradores daquela comunidade é uma obra super importante.O que mais se ouviam dos moradores eram agradecimentos ao empenho da Prefeitura pelo trabalho realizado.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Marina Silva,por Roberto Santiago(parte 2)

Agora, com Marina Silva os cidadãos brasileiros, a classe média, os intelectuais, as lideranças políticas, os jovens, os idosos, os trabalhadores e batalhadores de todos os cantos do país terão a oportunidade de ampliar e combinar as conquistas sociais com os avanços ambientais. Inadiáveis e necessários.

Com Marina Silva no Partido Verde o discurso político para melhorar a vida das pessoas e proteger o meio ambiente se transformará numa comunhão com os destinos da Nação brasileira. Teremos, como tivemos com Lula na questão da distribuição de renda, uma referência política e social que estimulará, todos nós, a trazer a discussão ambiental para as nossas labutas diárias pelasobrevivência, em vez de transformar nosso desespero em sobreviver em ataques inconsequentes contra o meio ambiente.

Basta recordar as preocupações do eleitorado e perceberemos porque o Brasil precisa, agora, de Marina Silva.

Quando éramos vítimas da inflação galopante, o discurso e a prática da moeda estável sensibilizaram o Brasil e Fernando Henrique foi eleito. Depois de oito anos, o Brasil começou a olhar, preocupado, para um dos sistemas que mais concentrava renda no mundo, e veio Lula com sua proposta de diminuir essa enorme cratera entre os 190 mil que controlam metade da renda do Brasil e os demais 190 milhões que disputam, ainda mantendo desigualdades, a outra metade.

Os avanços do governo Lula foram significativos. Conseguimos organizar, através da ampliação da distribuição de renda, um mercado interno que nos protegeu, relativamente, da atual crise financeira mundial. Chegamos a um patamar que nos permite, agora, a uma dezena adentro no Século 21, apontar nossas esperanças sociais e ambientais para Marina Silva. Pois ela combina em sua história de vida, postura e determinação a preocupação social com os avanços ambientais. Que insisto, devem ser equacionados e resolvidos, simultaneamente, ainda nesta geração.

É através de Marina Silva que os cidadãos e trabalhadores aprenderão a buscar a sobrevivência sem contaminar a natureza. Em que teremos garantias sociais que nos humanizem. Em que a democracia se tornará negociação permanente, avaliando todos os impactos sócio-econômicos e sócio-ambientais de cada uma das grandes decisões que forem adotadas em nome do desenvolvimento.

Independentemente de Marina Silva ser ou não eleita presidente do Brasil, ainda é muito cedo para nomearmos a utopia, só sua figura na campanha, sua retidão e preocupação humanas, elevarão e pautarão a organização da Nação brasileira em torno das preocupações ambientais.

O discurso verde será matizado. E integrará todas as tendências, atividades sócio-econômicas, preocupações sócio-ambientais e movimentos sociais e populares em favor de um Brasil economicamente sustentável. Porque as atitudes de Marina Silva estimularão o debate e as ações que combinarão a preservação ambiental com a necessidade de melhorar a vida das pessoas. É assim que, junto com Marina Silva, “avivaremos a utopia para a economia do Século 21”.
*Roberto Santiago é deputado federal pelo Partido Verde de São Paulo

Marina Silva,por Roberto Santiago*

A senadora Marina Silva deixa o PT onde ficou durante quase 30 anos ao lado do presidente Lula. Sai na busca de aliados que a ajudem a organizar a base social para consolidar, como diz, o “avivamento da utopia para a economia do Século 21”. Quando a questão que se coloca, afirma a senadora, é sócio-ambiental, ao integrar a preservação do meio ambiente à necessidade de melhorar a vida das pessoas.

"Aqui no Brasil nunca foi o preservacionismo o que orientou nossa discussão ambiental. Na realidade, aqui a questão se coloca como sócio-ambiental, integrando a preservação à necessidade de melhorar a vida das pessoas", afirmou Marina Silva, em recente texto publicado na “Folha de S. Paulo”.

É para nos empenhar na consolidação dos seus projetos sócio-ambientais que, agora, saudamos, empolgados, a nova perspectiva de transformação política que a senadora Marina Silva torna possível ao anunciar seu ingresso no Partido Verde, do qual sou um dos representantes, por São Paulo, na Câmara dos Deputados.

Através de Marina Silva, as grandes massas populares, desde os trabalhadores dos seringais até os moradores dos aglomerados urbanos, das comunidades, favelas e cortiços, vão integrar as soluções ambientais com as sociais, no dia a dia de suas vivências cidadãs.

O ex-metalúrgico Lula consubstanciou na figura do presidente Lula a recuperação da renda e a inclusão social. E, ao término do seu mandato de oito anos, nos deixará várias políticas públicas em favor da distribuição de renda como um desvio histórico irreversível (como a senadora Marina Silva gosta de falar em suas palestras) que nos ajudará a avançar na construção de um Brasil mais justo e mais igual.(continua)

Clube de Regatas Vasco da Gama completa 111 anos


Só queria lembrar que hoje (21/08) é aniversário dos 111 anos do Vasco da Gama.
Colaboração: Rafael Carvalho Bueno

Alguém sabe onfe fica essa ponte???


Quem souber vai ganhar um chineque.

Liverpool Snooker Pub apresenta:


Um inusitado encontro entre integrantes das bandas OS DEPIRA e COMBO numa jam que apresentará alguns de seus clássicos favoritos do mundo rock. Uma noite para redescobrir pérolas e relembrar petardos que fazem a alegria de todos que curtem bandas como Beatles, Blind Faith, Deep Purple, Eric Clapton, Faces, Grand Funk Railroad, Lynyrd Skynyrd, Mutantes, Neil Young, Rolling Stones, The Who, Traffic, Wolfmother, ZZ Top e outras.

A nova Expoville


Essa é para ser a nova Expoville.Virtualmente é show de bola.Mas só uma pergunta: Por que essa mania de plantar palmeiras ou coqueiros nas avenidas e jardins de Joinville???
Fonte:Secretaria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Joinville

Governo do Estado libera recursos para o Hospital São José

O Hospital Municipal São José recebeu na tarde desta sexta-feira (21), do governo do Estado de Santa Catarina, R$ 930 mil reais para empregar em obras e compra de equipamentos. A solenidade de entrega do recurso foi prestigiada pelo vice-prefeito, dr. Ingo Butzke, pelo secretário da Saúde, Tarcísio Crócomo, e o diretor-presidente do São José, Tomio Tomita, que receberam do governador Luiz Henrique a informação de que o dinheiro estava depositado na conta do "Zequinha", como é carinhosamente conhecido o Hospital.

Do total recebido, 450 mil será destinado à aquisição de equipamentos e material permanente; 280 mil para compra de equipamento mobiliário para o Centro de Queimados (CTQ) e 230 mil para a manutenção de equipamentos e elevadores da Administração Central e Seção de Câncer. O secretário da Saúde, Tarcísio Crócomo, falou sobre a importância dos investimentos salientando que "a parceria do Estado com o Município tem produzido bons resultados para Joinville e região".

O diretor do Hospital São José, Tomio Tomita, também destacou o bom relacionamento com o Governo do Estado e espera que mais parcerias sejam feitas. "O Hospital atende toda a região e a ajuda do Governo Estadual é sempre bem vinda", frisou. Após o ato oficial, o governador aproveitou para conhecer o local onde está armazenado o acelerador linear.
Fonte:Secretaria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Joinville(21/08/2009)

Oito anos de Aprasc


Colaboração:Sd Elisandro Lotin de Souza

Vereador Maurício Peixer visita PA do Itaum

O vereador Maurício Peixer apresentou o vídeo da visita que ele fez na noite de ontem ao PA do Itaum.
O vídeo apresentava os seguintes quadros:
- O local estava 'socado' de munícipes.
- Pessoas esperando horas pelo atendimento.
- Muita demora na troca de plantão.
- Pessoas com sintomas de gripe misturadas as que apresentavam outros sintomas, sem existir isolamento.
- Apenas os funcionários usavam másccaras, e todo o povo misturado na sala de espera sem proteção e à mercê do possível vírus.
O Vereador Maurício Peixer voltou a solicitar que no município seja instalado o HOSPITAL DE CAMPANHA, para que os quadros encontrados em Tubarão, São José e Curitiba, não chegue ao nosso município, ao pelo menos seja no nosso caso, amenizado.
"Não é possível deter uma epidemia de Gripe A misturando as pessoas. Existe um remédio à altura de cada enfermidade. Temos que tomar medidas fortes já para não choramos daqui a pouco. O povo não vê o poder público tratando essa doença de forma forte e real. Atender doentes com vários sintomas no mesmo local agora, é dar espaço ao vírus e aumentar os doentes em Joinville."
Colaboração:Décio Góes

Nota da Executiva do PDT sobre o piso mínimo salarial

A Executiva Estadual do Partido Democrático Trabalhista de Santa Catarina e sua Bancada na Assembléia Legislativa, fundamentados nos compromissos históricos com a classe trabalhadora catarinense e brasileira, vem a público manifestar sua posição absolutamente favorável à aprovação do piso salarial regional catarinense.

Entendemos ser este, um dispositivo legal de propulsão do desenvolvimento social e econômico do Estado, e indiscutível política pública de distribuição de renda, que desembocará no aumento do poder de consumo dos catarinenses.

O PDT solidariza-se com a luta das entidades sindicais, e com o papel preponderante da Secretária de Estado de Ação Social Trabalho e Habitação, Dalva Dias, irmanados na defesa dos trabalhadores, e no compromisso com o desenvolvimento de Santa Catarina.

Temos a convicção de que a aprovação do piso deve ser uma questão de honra a todos aqueles que acreditam no potencial econômico do nosso Estado e estão imbuídos da idéia de que precisamos superar os desafios com a unidade da classe trabalhadora e seus aliados.

Florianópolis, 06 de agosto de 2009.

Direção Estadual do PDT/SC

MANOEL DIAS
Presidente

EVERTON WAN-DALL
Secretário Geral

DEP. AMAURI SOARES
Líder da Bancada na ALESC

DEP. DAGOMAR CARNEIRO
Deputado Estadual PDT

Colaboração:Sd Elisandro Lotin de Souza

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Só foi eu escrever sobre "as fofoquinhas" de Brasília...

...Que "o sensacionalista" de plantão aqui de Joinville entrou em ação.Que coisa feia!!! Não sei se para manter certo padrão de vida...só um emprego é o suficiente...É bom puxar o saco de vez em quando né!!!

Salvador Allende


Foi o primeiro presidente da república e o primeiro chefe de estado socialista marxista eleito democraticamente na América Latina.Seus pilares ideológicos foram o socialismo,o marxismo e a maçonaria.A partir destas convicções,respeitou todas as idéias políticas democráticas e todas confissões religiosas.Allende foi um revolucionário atípico.Ele acreditava na via eleitoral da democracia representativa,e considerava ser possível instaurar o socialismo dentro do sistema político então vigente no Chile...Mas sua história não teve um final feliz.(continua)

Ele existiu sim: O muro de Berlim



Após a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi dividida.O lado Oriental,ficou sob influência da União Soviética e o lado Ocidental, sob influência dos Estados Unidos, Inglaterra e França. Apesar de Berlim estar do lado leste, ela também foi dividida em duas, por ser a capital. No entanto, muitas pessoas que moravam na parte oriental discordavam do regime comunista imposto na região e milhões mudaram de lado.

Por esse motivo, autoridades resolveram isolar, aos poucos, a parte oriental da cidade para evitar o êxodo populacional. Porém, as fugas continuaram e no dia 13 de agosto de 1961 colocaram barricadas para realizar a separação total da cidade. A construção do Muro de Berlim começou nesse dia e ele ainda passaria por três grandes reformas.

A muralha tinha 150 km de extensão e dava a volta em toda Berlim Ocidental, para impedir o contato dessa área capitalista com a região comunista que a circundava. Os moradores dessa área podiam sair livremente para o lado oriental. Apenas o caminho inverso era proibido

Com a decadência da União Soviética e da Guerra Fria nos anos 80, a passagem de pessoas entre a Alemanha Oriental e Ocidental se tornou cada vez mais fácil até que, em 1989, o chefe de estado da parte comunista renunciou e a fronteira foi aberta. Pessoas foram ao muro para bater com picaretas e ajudar a destruir de uma vez por todas aquele símbolo da Guerra Fria. No ano seguinte, o governo mandou soldados colocarem tudo abaixo e unir novamente o país.
Fonte:WWW.ABRIL.COM.BR

Estado e Democracia

Estado significa a sociedade organizada,seguindo normas e com instituições que servem para realizar tarefas de interesse da sociedade.Por exemplo,temos os serviços de segurança pública,que é tarefa da polícia,a educação e a saúde pública,todos sustentados pelo Estado.
O Estado brasileiro está organizado pela "democracia indireta ou representativa": o povo,o povo,o povo,o povo,o povo, o povo, o povo(ufa!!!) delega aos "seus representantes",nas figuras de vereadores,prefeitos,deputados,etc,o poder de legislarem e decidirem o que achar melhor para todos.Assim,o poder público é o poder do povo(da maioria do povo)representado pela figura dos governantes,escolhidos pelo próprio povo para esta tarefa.

"Fofoquinhas" e tiriricas.

Os fofoqueiros sensacionalistas de plantão sabiam antecipadamente que José Sarney não seria punido.Ora,é bem simples de chegar a essa conclusão.A rede de interesses dentro de qualquer instituição é igual a tiririca.Quando você arranca uma tiririca,ela está ligada a outra e assim por diante.Os interesses são muitos.

Papel da Imprensa

Por mais que escrevamos sobre a importância da imprensa para a consolidação da democracia no Brasil,é inegável também mostrar o lado tendencioso e sensacionalista de parte de alguns jornalistas...A grande maioria dos jornalistas não estão nem aí para que "a crise" no Senado Federal chegue ao fim...O que esses jornalistas querem é apenas "matéria prima" para que suas redações tenham o que colocar no tele-jornal da noite ou no tabloide do outro dia...Sensacionalismo puro...qualidade na informação que é o importante,é zero.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Jacu e coruja em evidência...e "o tucano" quer molhar o bico!!!

Uma simpática coruja apareceu no centro de Joinville...Em Jaraguá do Sul foi um jacu...Mas quem quer molhar o bico é "o tucano"!!! Eita!!!
Fonte: Coruja e jacu,Jornal A Notícia(19/08/2009)

Agradecimentos aos colaboradores

Quero agradecer a todos amigos por colaborarem com a atualização diária do FEUDALISMO ATUAL,Ok!!!

Milton Wendel
Marcello Dalla Vechia
Solange Baumer
Rogério Giessel
Cláudio Roberto Narcizo
Professor Armando
Evanguelos Cabral
Aurélio Mayorca
Douglas Gonçalves
Sergio Mira
Jefferson Souza
Rafael Carvalho Bueno
Gabriela Rohden
Paulinho Rohden
Anselmo Fábio de Moraes
Sd Elisandro Lotin de Souza
Jorge Therra
Maria Amâncio
Marcio Haverroth
Etney Neves
Derian Campos
Ivan Araújo
Werner Leber
Silvana Leal
João Ferreira

"Como comprar um carro sem gastar um centavo a mais no orçamento"

Recentemente, uma das maiores montadoras brasileiras lançou uma campanha de vendas cujo mote está no título acima. A propaganda na televisão mostra uma pessoa tomando banho quente e diz que com "pequenas medidas" dá para economizar o suficiente para levar um carro para casa.

Será verdade? Vejamos. O carro mais barato dessa marca custa hoje pouco mais de R$ 24.000. Começamos a fazer algumas contas:
1) supondo compra à vista, mês passado esse dinheiro rendia na poupança R$ 132 (se for a prazo, como sug
ere a propaganda, os juros são bem maiores);
2) o seguro desse carro vai ser cerca de R$ 2.592 por ano, ou seja R$ 216 mensais (assumir o risco de batida ou roubo, economicamente falando, é quase o mesmo que pagar seguro);
3) como carros não duram para sempre, quem quiser depois de 4 anos comprar outro igual vai ter que juntar, desde já, 25% desse valor, ou R$ 125 por mês (a conta aumenta para trocar mais cedo, por exemplo, para trocar com 2 anos, R$ 180);
4) o IPVA desse carro sairá cerca de R$ 720 por ano, ou R$ 60 mensais.

Então, o carro mais barato da propaganda, só para ficar parado na rua em frente à sua casa, vai lhe custar R$ 533 por mês. E você ainda vai colocar gasolina, óleo, pneus, revisões, estacionamento e tudo mais que um carro precisa. Mas como transporte público não é de graça também, vamos esquecer essa parte.

A grande maioria das pessoas não chamaria um corte de R$ 533 no orçamento de "pequena economia". A última Pesquisa de Orçamento Familiar do IBGE* revela itens que estão acima desse valor, mesmo para famílias com rendimento acima de R$ 6.000, são coisas onde é difícil fazer muita economia: aluguel, supermercado, plano de saúde e educação. A eletricidade, que aparece na propaganda, custa 1/4 desse valor em média.

Aplica-se melhor a esse caso o famoso mote do cartão de crédito: quem compra automóvel é porque acha que o conforto que ele oferece "não tem preço". Mas que não reste dúvida de que a mordida no orçamento será considerável. Dizer o contrário é, simplesmente, faltar com a verdade.

* A pesquisa é de 2003, mas corrigi os valores originais pelo IPCA com auxílio dos dados deste site.
Colaboração: Marcello Dalla Vechia

Após 30 anos de PT, Marina Silva anuncia saída do partido e deve se filiar ao PV

"O primeiro passo é a saída do PT. Agora se iniciam as conversações com o PV, pois não seria ético nem justo eu estar dentro de um partido conversando sobre filiação num outro", afirmou. "Agora vou estar em conversações com o PV, neste período de transição, respeitando os prazos legais", acrescentou.

Há cerca de duas semanas circulavam informações de que a senadora estaria estudando uma filiação ao PV para disputar as próximas eleições presidenciais.

Fonte: Portal Último Segundo(19/08/2009)


Dicas do Dico

A vida é para quem topa qualquer parada, e não para quem pára em qualquer topada.

Qualquer oferta???

A cúpula do JEC está correndo atrás de patrocínios para suas camisas. O clube precisa fazer dinheiro para bancar a folha e as despesas da empolgante Copa SC que pode recolocá-lo no Brasileiro da Série D. O clube aceita discutir qualquer oferta apenas para os próximos quatro meses.
Fonte:Coluna Informal,Jornal A Notícia(19/08/2009)

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Praça Dario Sales,por Solange Baumer

A praça não é de toda ruim,mas acredite que já tem aparelho quebrado.Meu marido levou as meninas domingo e ficou admirado.Nem bem inaugurou e já quebraram.Uma juventude estranha andava por lá fazendo barbaridades.Quem vai cuidar da praça,os pais?Arriscados a levar um pau se chamar a atenção de algum bando de moleques.

Oh Susie! Sucesso da banda sueca Secret Service...Clique na imagem


Domingão em Estocolmo...

Dragagem no Itaum


Máquinas trabalham na limpeza do rio Itaum - Joinville, 13/Aug/2009 - Foto: Irapuan / SECOM
Fonte:Sítio da Prefeitura Municipal de Joinville

Importante obra para o Vila Nova


O prefeito de Joinville, Carlito Merss, visitou obras da Ponte Albert August Seiler, no Vila Nova, que foi entregue ao tráfego na quarta-feira (05/08). - Foto: Peninha Machado / SECOM
Fonte:Sítio da Prefeitura Municipal de Joinville.

A candidatura de Marina Silva,por Milton Wendel*

A senadora petista Marina Silva, que se lançou candidata à presidência da República por um partido ao qual não é filiada, o partido Verde, ignorou duas instituições fundamentais da ordem democrática: a filiação partidária e a convenção partidária. Grande parte da corrupção generalizada que temos hoje no Brasil tem origem nesta postura de desconsiderar bases partidárias e tomar decisões em acordos "de gabinete". A própria lei eleitoral aumentou o prazo de filiação dos candidatos, porque antes o que imperava era fisiologismo, busca das conveniências, negociatas em cima da hora.

Pergunta-se: Por que uma petista histórica, que participou deste governo e que ocupa uma cadeira do PT no Senado, resolveu dizer que será candidata pelo partido Verde? Não há no PT espaço para a proposta verde? Se for esta a razão, então a pergunta seguinte é: Por que ela não mudou de partido antes? Fica a impressão de que a senadora, que tratou com descaso o partido pelo qual quer ser candidata, tenderá a se comportar da mesma forma em relação à nação que ela diz querer presidir. E tem ainda outra. No momento em que a Nação clama por moralidade no Senado, qual o objetivo de anunciar uma candidatura? A senadora não está preocupada com a questão do Senado? Ou será que a senadora está tramando algo com o filho do senador Sarney, por coincidência um integrante do partido Verde e por coincidência filho do senador alvo das denúncias?
* Milton Wendel é ambientalista e fundador do Partido Verde de Joinville.

Uma pergunta:

Digamos que Darci de Matos tivesse ganho a eleição do ano passado para a Prefeitura de Joinville,será que teria ocorrido o problema no sistema de informática???

Relatório culpará gestão Tebaldi

O texto ainda não está pronto, mas a relatora da CPI que investiga o atraso no fechamento das contas da Prefeitura de Joinville em 2008, vereadora Tânia Eberhardt (PMDB), já tem uma certeza. O relatório final vai apontar a gestão do ex-prefeito Marco Tebaldi (PSDB) como responsável pelos problemas enfrentados pela gerência de contabilidade por conta da troca de sistema de informática, em junho de 2008. “Vou relatar o que ouvi e o que li. E tudo aponta que existiram problemas gerenciais por parte da Prefeitura”, afirma a vereadora. Ela espera encerrar o relatório até o final da semana.

Tânia se refere à substituição do sistema da empresa Iso pelo da Aporte, que venceu uma licitação de R$ 9 milhões. O novo sistema deveria ficar pronto em 36 meses, mas a gestão anterior pediu que o prazo fosse enxugado.

A vereadora, que era da base governista na gestão tucana e agora integra o bloco de sustentação a Carlito Merss (PT), rechaça a tese de que os problemas foram causados pela disputa comercial entre as empresas.
Fonte: Jornal A Notícia(18/08/2009)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Chega a ser deplorável...

A postura do deputado federal José Carlos Vieira.Se acha que está sendo desprezado pelo DEM,então que saia do partido.Vieira demonstra que não possui nenhuma ideologia política.Uma hora conversa com partido "A",outra hora,com partido "B".Com todo respeito deputado Vieira,valorize-se mais.Sua postura atual demonstra fragilidade e falta de visão política.

Dicas do Dico

"Errar é humano. Colocar a culpa em alguém é estratégico."

Poluição Luminosa


A poluição luminosa tem sido negligenciada pelo poder público e pelos ambientalistas. Os astrônomos têm lutado contra ela há mais de um século, sem muito sucesso. Ela traz 3 malefícios: desperdício econômico, impacto negativo sobre a fauna noturna e apagamento dos astros. Seu combate é mais simples do que para os outros tipos de poluição.

O remédio é simples: iluminar só onde é necessário para movimentação noturna. A luz que escapa na linha do horizonte ou acima dele traz dois problemas. Além de gerar uma conta a ser paga pelo contribuinte, ofusca os transeuntes, diminuindo a visibilidade dos alvos que se queria iluminar. Direcionar a luz para o chão num ângulo adequado permitiria visualizar bem o ambiente com lâmpadas de potência muito menor. Para a iluminação pública, existe um tipo de luminária desenhada para isso, a full cutoff, que, infelizmente ainda não é usada amplamente. Um tipo muito utilizado traz a lâmpada encapsulada num recipiente de alumínio, coberta por um vidro prismático, que refrata a luz para ângulos muito abertos, de modo que parte da luz atinge a linha do horizonte. Existem formatos muitos piores em que a luz é lançada em todas as direções. Na figura apresentamos os 4 tipos básicos(na parte de cima da postagem).

Colaboração:Professor e pesquisador Etney Neves(texto extraído da Revista FAPESC)

Nota 10 para a Prefeitura de Joinville

Alguns postos de saúde atenderão até as 22:00. Isso é uma medida muito interessante por parte da prefeitura.É por aí o caminho.Com certeza os postos ampliando o horário de atendimento ajudarão a desafogar os PAs e os Hospitais de Joinville.

Brinquedo criativo,por Marcello Dalla Vechia


E ae tchê!!!!
Como detentor de altos conhecimentos tecnológicos a Dalla Vechia Reciclados desenvolveu uma linha de veículos de competição.
Categotia FRF (Fórmula Rolamento Flash).

domingo, 16 de agosto de 2009

E Joinville tem um grande teatro???

Never!!!Abram os olhos povão.Ou abram bem o "zolho".

Pomerode tem teatro??? Com dinheiro do governo estadual???

"Se de um lado se cultua o passado, de outro apropria o que há de mais funcional e moderno. Dotado de 524 poltronas, que oferecem perfeita visibilidade do palco a todos os espectadores, tem acústica, iluminação e demais recursos cênicos de primeiro mundo".Construído em pouco mais de dois anos, o Teatro de Pomerode custou R$ 3,3 milhões, sendo R$ 2,4 milhões dos cofres do governo do Estado e R$ 822 mil como contrapartida da Prefeitura.O teatro localiza-se junto ao Complexo Weege. Esse conglomerado empresarial, fundado em agosto de 1901, está sendo transformado num grande centro cultural, que contará, ainda, com um museu, galeria de arte, biblioteca, arquivo histórico, escola de música, academia de dança, oficinas e lojas de artesanato, relata o governador Luiz Henrique.
Fonte: WWW.OSNYMARTINS.COM.BR

E ainda dizem por aí...

Que o Jec tinha mais time que Avaí e Chapecoense...Aí não dá né!!!

Chapecoense goleia Corinthians-PR em Curitiba pela Série D

A Chapecoense deu um grande passo rumo à terceira fase da Série D do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, dia 16, diante do Corinthians-PR, em Curitiba, a equipe do técnico Mauro Ovelha ignorou os donos da casa e goleou por 3 a 0, no Estádio Janguito Malucelli.

Os gols do Verdão do Oeste foram marcados por Kléber Goiano, aos 33 minutos do primeiro tempo; Giancarlo, aos 36; e Basílio, aos 47 do segundo tempo. Com o resultado, a Chapecoense pode perder o jogo de volta, no próximo domingo, às 15h, no Estádio Índio Condá, por até dois gols de diferença.

Pelo regulamento da Série D, em caso de empate em número de pontos nas fases eliminatórias, os critérios de desempate são, pela ordem, maior saldo de gols, maior número de gols marcados fora de casa, e cobrança de pênaltis.

Na terceira fase, além dos cinco vencedores dos confrontos, avançam às quartas de final da competição os três melhores colocados entre os perdedores da fase em disputa. As quatro equipes classificadas às semifinais garantem o acesso à Série C do Brasileiro de 2010.
Fonte: WWW.CLICRBS.COM.BR (16/08/2009)

Londrina irá rifar TV para poder viajar

Passando por grandes dificuldades financeiras, o Londrina irá fazer uma rifa de uma TV de 42 polegadas para arrecadar dinheiro para poder viajar para o Rio Grande do Sul. A equipe, que avançou à segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro, enfrenta o São José-RS no dia 22. O jogo de ida será neste domingo, no Estádio do Café.Foram colocados 250 bilhetes à venda, no valor de R$ 100 cada um. Além da TV, será sorteada uma camisa do time, autografada pro todos os jogadores do elenco. Nos últimos dias, o Londrina também pagou parte dos salários atrasados dos jogadores.
Fonte:Portal Terra(12/08/2009)

Ele começa o dia com um sorriso!

Pare de reclamar! Desfrute do que você tem!

Deus te abençoe...
Colaboração:Nádia Borba, direto de São Bento do Sul.

Vale a pena ler toda entrevista.

Tire um tempo e leia toda a entrevista...Com certeza te ajudará a compreender melhor o que é a atual política no Brasil.

Carlos Melo (Nona parte da entrevista)

O sr. parece bem pessimista.
Sou cético. A história da humanidade mostra que é possível evoluir. Nós já fomos piores do que somos hoje. Mas esse conformismo cínico e pragmático e esse moralismo farisaico me incomodam. O que vemos hoje no Senado é efeito dessa forma de olhar para a política. O Senado era o topo da carreira de um político, ali se discutia em alto nível. Não é mais assim. Tiramos o Sarney de lá e colocamos quem, para promover as transformações que precisamos? Não se trata de derrubar governo. Mas se existisse uma sociedade política, se ela começasse a discutir o País com mais profundidade e começasse a levar isso para fora, poderia dar certo. Enquanto nos Estados Unidos a sociedade disse "Yes, we can!", aqui falaram "Cansei!". Com uma frase vazia o Obama despertou a América moderna contra a América arcaica. Nós temos que encarar esse desafio. Mas, por enquanto, dado o jogo político possível em nossa jovem democracia, vamos conciliando o moderno com o arcaico. Patinamos, não saímos do lugar. COLABOROU BRUNA RODRIGUES

Carlos Melo (Oitava parte)

Como o sr. avalia o desempenho da oposição na crise do Senado?
O Sarney não é santo, mas quem pode jogar pedra? O Arthur Virgílio tentou e a pedra voltou na testa dele. A oposição está perdida. Não tem programa, não tem discurso, não tem postura. O PSDB critica o governo federal, mas passa por um problema sério com a governadora Yeda Crusius no Rio Grande do Sul. Faz só críticas moralistas. Devia era pegar as bandeiras das reformas política e eleitoral e se bater por isso.

Qual deve ser o caminho da mudança, então?
Primeiro, precisamos mudar nossos valores sociais e humanos. Não podemos nos eximir de nossa responsabilidade de cidadãos. Sabe quando você está na estrada e o carro que vem no sentido contrário pisca o farol para avisar que tem polícia mais adiante? Ele está dizendo para você ir devagar até burlar o policial e que depois pode correr de novo. É a esperteza. Ouço muito as pessoas indignadas dizendo: "Que exemplo eu vou dar para o meu filho se esses políticos fazem isso e aquilo?" Eu digo: "Esqueça os políticos. O exemplo para seu filho é você". Então, é preciso haver uma reforma do indivíduo. Mas ela é mais complicada e, portanto, sou cético. A sociedade moderna tem trazido cada vez mais individualismo e mesquinhez. O que isso tem a ver com política? Tudo. Não devemos achar que política é só o Sarney arrumando emprego para o namorado da neta. A política, na verdade, começa quando você não tenta enganar o guarda. É claro que o exemplo que o Sarney e outros políticos dão à sociedade é o da esperteza, do levar vantagem. Mas nós aderimos ao Sarney ou combatemos o Sarney? Essa é a questão.

O presidente Lula aderiu.
Lula tinha duas más escolhas a fazer: abandonar Sarney e se livrar de um desgaste de imagem, ou abraçar Sarney e manter o PMDB como aliado num momento de CPI da Petrobrás no Senado e de eleições presidenciais na qual ele tentará eleger uma candidata pouco conhecida. Entre enfrentar o custo de perder a máquina peemedebista e suas mil e tantas prefeituras e perder popularidade, o presidente fez a escolha correta do ponto de vista político. Até porque quem está indignado com o apoio de Lula a Sarney são aqueles que já antipatizam com ele. Dizem que é impossível governar sem o PMDB. Eu digo que também é impossível governar com o PMDB. Agora, um presidente com 80% de aprovação popular poderia se envolver mais com as mudanças que o País necessita. No jogo político que está aí é até compreensível que se faça uma aliança ruim para poder governar. Mas não dava para negociar mais caro? Fazer a aliança e ao mesmo tempo arrancar as mudanças? Não precisava entregar de mão beijada. Estamos numa armadilha: precisamos de reformas, mas quem pode fazer é quem se beneficia dos problemas. E eu não vejo no horizonte eleitoral alguém capaz de apresentar novos valores, novas propostas.

Carlos Melo (Sétima parte)

Foi só a mesmice na política que levou a sociedade brasileira a esse conformismo?
Não. Há também um movimento maior, global, de fim de utopias, de partidos de esquerda, a queda do Muro de Berlim... Filosoficamente, passou-se a acreditar que a economia poderia garantir tudo. É triste dizer, mas o bom momento econômico é péssimo conselheiro. Ele releva os problemas, desmobiliza. Neste momento vivemos uma crise da qualidade da política no Brasil, mas como a economia vai mais ou menos bem, tapam-se os olhos e o nariz e deixa-se como está. É um erro tremendo, porque se a política estivesse bem ela potencializaria a economia. Mas chegamos ao suficientemente bom e paramos. Nós pensamos: "Poderia ser melhor, mas estamos satisfeitos assim". Não há pressão pelo ótimo, não temos instituições ou lideranças interessadas em apontar o caminho da mudança. Ficamos só amaldiçoando o escuro, e a vela ninguém quer acender. É preciso que a sociedade que se indigna comece a encontrar alternativa. Será que precisaremos chegar à antessala de um desastre econômico para mudar? É uma pergunta que faço para a sociedade e para o mercado.

Carlos Melo (Sexta parte)

Collor é um expoente da atual tropa de choque, defendendo o mesmo Sarney que um dia chamou de ‘o maior batedor de carteira da história do País’. Como isso é percebido pela população?
Não deveria surpreender, porque a lógica de agrupamentos desse tipo não passa por relações pessoais ou ressentimentos do passado, mas por interesses muito objetivos e pelo pragmatismo do presente. Esses batalhões são compostos por conveniências absolutamente voláteis. Falando de Collor especificamente, é provável que a sociedade moderna veja o ressurgimento dele como a reedição de um passado que já deveria ter sido superado pela democracia. O velho estilo não assusta mais, apenas irrita, aborrece e denuncia o anacronismo da política em relação à sociedade e à economia, que tanto se transformaram do governo Collor para cá. Ainda assim, é possível que ele encontre ressonância nos segmentos mais despolitizados, atrasados, de índole autoritária, nos eleitores dos currais ainda apegados à nossa tradição patriarcal. O mais triste, porém, é que tudo isso contribui para esse sentimento generalizado de renúncia à política. A confusão ajuda a disseminar a avaliação cínica segundo a qual tudo é permitido, porque afinal "política é assim mesmo".

Carlos Melo (Quinta parte)

Como o senhor avalia outra velha ‘instituição’ do Congresso, a tropa de choque, que sempre aparece quando alguém está na berlinda?
Quando faltam argumentos e articulação política, as maiorias acabam se impondo pela força de uma tropa fiel a seus líderes e aos interesses que representam e defendem. Há normalmente um grande grau de truculência, porque, afinal de contas, é a política por meio da força e não da negociação. De tempos em tempos essas tropas de choque, truculentas e impositivas, surgem na política brasileira. Essa que hoje está ao lado do Sarney tem como objetivo defendê-lo, pelos métodos que forem necessários, no espírito do "bateu-levou", como dizia um porta-voz de Collor.

Carlos Melo (Quarta parte)

A solução passa obrigatoriamente pela renovação dos personagens?
Veja o bate-boca de quinta-feira entre Tasso Jereissati (PSDB) e Renan Calheiros (PMDB). Até os termos usados de lado a lado, "coronel" e "cangaceiro", reforçam o nosso arcaísmo político. Como encaminhar votações importantes, formular alternativas e construir políticas nesse contexto? Impossível. Que trégua estabelecer quando os dois que se engalfinham são justamente as duas maiores lideranças dos partidos a que pertencem? Quem acima deles pode estabelecer a paz? Depois reclamam das interferências do Poder Executivo... Por mais paradoxal que pareça, esse bate-boca é a expressão da despolitização da política, do abandono da grande política, do Senado - lugar de sêniores - reduzido a uma espécie de assembleia sindical, a uma imitação barata das plenárias do movimento estudantil. Quer exemplo mais claro do arcaísmo brasileiro do que Sarney dizer que não conhece seu afilhado de casamento? É provável que não conheça mesmo. Quantos coronéis são convidados a batizar os filhos dos seus empregados e nunca se dão conta do nome da criança?

Carlos Melo (Terceira parte)

Por que não conseguimos nos livrar desses ‘eternos retornos’ - fisiologismos, tropas de choque, acordões, manipulações, dossiês?
A sociedade brasileira se modernizou do ponto de vista econômico, humano, tecnológico, nas comunicações, mas não avançou politicamente. E a política não consegue renovar seus métodos porque não renova seus personagens. Se olharmos o cenário sugerido para a eleição presidencial de 2010, a rigor, não temos nada de novo. Dilma Rousseff foi de uma organização de esquerda na década de 60. José Serra foi presidente da UNE em 1964. Aécio Neves é neto de Tancredo. Qual a renovação aí? Além disso, é repetitivo dizer, mas é a pura verdade, temos um problema de sistema eleitoral e de representação. O voto no Brasil ainda é baseado em currais. Quando um deputado diz que está se lixando para a opinião pública é porque ele não depende mesmo da opinião pública, dos leitores de jornais, da sociedade política. Ele depende da ponte que, na relação com o Executivo, conseguiu mandar fazer naquela pequena cidade em troca de alguns votos, depende da relação com o prefeito, com os apadrinhados que ele emprega e lhe pagam agindo como cabos eleitorais. Esses são mecanismos muito enraizados, inclusive porque o eleitor prefere manter esse tipo de relação despolitizada com a política. É uma relação que não passa pela cidadania, mas pelo interesse pessoal. De novo, qual a renovação aí? O resultado é que, diante de tanta mesmice, parte da sociedade prefere se retirar a participar, começa a achar que política é coisa para malandro. Não é. Mas, quando se acredita nisso, a malandragem agradece.

Carlos Melo (Segunda parte)

É como um círculo do inferno de Dante, diz o cientista político Carlos Melo, professor de Sociologia e Política do Insper, Instituto de Ensino e Pesquisa, de São Paulo. "A sociedade que se modernizou na economia, nas relações humanas, na tecnologia e nas comunicações não modernizou seus personagens políticos. Estes, por sua vez, não têm interesse de modernizar a política da qual se beneficiam", explica Melo. "Além disso, o bom momento econômico contribuiu para nos aprisionar num conformismo pragmático e num moralismo farisaico. Estamos satisfeitos, isso nos basta." Autor de Collor, o Ator e suas Circunstâncias (Editora Novo Conceito, 2007), em que analisa a ascensão e a queda do ex-presidente, defende que só uma difícil - mas não impossível - revolução de valores pode tirar a política brasileira da mesmice responsável pela reprodução de seus vícios.

Entrevista com Carlos Melo (Primeira parte)

SÃO PAULO - Na última semana os brasileiros puderam sentir uma incômoda sensação de déjà vu. Era o senador e ex-presidente Fernando Collor, arfante e com olhos projetados, berrando frases destemperadas a um adversário político. Era o presidente do Senado, José Sarney, acusado de cometer atos secretamente ilícitos, defendendo-se em plenário e invocando até a sua generosidade como avô. Eram os senadores Tasso Jereissati e Renan Calheiros, ao melhor estilo "faroeste caboclo", acusando-se mutuamente de coronel, cangaceiro, dedo sujo e m.... Era a volta da famigerada tropa de choque, essa instituição nacional sempre convocada para salvar congressistas em graves apuros. Há quanto tempo o País assiste a coisas assim? E por quanto tempo terá de conviver com o patético de espetáculos dessa natureza? Afinal, por que a política nacional não consegue se livrar do eterno retorno de seus próprios arcaísmos?

Recebi do Sd Elisandro Lotin de Souza...

Uma matéria muito interessante com o cientista político Carlos Melo.A seguir a entrevista dividida em nove postagens...Ok!!! Boa leitura.

Eram 9:30 de domingo

Sim eram exatamente 9:30 deste domingo e um grupo de jovens estavam em frente uma revenda de automóveis "curtindo a vida" bebendo "algumas" cervejas...Caramba 9:30???

sábado, 15 de agosto de 2009

A distância é grandiosa entre...


Avaí eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee Jec.

Em Florianópolis...

Simplesmente os manezinhos deletaram o Jec de sua vida futebolística. O Jec realmente é coisa do passado.

E o Jec esperando a Copinha...Eita!!!


O mascote do Jec é uma lebre??? Será???

Avaí vence o Náutico e esquece o que é perder

O Avaí não sabe o que é perder há nove rodadas, com sete vitórias e dois empates. Neste sábado, na Ressacada, venceu o Náutico por 2 a 1, no finzinho do jogo. Com o resultado, o time de Santa Catarina chegou a 30 pontos e pulou para a quinta colocação do Brasileirão. Já o Náutico parou nos 18 pontos e segue na zona de rebaixamento.
Fonte:Lancepress(15/08/2009)

Exclusivo

Adalberto Beaco é o novo presidente do Partido Verde de Santa Catarina.

Área de risco

A região do Jardim Sofia é, historicamente, uma das mais castigadas pelas cheias em Joinville. É uma área de risco onde foi permitida a ocupação. A falta de dragagem de rios também colaborou com constantes os alagamentos.
Fonte:Jefferson Saavedra,Jornal A Notícia(16/08/2009)

Indenizações

Nesta semana serão finalizadas as ações de moradores do Jardim Sofia, zona Norte de Joinville. Logo em seguida, os pedidos de indenização começam a ser apresentados à Justiça, contra a Prefeitura.
Fonte: Jefferson Saavedra,Jornal A Notícia(16/08/2009)

Nova cidade,por Anselmo Fábio de Moraes

Quem mora em Joinville desde 1970, sabe que esta quadruplicou sua população no lapso de tempo entre este ano e hoje. Neste período vimos o crescimento andar par a par com a ampliação do perímetro urbano. Quem não se lembra da campanha do Seu Freitag, no seu primeiro governo, pedindo para as pessoas não comprarem terreno em área irregular. Naquele momento começou-se a tentar resolver o assunto. A prefeitura passou a controlar os loteamentos. A cidade não parava de crescer e precisava de lotes residenciais e dai surgiram diversas imobiliárias. Implantar loteamentos sempre foi um bom negócio e para sê-lo é óbvio que dê lucro ao investidor. No começo era abrir ruas, colocar tubulação para água, postes com fiação elétrica e fazer valas de esgoto a céu aberto. Depois a prefeitura foi apertando. Passou a definir as áreas que lhe eram de direito a serem doadas por lei. Ruas ensaibradas. Valas com tubulações. Postes com luminárias. Apareceram os primeiros loteamentos asfaltados. A prefeitura evoluía, apertava e os empresários das imobiliárias iam respondendo, melhorando seus empreendimentos, a qualidade para quem adquiria os lotes e diminuindo os gastos públicos futuros. Muitos passaram a fazer seus empreendimentos em Araquari, com o intuito de “bairros dormitórios” nas cercanias de Joinville. A cidade vizinha não tinha as mesmas exigências nas benfeitorias, assim os lotes podiam ser vendidos mais baratos. Depois sabemos o que aconteceu, devido a pressão por falta de ônibus e outros equipamentos urbanos, já que é uma falácia “bairros dormitórios”, pois os que saem para trabalhar deixam em casa: esposas, filhos e pais idosos que precisam dos serviços oferecidos pela cidade em seus equipamentos urbanos comunitários. Joinville acabou absorvendo aquelas áreas e seus problemas, assim como fez com o Jardim Paraíso, bairro de grandes dimensões que pertencia a São Francisco Sul, projetado em terras de baixo valor, já que estavam no outro lado da Baía da Babitonga e não tinha ligação com a sede e, por isto, não recebiam as benfeitorias necessárias para a população.

Voltando ao óbvio. Para poder crescer e lotear áreas, na maioria, rurais, estas têm que ser transformadas em urbanas, por lei. Então o caminho dos empreendedores é alterar a lei que define o perímetro urbano. Assim surgiram os grandes loteamentos. E isto não funciona assim só aqui. Funciona no mundo, principalmente depois da revolução industrial. As áreas centrais encarecem e o povo se desloca para a periferia.

Coluna do Saavedra (31/07): “Nova cidade. No meio à reunião que confirmou a Curva do Arroz como local do futuro campus da UFSC, o prefeito Carlito Merss revelou um investimento audacioso em estudo em Joinville: a construção de praticamente uma nova cidade na zona Sul. Um grupo estaria interessado em construir milhares de moradias, com praças, centro administrativo, postos de saúde, entre outros equipamentos de uso público. (....). O grupo (...) ofereceu parte do terreno para a Prefeitura de Joinville ceder para a UFSC. A Federal teria direito a um milhão de m2. (....) O prefeito Carlito lembrou que o terreno reservado para a “nova cidade” é rural e precisaria de mudanças na lei para receber o empreendimento.”

Meu filho me diz: deixa isso pra lá e cuida da tua vida. Acha que estou ficando velho e ranzinza. Começo a acreditar que ele tem razão. Mas enquanto ele não me manda para um asilo, não posso me calar e nem deixar de indagar. Onde será a UFSC não era rural e não teve que ter lei alterando o uso?

Sinceramente, não posso entender como a municipalidade perde uma oportunidade destas. Será que eles não sabem que daqui a pouco tempo (desde que Joinville continue crescendo e entendo que vai) será feito uma lei para ampliar o perímetro urbano para aquele local e a empreendedora vai lotear sem doar nada ao município, a não ser o que preconiza a lei para os loteamentos? Perde-se a grande chance de ter um bairro estruturado. “Coisa de primeiro mundo” como diriam os neoliberais. Ruas asfaltadas e sinalizadas, passeios pavimentados, com indicações para deficientes visuais e rampas nas esquinas para cadeirantes, árvores “sem raízes”, bancos e bebedouros, praças, PA 24h e tudo o mais que faz o bem-estar da cidade. E com uma universidade, ou mais um pólo universitário, se a PUC também fosse pra lá. Já tem o pólo universitário da zona norte e teria, também, o da zona sul. Se formos a Palhoça, para não ir longe, e olharmos o que a UNISUL fez com o loteamento “Pedras Grandes”, teremos a noção da vantagem que seria transformar esta área em urbana. Um bairro decente, bancado pelo empreendedor e por quem fosse morar lá. Nada mais justo. Será que o problema é que os empreendedores teriam lucro? É óbvio ululante que deveriam ter! Isto não é coisa de ideologia política. É urbanização. É ordenamento territorial. Ganha quem empreende e ganha a cidade! Pois afirmo: Os empreendedores terão lucro de qualquer maneira e sem dar nada (aliás, a cidade vai ter que bancar como nos outros loteamentos: saneamento, árvores, asfalto e os equipamentos urbanos comunitários).

No meu entender e sem querer pra mim a síndrome do galo: “que pensa que o sol nasce só depois que ele canta”, transformar esta zona rural, oferecida com toda a infra-estrutura, em urbana, seria muito mais lógico do que gerenciar brejo, barulho de trem e da BR, fios de alta tensão e, pior, a formação de uma nova cidade que nascerá no entorno da UFSC e que terá, daí sim, a infra-estrutura paga pelo poder público, ou seja, por todos os moradores da cidade e não só por quem vai se beneficiar daquele espaço.

O doído, o difícil, não é engolir este tipo de despautério. É ficar imaginando o que há por trás disto.

Anselmo Fábio de Moraes